A IMPORTÂNCIA DO SAL MARINHO

Siga-nos nas Redes Socias:
FACEBOOK
Instagram

Autoria de Danilo Vilela Prado

O melhor sal – o sal marinho – é condimento que agrada ao nosso paladar, possui qualidades terapêuticas e é imprescindível, porque ao ser consumido corretamente, todos os dias, ajuda a equilibrar os minerais essenciais no nosso organismo e, como consequência benéfica, proporciona saúde. Ele não passa por nenhum processo de industrialização. Por isso, retiradas as impurezas, é embalado da mesma forma como é encontrado na natureza. Assim, a ele não é acrescentado nenhum aditivo, e chega às cozinhas e mesas em estado bruto, quando muito é triturado para quebrar os cristais mais grossos, a fim de permitir o uso na culinária. Por não passar por nenhum tipo de industrialização, o sal marinho é mais grosso que o refinado e um pouco mais fino que o de churrasco, mas se dissolve bem ao ser usado. É mais escuro um pouco, normalmente cinza. É “melado”, ou seja, úmido, por não conter os antiumectantes que são adicionados ao sal refinado para deixá-lo soltinho e seco.

Contém 84 elementos (minerais ou oligoelementos), que são harmonizados adequadamente no corpo humano, fortalecendo-o de modo a prevenir várias doenças. Entre os elementos essenciais do sal marinho estão: enxofre, bromo, magnésio, cálcio, zinco, molibdênio, flúor, iodo e contém, ainda, algas microscópicas que fixam o iodo natural, plâncton (nutriente), o único e básico alimento das baleias: o krill (pequeno camarão invisível), e esqueletos de animais marinhos invisíveis.

Existem duas fontes básicas do sal marinho, que é extraído:

  1. a) das minas de sal, como é o caso do sal rosa do Himalaia, que são depósitos de oceanos que secaram há milhões de anos e cujo sal ficou depositado na terra, formando verdadeiras montanhas ou desertos de sal’.
  2. b) Das águas dos oceanos, mares, lagoas e lagos salgados, armazenadas em tanques rasos para a evaporação natural, até que reste apenas o sal.

É muito difícil encontrar o sal marinho natural no Brasil. Praticamente só em casas especializadas é possível achá-lo, porque a recomendação governamental é o uso do sal refinado. Depois de começar a consumi-lo, é possível observar uma enorme melhora tanto no desempenho físico quanto na aparência. Com pouco mais de 15 dias de uso já é possível sentir resultados positivos. As autoridades brasileiras deveriam permitir que o sal marinho fosse opção de escolha dos consumidores. A responsabilidade é de quem compra e usa. O Governo tutelar o consumo do sal só se justifica em alguns casos.

Infelizmente, o sal rosa do Himalaia é falsificado por gente inescrupulosa. Muitas pessoas que conhecem os malefícios do sal refinado passaram a comprar o sal do Himalaia e tiveram agravados os problemas de saúde. Para saber distinguir o sal rosa do Himalaia verdadeiro do falso e evitar enganações, é recomendável acessar o YouTube.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *