CORONAVÍRUS X QUARENTENAS (III)

Siga-nos nas Redes Socias:
FACEBOOK
Instagram

Átila Iamarino

Os estados que estão mantendo as pessoas circulando menos, que têm comércio parado, circulação fechada e estão construindo leitos estão indo bem. Uma ou duas semanas mais pra frente poderiam representar dezenas de milhares de mortos que não precisavam morrer. (Átila Iamarino)

Gabriel Valery, RBA O atual cenário de pandemia de covid-19, doença provocada pelo novo coronavírus restabelece a importância da ciência e da informação responsável como principais ferramentas para reduzir ao máximo os danos sociais e econômicos que ela causará. A conclusão é do biólogo e pós-doutor em microbiologia Átila Iamarino.

O Brasil está apenas no início da curva de crescimento de casos de covid-19. Tal fato é reconhecido pelo Ministério da Saúde e toda a comunidade científica. De acordo com dados do governo, no final de abril, o sistema de saúde pode entrar em colapso. Diante de tal cenário, Átila não hesita em defender medidas de isolamento social e de intensas quarentenas em grandes epicentros de disseminação do novo coronavírus.

Existe uma grande oportunidade para o Brasil que vem com uma imensa contradição. Como o país foi afetado semanas após os surtos em outros países como Itália, Espanha e Estados Unidos, existe a oportunidade para o poder público diminuir o número de mortes. Essa é a oportunidade. Já a contradição é o posicionamento do presidente de extrema-direita, Jair Bolsonaro (sem partido), que insiste em desprezar as recomendações de todas as autoridades de saúde, além de ir contra todos os líderes mundiais. O extremista defende que o vírus não passa de uma “gripezinha” e que a sociedade não precisa de grandes cuidados.

A realidade aponta para o sentido oposto. As mortes virão aos montes. “Vai ser um trauma coletivo bem grande”, defende Átila. O alento vem do posicionamento dos governos locais. À revelia do presidente, governadores estão seguindo as orientações das autoridades de Saúde e já tomaram atitudes importantes. “Os estados que estão mantendo as pessoas circulando menos, que têm comércio parado, circulação fechada e estão construindo leitos estão indo bem”, disse, ao citar os exemplos de São Paulo, Rio de Janeiro e Minas Gerais que adotaram quarentenas em massa.

Tais ações de estímulo ao isolamento social fazem grande diferença no ciclo de contágio do novo coronavírus. A grande vantagem é dar tempo para que o sistema de saúde acomode os doentes. Átila lembra que, mesmo a letalidade do covid-19 parecendo pequena, em torno de 2% dos infectados, a taxa de hospitalização é extremamente alta, por volta de 15%. Isso, somado à velocidade em que o vírus contagia mais e mais pessoas, tem provocado colapsos e caos em diferentes países.

“Todos os países estão fazendo alguma coisa. É uma questão de tempo. O tempo é daqui para agosto. Mais do que o teto de mortes, que pode ser um desastre, o intervalo para agir é curto. É urgente e isso dá ânsia para avisar. Felizmente, a maioria dos Estados aderiu à quarentena ou reduziram a circulação. Uma ou duas semanas mais pra frente poderiam representar dezenas de milhares de mortos que não precisavam morrer”, disse Atila.

2 pensou em “CORONAVÍRUS X QUARENTENAS (III)

  1. Rosa

    Lu e caros companheiros deste espaço querido,

    Estou na quarentena junto à minha mãe que tem 89 anos há 20 dias. A última vez que saí um pouco mais longe da minha casa foi no dia 12 de março. Eu estou bem assustada com o Coronavírus e às vezes me mantenho um pouco longe das notícias, que são cada vez mais assustadoras. Fico muito nervosa e angustiada.

    Eu me considero bem informada e apoio totalmente a ciência, a imprensa, e os governos que querem o isolamento social, mas ainda percebo que há pessoas que dizem que não é bem assim, é triste. Quando esta postura parte do presidente do país pior ainda, porque o ministro da Saúde, a imprensa e os cientistas educam o povo e o presidente deseduca com o comportamento arrogante dele. Como disse, eu tenho medo porque não tenho o controle desta situação. Ninguém tem. Temos que fazer a nossa parte, ficar em casa o máximo possível, lavar as mãos sempre, nos manter informados e nos cuidar.

    Um grande abraço a todos.

    Responder
    1. LuDiasBH Autor do post

      Rosa

      É realmente lamentável a postura do chefe da nação e seus asseclas, indo inclusive contra o parecer do Ministro da Saúde, um homem sério e comprometido com a realidade, mas prestes a ser demitido por não rezar na cartilha de Bolsonaro.

      Médicos afirmam que as mortes por coranavírus-19 são imensamente mais numerosas do que as citadas pela mídia, pois eles têm que seguir “certa” orientação que dificulta o diagnóstico de morte pelo vírus, para diminuir seu real número. O fato é tão sério que os Estados Unidos já estudam cortar contato com o Brasil, pela falta de seriedade com que o mandatário do país está levando a doença. E olhe que não tem sido pouco o número de médicos e enfermeiros infectados.

      Você e sua mãe já vacinaram contra a gripe? Não deixe de fazer isso. Acompanhar a informação é muito importante. Ontem foi ensinado como fazer máscaras caseiras. Ainda que seja triste, temos que acompanhar o noticiário da Globo que é o mais completo. Vejo apenas o Jornal Nacional todos os dias e acompanho certos sites na web. De resto temos que fazer o que você nos ensina:

      ” Temos que fazer a nossa parte, ficar em casa o máximo possível, lavar as mãos sempre, nos manter informados e nos cuidar.”

      Abraços,

      Lu

      Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *