ÍNDIA – INDIANOS SEDUZEM NA INTERNET

Siga-nos nas Redes Socias:
FACEBOOK
Instagram

Autoria de LuDiasBH

indi1

O artigo Índia – Golpe da União com Estrangeiras, que tem por objetivo alertar as mulheres brasileiras contra o “golpe do casamento com indianos”, vem batendo recordes de acesso no blog. O texto tem recebido inúmeros comentários, sem falar naqueles que me são repassados diretamente por e-mail, uma vez que muitas mulheres sentem-se envergonhadas por terem caído no “conto do vigário”. Uma delas chegou a raspar as suas aplicações no banco, para enviar dez mil dólares ao pilantra bom de lábia, e, que se dizia apaixonado por ela, para que comprasse parte do enxoval em seu país, e viesse para o Brasil, onde se casariam. Depois disso nunca mais teve notícias do ladino. Hoje, ela faz tratamento antidepressivo. E não é só no Brasil que isso vem acontecendo, mas em várias partes do mundo. Casos semelhantes são registrados em Portugal, Espanha, Japão, Argentina, etc.

Meus caros leitores, nós podemos ajudar, fazendo com que um grande número de mulheres em tome ciência deste problema que vem se alastrando como erva daninha. Peço aos que participam de redes sociais, que compartilhem os artigos relativos ao assunto. Precisamos desmascarar esses pilantras que usam da boa-fé de mulheres ingênuas e carentes, para roubá-las. Abaixo, posto alguns comentários de leitoras, que se viram envolvidas com os tais “príncipes indianos” e, que deixaram no blog seus relatos:

O mal dessas meninas é nunca acreditarem nas verdades e nos conselhos de quem já viu muito, já ouviu muito e já presenciou muita gente quebrar a cara. (Deby Calcinha)

Eu já sabia um pouco sobre eles. Por pouco não caí em um golpe. Namorei um indiano durante bom tempo, e estava realmente apaixonada, mas ele queria que eu o ajudasse com a “módica” quantia de US$10.000, e fez o maior escândalo quando eu disse não tê-la. Mesmo se tivesse, não daria, apaixonada fiquei mais desajuizada não! (Hellen P. Figueiredo)

Comigo aconteceu algo bem parecido. O indiano, por quem eu estava apaixonada, questionava-me muito sobre quanto era o valor de meu salário aqui no Brasil, se eu tinha conta em banco e o valor que detinha nela. Veio com uma história de que precisava urgentemente de uma quantia de 1.000 dólares, em 15 dias. Em nenhum momento, ele me falava em empréstimo, era para eu lhe dar o dinheiro. Foi daí pra frente que a minha ficha começou a cair. (Dirce)

O meu “gatinho indiano” é engenheiro, de família tradicional, come com as mãos e chupa os dentes. Eu continuo o namoro virtual, mas daí a querer uma vida em comum é outra história. Não daria certo de jeito nenhum. Mas quem quiser pagar para ver, que o faça. Tem gente que não aprende nunca e leva no lombo. As mulheres indianas também são muito sem-vergonha. Elas atacam junto com os maridos, tentando seduzir e obter vantagem em cima das estrangeiras. Já me deparei com dois casais assim. Mas eles eram amadores, a farsa apareceu nas primeiras conversas. Casais mais espertos, mais profissionais são perigosíssimos. (Maura)

Estou me relacionando com um indiano muito mais jovem que eu. Ele tem 27 e eu 47, ele é muçulmano e eu cristã, ele quer se casar comigo e vir para o Brasil. Eu quero até me casar com ele, porém preciso de mais informações, porque a dona do jogo sou eu, e qualquer coisa saio fora. (A.S. Ramos)

Estou muito triste ao ler os relatos. Namoro com um indiano, e sempre soube que era casado. Ele diz que eu decido, se quero morar lá ou aqui, e, que vem ao Brasil para me conhecer, e quer me engravidar logo, para eu ir embora com ele. Mesmo dizendo 1.000 vezes por dia que me ama, eu não confio… apaixonada, mas ajuizada. (Dani)

Conheci um indiano pela internet, e no 3º dia já dizia que me amava e queria se casar comigo. Nas conversas, questionei-o como iríamos nos casar, se as famílias indianas não aceitam casamentos com estrangeiras. Respondeu que as coisas por lá mudaram. E que viria me buscar, conhecer minha família e depois voltávamos para a Índia. É ruim, hein, largar meu país e minha família por causa de um homem desconhecido! Tô fora, antes solteira feliz do que casada infeliz e sem minha família. (Juliana)

Um cara indiano me pediu para adicioná-lo no Facebook, como eu já conheço a fama deles e essa história do golpe, eu ia recusar, mas gostei das postagens sobre artes, e adicionei-o, mas já avisei à figura que não estou procurando namorado. Se vier com segundas intenções eu o excluirei. (Andréa)

Conheci um indiano pelo aplicativo Wechat, que falou todas as lorotas já citadas. Chegou um momento em que me pediu dinheiro para as despesas diárias dele. Eu, na lata, disse que não era nem pai ou mãe dele, e, que tinha lutado muito para conseguir minha estabilidade. Como já disseram, eles mentem por natureza. Ninguém conhece o outro pela internet, nem namorando, com convívio diário se conhece, imagine na internet e ainda mais com um abismo cultural enorme. (Luana Porto)

É impressionante como eles são envolventes, sedutores e falam o que toda mulher quer ouvir. Com apenas uma semana já dizem que amam, só falam em casamento, não vivem mais sem você, chamam o tempo inteiro, parece que não trabalham, não dormem, não comem. Vivem exclusivamente de “amor”. Mesmo estando com o ‘pé no chão’ embarquei nesse jogo de conquistas, mas o pior estava por vir: a informação de que ele era casado com uma brasileira com esquizofrenia. Jurou que isso ia se resolver o mais rápido possível e, que eu esperasse por ele. Resolvi investigar. Descobri que tem uma conta (oculta) no Facebook, um casamento oportunista, pois conheceu a esposa através da internet e veio para o Brasil, e engana a família dela. Quando finalmente fui me retirar dessa confusão, ele mostrou quem era realmente: enlouqueceu, me insultou, humilhou e me ameaçou. Resolvi escrever o meu depoimento para que sirva de exemplo. (Ana)

Estou conversando há um mês com um indiano, via WhatsApp. Ele já quer se casar. E aconteceu o que mais me IMPRESSIONOU… ele me pediu dinheiro, em dólares. Minha “ficha” ainda está caindo, mas juntando os fatos e acontecimentos de uns dias atrás, já havia percebido o que ele realmente queria, e anteontem ele atacou. (Cris)

Os comentários sobre as histórias vividas confundem um pouco; eu namoro um indiano, que quer vir para o Brasil. Agora eu fico com mais dúvidas ainda. (Alice)

A coisa é sinistra, esses caras só querem aprontar e se dar bem. Quanto às moças que vão se casar e o indiano virá viver aqui, cuidado. Alguns vão para a Europa, casam, adquirem a cidadania, divorciam e trazem a família para o país. Esses que topam viver aqui podem estar planejando o mesmo. (Andrea Machado)

O indiano me ligava 24 horas por dia, mandando mensagens no celular e no whatsapp. Era uma rasgação de seda, dizendo “Eu te amo minha namorada e futura esposa, você é minha vida” e um monte de balela. Estava pensando que me enganava. Ele sempre me apressando: “Venha e me leve com você!”. Há alguns dias, mexendo no perfil dele, vi que tem um relacionamento sério. (Luana)

Estou mantendo contato com um jovem indiano, muito amável e doce, além de lindo. Fala coisas interessantíssimas sobre amor… Estou dando corda, porque o tema amor é sempre muito lindo… E o rapaz, assim como os demais ditos acima, fala em vir para o Brasil, casar, trabalhar. Da minha parte, eu jamais deixaria meu país pra ir atrás de algo tão incerto e arriscado. Não deixarei jamais que a ilusão cegue meus olhos e faça com que eu fuja da razão. Todas as informações que li aqui no blog me ajudaram muito e me deram forças pra manter meus pés bem firmes no chão. (Vivielen)

Eu não tenho nenhum namorado indiano, mas tenho diversos amigos indianos no facebook, e eles são assim mesmo. A maioria dos que assediam as mulheres pela internet é casada, e na Índia não existe divórcio. Eles têm dois interesses: sexo e dinheiro. Um deles me disse que era divorciado, que queria vir para o Brasil e se casar comigo. Eu nunca acreditei nele, e, se tivesse acreditado, teria caído do cavalo, porque é casado, e havia mentido pra mim. Percebi desde o começo que levaria um belo golpe, mesmo sem ele me dizer nada. A chance de se conseguir um homem sério na Índia é muito pequena. (Gisleine Dias)

O “meu indiano” sabe usar bem as palavras, principalmente as de amor, tema que sempre toca o coração. As palavras ditas pelo moço são as mesmas que li nos demais relatos: “Eu te amo, você é minha vida, não vivo sem você, nunca conseguirei te esquecer, tentar te esquecer me mataria, quero ser seu para sempre…”. Outro dia, ele me pediu que lhe enviasse uma lembrança minha para estar carregando, um “locket” (medalhão). Quando lhe perguntei o porquê de um medalhão, a resposta foi bem romântica. Porque ficaria bem perto de seu coração… Eu lhe falei que poderia até lhe enviar uma lembrança, mas não seria algo caro. Ele insistiu que tinha de ser o melhor que eu poderia dar, por se tratar de uma lembrança de amor, e citou a palavra “joalheria”. Eu finjo que não estou entendendo nada… Afinal, é amor online, era digital. Posso estar aparentemente demonstrando ser uma donzela seduzida por um príncipe encantado, uma vítima do amor dos contos de fadas modernos…  risos. (Vivih)

Fecho a matéria com o sábio conselho da Vivih:

Nós temos acesso a informações e sabemos que a vida real é bem mais complexa. Deixo aqui uma pequena parte de minha experiência para que sirva de munição a qualquer amiga, que esteja vivendo a mesma experiência. Não se iludam, mantenham-se no controle da situação e não sejam vítimas dessa “laia” que usa de amor e carinho para crescer na vida, sem se importar em arrancar nossos românticos e vulneráveis corações.

174 comentários em “ÍNDIA – INDIANOS SEDUZEM NA INTERNET

  1. Siva

    Eu estava conversando com um indiano na internet, mas desde o início ele disse que era casado, que não ia mentir para mim. Eu deixei bem claro pra ele que só era amizade e que nada aconteceria entre nós. Disse-me que não se preocupasse, que sabe muito bem como respeitar uma mulher. Não só mulheres, mas todo indivíduo que existe na terra. Ele é bem de vida, já viajou pra outros países, o emprego dele possibilita isso, pois disse que trabalha em uma empresa farmacêutica. Ele era sempre muito educado, mandava mensagem e quando eu mandava me respondia na hora.

    Certo dia eu lhe enviei uma mensagem e ele demorou pra responder. Disse que estava ocupado e que não estava usando o celular e eu falei “sem problemas”. Mas não nos falamos mai, poia já era tarde lá naquele dia. Do dia seguinte não me mandou mensagem e eu estranhei. Mandei uma mensagem e novamente ele não me respondeu. Depois de algumas horas eu insisti e ele me respondeu. Disse que estava doente. Com febre alta e com muita dor de cabeça. Mas que eu não me preocupasse que ficaria bem em breve. Perguntei por que ele não tinha me falado antes e disse que não queria que eu me preocupasse. Pedi pra vê-lo e ele falou que estava com a família. Nos dias seguintes eu mandei mensagem pra saber como estava, ele demorava a responder. Eu sempre insistindo pra vê-lo, e ele dizia que a família estava com ele. Depois de 4 dias eu mandei mensagem e ele respondeu, disse que o relatório médico tinha acusado febre tifoide, que estava se sentindo fraco. Pedi pra vê-lo e ele me ligou. Realmente não parecia mentira, estava com cara de abatido e tossindo muito. O problema é que agora mando mensagem e ele não me responde mais. Não sei o que pode ter acontecido. Alguém tem uma opinião?

    Responder
    1. LuDiasBH Autor do post

      Siva

      Eu não acredito em nada que essa gente diz, pois não são poucos os golpes que já deram no Brasil e em quase todo o mundo, como poderá ver através dos relatos.

      O que não entendo é como você quer travar relações com um homem casado, sabendo que isso poderá lhe trazer problemas sérios. Certamente a esposa já descobriu e o proibiu de continuar tal relação, pois, além de tudo, você tem sido muito insistente e inconveniente. Quando se quer apenas amizade, não há motivo para tamanha insistência. Quem tem que oferecer informações, sem que você peça é ele, o solicitante da amizade. Não seja tola, saía dessa o mais rápido possível, antes que venha a sofrer, pois logo ele mentirá, dizendo que se separou da esposa, pois muitas delas ajudam a dar golpes.

      Beijos,

      Lu

      Responder
      1. Brazuka

        Eu conheci um indiano pela internet em um grupo de jogo de xadrez. No perfil não havia foto, somente um nome. Ele me abordou, quis jogar, eu aceitei porque queria desenvolver, mas logo ele viu a minha foto e começou elogiar. Eu não querendo nada com nada (já sofri com relações via internet), quis me desvencilhar da conversa, agradeci e disse que queria apenas amizade. Enquanto ele jogava, me elogiava. Dizia que eu era linda. Pedi uma foto, ele com muito custo enviou uma. Vi que não tão era jovem, nem tão bonito, aparentava ter 38 a 40 anos e nem parecia indiano. Era bem clarinho. Fui deixando ele falar,afinal, quem não gosta de elogios? Todos os dias ele me procurava, elogiava e eu só agradecia. Era um homem muito misterioso. Disse que queria apenas um tipo de amizade colorida. E eu, não queria era nada, mas o fato dele se esconder me deixou curiosa. Queria saber mais sobre ele, mas ele se negava a falar, então, com as poucas pistas, virei investigadora.

        Era um mês em que eu precisava estudar muito, mas fiquei na internet pesquisando com as poucas pistas que me deu sobre sua vida. Realmente era verdade tudo que disse. Reprovei-me no Mestrado, mas DESCOBRI TUDO sobre ele. Como eu desconfiava, era casado, tinha dois filhos. Descobri onde trabalhava e quem são seus amigos e esposa. Descobri tudo e fiquei quieta. Diante de tal descoberta, eu me senti estranha, uma idiota que estava sendo usada para distração, mas ao mesmo tempo, levando pelo lado da amizade colorida, ele não havia prometido nada. Foi jogo limpo.

        Com o tempo, ele foi gostando mais de mim. Sempre muito educado. Com 8 meses de conversa quis me “beijar” virtualmente. Isso era algo novo para mim. Como assim? Beijo virtual? Onde ele aprendeu isso? Era algo um tanto estranho, tinha que usar a imaginação e estar em um outro mundo. Fui deixando para ver onde dava, não tinha nada pra fazer mesmo, mas não sentia nada por ele. Hoje faz mais de 1 ano, já sei de cor todas as palavras que ele vai dizer.

        Nossa vida se resume em vingancinha. Um dia deixo ele no vácuo, no outro ele me deixa, e ninguém fica com raiva. Eu me cansei, tentei acabar essa relação esquisita, mas ele não queria. Voltava morrendo de saudades e por incrível que pareça, eu também já gostava daquela situação. Um dia eu desapareci da rede, por maldade, só para testar, ele me chamava todo dia, nesta época chegou a ficar doente, teve febre. Pensei: deve ser febre emocional. Parei de ficar off por muitos dias, parei de fazer maldades. Eu sou uma mulher que nunca está disponível.

        Aprendi da forma mais cruel como lidar com os homens. Nunca dar certezas a eles, ser misteriosa e ocupada, ter um trabalho que ocupe o dia todo. Ele sabe tudo sobre mim, do meu trabalho e eu do dele, sente orgulho de mim, da minha independência e entusiasmo pela vida e em aprender. Eu dele, pois considero um anjo na Terra enviado por Deus, embora façamos isso, – encontros secretos. Ele diz sempre que eu estando distraída com o trabalho me torno mais atraente, etc. É muito galanteador. O fato dele nunca desistir de mim, fez brotar algum sentimento por ele. Mesmo diante das circunstâncias, ainda estamos juntos, mas como um jogo de gato e rato, e do jeito que está, vamos continuar juntos para sempre neste mundo imaginário. Diante de tanto segredos e as descobertas que fiz sobre ele, sei que jamais irá deixar a vida dele por mim, por isso, não me iludo.

        Responder
        1. LuDiasBH Autor do post

          Brazuca

          Li com muita atenção todo o seu comentário. Achei-o muito interessante. Chamou-me a atenção, sobretudo, a sua maturidade em relação ao moço. Mostra que sabe perfeitamente o que faz e o que espera disso, o contrário de certas garotas ingênuas e mulheres carentes que se entregam por inteiro e depois levam uma rasteira, conforme você deve ter visto nos comentários. Também senti em você um certo desencanto com os homens (“Aprendi da forma mais cruel como lidar com os homens.”). Esse relacionamento que teve e que a machucou tanto assim foi virtual? Parece-me que você ainda é muito jovem e tais desencantos fazem parte de nossa juventude. A maturidade vai nos fazendo enxergar a vida e os relacionamentos de outro jeito. O que nos machuca hoje, amanhã nos fará sorrir de nossa ingenuidade.

          Amiguinha, fiquei curiosa acerca do beijo virtual… risos. Como é isso? Continue não dando moleza para o indiano, pois essa gente tem causado muito estrago na vida de muitas mulheres.

          Grande beijo,

          Lu

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *