Monet – VISTAS DA CATEDRAL DE ROUEN

Siga-nos nas Redes Socias:
FACEBOOK
Instagram

Autoria de LuDiasBH

      ruen1   ruen2  ruen3

     ruen4   ruen5   ruen6

Todos os dias eu capto e me surpreendo como alguma coisa que ainda não tinha sabido ver. Que difícil de fazer é essa catedral! Quanto mais avanço, mais me fatiga restituir o que sinto; eu me digo que aquele que diz ter terminado uma tela é um terrível orgulhoso. (Monet)

Monet fez vários quadros paisagísticos em que inseriu igrejas e catedrais. Mas nesta série, ele pegou como tema único a Catedral de Rouen. Foram pintadas cerca de trinta telas, nas quais o artista reproduz o jogo de luz e as inúmeras mudanças na atmosfera, em vários momentos do dia, através da fachada da catedral. Aqui, o tema central não é a catedral, pois sua arquitetura é quase imperceptível, mas a variação da luz sobre sua fachada, em diversos momentos do dia. Essa série é famosa no mundo inteiro.

O pintor chegou a duvidar de sua capacidade de poder transferir para a tela as diferentes mudanças cromáticas, ao pintar a Catedral de Rouen, em diferentes momentos. Ele desabafou dizendo que “tudo muda, inclusive a pedra”. A série foi pintada durante os meses de inverno de 1892 e 1893, como ele via a catedral,  da janela de onde se encontrava, em diferentes momentos do dia. Em todas as pinturas, a fachada da Catedral de Rouen ocupa sempre o primeiro plano. É possível ver como a luz, ao incidir sobre aquelas formas complexas, altera a forma e a cor, num jogo de imensa beleza.

Para pintar os inúmeros quadros da série, Monet submeteu-se a um grande número de sessões, indiferentemente da hora do dia e do tempo. Ele pintou sob o sol, sob a névoa, ao amanhecer, ao entardecer… O método empregado era a substituição de telas, de acordo com as variações da luz. Ele trabalhou no tema em dois períodos distintos, em que houve um intervalo de cerca de um ano. Antes de iniciar a sua pintura, estudou a construção e os efeitos luminosos. O seu ateliê foi montado de frente para a catedral.

De um total de trinta telas da Catedral de Rouen, apresentada como se fosse imaterial, foram expostas vinte, em 1894. Na época, o jornalista Georges Clemenceau, que viria a ser primeiro-ministro da França e também responsável pela doação das Ninfeias ao Estado francês, mostrou a sua preocupação no sentido de que as telas viessem a ser vendidas separadamente, pois, para ele, todo o bloco constituía um único trabalho, ou seja, uma única obra dividida em vinte sequências.

Artistas e críticos acolheram muito bem essa série de Monet, pois tratava-se de um grande acontecimento. Como escreveu Georges Clemenceu, dizia respeito a “uma forma nova de olhar, de sentir, de expressar uma revolução”. Tanto é que artistas como Picasso, Braque ou Lichtenstein viram essa série de pinturas sobre a Catedral de Rouen como “de importância fundamental na história da arte”, pois “obrigaria gerações inteiras a mudar suas concepções”.

Nota: A primeira gravura trata-se da reprodução de uma foto da catedral.

Ficha técnica: (catedral azul)
Ano: 1893
Técnica: óleo sobre tela
Dimensões: 106 x 73 cm
Localização: Museu d`Orsay, Paris, França

Fontes de Pesquisa:
Claude Monet/ Coleção Folha
Grandes Mestres da Pintura/ Editora Abril
Monet/ Editora Taschen
Monet/ Editora Girassol

4 comentários sobre “Monet – VISTAS DA CATEDRAL DE ROUEN

  1. Oziel Oliveira

    Olá, sou Oziel Oliveira, moro em São Luís-MA, sou leigo no que se refere à arte, mas admiro imensamente a arte desenvolvida entre o período Barroco e o Renascimento. Durante algum tempo procurei um site ou blog que trouxesse informações sobre essa arte, pinturas principalmente. Depois de algum tempo de procura fui infectado por este vírus, que tem me ajudado muito no meu desejo de entender e conhecer um pouco mais sobre o assunto.
    Parabéns pelo trabalho e muito obrigado! Ótimo blog, está me ajudando a entender a arte que vai muito além dos trabalhos escolares, trata-se da arte que acalenta o espírito e alegra o olhar, nos tornando um pouco mais humanos.

    Responder
    1. LuDiasBH Autor do post

      Oziel
      É um grande prazer receber a sua visita. E são para pessoas como você que faço este blog, que nasceu da minha vontade de compreender melhor a arte e de repassar aquilo que vou aprendendo, acrescentando outros assuntos de cultura geral.

      Realmente a internet oferece pouca coisa sobre o assunto e, mesmo assim, não coloca a fonte de pesquisa, o que perde a credibilidade. Antes de postar um artigo, eu procuro pesquisar bastante, de modo a fornecer um material de qualidade a meu leitor.

      Tenho me sentido muito gratificada com o retorno, tanto em relação aos leitores brasileiros quanto aos internacionais. Inclusive, o Google já me passou e-mail dizendo que o Vírus da Arte & Cia. encontra-se entre os melhores blogs com tal temática.

      Sinto-me muito feliz ao saber que você foi contaminado pelo vírus (da arte)… risos. Tenho muitos leitores aí no Maranhão, inclusive conheço o seu Estado. E sei que você haverá de multiplicá-los, entre seus colegas.

      Oziel, o seu comentário generoso aumenta a minha responsabilidade com os meus amados leitores. Prometo não os decepcionar. Mais uma vez, muito obrigada pelo incentivo.

      Este blog oferece inúmeras categorias, todas voltadas para a arte e a cultura.

      Em se tratando de pintura, eu tento falar um pouco sobre a vida do pintor, seu estilo e depois faço uma descrição de suas principais obras, trabalhando com as diversas épocas. Trata-se de um mundo realmente encantador, onde fazemos muitas descobertas e nos tornamos seremos humanos melhores. É verdade!

      Através de seu comentário, pude captar uma grande sensibilidade. Você é um artista. Seria um poeta? Aproveite também para conhecer minhas poesias.

      Muito obrigada pela sua visita. Espero contar com sua presença diária. Certo?

      Grande abraço,

      Lu

      Responder
    1. LuDiasBH Autor do post

      Sandra

      Ficou muito feliz ao saber que este blog ajudou-a no seu trabalho de artes, pois este é o meu objetivo: ajudar as pessoas, uma vez que os livros sobre arte são muito caros e as pesquisas na internet, na sua maioria, são fracas e não indicam as fontes. Venho recebendo inúmeros e-mails de alunos universitários, sempre satisfeitos por encontrar aqui o que procuram.

      O blog possui cerca de 35 categorias diferentes (ver ÍNDICE), com assuntos diversos. Passe o seu endereço para seus colegas e amigos e retorne sempre. Será um prazer recebê-la.

      Grande abraço,

      Lu

      Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *