A Rev. dos Bichos (15) – AS MASSAS E AS NEGOCIATAS

Siga-nos nas Redes Socias:
FACEBOOK
Instagram

Autoria de LuDiasBH

asa

O sexto mandamento do Animalismo rezava: “Nenhum animal matará outro animal.”. Todos os animais sabiam disso, mas não ousavam balbuciar nada diante dos porcos e dos cães. Contudo, não levou muito tempo para que fosse mudado para “Nenhum animal matará outro animal, sem motivo.”.

O fato é que o povo, digo, os bichos, podem formar uma massa acéfala muito perigosa, quando sob o controle de más influências. Digo isso porque a bicharada achou certíssimo o acréscimo dado ao sexto mandamento, pois, pensavam eles, havia bons motivos para matar os traidores aliados a Bola de Neve. Com o apoio das massas, Napoleão reinava como bem queria sem ter quem barrasse suas loucuras, quer por medo ou ignorância, de forma que o descalabro só aumentava. Garganta, por sua vez, lia diariamente as estatísticas da produção da Granja dos Bichos, comprovando os progressos em todos os sentidos, embora a comida diminuísse a cada dia.

Entre os humanos, quanto mais poderosos tornam-se os políticos mais se afastam do contato com o povo, pois poder e gentalha não devem se misturar, pensam eles, sendo reservado a tais contatos apenas poucos dias, de quatro em quatro anos, por ocasião das eleições. E, quando se faz totalmente necessário uma relação mais próxima, fora de tal calendário, eles se apresentam rodeados por seus comparsas e leões de chácara, de modo que seja mantida a distância que julgam necessária. O mesmo passou a acontecer com Napoleão, a quem era creditado tudo que desse certo, sendo os desacertos creditados às massas, digo, à bicharada.

Achando o campo da granja muito pequeno para as suas maracutaias, Napoleão aliou-se a um dos granjeiros para ampliar suas negociatas, sendo estabelecido um acordo secreto entre os dois. Coisa bem comum entre os políticos humanos, mas jamais vista entre os bichos. Só que, como acontece no mundo dos homens, a esperteza quando é grande demais acaba comendo o dono, de modo que Napoleão levou o maior tombo ao receber notas falsas por uma mercadoria, patrimônio de todos os bichos, que vendera às ocultas, com o apoio apenas de seus apaniguados.

O grande líder, no afã de levar a melhor na maracutaia, tentou jogar com dois dos granjeiros. Resultado, um deles lhe passou a perna, enquanto o outro partiu para a briga ao se sentir traído. E, com isso, o ignóbil jogou todos os bichos numa batalha sangrenta, onde muitos animais perderam a vida.

E mais uma vez o moinho de vento desabou! O que virá depois disso?

 Fonte de pesquisa
Revolução dos Bichos/ George Orwell

(*) Imagem copiada de comendolivros.blogspot.com

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *