Rubens – PROMETEU ACORRENTADO

Siga-nos nas Redes Socias:
FACEBOOK
Instagram

Autoria de LuDiasBH

PRACO

A composição denominada Prometeu é uma obra do pintor barroco Peter Paul Rubens, o mais importante de todos os pintores flamengos do século XVII, com a participação de Frans Snyders (pintou a águia). Rubens tinha na mitologia um de seus principais temas, e considerava esta pintura, em especial, uma das mais importantes de sua vasta criação. Manteve-a em seu poder durante muito tempo.

Rubens narra o momento em que o titã Prometeu está sendo castigado por ter roubado o fogo no Monte Olimpo, elemento exclusivo dos deuses, ofertando-o aos mortais. Zeus, o deus dos deuses, sabendo que o fogo aumentaria o poder dos homens, fazendo com que dominassem os animais, puniu o titã severamente. Ele seria castigado dia após dia, tendo o fígado bicado por uma águia. Só que esse regenerava, pois Prometeu trazia consigo o dom da imortalidade, de modo que o castigo seria eterno.

No quadro, o corpo nu, belo e musculoso de Prometeu encontra-se sobre um lençol branco e outro azul, no alto de um monte, próximo a uma grande árvore. O titã traz o braço esquerdo preso por uma corrente a uma rocha. Sobre seu corpo encontra-se uma enorme águia, que lhe devora o fígado, deixando à vista parte desse. Filetes de sangue escorrem pelo tronco do herói, que observa o animal com o olho esquerdo, uma vez que o direito está tampado por suas garras. O tronco em desalinho, o olho aberto, as pernas e boca contorcidas e o punho cerrado indicam que o torturado encontra-se consciente. Seus cabelos em desalinho transmitem sua intensa dor. Tem-se a impressão de que o corpo de Prometeu resvala para baixo.

A águia está com as asas aberta, tomando quase todo o comprimento do corpo de Prometeu, desde a mão esquerda até a ponta do pé direito. Seu bico afiado agarra o fígado, como se fosse puxá-lo para fora. Com as garras fortes, a ave imobiliza o titã, empurrando-lhe a cabeça e firmando-se no seu ventre.

À esquerda de Prometeu, uma tocha acesa lembra o motivo de sua tortura. Um céu com nuvens densas e escuras acentuam ainda mais a tragicidade  da cena. À esquerda do titã, abaixo de onde ele se encontra, descortina-se uma paisagem aberta.

Nesta composição, Rubens recebeu a ajuda do artista Frans Snyders, um especialista na arte de pintar flores e animais, responsável pela pintura da águia. A interação entre os artistas era muito comum em Antuérpia, nas duas primeiras décadas do século XVII, tendo Rubens feito uso de tal prática em algumas obras suas.

Ficha técnica
Ano: 1610-1611
Técnica: óleo sobre tela
Dimensões: 242,6 x 209,5 cm
Localização: Museum of Art, Philadelphia, EUA

Fontes de pesquisa
http://www.philamuseum.org/collections/permanent/104468.html
http://www.peterpaulrubens.net/prometheus-bound.jsp