Rom Mueck – OBRAS QUE QUASE FALAM

Siga-nos nas Redes Socias:
FACEBOOK
Instagram

Autoria de LuDiasBH

ron1234

Enquanto essa corrente artística é vista com justificada reserva, por ter um pé firmemente fincado no comercial, o escultor australiano ganhou respeito por não apenas imprimir sensibilidade e expressão à figura perfeita, mas por ser capaz de, por meio dela, provocar emoções e inquietações que, ao menos em um primeiro momento, é difícil ao observador articular palavras. (Revista Veja)

As peças de Mueck se comunicam tanto com o público menos familiarizado com a arte, pela verossimilhança com a pessoa real, quanto com os iniciados, pela proposta de subverter o que seria a simples reprodução de uma figura humana. (Agnaldo Farias)

Ron Mueck é um escultor australiano, cujas obras só faltam falar de tão realistas que são. Somente o tamanho permite ao observador perceber que não são humanas ou que os objetos não fazem parte do cotidiano. Nos seus trabalhos são levados em conta detalhes que poderiam parecer insignificantes e, por isso, cada peça pode levar até um ano para ser concluída. Suas figuras nunca são de tamanho normal. Ou elas são monumentais ou menores do que as reais, onde a perfeição dos detalhes alia-se à força da expressão.

O artista começou a vida trabalhando com marionetes e fazendo modelos para filmes televisivos. Depois trabalhou em Londres (Inglaterra) para a indústria da publicidade. A partir daí passou a produzir esculturas realistas, impressionando o mundo com a sua habilidade, sendo capaz de reproduzir os mínimos detalhes do corpo humano. Na pele de silicone, ele reproduz poro por poro, fio por fio de cabelo, cada marca… Estreou apresentando um cadáver nu sobre um tablado, onde não deixava escapar um só dos detalhes. Tratava-se do corpo de seu pai falecido, feito em resina. A sua escultura Boy 1999, com cinco metros de altura, fez parte da Bienal de Veneza. Outra de suas esculturas famosas é Jovem, um garoto negro, com 65 cm, levantando a sua camisa branca, manchada de sangue, para olhar um corte no seu tronco.

Como em toda corrente que desponta no mundo das artes, os escultores do hiper-realismo, movimento surgido em 1960, não são aceitos por toda a crítica. Parte dela acha que o trabalho conta mais com a habilidade manual do que com a inspiração, logo, não se trata de arte. Se por isso ou por aquilo, o fato é que as exposições de Ron Mueck vêm ganhando um público cada vez maior, por onde passa.

O artista possui até agora um número pequeno de obras: 40 esculturas, não só porque suas peças demandam um tempo considerável, mas por só ter começado sua vida artística aos 38 anos. Segundo seu principal assistente, Charlie Clarke, seu trabalho é todo feito com as mãos, sem a utilização de computadores. Será mesmo?

Sua exposição, com apenas 9 obras, encontra-se na cidade do Rio de Janeiro, no Museu de Arte Moderna do Rio de Janeiro, onde permanecerá até o dia 20 de junho. Sua obra presente mais conhecida é Máscara II, feita com base no rosto adormecido do escultor. Em meio às obras expostas, três são inéditas, feitas exclusivamente para as exposições da América Latina. São elas: Mulher com as Compras, Jovem Casal e Casal debaixo do Guarda-Sol. O Rio de Janeiro será a única cidade brasileira a sediar a exposição do artista australiano. Vejam no Google as obras do artista.

Fontes de pesquisa:
Revista Veja/ 19 de março de 2014
http://oglobo.globo.com/cultura
http://guia.uol.com.br/rio-de-janeiro/exposicoes

2 comentários sobre “Rom Mueck – OBRAS QUE QUASE FALAM

  1. Manoel Matos

    Lu

    As obras desse artista são perfeitas. A que mostra um bebê terminando de nascer, com a mãe ainda com a placenta e incrível.

    Beijos

    Nel

    Responder
    1. LuDiasBH Autor do post

      Nel

      Eu vi essa através do Google.
      Realmente é impressionante.
      Vá ter paciência assim …

      Abraços,

      Lu

      Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *