A TRANSFIGURAÇÃO (Aula nº 47 F)
Siga-nos nas Redes Socias:
FACEBOOK
Instagram

Autoria de LuDiasBH

Já vimos em aulas passadas que Rafael Sanzio — ao lado de Leonardo da Vinci e Michelangelo — é um dos artistas mais brilhantes da arte florentina, destacando-se tanto na arte pictórica quanto na arquitetura, sendo conhecido como “O Príncipe dos Pintores”. Segundo sua biografia, o artista era tão meigo com as pessoas quanto são ternas suas pinturas, ao contrário dos outros dois gênios citados acima. Embora suas obras, à primeira vista, pareçam simples, elas são fruto de um profundo estudo, com um planejamento cuidadoso e cheio de imensa sabedoria artística. Também se tornou conhecido como o pintor das doces Madonas. Nossa aula de hoje diz respeito a uma de suas mais belas pinturas, conhecida em todo o mundo. Primeiramente é necessário acessar o link Rafael – A TRANSFIGURAÇÃO e ler o texto com muita atenção, sempre voltando a esse quando se fizer necessário.

Obs.: Enriqueça a sua capacidade interpretativa das obras de arte acessando o link acima. Faz-se necessário ler o texto integralmente.

  1. Numa grande prancha de madeira Rafael Sanzio pintou dois episódios retirados dos Evangelhos e que representam:

    1. o mundo terreno
    2. o mundo divino
    3. parte dos dois mundos
    4. o inferno e o céu

  2. O primeiro episódio — ocupando a parte mais alta da composição — retrata a transfiguração de Cristo no……………, levitando entre a Terra e o Céu.

    1. Monte Sinai
    2. Monte Tabor
    3. Monte Sião
    4. Monte Efraim

  3. Jesus Cristo está acompanhado pelos apóstolos:

    1. Pedro, Tiago Maior e João
    2. Filipe, Bartolomeu e Tomé
    3. Mateus, Tadeu e Simão
    4. Tiago, Judas e Felipe

  4. Os três apóstolos tapam os olhos diante da resplandecência da luz que emana do Cristo:

    1. ressuscitado
    2. subindo aos céus
    3. descendo dos céus
    4. transfigurado

  5. O segundo episódio — ocupando a parte baixa da composição — retrata o milagre do menino…………. que foi levado à presença dos nove apóstolos por seus pais, para que esses o curassem.

    1. cego
    2. mudo
    3. possesso
    4. paralítico

  6. Para alguns estudiosos o menino estava na verdade acometido por um ataque de………………….., doença que era vista como possessão demoníaca à época.

    1. pânico
    2. epilepsia
    3. batracofobia
    4. agorafobia

  7. A segunda cena divide-se em dois grupos separados:

    1. Pela mulher de costas que usa um manto azul.
    2. Pelo braço do apóstolo que usa uma túnica verde.
    3. Pelo apóstolo sentado no chão, segurando um livro.
    4. Pelo braço levantado do garoto em busca de Jesus.

  8. A mulher de vestimenta cor-de-rosa indica o garoto aos apóstolos com as duas mãos e também direciona os olhos do observador para:

    1. A cena que ocorre no Monte Tabor.
    2. Mostrar o desespero do pai do menino.
    3. Indicar o grupo de apóstolos.
    4. Mostrar o menino e sua comitiva.

  9. Os apóstolos presentes na segunda cena demonstram grande…………..

    1. calma
    2. conformismo
    3. preocupação
    4. indiferença

  10. As duas cenas, embora distintas, são maravilhosamente combinadas na composição. O monte serve de separação entre………………

    1. o mundo divino e o terreno
    2. as pessoas divinas e as pecadoras
    3. os santos e os humanos
    4. os valores do Céu e os do Inferno

  11. Em meio ao grupo que acompanha o garoto e seus pais, um dos presentes estende os braços em direção ao Cristo transfigurado, como se fizesse — juntamente com o garoto e dois dos apóstolos — um elo entre:

    1. os apóstolos e o povo
    2. a caridade e a compaixão
    3. Cristo e o mundo divino
    4. as duas cenas da composição

  12. Todas as afirmativas acerca da composição estão corretas, exceto:

    1. Rafael usa uma associação de luz e sombra.
    2. A primeira cena apresenta cores mais claras e mais foscas.
    3. A segunda cena possui cores mais escuras e muita sombra.
    4. É tida como uma das mais belas obras já criadas em todo o mundo.

  13. Quando Rafael morreu repentinamente, seu quadro a Transfiguração ainda estava………………;  o quadro foi levado à frente do féretro para homenageá-lo. Isto foi o bastante para que a obra se transformasse num símbolo de imortalidade do grande gênio que morrera tão jovem.

    a. em seu estúdio
    b. emprestado
    b. por terminar
    d. por vender

  14. Esta extraordinária obra de Rafael Sanzio encontra-se em:

    a. Milão
    b. Florença
    b. Roma
    d. Veneza

Gabarito
1.c / 2.b / 3.a / 4.d / 5.c / 6.b / 7.a / 8.d / 9.c / 10.a / 11.d / 12.b/ 13.a/ 14.b

Obs.: Conheça a vida do artista acessando o link abaixo:
Mestres da Pintura – RAFAEL SANZIO

4 comentaram em “A TRANSFIGURAÇÃO (Aula nº 47 F)

  1. Marinalva Autor do post

    Lu
    A Transfiguração de Jesus, de Rafael Sanzio , é o seu último trabalho, uma de suas obras mais importantes. Seus trabalhos são frutos de profundo estudo, com planejamento cuidadoso, cheio de imensa sabedoria artística. Foi um mestre da pintura pela perfeição e suavidade de suas obras. A Transfiguração nos mostra toda genialidade de um Mestre das artes. Com sua morte prematura o mundo perdeu um gênio meigo, terno, estudioso, genial como sua arte.

    Responder
    1. LuDiasBH Autor do post

      Marinalva

      A obra em estudo faz parte dos mais belos trabalhos de Rafael Sanzio, sem falar no fato de que foi a sua última composição, tendo ele morrido na flor da idade, no auge de sua criatividade. Se tivesse vivido mais tempo teria nos deixado obras extasiantes.

      Abraços,

      Lu

      Responder
  2. Adevaldo R. Souza

    Lu

    Você nos brindou com essa bela obra de Rafael Sanzio. Achei interessante o tamanho dos personagens do primeiro episódio, sendo Cristo o maior. Será que o artista propôs uma hierarquia nesse caso? Também notei no segundo episódio formas diferentes da incidência da luz nos personagens do grupo da esquerda e direita, mostrando uma forma mais modelada nesse último grupo. Penso que o Monte Tabor localiza-se à beira-mar, pois me parece que existe mar e praia ao fundo da composição. Será o mar da Galileia?

    Responder
    1. LuDiasBH Autor do post

      Adevaldo

      Havia, sim, uma hierarquia na pintura religiosa, mesmo na fase renascentista. Os personagens do primeiro episódio são bem mais destacados e iluminados, pois representam o mundo divino, enquanto a segunda cena retrata o mundo terreno, apresentando as características citadas por você. Quanto à paisagem parece haver, sim, terra e água ao fundo, mas imagino que seja meramente fantasiosa e não geográfica. O Monte Tabor é realmente uma alta colina da Galileia, mas desconheço se há mar por perto.

      Abraços,

      Lu

      Responder

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *