Filme – PSICOSE

Siga-nos nas Redes Socias:
FACEBOOK
Instagram

Autoria LuDiasBH

psic psica

Não conheço ninguém que não goste da sétima arte e que não sinta prazer em assistir a um bom filme, viajando sem lenço ou documento, cerca de duas horas, para bem longe dos problemas que o perseguem no dia-a-dia. Em tais momentos, perde-se o contato com o próprio eu, muitas vezes ranzinza e aborrecido. E agora, com a perfeição com que vem sendo restaurados os bons filmes antigos, a sedução pelo cinema ficou ainda mais mágica. É quase que impossível deixar de revê-los. Também não podemos nos esquecer do papel importante ocupado pelo DVD, que ao reproduzir cópias de grande qualidade, transfere as salas de projeção para dentro de nossa casa. E com a chegada do BD (Blu-Ray Disc)* a magia ficou completa.

E falando em filmes antigos, trago à baila Psicose em seu quinquagésimo aniversário, uma das mais importantes referências no gênero do terror. O seu diretor não poderia ser outro, senão o grande mestre do suspense Alfred Hitchcock.

Em Psicose, as criaturas sobrenaturais, tão comuns aos filmes do mesmo gênero, como vampiros, zumbis, lobisomens, extraterrestres e outras, são substituídas por um monstro de carne e osso, que poderia ser qualquer um de nossos conhecidos. Sem falar que a explosiva mistura de sexo, loucura e assassinato tornam a história mais abjeta e aterradora.

O filme conta a história de Marion Crane (Janet Leigh), uma moça atraente, que rouba quarenta mil dólares no seu local de trabalho. Após o roubo, abandona a cidade, com um incerto desejo de se unir a seu namorado. Sozinha, dirige durante toda uma noite chuvosa, até parar num motel à beira da estrada. Ali é recebida pelo gerente (Anthony Perkins), que é um homem desajeitado, porém muito cordial. Ao tomar um banho de chuveiro, Marion é surpreendida por uma pessoa, supostamente uma senhora idosa, que a esfaqueia.

A cena, em que Marion é esfaqueada, dura quarenta e cinco segundos, tempo suficiente para eternizá-la como uma das cenas mais emocionantes e assustadoras da história do cinema. O grito aterrorizado da moça, antes de receber a primeira das oito facadas, permanece por muito tempo nos ouvidos do telespectador. Assim como é impossível esquecer a trilha sonora que acompanha cada facada.

Curiosidades:

• Para gravar a sequência do assassinato, Hitchcock usou setenta posições de câmara, sendo gastos sete dias de filmagem.

• Marion (Janete Leigh) foi o primeiro protagonista de um filme a morrer brutalmente assassinado, antes da metade da projeção de uma película.

• Psicose foi responsável por dar a seu diretor e produtor, Alfred Hitchcock, o título de “mestre do suspense”.

• Hitch, nome carinhoso com que era chamado Hitchcock, não permitia a entrada no cinema depois dos créditos iniciais de Psicose. O que dava ao filme uma aura ainda mais misteriosa.

• A procura por ingressos e as longas e intermináveis filas surpreenderam todos os responsáveis pelo filme.

• Psicose foi um sucesso absoluto de bilheteria, apesar de seu baixo orçamento. Foram gastos US$ 800 mil e ganhos US$ 50 milhões, na época.

• Embora Hitch não quisesse música na cena do banho, acabou cedendo depois de ouvir a trilha sonora que Herrman fizera.

• Janet Leigh, protagonista, não aparece nua no filme. Esse papel coube a uma dublê. Dela aparecem apenas mãos, ombros e cabeça.

• Hitchcock tinha o hábito de aparecer em algumas cenas de seus filmes. Em Psicose é possível identificá-lo, logo no início da trama, parado, de pé, na calçada.

• Sua filha, Pat Hitchcock, participa de uma cena, encarnando o papel de uma colega de trabalho da protagonista.

• Psicose foi feito em branco e preto, por orientação de Hitchcock, como uma opção mais adequada para a história. Assim evitava um visual sanguinolento, que o uso da cor poria em destaque.

• O sangue visto no filme foi feito de calda de chocolate.

• O som produzido pelas facadas, simulando a faca entrando no corpo de Marion, foi feito por um assistente que, fora do plano em que acontecia a cena, esfaqueava um melão.

• Psicose retorna em alta, ao completar meio século de existência, ganhando uma edição especial em Blu-ray. E ainda continua provocando o mesmo assombro, vistos nas platéias da época em que foi lançado.

Um desafio para quem já viu ou ainda verá o filme:

Que recursos técnicos Hitchcock usou, para mostrar a queda do personagem do investigador Arbogast, ocorrida enquanto ele sobe uma escada, em pleno movimento, depois de ser esfaqueado no rosto?

*Blu-ray, também conhecido como BD (Blu-ray Disc), é um formato de disco óptico da nova geração de 12 cm de diâmetro (igual ao CD e ao DVD) para vídeo de alta definição e armazenamento de dados de alta densidade. É um sucessor do DVD, sendo capaz de armazenar filmes de até 180 p Full HD de até 4 horas sem perdas. Requer uma TV Full HD de LCD, plasma ou LED para explorar todo o seu potencial. Obteve o seu nome a partir da cor azul do raio laser.

Fontes de pesquisa:
Revista Isto É/ 7/07/2010
1001 Filmes…
Wikipédia

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *