O BRASIL É UM PAÍS DE ANSIOSOS

Siga-nos nas Redes Socias:
FACEBOOK
Instagram

Autoria do Dr. Telmo Diniz

Quem já não apresentou ansiedade alguma vez na vida? Acho que boa parte de nós. De acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS), o Brasil tem a maior taxa de pessoas com transtornos de ansiedade em todo o mundo, ou seja, 9,3%  de brasileiros sofrem com o problema. Já em outros países, a média é bem inferior, cerca de 3,6%. Podemos ver que o problema por aqui atinge quase 10% da população e que em vários casos chega a sufocar e a paralisar a pessoa, processo que pode durar meses e até anos.

A ansiedade pode surgir de forma sutil, como a entrega de um trabalho, um primeiro encontro, uma entrevista de emprego e através de diversos fatores que nos causam estresse diário. Entretanto, quando deixa de ser temporária e começa a impactar negativamente a vida de uma pessoa é preciso atenção médica.

Os transtornos de ansiedade cursam com um estado permanente de aflição, angústia, insegurança, estranheza do ambiente, entre outros. Contudo, essa doença tão prevalecente continua a ser tratada de forma negligente pela sociedade. Conheço pessoas em que os níveis de ansiedade são tão altos que me pedem para dormir mais tempo, “pois o início do dia é um terror”; pedem-me para “tirar um aperto no peito que não passa”; afirmam-me que “querem melhorar, mas o corpo não deixa; dói todo e não consiguem fazer nada”.

Esses e vários outros relatos são reais e de pessoas que sofrem do transtorno de ansiedade e que necessitam de um olhar atento e de uma intervenção terapêutica rápida. Várias são as formas de tratar da ansiedade generalizada, e não estou falando somente de prescrever uma medicação, que seria uma forma muito simplista para cuidar de um problema tão grave.

Você, caro leitor, que sofre com problema de ansiedade, se seguir alguns passos durante o decorrer do dia poderá se sentir melhor, neste “estado de sufocação permanente”. Vamos lá:

  • inicie o dia fazendo um alongamento simples;
  • passe a um café da manhã leve, optando por produtos que contenham o aminoácido triptofano (banana e leite), que irá aumentar os níveis de serotonina;
  • durante o caminho para sua atividade habitual (escola ou trabalho), tente ter somente pensamentos positivos (pensamentos negativos não ajudam em nada – pelo contrário só aumentam sua ansiedade).
  • durante o trabalho do dia a dia, pare algumas vezes para controlar a respiração;
  • pratique uma respiração profunda pelo nariz e faça a expiração pela boca. Veja que isso alivia qualquer produção de ansiedade naquele momento;
  • mantenha sua rotina organizada. Não há nada pior para quadros de ansiedade do que uma pessoa desorganizada.

Portanto, pare um tempo e vá organizar seu quarto, sua papelada, enfim, qualquer coisa que remeta à falta de organização. Dando sequência à procura de bem-estar, não poderia faltar a atividade física em algum momento do dia. É esta atividade que reduz os quadros de estresse. Enfim, termine o seu dia com um bom banho e a utilização de chás que relaxam à noite (como valeriana, melissa, etc). Sêneca, filósofo romano, disse: “Nada é tão lamentável e nocivo como antecipar desgraças”. Isto é ansiedade pura. Fuja deste padrão e procure ajuda!

14 comentários sobre “O BRASIL É UM PAÍS DE ANSIOSOS

  1. Sandra Lima

    Amigos
    Quero compartilhar com vocês meus progressos. Há 10 anos tive depressão pós parto. Ano passado, devido a várias mudanças e perda de ente querido, tive depressão novamente com uma ansiedade absurda. Confesso que demorei a aceitar isso, porém procurei um médico para tratar os sintomas horriveis dessa doença. Este site foi muito importante para vencer as barreiras do preconceito de tomar antidepressivos e para continuar POP, pois nem sempre é fácil.

    Após seis meses de tratamentos, estou fazendo o desmame do escitalopran de 10 mg faz uma semana, e me sinto ótima. Peço-lhes que não desistam! Vocês não estão ficando loucos, como eu mesma pensava, esses pensamentos estranhos vem da própria ansiedade e depressão. Vou continuar com vocês, incentivando cada um. Lu, obrigada pelas palavras encorajadoras.

    Boa Sorte! Deus os abençoe!

    Responder
    1. LuDiasBH Autor do post

      Sandra

      Que notícia maravilhosa! Ainda me lembro de você, achando que seu sofrimento não teria um fim. Tudo foi questão de paciência e esperar que o antidepressivo agisse a contento. Em nome de todos os frequentadores deste espaço eu agradeço o seu depoimento e suas palavras de incentivo. Isto é muito importante, pois há pessoas que ainda se encontram vivendo o que você passou no início de seu tratamento. Muito obrigada, minha querida! São poucos os que aqui voltam para falar do progresso alcançado e incentivar os companheiros de caminhada.

      Abraços,

      Lu

      Responder
  2. Adevaldo Souza

    Lu,

    Esse texto está apropriado para o momento que está passando a população brasileira. Aprofundando no assunto como, você vê a relação entre o medo e a ansiedade, dentro da interfase do mundo exterior com o mundo interior e os elementos da percepção de risco, vulnerabilidade e capacidade de resposta dos passos propostos pelo Dr. Telmo?

    Abraço,

    Devas.

    Responder
    1. LuDiasBH Autor do post

      Devas

      O medo e a ansiedade são a face de uma mesma moeda, pois são frutos de uma destrutiva simbiose. O mundo exterior, com seus tentáculos, aprisiona o indivíduo, e esse, sem equilíbrio emocional, assimila-o, passando a vivenciá-lo. O que era externo, torna-se interno, advindo daí o medo e, consequentemente, a ansiedade. Mas não podemos nos esquecer que também existe a ansiedade (TAG) como um transtorno mental, proporcionado pelo mau funcionamento dos neurônios.

      Abraços,

      Lu

      Responder
  3. Rosa

    Oi, Lu!
    Gostaria de perguntar pra você ou para os leitores desta página se eu posso tomar o Cloridrato de Venlafaxina, antidepressivo, pois tenho uma ansiedade maluca, e ao mesmo tempo tomar Ciclobenzaprina. Por causa da ansiedade e do pânico sinto muitas dores no corpo, à noite e de manhã tenho espasmos musculares, como se meus nervosos estivessem sob pressão. A clínica geral me passou o Ciclobenzaprina, e a psiquiatra me passou o Venlafaxina. Perguntei se poderia tomar o relaxante muscular, mas que é também antidepressivo, mas percebi uma insegurança por parte da psiquiatra. E então, vocês podem me ajudar. Vou viajar pra Europa daqui a três dias e quero levar estas medicações para conseguir ficar mais relaxada e aproveitar o passeio.

    Grande beijo a todos, e muito obrigada pela ajuda.

    Responder
    1. LuDiasBH Autor do post

      Rosa

      A pessoa mais indicada para lhe responder isso é um psiquiatra. Se as suas dores no corpo e os espasmo são provinientes de sua ansiedade, o antidepressivo deveria saná-los. Ou isso não tem acontecido? Mas, para sua segurança, converse com outro psiquiatra a respeito, antes de viajar. Assim poderá viajar tranquila, sabendo o que está tomando. E se não sentiu confiança na sua médica, vá em outro. Nunca tome nenhum medicamento tendo dúvidas.

      Você tem feito algum exercício físico? Eles são ótimos para essas suas dores de coluna e espasmos musculares. Quando voltar da viagem, venha aqui para contar-nos como foi e como está se sentindo.

      Abraços,

      Lu

      Responder
      1. Rosa

        Oi, Lu, muito obrigada pela sua resposta. Vou viajar no sábado, então não tenho como consultar outro psiquiatra. Mas tudo bem, vou levando meus remédios, e você e os amigos deste espaço torçam para que tudo dê certo. Grande abraço a todos.

        Responder
        1. LuDiasBH Autor do post

          Rosa

          Já estamos torcendo, se possível, dê-me notícias de lá, sobre sua saúde. Tenho a certeza de que será um passeio maravilhoso. Uma boa viagem!

          Abraços,

          Lu

  4. Edward Chaddad

    Dizem que a pressa é inimiga da perfeição. É verdade que temos que dar um tempo para fazer as coisas mais devagar, buscar o sossego antes de começar a trabalhar. Ler coisas alegres. Buscar pensamentos positivos. Virar a mesa da amargura, pensar menos nas tristezas e tragédias da vida. Lembrar dos tempos mais radiantes, rir com eles, mesmo nas lembranças. Tentar imitar o sorriso daquele gente muito carinhosa com quem convivíamos. Pois a vida de hoje está levando o ser humano à tensão nervosa, à insônia, aos pensamentos fixos voltados aos fatos que o amarguram e que o deixaram decepcionados com o mundo, que estamos legando aos nossos filhos. Quer saber, nada como um lexotan para esquecer e dormir.

    Responder
    1. LuDiasBH Autor do post

      Edward

      Realmente precisamos trocar o rumo de nossa história. Se não podemos mudar o mundo, que, pelo menos, comecemos por nós mesmos. Toda e qualquer mudança só pode começar de dentro para fora. Fora disso tendemos a fazer parte das estatíscas alarmantes de ansiosos em nosso país. O problema chega a ser gritante. Está aí uma batata quente para os políticos tirarem a casca. Por que o brasileiro encontra-se assim? Eis a questão.

      Abraços,

      Lu

      Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *