Braque – VIOLINO E CÂNTARO

Autoria de LuDiasBH

vieca

Compreendeis a língua chinesa? Ainda assim é falada por meio bilhão de homens. (Pablo Picasso)

A composição Violino e  Cântaro é uma obra do pintor normando Georges Braque, na sua busca por uma nova linguagem pictórica, embora até mesmo os especialistas em arte vissem com desconfiança o novo caminho tomado por ele e Picasso. Enquanto o segundo prosseguia com sarcasmo, o primeiro, tranquilo, fazia ouvidos de mercador.

Na obra acima, Braque mostra o violino e cântaro, as duas peças chaves da composição, como se estivessem sendo vistos através de um espelho estilhaçado. Mesmo multifacetados, eles podem ser reconhecidos. Os pontos mais escuros são responsáveis pelo volume. A maior preocupação do artista é com as linhas da composição, ficando a cor reduzida aos tons terras e aos cinzas. O método empregado é o chamado Cubismo Analítico.

Ficha técnica
Ano: 1910
Técnica: óleo sobre tela
Dimensões: 117 x 81,5 cm
Localização: Museu de Arte, Basileia,  Suíça

Fonte de pesquisa
Gênios da Pintura/ Abril Cultura

Fábula – A NOZ E O CAMPANÁRIO

Recontada por LuDiasBH

Um corvo, ao pousar sobre uma nogueira, viu ali uma bela noz. Como estivesse empanturrado, resolveu guardar o fruto para comê-lo depois. Dirigiu-se a um alto campanário, onde tentou esconder sua futura refeição. Mas, desajeitado, permitiu que o fruto resvalasse parede abaixo, indo repousar dentro de uma de suas gretas.

A noz rogou à parede que a deixasse ficar ali, quietinha, bem próxima à casa de Deus. Disse-lhe que, por ter a vida salva, fizera o voto de continuar como semente, até o fim de seus dias. Mas os sinos, previdentes, e possivelmente testemunhas de muitas promessas não cumpridas, alertaram o campanário para o perigo que corria, ao deixar aquela semente enfiada em suas paredes. O aviso, porém, caiu em ouvidos moucos, dando o dito por não dito.

Não tardou muito para que a noz estourasse, dando vida a um broto que, à medida que crescia, expandia suas raízes por entre os blocos de tijolos da parede, ocasionando inúmeras trincas. A seguir vieram os galhos, que cresceram e fizeram-se fortes, alcançando o topo da torre. Outros vieram a seguir, empurrando para fora os tijolos, cada vez mais fragilizados ante a força da árvore, que expandia a bel prazer.

Não desmoronou muito para que todos os tijolos desabassem, fazendo com que o campanário viesse a baixo, levando consigo todo o corpo da igreja. O campanário lamentou profundamente não ter dado ouvidos ao alerta do sino. Mas sem o amparo da parede, a nogueira também não tardou a despencar-se.

Um corvo, que a tudo assistiu, pousado num poste, gransnou para si mesmo:

– O mesmo acontece entre os homens, pois, muitas vezes, recebem com ingratidão o benefício recebido. Porém, os ingratos não tardam a tombar, assim como despencou a pérfida e desleal nogueira.  Tudo é questão de tempo!

MALEFÍCIOS DO SAL REFINADO

Autoria de Danilo Vilela Prado

O sal refinado, popularmente conhecido como sal de cozinha, é o que encontramos no supermercado e no comércio em geral. É fino, muito branco, solto, seco, aparentemente o ideal para ser usado na alimentação. Porém, esse tipo de sal passa por processo de industrialização, assim que é retirado das salinas. Por isso, são perdidos quase todos os minerais e elementos saudáveis encontrados nele em estado bruto. Por causa da enorme perda de qualidade do sal marinho na industrialização, ao sal refinado é adicionado o iodeto de potássio, em substituição ao iodo natural, e também os antiumectantes.

 Efeitos Nocivos do Sal Refinado e Doenças Correlatas:

  •  Hipertensão arterial
  • Edemas
  • Eclampsia e pré-eclampsia
  • Arteriosclerose cerebral
  • Aterosclerose
  • Cálculos renais
  • Cálculos vesicais
  • Cálculos biliares
  • Hipoplasia da tireoide
  • Nódulos da tireoide
  • Disfunções das paratireoides

 Além dos problemas acima, o Dr. Luis Henrique L. Pereira, alerta que: “Além das consequências da hipertensão, o excesso de sódio também está relacionado a um maior risco de várias outras doenças, entre elas:

– Acidente Vascular Cerebral (AVC, que são os derrames)
– Insuficiência renal crônica
– Insuficiência cardíaca
– Câncer de estômago
– Pedras nos rins
– Diabetes
– Asma
– Osteoporose

Para evitar o excesso de sódio que causa os males relacionados acima, a Organização Mundial da Saúde (OMS) e a Sociedade Brasileira de Hipertensão recomendam o consumo diário de 5 gramas de sal, que representa 2 gramas de sódio. A estimava de órgãos oficiais é que o brasileiro consome até o dobro de sal recomendado pela OMS. Por isso, governo e população gastam uma enorme quantia em dinheiro com o tratamento médico de vários problemas graves, entre eles a hipertensão arterial, problemas renais, arritmia e infarto.

Não bastassem os males do excesso de sal na alimentação feita exclusivamente em casa, muitos produtos industrializados comprados na padaria, açougues ou supermercados possuem mais sal que o recomendado. A lista dos campeões de sódio é grande, e inclui entre os produtos processados: macarrão instantâneo com e sem tempero, frango empanado, hambúrguer bovino e de frango, salsicha, bacon, biscoito de polvilho e cream cracker, salgadinho de milho, batata frita industrializada, requeijão, azeitonas, cubos de caldos de galinha, carne e peixe, queijo, ketchup, molho de soja, produtos de conserva, pizzas, picles, produtos diet ou light (porque têm mais sódio) e muitos outros alimentos.

Não há como escapar dos antiumectantes, usados para prolongar a validade dos alimentos, pois retira ou diminui a umidade deles. Assim, impedem que as partículas individuais dos produtos alimentícios juntem-se às outras por causa da umidade. O resultado positivo é que a conservação provocada pelos antiumectantes ajuda a esticar o prazo de validade para consumo de muitos alimentos industrializados, evitando a perda em prazo menor. Com o sal refinado não poderia ser diferente, porque os antiumectantes nele usados possuem a função de deixá-lo mais “soltinho”. Por isso, ao usar o sal, mesmo em casa, ingerimos o antiumectante, obrigatoriamente. Vários estudos, porém, indicam que esses não fazem mal à saúde dos seres humanos. Todavia, essa conclusão não é tão aceita por alguns estudiosos, que alertam sobre os problemas que os antiumectantes podem causar, dentre eles: relação com a doença de Alzheimer, riscos para as pessoas que sofrem de doenças dos ossos e de perturbações dos rins, doenças renais e diminuição da absorção de cálcio, desequilibrando a relação cálcio/fósforo no organismo (osteoporose, depósitos calcários).

É bom que todos saibam que sal, açúcar e gordura viciam. O vício acontece porque esses produtos estimulam os neurônios. Dessa forma, ajudam a liberar dopamina, neurotransmissor que faz com que aumente a vontade de comer e dá prazer às pessoas. A tendência do vício é aumentar cada vez mais o consumo, pois o corpo ficará pedindo mais sal, açúcar e gordura, até que chega ao ponto de causar sérios prejuízos à saúde, muitas vezes irreversíveis. Portanto, todo cuidado ao usá-los é pouco.

Braque – PAISAGEM DE LA CIOTAT

Autoria de LuDiasBH

padelaci

A composição Paisagem de La Ciotat é uma obra fauvista do pintor normando Georges Braque, do início de sua carreira. Faz parte da época em que o artista estava sempre viajando, em busca de inspiração para criar sua arte.

Nesta pintura, o pintor já começa a diminuir o número de suas pinceladas soltas. A cor ainda é quase pura, cobrindo espaços maiores, e o desenho, representando os elementos da natureza, mais se parece com  graciosos arabescos. Predominam as cores vermelha e amarela. Não há qualquer fidelidade às cores reais da paisagem.

Ficha técnica
Ano: 1907
Técnica: óleo sobre tela
Dimensões: 71 x 59 cm
Localização: coleção particular

Fonte de pesquisa
Gênios da Pintura/ Abril Cultura

A ESPERTEZA QUANDO É GRANDE…

Autoria de LuDiasBH

Certa raposa chegou à conclusão de que algumas aves estavam sempre em busca de corpos sem vida para bicá-los, à procura dos insetos que neles pousavam. Espertalhona como sempre, achou que deveria tirar proveito de tal ladinagem. Não precisou matutar muito para saber o que fazer para levar vantagem. Quando a matreira sentia-se faminta, deitava de barriga para cima, abria a boca e ali ficava, inerte, pronta para abocanhar as ingênuas avezinhas. E de tanto persistir em tal comportamento, nem mesmo se deu conta de que, uma vez com a pança cheia, acabava dormindo em tal posição, o que a deixava indefesa diante de seus predadores.

De uma feita, a comilança da espertalhona foi à beira do rio Amazonas, onde acabou toscanejando, pois, o hábito de observar tudo em volta não mais lhe incutia cuidado algum. O receio há muito fora embora, em razão da facilidade com que atingia seu alvo. A velhaca estava cada vez mais senhora de si e de sua impunidade em relação ao meio em que vivia. E foi assim que a finória acabou esmagada sob o abraço efusivo de uma gigantesca jiboia, fazendo valer o ditado de que a esperteza quando é grande demais come o dono!

Neste nosso Brasil do salve-se quem puder, a esperteza tem sido uma finória raposa (que me perdoe o inocente animal) a transitar por nossos mais “podres poderes”. É fato que as  Vulpe vulpes, em sua grande maioria, continuam encasteladas em confortáveis poltronas, contabilizando o valor do saque feito à nação, enquanto o povo servil, subestimado e desdenhado paga a conta do butim, sem ter usufruido das benesses da vergonhosa, obscena e infame pilhagem. À gentaça resta apenas esperar que a “esperteza” coma REALMENTE os velhacos, astutos e finórios, pois somente assim terá um país em que o decência seja a principal bandeira. Por enquanto, a lama está mais para porcos (peço desculpas aos inteligentes animais) do que para sucuri.

O COMÉRCIO DO SANGUE DE ÉGUAS PRENHES

Autoria da Avaaz

Parece um filme de terror: centenas de éguas prenhas presas a máquinas que extraem todo o sangue delas até a morte. Tudo isso para que as farmacêuticas possam vender hormônios para criadores de porcos. Os ministros da União Europeia, que se reúnem daqui a duas semanas, podem banir esse comércio repugnante. Vamos forçá-los a agir: assine a petição abaixo *com apenas um clique* e compartilhe!

Queridos amigos,

Parece um filme de terror: centenas de éguas prenhas presas em máquinas de extração de sangue! Algumas ficam tão fracas que entram em colapso e morrem. Mas podemos acabar com isso agora. A tortura industrial de cavalos é impulsionada por empresas farmacêuticas europeias – elas usam o hormônio do sangue para acelerar a reprodução de animais na pecuária industrializada. Embora a União Europeia diga estar considerando medidas, até agora nenhuma foi tomada.

A morte está longe de ser o único horror dessa história: às vezes a quantidade de sangue drenada é tão grande que leva os animais ao choque e à anemia. Como apenas o sangue de éguas gestantes é valioso, elas são muitas vezes forçadas a repetir o ciclo de gravidez e aborto. A demanda é impulsionada por empresas farmacêuticas que vendem a fazendeiros o hormônio encontrado no sangue das éguas durante a gestação, usado para provocar o cio em porcos e outros animais – outro nível de abuso nesta triste história.

Se colocarmos este absurdo no centro das atenções, por meio de uma grande mobilização global, poderemos ajudar a proibir a importação de todos os produtos derivados do sofrimento dos animais – dificultando que empresas de todo o mundo lucrem com práticas do tipo. Basta clicar no link para adicionar seu nome à petição. Em seguida, envie a campanha para amigos e parentes. Vamos fazer pressão sobre a União Europeia para agir!

Os cavalos são animais cheios de beleza, graça e esplendor. É difícil entender como as pessoas podem ser tão cruéis. Mas quando nos unimos em grande escala para proteger os animais dos horrores que enfrentam todos os dias, podemos fazer coisas incríveis. Vamos nos unir agora por esses animais que precisam tanto de nossa voz.

Nem mais uma égua precisa morrer! Os ministros se reúnem daqui a duas semanas: vamos sacudir a União Europeia com um milhão de assinaturas pela proibição do comércio abusivo de sangue de éguas prenhas. Adicione seu nome *com apenas um clique* na petição abaixo e divulgue para todos:

Clique aqui para assinar a petição

Mais informações:
O negócio com o sangue de éguas grávidas (Deutsche Welle)
http://www.dw.com/pt-br/o-negócio-com-o-sangue-de-éguas-grávidas/a-18781018
O comércio cruel com o sangue de éguas grávidas (Animals’ Angels USA) (Em inglês)
http://www.animalsangels.org/investigations/horses/cruel-trade-pregnant-mare-blood-united-states-uruguay-and-argentina-9-30-15
Investigação nas fazendas de sangue (Animal Welfare Foundation) (Em inglês)
http://animal-welfare-foundation.org/en/what-we-do/blood-farms.html
Transformando sangue de cavalos em lucro (The Dodo) (Em inglês)
https://www.thedodo.com/turning-horse-blood-into-profits-1382177497.html
Quais as causas da demanda por sangue de cavalo? (The Guardian) (Em inglês)
https://www.theguardian.com/world/2016/oct/03/horse-blood-farms-china-donkeys-wild-horses-us-mass-slaughter