OS MUITOS TIPOS DE SORRISO

Siga-nos nas Redes Socias:
FACEBOOK
Instagram

Autoria de LuDiasBH

E a minha alma alegra-se com seu sorriso, um sorriso amplo e humano, como o aplauso de uma multidão. (Fernando Pessoa)

As pessoas sorriem por muitas razões, das quais apenas algumas têm a ver com o que expressa a emoção positiva. As pessoas sorriem para estabelecer conexões com os outros, pedir desculpas, passar por situações complicadas, para impressionar, seduzir e apaziguar. Elas sorriem para mascarar sentimentos negativos, sorriem quando envergonhadas, também para restaurar relações harmoniosas. (Marianne LaFrance)

É sabido que certas culturas são mais contidas em suas emoções, enquanto outras são bem mais expressivas – como a nossa, por exemplo – contudo, não existe um só povo que não exprima seus sentimentos usando a mesma expressão facial. O escritor e biofísico Stefen Klein explica que “A cultura influencia muito pouco o diapasão das emoções humanas. É verdade que existem povos mais expressivos e outros mais reservados quanto à manifestação das emoções, mas todos exteriorizam alegria, aflição, medo e raiva de formas muito parecidas”. E complementa: “uma vez que a mímica facial é a mesma para todos os povos, as emoções elementares e o modo como nós as manifestamos devem ser inatos”, e não aprendidos como supunham alguns. Cita o fato de os cegos – ainda que sejam de nascença – usarem as mesmas expressões faciais ao sorrirem, por exemplo. Contudo, este é ainda um estudo em andamento.

Paul Ekman – pesquisador reconhecido por seus trabalhos no campo das emoções – descobriu que há 19 maneiras diferentes de sorrir, embora 18 delas – segundo ele – não sejam autênticas, mas se encontrem inseridas no cotidiano das pessoas, servindo-lhes de disfarce para encobrir os sentimentos, quando não se quer mostrá-los por completo – sendo essenciais à convivência humana. Quem não conhece o sorriso de constrangimento através do qual indicamos que nos sentimos embaraçados diante de alguma piada que não nos agradou? E aquele sorriso falso que indica que estamos participando de algo contra a nossa vontade? Há também o chamado “sorriso amarelo” indicativo de medo. O sorriso forçado, como aquele de quando se tira uma foto em grupo, sob a exigência de que todos sorriam. Há o sorriso polido ou de cortesia e aquele que denota ironia. Existe o frustrado por não termos atingido um propósito e o malvado que parece dizer: “Aguarde-me, sua batata está assando!”… E tantos outros.

Se 18 dos 19 tipos de sorriso não são genuínos, concluímos, então, que existe apenas um verdadeiro. Mas onde se encontra o diferencial? – indagará leitor. O “unzinho” restante é o que transmite alegria – sentimento de contentamento, satisfação e júbilo –, enquanto os outros não passam de um arremedo de demonstração de tal sentimento. Trata-se daquele sorriso grande, sem amarras ou elegância, moldando todo o rosto e isso quando também não balança o corpo. Ele levanta os dois cantos da boca, faz com que as pálpebras se comprimam, desenha um monte de rugas em torno do canto dos olhos (dizem até que é o responsável pelos “pés de galinha”), elevando ligeiramente as partes superiores das maçãs do rosto. E como se toda esta ginástica fosse pouca, esse sorriso gostoso ainda contrai os músculos orbiculares das pálpebras. Tem até um nome: sorriso de Duchenne – numa homenagem ao fisiologista francês que em 1862 realizou um estudo pioneiro do músculo orbicular do olho e chamava esse movimento de “Doces movimentos de emoções da alma”.

Agora que temos o conhecimento sobre o único sorriso verdadeiramente prazenteiro, nenhum sorrisinho amarelo irá mais nos enganar. Será mesmo? Mentira! Cerca de 10% das pessoas são capazes de reproduzir intencionalmente o sorriso de Duchenne, sem treinamento algum, transformando-o, assim, num sorriso falso. Nós outros, no intuito de imitá-lo, podemos recorrer a truques, como buscar a lembrança de uma piada engraçada ou a de um fato que nos fez rir muito. Outra coisa, as mulheres sorriem mais do que os homens e conseguem fingir melhor um sorriso verdadeiro. De olho nelas! Agora que já nos encontramos exímios na avaliação de sorrisos, podemos rir à vontade dos falsos sorrisos dos políticos e dos atores ruins que não aprenderam a representar. Que tal correr até o espelho para ver se você se encontra no grupo dos 10% capazes de imitar o sorriso de Duchenne? Mais uma coisinha: Dê um sorriso!

Ver textos:
COMO VIVENCIAR A FELICIDADE
APRENDENDO A SER FELIZ
SORRIR TRAZ FELICIDADE?

Fonte de pesquisa
A Fórmula da Felicidade/ Stefan Klein/ Editora Sextante

2 pensou em “OS MUITOS TIPOS DE SORRISO

  1. Hernando Martins dias

    Lu

    E verdade que o sorriso é um elemento indispensável para uma boa convivência com as pessoas do convívio diário,quer seja em casa, no trabalh0, na escola, enfim, em qualquer lugar.

    O sorriso verdadeiro quebra preconceitos generalizados à medida que flexibiliza resistências, desarmando o opositor, abrindo janelas de possibilidades de entendimento. É uma arma poderosíssima para acalmar alguém que esteja muito armado de ódio, frustrações, rancor, intolerância. Existe um provérbio popular que diz o seguinte: “quando um não quer, dois não brigam “.

    Os tempos sombrios que estamos vivenciando nos últimos anos, estimulado por uma mídia arcaica e irresponsável, possibilitaram o ressurgimento de pensamentos obscuros, capazes de disseminar ideias destruidoras do entendimento, da solidariedade, da inclusão, da tolerância, da harmonia – princípios fundamentais de convivência entre os povos.

    Acredito que no universo tudo é cíclico e que este momento tenebroso que vivemos vá passar, infelizmente deixando muitas destruições físicas e psíquicas, necessárias para o aprendizado, mesmo pela dor, porque todos nós temos o livre arbítrio para fazer as nossas escolhas. Temos a consciência de que só podemos colher aquilo que plantamos.

    Temos que “fazer do limão uma limonada”, porque estamos inseridos num contexto político, econômico e social caótico. Todo tipo de mudança precisa da mobilização e conscientização da realidade. Primeiramente temos que fazer uma mudança pessoal no sentido de não lutar contra a correnteza, seguir sempre o curso do rio da vida que vai dando voltas, às vezes desviando dos obstáculos, mas, certamente sempre chega ao seu objetivo que é o de alcançar o mar. E mesmo quando existem as intempéries, estabelece-se o caos, mas tudo volta à normalidade se persistirmos em desfazer nossos erros.

    Conclusão: não devemos deixar nenhuma interferência passageira tirar algo inerente da nossa vida que é o sorriso verdadeiro,capaz de promover transformações de prazeres internos e amplitude para contagiar todos aqueles que contemplam a vida conosco.

    Responder
    1. LuDiasBH Autor do post

      Hernando

      Realmente vivemos tempos caóticos em que as doenças mentais espalham assustadoramente em razão da preocupação dos brasileiros com o futuro, uma vez que o presente mostra-se terrivelmente sombrio. Não é à toa que o número de AVCs tem sido aterrador. Contudo, todos nós somos responsáveis pelo que está aí, pela turbulência pela qual passa o Brasil. Somente agora a mídia vem tomando ciência do grande mal que fez ao povo brasileiro. O país caminha vorazmente para o abismo… o desemprego aumenta, o PIB caindo, as exportações despencando, as fábricas parando… Somos responsáveis por tudo isso, pois você bem o diz:

      “Temos a consciência de que só podemos colher aquilo que plantamos.”

      Mas, se quisermos voltar à normalidade é preciso sair da acomodação, como você diz:

      “E mesmo quando existem as intempéries, estabelece-se o caos, mas tudo volta à normalidade se persistirmos em desfazer nossos erros.”

      Precisamos, portanto, continuar sorrindo, apesar da desesperança, mas também colocando-nos em ação.

      Beijos,

      Lu

      Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *