A VITAMINA C COMBATE A DEPRESSÃO

Autoria do Dr. Telmo Diniz

aviccade

O ácido ascórbico, mais conhecido como vitamina C, tem diversas funções em nosso organismo: melhorar o sistema imunológico, conferir resistência ao colágeno da pele, dos ossos, dos tendões e vasos sanguíneos; participar da produção de determinados hormônios e de neurotransmissores cerebrais, dentre várias outras. O que tem então a vitamina C a ver com a depressão? É a relação com estes neurotransmissores que tratarei no texto de hoje.

Substância barata e de fácil acesso a toda a população, a vitamina C tem se mostrado ótima como coadjuvante nos tratamentos dos transtornos depressivos. Pelo menos é o que demonstra recente pesquisa, em modelos animais, que tem sido feita há dez anos por um grupo de pesquisadores da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC). Esta pesquisa mostra que o uso do ácido ascórbico em associação a três antidepressivos muito conhecidos no mercado – fluoxetina, imipramina e bupropiona – potencializou o efeito dos medicamentos em camundongos com sintomas de depressão. E mesmo a administração desses antidepressivos, em doses menores do que seriam efetivas, conseguiu reduzir os sintomas dos animais, quando foram associados com o ácido ascórbico.

Mesmo moderadamente, baixos níveis de vitamina C têm sido associados à depressão. Um estudo, publicado em janeiro de 2011, da “American Journal of Geriatric Psychiatry”, descobriu que baixos níveis de vitamina C foram correlacionados com depressão e taxas de mortalidade mais elevadas. Embora a correlação não estabeleça causalidade, estes resultados sugerem que é prudente que as pessoas, em especial os mais idosos, devem incluir mais frutas cítricas, mais verduras e saladas em suas dietas. Caso não estejam ingerindo a quantidade necessária, o suplemento poderá ser considerado.

No escorbuto (doença causada pela deficiência de vitamina C), o sintoma mais comum é a depressão. Outros sintomas associados às alterações de humor são o cansaço, a letargia e sangramento das gengivas. A ligação entre a deficiência de vitamina C e a depressão pode ser causada por níveis mais baixos de neurotransmissores. Foi o que concluiu um artigo de agosto de 2003, publicado no “Nutrition Journal”. A vitamina C trabalha em conjunto com a enzima dopamina-beta-hidroxilase para converter dopamina em noradrenalina. Este último neurotransmissor desempenha um papel importante na regulação do nosso humor.

A quantidade diária recomendada varia entre 75 e 90 mg de vitamina C. Alguns autores já falam em até 200 mg ao dia. Esta quantidade poderá ser obtida na alimentação do nosso dia a dia com o consumo regular de frutas e vegetais. Veja bem: é preciso ingerir frutas e vegetais todos os dias. O uso de suplemento deverá ser supervisionado e nunca deverá exceder 2000 mg. Quantidades superiores a estas podem produzir diarreia, náuseas, insônia e formação de cálculos renais. Portanto, se você está angustiado ou mesmo tratando de depressão, não custa incluir a vitamina C em seu cotidiano.

Nota: ilustração de http://www.likepainting.com/pt/fruit-oranges-and-lemons-bedroomkitchen-room-realism-oil-painting-p-213.html

10 comentários sobre “A VITAMINA C COMBATE A DEPRESSÃO

  1. Maria

    Lu, querida!
    Onde encontrar a vitamina C. Quais alimentos e frutas? Eu tomo muito suco puro de laranja. Quais as outras fontes?

    Obrigada, nossa guru.

    Responder
  2. Luiz Cruz

    Oi, Lu,
    Na contemporaneidade, as pessoas têm buscado tratamento para a depressão em muitas drogas. A Vitamina C pode ser uma solução muito mais interessante, eficaz e econômica.

    Abraço,

    Luiz Cruz

    Responder
    1. LuDiasBH Autor do post

      Luiz

      Os antidepressivos têm propriciado às pessoas com problemas mentais melhor qualidade de vida. A descoberta da vitamina C como coadjuvante é realmente maravilhosa.

      Abraços,

      Lu

      Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *