Andrei Rublev – SANTÍSSIMA TRINDADE

Siga-nos nas Redes Socias:
FACEBOOK
Instagram

Autoria de LuDiasBH

                           

A pintura intitulada Santíssima Trindade é obra do artista russo Andrei Rublev (c.1360 – 1404), executada provavelmente em 1410, sendo considerada uma obra-prima da arte pictórica. É também o trabalho mais importante de Rublev e uma das maiores realizações da iconografia russa. Rublev é considerado um dos maiores pintores russos medievais dos ícones e afrescos cristãos ortodoxos.

A pintura em questão trata-se de um ícone bizantino cujo objetivo era estimular a contemplação espiritual na fé cristã. Baseia-se no Antigo Testamento ao retratar a visita de três peregrinos (ou anjos) ao casal Abraão e Sara, próximo ao bosque de carvalho de Mambré (Gênesis 18: 2-15). O artista retira as figuras de Abraão e de Sara de cena e, fazendo uso sutil da composição e do simbolismo, modifica o tema para dar ênfase ao mistério da Santíssima Trindade.

Os três personagens, de acordo com o título dado pelo autor da obra, simbolizam a Santíssima Trindade, sendo, assim, estabelecida:

  1. O Pai encontra-se sentado à direita.
  2. O filho ocupa o meio.
  3. O Espírito Santo está à direita.

O artista mostra, visualmente, a unicidade entre as três figuras das seguintes formas:

  1. Possuem poses serenas e suaves e são muito parecidas.
  2. Encontram-se sentadas ao redor de uma mesa.
  3. Apresentam uma expressão meditativa.
  4. O azul intenso está presente nas três vestimentas.
  5. Carregam um bastão.

Como já sabemos, a arte bizantina era voltada para a doutrinação cristã e, nesta obra em especial, o observador é convidado a sentar-se à mesa, pois ali, em primeiro plano, foi deixado um lugar vago para ele. O ícone repassa uma atmosfera de acolhimento em razão de sua harmonia e simetria visual específicas da arte bizantina. Através de sua obra o artista expressa as virtudes do amor e da tolerância. Aqui ele também reafirma a unicidade da Trindade.

As três figuras são ao mesmo tempo unidas e separadas pelas cores que criam uma luminosidade que parece evadir-se de dentro da pintura. As cores primárias ou básicas (vermelho, amarelo e azul) remetem aos tempos litúrgicos. Os tons suaves de dourado e alaranjado repassam a sensação de fervor, grandiosidade e luminosidade em consonância com a espiritualidade. O ícone representa a expressão mais perfeita da Trindade Bizantina, ou seja, três anjos sentados à mesa do altar com um cálice eucarístico.

Como é de se esperar em se tratando de uma obra bizantina, alguns símbolos bíblicos encontram-se presentes:

  1. A casa vista atrás do Pai simboliza o lugar da salvação eterna.
  2. A árvore atrás do Filho remete à Árvore da Vida e à madeira da Cruz.
  3. A montanha atrás do Espírito Santo remete ao monte Tabor, onde o Espírito Santo apareceu durante a Transfiguração de Cristo.

A mesa repassa a ideia de um altar. Sobre ela está um cálice e, dentro dele, a cabeça do novilho sacrificial, morto por Abraão para celebrar com os visitantes, sendo também uma referência ao Cordeiro de Deus. A composição possui os símbolos trinitários: o triângulo e o círculo perfeito da harmonia celestial, como mostra a segunda gravura.

Ficha técnica
Ano: c. 1410
Técnica: têmpera sobre madeira
Dimensões: 1,42 m x 1,14m
Localização: Galeria Tretyakov, Moscou, Rússia

Fontes de pesquisa
Tudo sobre Arte/ Editora Sextante
https://www.evangelizarconelarte.com/cuadros-del-mes/icono-de-la-trinidad-de-andrei-rublev-1425/

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *