Andrea del Sarto – O SACRIFÍCIO DE ABRAÃO

Siga-nos nas Redes Socias:
FACEBOOK
Instagram

Autoria de LuDiasBH

O gracioso e delicado Isaque, totalmente nu, treme de medo da morte. (Giorgio Vasari)

A composição O Sacrifício de Abraão é uma obra religiosa do pintor italiano Andrea del Sarto (1486-1531), cujo nome de nascimento era Andrea d’Angiolo di Francesco, sendo que “Sarto” foi acrescentado ao seu primeiro nome por ele ser filho de um alfaiate (que em italiano escreve-se sarto). Seu primeiro aprendizado deu-se com um ourives, continuando sua formação provavelmente com Piero di Cosimo. Dividiu sua oficina de trabalho com o pintor Jacopo Sansovino e, provavelmente, com Franciabigio. Pintou afrescos e retábulos. É tido, ao lado de Fra Bartolommeo, como maior mestre da Alta Renascença Italiana, e um dos pioneiros do Maneirismo. Ganhou de Giorgio Vasari o apelido de “pintor sem erros”.

A cena acontece ao ar livre, tendo como personagens Abraão, o primeiro patriarca do povo de Deus, e Isaque, seu filho, segundo a Bíblia (Gênesis 22, 1-19). Os dois personagens principais encontram-se em primeiro plano. O artista retrata o momento em que o patriarca, obedecendo a ordem de Deus, vai sacrificar seu filho. Mas antes de matá-lo, surge o anjo Gabriel pedindo-lhe para que pare o sacrifício e mate um cordeiro no lugar do garoto.

O menino Isaque encontra-se nu, com o joelho esquerdo dobrado sobre o altar sacrificial e a perna direita apoiada no chão. Traz um semblante de surpresa e desespero. Seus dois braços estão seguros nas costas pelo pai, que lhe impede qualquer atitude de defesa, e força seu corpo, dobrando-o para frente. Sua vestimenta vermelha e branca está no chão, ao lado do altar do sacrifício. Por sua vez, o gigantesco Abraão traz o braço do crime voltado para sua direita, com uma faca na mão, prestes a matar o próprio filho. Ele interrompe a execução, voltando o rosto para trás, ao ouvir a voz do anjo.

O inocente cordeiro, que será sacrificado no lugar da criança, está pastando à esquerda, debaixo de uma alta árvore. Ao fundo encontra-se uma bela paisagem, onde se vê a entrada de uma cidade, duas pessoas a cavalo na estrada, árvores, montanhas, e uma pessoa nua, à direita, tomando banho, de costas para o observador, sentada sobre panos brancos e próxima a um jumento arreado, que bebe água ou pasta.

Segundo o crítico de arte Georgio Versari, Sarto fez três versões desta narrativa bíblica,  sendo esta a segunda.

Ficha técnica
Ano: c. 1528

Técnica: óleo sobre tela transferido de painel de madeira
Dimensões: 98 x 70 cm
Localização: Museu do Prado, Madri, Espanha

Fontes de pesquisa:
Enciclopédia dos Museus/ Mirador

https://www.museodelprado.es/en/the-collection/art-work/the-sacrifice-of-

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *