Filme – SHAKESPEARE APAIXONADO

Siga-nos nas Redes Socias:
FACEBOOK
Instagram

Autoria de LuDiasBH

 shapa   shapaa

Como te comparar a um dia de primavera?
Sois mais adorável e elogiável.
Em maio, os ventos ternos, os botões separam.
Duas horas de prece! (Parte do soneto 18/ William Shakespeare)

Palavras, palavras, palavras.
Certa vez tive talento.
Fazia amor com as palavras, como o oleiro faz corpos com o barro.Amor que derruba impérios, amor que une dois corações, haja vento ou tempestade.
É como se minha pena tivesse partido.
Como se o órgão de minha imaginação tivesse secado.
Como se a torre altiva de um gênio tivesse desmoronado.
Mas não posso amar e nem escrever. (Will)

A comédia romântica do diretor inglês John Madden, Shakespeare Apaixonado (1998), co-produzido por Estados Unidos da América e Reino Unido, passa na Londres de 1953, onde dois teatros disputam, entre si, o título do mais prestigiado.O Curtain Theatre é o mais tradicional e pertence ao astucioso Richard Burbage (Martin Clunes), enquanto o The Rose pertence ao comerciante Philip Henslowe (Goffrey Rush).

Henslowe, cujo teatro passa por dificuldades financeiras, pois não o administra bem, conta em seus quadros com o ator e dramaturgo William Shakespeare, apelidado pelos amigos de Will, que é a maior promessa do momento. Contudo, Henslowe deve dinheiro a Hugh Fennyman (Tom Wilkinson), um agiota ganancioso, que recebe, como pagamento da dívida, uma parceria nos lucros da montagem de Romeo e Ethel – A Filha do Pirata, obra que foi encomendada a Shakespeare.

Como se não bastassem todos os sérios problemas enfrentados por Henslowe, Will, o grande dramaturgo, não passa por um bom momento criativo e não dá conta de escrever nem mesmo o primeiro ato da peça. Alega estar sentindo falta de uma musa para lhe dar inspiração. E mais pra baixo fica o coitado, quando descobre que a sua namorada Rosaline (Sandra Reiton) está o traindo.

Henslowe pressiona Will para que termine logo a obra. E ele acaba mentindo, quando diz que o texto da peça já está no final. Por sua vez, acreditando nas palavras do dramaturgo, o empresário começa a convocar atores para o teste de composição do novo elenco.

Cristhopher Marlowe (Rupert Everett) é, também, um grande talento da dramaturgia londrina e tem em Shakespeare seu principal rival. Ele ouve a conversa, entre Will e seu patrão, e acaba dando ideias ao dramaturgo, que acaba inspirado. O que faz com que escreva a peça com entusiasmo e agilidade.

Enquanto isso, o empresário do Curtain Theatre, encena no teatro do palácio de Greenwich, para a rainha e membros da corte, uma peça de Shakespeare, da qual apossou indevidamente. Dentre os convidados da rainha encontra-se Viola (Gwyneth Paltrow) que é encantada com Will, mas que é assediada por lord Wessex (Colin Firth) que anda de olho em seu dote financeiro. Embora saiba que as mulheres são proibidas, por lei, de contracenarem, Viola, que é apaixonada pelo teatro, sonha em fazer parte de uma companhia. Mas, ao tomar conhecimento de que uma nova peça está prestes a ser encenada, ela se veste de homem e se apresenta para o teste como Thomas Kent. E, para sua surpresa, acaba sendo escolhida para o papel principal de Romeu.

Enquanto isso, os pais de Viola negociam o seu casamento com o lord Wessex, sem que disso ela tenha conhecimento. Ele receberá o seu dote e dará aos De Lesseps um título de nobreza. De modo que, no baile dado pelos Lesseps, Shakespeare acaba conhecendo Viola e os dois acabam se apaixonando.

Will, louco de amor, escreve um soneto para Viola e o mostra ao suposto Thomas Kent, assim como lhe fala de sua paixão pela moça. O que faz com que Viola revele a sua verdadeira identidade, passando os dois a viver um grande romance, ainda que totalmente inviável. O dramaturgo passa a escrever sobre as emoções e as frustrações da realidade que vivencia com a amada.

Enquanto isso, Ned Alleyn (Bem Afleck), ator londrino famosíssimo, também se oferece para fazer parte da nova peça. Mas, para proteger Viola no papel de Romeu, Shakespeare oferece ao ator o papel de primo de Mercúrio, alegando que é um dos melhores.

Juntamente com os ensaios, os encontros apaixonados, entre Will e Viola, progridem. Mesmo quando tem que se apresentar à rainha, para a aprovação real de seu casamento, a moça se faz acompanhar por seu amado, vestido de ama. Na ocasião ela revela à rainha a sua paixão pelo teatro. O casamento é aprovado, mas a rainha alerta o noivo para a infidelidade de Viola, algo de que ele já suspeitava. E, ao descobrir que Shakespeare é o motivo da traição de sua noiva, Wessex desafia-o, no teatro. Os dois lutam, mas Will vence. A vingança do noivo traído é tentar fechar o teatro, onde seu rival trabalha.

Um garoto perturbado descobre a verdadeira identidade de Thomas Kent e a denuncia para Tilney (Simon Callow), representante da rainha. E esse, a serviço do noivo traído, passa a perseguir o dramaturgo. Depois de tornar público todos os fatos, ele fecha o teatro The Rose. Com os novos acontecimentos, a peça está sujeita ao fracasso. Mas Burbage, dono do Curtain Theatre, inconformado com o autoritarismo de Tilney, oferece o seu teatro para o rival. Na ausência de Viola, Will passa a ser o intérprete de Romeu e, por sugestão de Ned, encantado com o texto final, muda o título da peça para Romeu e Julieta.

A estreia acontece no mesmo dia do casamento de Viola, que foge para o teatro, com a cumplicidade da ama, logo após a cerimônia. Como o ator, que iria apresentar Julieta, encontra-se com a voz rouca, a peça corre o risco de ser cancelada, mesmo com o teatro entupido de gente. Viola, que se encontrava na platéia assume o papel.

O público delira com o espetáculo e o está ovacionando, quando Tilney chega para fechar o teatro, que infringiu a lei, ao colocar uma mulher em cena. Mas a rainha, escondida na platéia, perdoa Viola e encomenda a Will uma nova peça e recomenda que moça acompanhe seu marido, pois nada pode desmanchar um casamento feito por Deus.

Shakespeare começa a escrever Noite de Reis em que a heroína, única sobrevivente de um naufrágio, disfarça-se de homem, para se proteger de um destino incerto. Seu nome é Viola.

Curiosidades:

• Shakespeare Apaixonado foi a primeira comédia a ganhar um Oscar de melhor filme, desde Noivo Neurótico, Noiva Nervosa, em mais de 21 anos.

• Romeu e Julieta é uma das peças mais populares de Shakespeare. Sua história confunde-se com a do cinema, tantas vezes foi adaptada.

• A aventura pessoal, literária e amorosa de Shakespeare no filme é toda ficcional, mas o ambiente, onde ela se desenvolve, obedece rigorosamente aos dados históricos da época elisabetana.

• Os diálogos são inspirados, às vezes, até emprestados, de textos do próprio Shakespeare.

• A Londres de 1953 e os teatros foram construídos com materiais semelhantes ao da época, seguindo registros históricos. Assim como figurinos, maquiagem, etc.

• O resultado é uma reconstituição impecável, que reproduz a capital inglesa açoitada pela peste e a simplicidade, quase miserável, da gente comum.

• Shakespeare tinha várias versões de assinaturas.

• Os roteiristas do filme foram processados pela escritora americana Faye Kellerman sob a alegação de plágio de seu livro The Quality of Mercy.

• O filme ganhou 43 prêmios. Só do Oscar levou 7 estatuetas: melhor filme, melhor atriz (Gwyneth Paltrow), melhor atriz coadjuvante (Judi Dench), melhor roteiro original, melhor direção de arte, melhor figurino e melhor trilha sonora. E ainda teve a indicação de melhor direção, melhor ator coadjuvante (Geoffrey Rush).

• Há poucos documentos sobre a vida de William Shakespeare, considerado o maior escritor da língua inglesa. Existem até especulações em torno da verdadeira autoria de suas peças.

• Entre os seus 38 textos teatrais destacam-se Romeu e Julieta, Hamlet, Otelo, Macbeth, Rei Lear, O Mercador de Veneza, Sonhos de uma Noite de Verão, Noites de Rei e Ricardo III.

• Na época do Oscar (1999), concorria com Gwyneth Paltrow a atriz brasileira Fernanda Montenegro, indicada como melhor atriz por seu trabalho em Central do Brasil.

• Um dos heróis do diretor John Madden é Krzystof Kieslowski, diretor da trilogia: A Liberdade é Azul, A Igualdade é Branca e A Fraternidade é Vermelha.

• Madden acredita que o roteiro é o filme e não gosta de improvisação em cima do texto.

• No filme Todo Mundo em Pânico, a personagem de Regina Hall, Brenda Meeks, vai ao cinema assistir Shakespeare Apaixonado.

Cenas imperdíveis:

• Judi Dench dá um show de interpretação ao viver a rainha. Todas as cenas com ela são fantásticas. Judie Dench venceu o Oscar na categoria de melhor atriz coadjuvante embora seu personagem (Rainha Elizabeth I) tenha aparecido no filme por seis minutos e em apenas quatro cenas.

• A cena em que Henslowe, amarrado, assina um contrato com o seu agiota. Observem como é feita a assinatura.

• Shakespeare mostra como a escrita era feita na época: com pena, tinta, pó de secagem e, à noite, com luz de vela. Observem também como ficavam as suas unhas.

• A cena, na igreja, em que Will imagina ser o responsável pela morte de Marlowe.

• É interessante notar como o elenco para as peças eram feitos naquela época. Os atores, em sua maioria, eram pessoas do povo.

Fontes de pesquisa:
Cinemateca Veja
Wikipédia

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *