CHINA – CALENDÁRIO CHINÊS E FENG SHUI

Siga-nos nas Redes Socias:
FACEBOOK
Instagram

Autoria de LuDiasBH

calchin

O Feng Shui, embora possa parecer magia para muitos, assim como a acupuntura, trata-se de uma arte milenar, fundada sobre uma aprimorada observação da natureza. Tal arte ou filosofia nasceu na China, mas atualmente é conhecida e muito popularizada em várias partes do mundo. Existem decoradores que levam bastante a sério os ensinamentos do Feng Chui que vão desde a cor das paredes à posição dos móveis, de modo a trazer para os habitantes da casa, saúde, sorte, harmonia e prosperidade.

Em chinês feng significa vento e shui significa água. Podemos traduzir a expressão Feng Chui como “a força da natureza”, de modo que o especialista em tal arte deve conhecer os elementos fundamentais que formam o mundo e compreender a influência de um sobre o outro. Durante séculos, a arquitetura chinesa foi determinada pelos princípios do Feng Chui e até mesmo as tumbas imperiais.

O conceito primordial dessa arte é o restabelecer constante da harmonia da natureza. Tudo deve estar em equilíbrio, pois doenças, desgraças, esterilidade ou má sorte seriam a quebra dessa harmonia. A função de um praticante do Feng Shui é apontar o local onde se dá tal ruptura e eliminá-la.

Para a grande maioria dos chineses nunca existiu um deus transcendente. Por isso, a natureza é tudo para eles. A natureza e o divino formam um único mundo. E é dela que nasceram seus conhecimentos e crenças. Até mesmo a escrita chinesa é feita de imagens retiradas da natureza. Não se trata de uma convenção abstrata como a nossa. Mas nos dias atuais podemos notar que não mais existe na China essa ligação tão profunda com a natureza como antes. O que, para uma grande parte do povo chinês, tem sido responsável por tantas doenças que desabam sobre o país, inclusive as relativas ao aparelho respiratório.

A astrologia chinesa tem como base, sobretudo, o calendário lunar. Um ano é composto por 12 luas novas. A cada 12 anos acrescenta-se uma décima terceira lua nova. Doze anos perfazem um ciclo. O primeiro dia do ano é marcado pela primeira lua, por isso, ao contrário do nosso ano ocidental, o início do ano chinês nunca cai na mesma data, embora se situe entre janeiro e fevereiro. Sua comemoração é a maior e a mais importante das festas chinesas.

Os chineses relacionam cada novo ano a um dos doze animais que teriam atendido ao chamado de Buda para uma reunião com o mundo animal. O homem santo em agradecimento acabou por transformá-los nos signos da astrologia chinesa. Os doze animais do horóscopo chinês a que correspondem os anos chineses são, de acordo com a ordem com que teriam se apresentado a Buda: rato, búfalo, tigre, coelho, dragão, cobra, cavalo, cabra, macaco, galo, cão e o javali. Dessa forma, se 2008 foi o ano do rato, 2009 foi atribuído ao boi, 2010 é o ano do Tigre, 2011 será o do coelho, 2012 o do dragão e, assim, sucessivamente. A China vive agora (2020) o ano do rato. O ano de nascimento de uma pessoa é de grande importância, pois o animal determina sua personalidade e seu destino, segundo os chineses.

Algumas curiosidades:

  • quem nasce no ano do rato deve ter cuidado com as armadilhas da vida;
  • quem nasce no ano do coelho será sempre uma pessoa tímida e temerosa;
  • quem nasce no ano do galo terá sempre que cavoucar a terra para se alimentar;
  • as mulheres nascidas no ano do cavalo são indomáveis e, por isso, tornam-se esposas difíceis;
  • os homens que nascem no ano do dragão são fortes, inteligentes e afortunados;
  • as mulheres que nascem na combinação do cavalo com o fogo (fato que só ocorre a cada 60 anos) são selvagens, perigosas e é quase impossível que se casem.

O ano de 1966 foi um ano de combinação entre cavalo e fogo. Conta-se que na Ásia, várias mulheres que se engravidaram nesse ano, fizeram aborto para não colocar no mundo filhas que, com certeza, não encontrariam maridos. Já o ano de 1988 foi representado pelo dragão, de modo que os casais tentaram ter filhos em tal época. Muitas mulheres submeteram-se ao parto de cesariana, antecipando os nascimentos para que os filhos chegassem no ano promissor.

A hora exata do nascimento é um elemento importante para se conhecer o destino de uma pessoa. Somente através de tal dado, o astrólogo pode traçar seu horóscopo. Mas conhecer a hora do nascimento do indivíduo é também uma arma que pode se voltar contra ele. Tal informação poderá ser usada para lhe trazer desgraças, analisar sua personalidade e para conhecer sua maneira de agir em determinadas situações. Por isso, muitos políticos asiáticos mantém a hora do nascimento guardada a sete chaves ou, então, declaram um horário falso. Cada povo com sua cultura!

As decisões políticas em vários países asiáticos são tomadas de acordo com a astrologia. Até o serviço secreto desses países empregam astrólogos para descobrirem o que os astrólogos de países adversários estão tramando. É a contraespionagem astrológica. E vivam os astros!

Fonte de pesquisa:
U
m Advinho me Disse/ Tiziano Terzani

8 comentários em “CHINA – CALENDÁRIO CHINÊS E FENG SHUI

  1. Hernando Martins Autor do post

    Lu

    Desde os tempos remotos o homem criou símbolos para servir como referência na busca do autoconhecimento. Os horóscopos fazem parte das supertições que muitos precisam para enfrentar a realidade nua e crua! Um pouco de fantasia não faz mal a ninguém, pois a realidade muitas vezes é por demais cruel! E, para amenizar tudo isso, o misticismo acaba sendo um alucinógeno necessario para entorpecer a mente daqueles que querem distanciar um pouco da realidade.

    Na vida nada e fácil para nós mortais que precisamos nos capacitar desde pequenos para conseguir um lugar ao sol quando adultos, no intuito de conquistar uma vida digna. Nem sempre conseguimos êxitos, pois existem muitos fatores que interferem nessa jornada, quer sejam políticos, econômicos ou sociais, principalmente nos aqui nesse país extremamente instável nesses quesitos.

    As pessoas encontram nos horóscopos a esperança de respostas pessoais num mundo desigual e injusto. Às vezes precisamos do sonho para alimentar a mente, criando a ilusão de distanciar uma realidade infeliz, ampliando a esperança, que, felizmente é a única que não morre.

    Hernando

    Responder
    1. LuDiasBH Autor do post

      Hernando

      Ao ler os prognósticos do Ano do Rato de Metal, chamou-me a atenção, sobretudo, a análise coerente dos acontecimentos mundiais. Quanto aos horóscopos, também penso como você:

      “As pessoas encontram nos horóscopos a esperança de respostas pessoais num mundo desigual e injusto. Às vezes precisamos do sonho para alimentar a mente, criando a ilusão de distanciar uma realidade infeliz, ampliando a esperança, que, felizmente é a única que não morre.”

      Abraços,

      Lu

      Responder
  2. Adevaldo Rodrigues

    2020 é o ano do Rato. O rato do Brasil e do Mundo é possível deduzir. Ao longo dos anos o mundo teve seus ratos como: Alexandre, o Grande; Átila; Ciro, o Grande; Gêngis Kan; Napoleão, Adolfo Hitler, dentre outros. Foram imperadores gananciosos. Agora o Império de Trump contra-ataca para tentar ganhar sobrevida, entretanto o fim está próximo. Logo virão os chineses. Quando esses tornarem gananciosos surgirão outros e assim caminha a humanidade.

    Parabéns pelo oportuno e estimulante texto. Um grande abraço,

    Devas

    Responder
    1. LuDiasBH Autor do post

      Devas

      Como tudo que sobe desce e existe a lei imponderável da ação e reação, não tardaremos por esperar. Como bem diz, a história do mundo é cíclica, logo, não tardaremos por esperar.

      Abraços,

      Lu

      Responder
  3. Alexandre Gameiro

    Oi, Lu!
    Bastante elucidativo o texto sobre o Feng Shui. No entanto, há uma informação sobre o calendário chinês que me deixou encucado. Você escreve que
    “Um ano é composto por 12 luas novas. A cada 12 anos acrescenta-se uma décima terceira lua nova.”

    Acontece que faz pouco tempo escrevi um texto bastante completo sobre o calendário chinês e em nenhum dos lugares em que pesquisei havia essa informação. O que ocorre de fato é que a aproximadamente cada três anos (e não exatamente 12 anos) se tem um ano bissexto, quando é acrescido o mês extra.

    Se quiser dar uma espiada, é só acessar http://www.suntzulives.com/2014/12/tradicional-calendario-chines-ciclo-sexagenario.html
    No mais, parabéns pelo texto e pelo blog.

    Abraços e feliz 2015!

    Responder
    1. LuDiasBH Autor do post

      Alexandre

      Gostaria de agradecer, em primeiro lugar, a visita ao blog. Muito obrigada!
      Quanto à informação repassada, encontrei-a ao pesquisar o livro “Um Advinho me Disse”, de Tiziano Terzani. Procurei-o para lhe enviar as páginas referentes ao assunto, mas encontra-se emprestado.

      Como não sou uma expert no assunto, e o fiz com dados baseados em pesquisas, pode ser que a informação repassada não seja a correta. Assim, quem está certo pode ser você. Mas, de qualquer forma, vê se consegue o livro mencionado e tire a dúvida. Gostaria que também me informasse sobre a sua dedução, depois de lê-lo.

      Há um livro muito interessante sobre a astrologia segundo a visão de vários povos: Astrologia no Mundo, de Peter Marshall. Para você que gosta do tema, seria fascinante.

      Mais uma vez, foi um grande prazer recebê-lo aqui e contar com seu valioso comentário.
      Volte sempre. Irei agora ler o link enviado.

      Grande abraço,

      Lu

      Responder
        1. LuDiasBH Autor do post

          Alexandre

          Estarei aguardando.
          Muito obrigada pelo seu retorno.

          Grande abraço,

          Lu

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *