OBESIDADE, DESLEIXO E DIETAS

Siga-nos nas Redes Socias:
FACEBOOK
Instagram

  Autoria de LuDiasBH

Pesquisas mostram que o mundo está ficando cada vez mais obeso. Em países como os EUA já há uma grande preocupação por parte dos governantes, que veem, inclusive, as crianças inflarem-se mais e mais. O pescoço vem desaparecendo, como se fizesse parte de uma seleção natural. Logo, logo, a cabeça nascerá diretamente dos ombros. Enquanto isso, os mais estapafúrdios tipos de leis tentam deter a obesidade mórbida, que tem aumentado o número de ataques cardíacos, assim como o de outras doenças ligadas ao excesso de peso.

A cultura dos Estados Unidos da América tem uma forte relação com a comida. Come-se todo o tempo, sem se preocupar com a qualidade dos alimentos. Muita gordura e açúcar são ingeridos em detrimento de alimentos que beneficiam a saúde. Nos “fast-foods”, os tamanhos são diversificados: pequeno, médio, grande e gigante. E, para estimular a comilança, a diferença de valor do tamanho “grande” em relação ao “gigante” é mínima. E como as pessoas querem levar vantagem em tudo, acabam optando pelo “gigante”. E a matemática é conclusiva: + comida =  mais peso = mais doenças = mais gastos para o país manter sua população.

O Brasil vem seguindo a mesma linha da cultura estadunidense. Aqui também, as pessoas estão a abalofar-se, avolumando-se para os lados, numa rápida escalada. A cada dia aproxima-se a proporção entre gordos e magros, sendo possível encontrar muitos obesos mórbidos, onde quer que se vá, atém mesmo em meio às crianças. Nosso povo, antes tão elegante, anda se empapuçando de comida, sem se preocupar com os males da obesidade. Observem o tamanho dos sacos de pipoca nos cinemas, semelhantes a grandes baldes.

Uma coisa que tem chamado a minha atenção é o descaso de garotas e mulheres jovens para com o corpo. Apesar de todo conhecimento obtido nos dias de hoje, em relação aos cuidados com o mesmo, o relaxamento tem sido geral. Muitas mulheres não mais se preocupam em mostrar uma barriga inflada, com a banha despencando sobre os minúsculos shorts, sempre abaixo da numeração de sua usuária, assim como os culotes pipocando por todos os lados, num inimaginável desmazelo. O bom senso e a autocrítica são moedas em desuso.  O que importa é seguir a moda, ainda que o desleixo com o corpo seja o cartão de apresentação.

Em meio a tantas dietas que pipocam no nosso país e mundo afora, uma amiga pediu-me para repassar para os leitores uma que não é convencional, mas que tem se mostrado infalível para perder vários quilos num só dia. Confesso que não sou chegada a dietas, muitas delas tão nocivas quanto a obesidade, mas esta eu achei excelente, bem melhor que chá verde, lichia, óleo de coco, herbalife, sauna, massagens de argila, etc.

 Aqui está:

  1. Compre um pacote de 5 quilos de arroz no supermercado, pouco importando que seja tipo 1 ou 2, integral ou comum. A marca fica à escolha da cliente desejosa de perder peso.
  2. Antes de voltar para casa, pare no primeiro bar que encontrar no caminho para tomar, pelo menos, 6 latinhas de cerveja bem geladinhas. O melhor é que seja acompanhada de coxinhas e pasteis.
  3. Uma vez abastecido o estômago, volte para casa.
  4. Tire uma soneca para ajudar na digestão. E, com certeza, ao acordar, irá se lembrar de que esqueceu o pacote de arroz no bar.
  5. Não vá buscá-lo e tampouco peça alguém para fazê-lo.
  6. Você então terá a certeza absoluta de que perdeu 5 quilos de uma só vez.

O arroz simboliza aqui a boca. Ninguém emagrece, por mais mágica que seja a dieta, sem fechar essa entrada do tubo digestivo, pois tudo que ali é jogado, ganha vida, transformando-se em gordura. A educação alimentar ainda é o melhor e o mais duradouro caminho. Invista nela!

Nota: Imagem copiada de www.unitmagazine.com

4 comentários sobre “OBESIDADE, DESLEIXO E DIETAS

  1. Edward Chaddad

    LuDias

    Gostei muito do texto, principalmente a dieta que foi passada ao final, mostrando a necessidade de sabermos nos conduzir para que o nosso corpo não seja molestado com o mal da obesidade.
    Gostei do seu texto, holário e intelinge, pois nos trouxe o prazer da reflexão.

    Abraços,
    Edward

    Responder
    1. LuDiasBH Autor do post

      Ed

      Postei apenas parte do seu comentário, pois vou transformá-lo num texto.
      Gostei muito de suas revelações.
      Aguarde!

      Abraços,

      Lu

      Responder
  2. Patricia

    Lu,

    uma alimentação sadia requer bons hábitos que são passados como exemplos. A pressa e loucura do consumismo impedem as pessoas de fazerem refeições prazerosas, sentadas a mesa com família ou amigos, degustando seu sabor em meio a um bate papo, isto, esta se perdendo. E o homem com você muito bem disse a cima se transformando perdendo o pescoço (adorei).
    Que não seja um hábito uma vez ou outra perdemos uns 5 quilos tomando uns latinhas de cervejas.

    Bjos

    Responder
    1. LuDiasBH Autor do post

      Pat

      Em nome da gula as pessoas vêm perdendo o cuidado com o corpo.
      Os prazeres do paladar falam mais alto, mesmo quando debilita corpo e alma.
      O consumismo doentio está acabando com os hábitos bons das famílias.
      E também com a harmonia que existia antigamente, quando se juntavam.

      Beijos,

      Lu

      Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *