DEPRESSÃO E CELEBRIDADES

Siga-nos nas Redes Socias:
FACEBOOK
Instagram

Autoria de LuDiasBH

Qualquer pessoa pode ter depressão, mas muita gente jura de pé junto que não tem. O preconceito é o maior dos problemas. (Paula Fernandes)

 Depressão é uma doença que atinge qualquer pessoa e nada tem a ver com a fé. (Pe. Marcelo Rossi)

 Enxerguei que o mais importante é ter pessoas que você ama por perto e procurar ajuda profissional. (Rebeca Gusmão)

 Eu não me sentia confortável com o trabalho. Isso se juntou ao sentimento de inadequação. Eu estava confuso, em crise com a profissão, sentindo-me mau ator, feio e triste. (Selton Mello)

 Depressão é o segredo que toda família tem. (Andrew Solomon)

Nós, seremos humanos comuns, temos a tendência de glamorizar a vida dos famosos. Achamos que por terem dinheiro e fama são também contemplados com a felicidade absoluta, como se deuses do Olimpo fossem ou afilhados desses. Engano absoluto! Muitas vezes, a luta para manter o sucesso a qualquer preço – num mundo extremamente competitivo e de flagrantes altos e baixos – é um desencadeador dos mais diferentes transtornos mentais, sendo a depressão uma constante.  Alguns famosos menos informados tentam manter a doença escondida, achando que torná-la pública poderá afetar sua imagem, mas a maioria relata-a até mesmo como uma forma de ajudar as pessoas comuns.

Não são poucos os famosos que já sofreram depressão ou que ainda se encontram em tratamento. Dentre esses podemos citar: a cantora sertaneja Paula Fernandes que se viu acometida por tal transtorno ainda na sua infância; a ex-nadadora Rebeca Gusmão; o ator e diretor Selton Mello; a atriz Adriane Esteves; a cantora Selena Gomez; o jornalista Jorge Pontual; o padre e cantor Marcelo Rossi; a cantora e atriz Demi Lovato; o ator e comediante Jim Carrey; a cantora Deborah Blando; J.K.Rowling, autora de Harry Potter; o cantor Justin Bieber; a atriz Cassia Kiss; a cantora Lady Gaga; o escritor Andrew Solomon  e a falecida princesa inglesa Diana, dentre muitos outros.

Todos os famosos que vieram a público falar de seu transtorno depressivo deixaram bem claro que a melhor forma de combater (ou até mesmo conviver) uma doença que acomete uma fatia cada vez maior de pessoas em todo o mundo é desmistificá-la.  Em razão disso alertam que a depressão não é uma tristeza “muito grande”, mas, sim, uma doença que precisa ser tratada. Segundo a psicóloga Andréa Ferreira “A depressão é mais complexa que a tristeza. Ela se caracteriza como um fenômeno interno do indivíduo, e possui sintomas e uma duração maior que uma tristeza”.

A sociedade precisa compreender que a pessoa acometida pela depressão não pode ser vista como alguém que tem preguiça de melhorar. Segundo o escritor Andrew Solomon, um estudioso da depressão e que faz palestras sobre o assunto em todo o mundo, o depressivo sabe que algo está errado consigo, mas ele não tem forças para agir diante dos sintomas. Assim explica Solomon (autor de O Demônio do Meio Dia): “Sabemos que isso é ridículo. Sabemos disso, quando a vivenciamos. Sabemos que a maioria consegue ouvir as mensagens, almoçar, tomar banho, sair de casa, e que não é nada demais. Ainda assim, você fica inerte e incapaz de pensar em uma saída”.

Depois de lerem este artigo, caro leitores, vocês não mais pensarão que o transtorno depressivo é uma doença que acomete apenas os seres mortais comuns, jamais iluminados pelos holofotes da fama, pois O a depressão é uma doença democrática que aflige anônimos e famosos. Quando os últimos expõem suas histórias de sofrimento com o transtorno depressivo, dão um grande exemplo àqueles que acham que são os únicos a lutarem contra esta doença que afeta, cada vez mais, um grande número de pessoas em todo o mundo.

Nota: Abandono, obra de Oswaldo Goeldi

Fonte de pesquisa
Guia 301: Dicas para não ter depressão / Editora Online

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *