ÍNDIA – ALERTA CONTRA OS INDIANOS NA INTERNET

Autoria de Daniela Leite

indian

Assim como muitas mulheres no Brasil e em vários outros países, também fui vítima de um indiano. E esta é a minha historia:

Eu o conheci em 2014, via whatsapp. Ele começou a conversar comigo, dizendo que queria ser meu amigo, que eu era muito bonita, etc. Não lhe dava atenção no início, mas ele era muito insistente. Perguntou-me se eu era virgem, o que me deixou incomodada. Respondi-lhe que não era da conta dele e que iria bloqueá-lo. Ele me pediu desculpas. Não falava sobre sexo e era atencioso, mandando mensagens de manhã, tarde e noite.

Nessa época, eu estava carente e tinha saído de um relacionamento. Acabei me apegando a esse indiano, que me enchia de atenção. Dizia que gostava de mim, que eu era a “garota dos seus sonhos”. Logo veio o “I love you”. Eu acreditei e fiquei apaixonada. Vieram os papos sobre sexo e pornografia. Sentia-me incomodada, mas tolerava. Achava que era parte do “relacionamento”. A conversa sempre girava sobre sexo e dinheiro. Perguntava quanto se ganhava no Brasil, se eu trabalhava e qual era meu salário e o da minha mãe. Falei-lhe que estava estudando pra concurso. Sempre me perguntava se estava estudando direito (mostrando-se preocupado com meu futuro). Se eu passasse no concurso, viria se casar comigo, mas eu tinha que ganhar muito dinheiro pra poder comprar a nossa casa.

Uma vez, esse indiano pediu-me pra ajudar a pagar sua passagem ao Brasil. Disse-lhe que não tinha dinheiro. Além de sexo, ele falava sobre atriz-pornô e prostitutas. Ele queria ser ator pornô, pois, dizia, são ricos e divertem-se fazendo sexo. Pedia-me fotos nuas e ficava com raiva, se não as enviasse, dizendo que não o amava. Era um tremendo pervertido, que se mostrou bonzinho no início, só pra atacar. Como pude aguentar isso tudo? Parece que estava dopada. Dizia que a mulher brasileira era bonita e sexy, mas a maioria era vadia, que se casava várias vezes e fazia sexo com vários homens. E que as indianas só faziam sexo depois do casamento e nunca deixavam seus maridos.

Esse sujeito dizia que era solteiro e não gostava de indianas, pois eram gordas, maltratadas e não faziam sexo como nos filmes pornôs. Não se casaria com uma, e sua mãe queria uma estrangeira pra ele, porque eram mais bonitas. Fiquei desconfiada, porque sempre ouvi dizer que as famílias indianas não aceitam estrangeiras como esposas dos filhos. Decidi pesquisar na internet e achei vários resultados. Fiquei sem palavras, pois achava que era a única que tinha caso com um indiano, e que isso era raro. Numa dessas buscas encontrei este blog e vi um monte de relatos. Mas isso nem me tocava, pois parecia cega. Achava que comigo seria diferente. Ele não iria me enganar, pois me amava de verdade.

Resolvi fuçar o Facebook do “meu” indiano, pra ver se via alguma paquera ou qualquer coisa. Achei um comentário, em híndi, de certa Tripti Chaudhary, com a palavra “janu”, (meu amor). Ele me disse não conhecer a pessoa. Depois de muita insistência, disse-me que moravam na mesma vila. Acreditei! Passaram-se dois anos de pura perda de tempo, “sex chat”, pedido de “nudes”, vídeos, falsas promessas, ilusão… Quando ele falou com outro indiano que eu era “randi” (prostituta), eu o deletei, mas ele ficou me mandando mensagens pedindo perdão, dizendo que dissera aquilo por ciúme. Eu o ignorava. Minha mãe e irmão eram contra eu ter amizade com desconhecidos. Diziam que estava perdendo tempo. Mas eu nem ligava, e acabei perdoando-o. Algum tempo depois, o primo desse cara disse-me que ele tinha namorada. Mas ele desmentiu tudo, dizendo “que me amava e não iria me esquecer nunca”, enfim, todas as babaquices que todos eles costumam dizer. Mas a idiota aqui acreditou e perdoou-o novamente.

Logo descobri que ele era noivo, há quatro anos, da tal Tripti Chaudhary. Conversei com ela, que me disse que sabia tudo sobre mim, e que eu era apenas um passatempo dele, que havia me enganado o tempo todo. Eu m senti traída, enganada, um lixo. A ficha havia caído. Tantas mentiras, falsas promessas… E também tudo o que eu tinha feito: fotos enviadas, vídeos… Como pude confiar num cara que nunca vira na vida?  Como entrei numa fria dessas? Fiquei muito mal, depressiva… Só de imaginar que ele poderia ter colocado minhas fotos íntimas em algum site pornográfico, eu sentia pavor.

Contei a minha mãe sobre tudo, menos sobre as fotos, ela iria ficar arrasada, pois sempre me aconselhou pra não confiar em ninguém, principalmente da Internet… E nunca enviar fotos. Mas o cara voltou a me procurar, pedido perdão e dizendo que acabara com a noiva. Tudo mentira, é claro! Disse que tinha feito uma cirurgia e tinha pouco tempo de vida e precisava falar comigo. Disse-lhe que o tempo dele havia esgotado. Não nos falamos mais, mas ele ainda vive me seguindo. Até agora ele não fez chantagem com as fotos que enviei, mas temo por isso, pois é capaz de tudo.

Eu aprendi muito com tudo isso. Parece que a gente só aprende quando algo ruim acontece consigo mesmo. Porque não adiantou nada eu ter lido os relatos aqui e ouvido os conselhos de minha mãe. Nada disso surtiu efeito em mim. Poderia ter sido pior, se eu tivesse ido pra Índia, e sabe se lá o que teria ocorrido comigo. Mas, graças a Deus, não tive essa coragem.  Não se deve confiar em ninguém, principalmente da Internet.

Mulheres, não confiem em indianos! A maioria não vale aquilo que o gato enterra. Já são comprometidos e só estão à procura de sexo e de aplicar golpes. Não se deixem levar por papinho de amor, pois é tudo mentira. Só estão interessados no que podem tirar de vocês! Pra não esquecer: o nome dele é Chaudhary Ankit Tewatiya, o da esposa (possivelmente já estão casados) é Tripti Chaudhary e do irmão Arpit Tewatiya. Eles usam o Facebook como se fossem solteiros, sem status de relacionamentos e sem fotos, só pra enganar suas vítimas.

10 comentários sobre “ÍNDIA – ALERTA CONTRA OS INDIANOS NA INTERNET

  1. Sonia

    Depois de tanto ler sobre essa situação entre indianos e estrangeiras, meu único palpite é: pesquisar a cultura indiana, seus hábitos, sua gente, sua religião. Concluí que muitas brasileiras caem nas conversas dos asiáticos (turcos, indianos, paquistaneses, etc) por pura ignorância sobre a cultura dessa gente. Aqui mesmo no blog está explicando como são feitos os casamentos indianos. Indianos são mesmo muito românticos, afinal, a cultura deles, no passado, via o sexo e o envolvimento entre homem e mulher como algo sagrado, dos deuses. Quem lembra do Kama Sutra? Quatro anos de noivado na Índia? Pelo que sei isso não existe, pois eles tem pressa de casar e ter uma vida sexual ativa, que é muito reprimida aos solteiros, nos dias atuais. Eles dizem que as ocidentais são belas, sexy, mas prostitutas. Mesmo assim querem casar com uma? Eu aprendi também algo simples mas muito importante: para os indianos ter afeição por pessoas é amar (verbo to love). Afeição por animais, coisas é gostar (verbo to like). Quando eles dizem “Eu te amo”, na verdade querem dizer, “Eu simpatizei com você”. As mulheres estrangeiras, desconhecendo esse detalhe, levam logo para o lado romântico, para o amor carnal e aí se iludem que alguém está apaixonado por elas. Pesquisem! Quando se joga na pesquisa ‘indiano e brasileiras’ abrem-se uma infinidade de blogs mostrando a realidade cruel desses relacionamentos. Há exceções. Há muitos casos que deram certo, pois nem todo mundo é igual e não é legal generalizar um julgamento. Mas a maioria desses relacionamentos terminaram em tragédias. Entendam: a Índia é um outro mundo. Nada a ver com o ocidente. Que tal pesquisarem, e pesquisarem, e pesquisarem?

    Responder
    1. Daniela

      Sônia

      Para falar a verdade eu nem conhecia nada sobre a Índia. Pode parecer estranho, mas eu nem sabia que a India existia, só fui saber quando passou aquela novela Caminho das Índias, que eu nem assistia. Depois comecei a ver documentários na televisão e na internet, mas nem passava na minha cabeça que iria me envolver com um deles, pois eu nem sabia inglês naquela época. Então não me preocupava com isso. Quando resolvi relatar o que passei, não quis generalizar de maneira nenhuma, pois sei que existem pessoas boas na Índia. Mas o meu relato foi pra alertar mesmo pois é muito ruim quando a gente passa por isso, e como aconteceu comigo não acho nada de mais alertar as pessoas para que não venham passar pelo mesmo (não só com indianos, mas com todo tipo de gente que se conheça pela internet). Eu aprendi que não devo confiar em todo mundo. Infelizmente, aprendi isso pelo lado mais difícil. Mas é assim mesmo. Vivendo e aprendendo!

      Agora me desculpe, mas não acho que as pessoas caem em golpes na Internet por ignorância, pois ninguém está livre de acontecer algo do tipo. É mais por falta de experiência mesmo. Vi até na televisão um dia sobre esse assunto, um delegado dizendo que esses caras sabiam como “ganhar” as mulheres na “lábia”. Eu também achava que isso nunca ia acontecer comigo, mas aconteceu. Julgar é fácil! É claro que temos a Internet e a televisão para nos informar, mas mesmo assim não estamos livres de entrar numa situação dessa. Seja pela internet ou na vida real nunca estamos 100% livres. Eu até pesquisava sobre o assunto na internet e até li os relatos neste blog, mas não me livrei de cair nisso. Foi por meu erro. Não por ignorância, mas por ingenuidade. Eu achava que seria parte daquele 1% que daria certo. Mas fui mais uma que se deu mal. Mas mesmo assim não saio julgando ninguém que tenha envolvimento com indiano, pois já passei pelo mesmo e sei como é. A gente só entende o outro quando passa pelo mesmo. E essa foi a intenção do meu relato. Alertar pessoas sem experiências a não caírem no mesmo erro que cometi.

      Responder
      1. Sonia

        Eu entendo você, Daniela, não se preocupe. Minha história é a seguinte: conheci um indiano há sete meses num joguinho on line e logo passamos a nos comunicar na vida real. Como você, eu também não conhecia nada sobre a Índia. Como sou muito curiosa, pesquisei muito pela internet e descobri todo esse mar de horrores que são os relacionamentos entre indianos e estrangeiras. Passei a ‘vigiar’ nossa amizade: qualquer deslize dele, eu o bloquearia em todos os nossos canais de comunicação de um com o outro. Também descobri o grupo do 1% dos relacionamentos que deram certo. Entendi que nem tudo são horrores na Índia. Hoje eu e ele ainda somos amigos, apenas amigos. A fase do namoro passou. Ele não demonstrou, até o momento, nenhuma atitude que desabonasse sua reputação. Acho que é até pelo fato de ele ser um homem adulto, maduro. Mas estou sempre alerta. Infelizmente não dá para confiar em ninguém de olhos fechados, não é mesmo? No meu Facebook todos os dias eu recebo solicitações de amizade de asiáticos (indianos, turcos, egípcios). Eu aceito. No mesmo instante ele mandam mensagens pedindo fotos, dizendo que ‘me amam’… hhahahahahahaaha… e eu imediatamente desmancho tudo e bloqueio. Todo dia entram e todo dia saem. Vão enganar o diabo…

        Um abraço para você!

        Responder
        1. Daniela

          Isso mesmo, Sonia! Devemos sempre vigiar, pois com certeza não dá mesmo pra confiar em ninguém mais. Eu sou prova disso. Acabei confiando e terminei me ferrando. A gente pode até conversar e manter amizade, mas nada mais do que isso. É melhor cortar o mal pela raiz logo de início, para que não tenhamos aborrecimentos, desilusões e tristezas no futuro. Não vale a pena sofrer por algo que não tem futuro, pode ter certeza disso!

          Um abraço pra você também!

  2. Ster

    Daniela

    Eu sinto muitíssimo pela experiência que você passou. Acredito que esteja apreensiva por uma possível chantagem da parte do indiano, mas nunca se esqueça que poderia ser muito pior. Muitas se iludem a tal ponto de ir vê-los no país natal, e nunca mais voltarem, meninas/mulheres do mundo todo. Seu relato é muito importante, espero que nada de ruim aconteça no futuro, e que muitas leitoras, que passam pela mesma situação, possam abrir os olhos. Infelizmente sabemos que muitas mantêm o pensamento que “com elas é diferente”… E que muitas vão passar por essa situação, ou pior, antes de acordarem para a realidade. Nos resta continuar alertando e pedindo a Deus que qualquer pessoa vivenciando esta experiência, virtual ou real, possa despertar.

    Fique bem, abraços.

    Responder
    1. Daniela

      Ster
      Foi exatamente isso que eu pensei. Poderia ter sido pior; eu poderia ter ido pra Índia e nunca mais voltar, como aconteceu com outras mulheres. Ou até enviado dinheiro como muitas fazem. Mas ainda bem que nunca passou isso pela minha cabeça, se não iria me ferrar de vez. Apesar de toda a decepção que sofri, eu acho que tive um livramento. Talvez tive sorte. Espero mesmo que ele não me faça nenhuma chantagem, se não vou ter que fazer alguma coisa. Eu me iludi muito, fui uma inconsequente. Digo, até ingênua. Quando se é assim, sofre-se as consequências. O mundo não perdoa! Obrigada pelo comentário!

      Fique bem, você também!

      Abraços!

      Responder
  3. Maira

    Daniela

    Cada dia mais eu me espanto com a cara de pau desses indianos, que vivem na internet tentando conquistar mulheres ingênuas, para depois dar o bote. Achei muito bom o teu comentário, cheio de verdades, inclusive falando sobre a tua postura de não acreditar no que lia, achando que, contigo seria diferente. Todas as vítimas pensam assim, infelizmente. Todos os indianos que aparecem em meu face pedindo contato, eu não aceito. Espero que muitas mulheres leiam o teu comentário e criem juízo para não entrar num buraco sem fundo. É preferível ter carência afetiva do que decepção profunda.

    Muita paz para ti!

    Responder
    1. Daniela

      Maira

      Você faz mais do que certo em não aceitar. Não irá perder nada com isso, muito pelo contrário. Eu me arrependo até hoje do que fiz. Dar confiança pra uma pessoa que nunca vi na minha vida, é pura loucura. Ainda bem que acordei, pena que não foi a tempo de não ter enviado as fotos pra ele. Carrego isso na minha cabeça até hoje. Só eu sei o que passei, mas foi bem feito pra mim, agora aprendi a lição. E espero mesmo que as pessoas vejam e encarem como realidade tudo que relatei. Que não ignorem, pra não caírem no mesmo buraco que eu. Obrigada por seu comentário!

      Muita paz pra você também!

      Responder
  4. LuDiasBH Autor do post

    Daniela

    Quero parabenizá-la pela sua coragem de vir aqui e contar sua história, mas, sobretudo, louvo a sua generosidade ao alertar as mulheres, principalmente as brasileiras, para o perigo que correm, ao se relacionarem com desconhecidos, via internet, principalmente com indianos, que vêm sujando o nome de seu próprio povo e país, em várias partes do mundo.

    Dani, você não foi a primeira e nem será a última a passar por isso. Contudo, não se tornou amarga e indiferente ao destino de outras mulheres, como muitas o fazem. Aqui vem na tentativa de trazer o seu alerta a tantas outras, que ainda se encontram cegas em relação a esses príncipes de meia-tigela, que não passam de sapos (peço desculpas a esses anfíbios anuros). O comportamento desses homens, advindos de um país cantado e decantado em sua “espiritualidade”, diz-nos que tudo ali é literalmente para “inglês ver”. As embaixadas em todo o mundo estão alertas em relação a esses golpistas.

    Parabéns, lindinha, você irá encontrar alguém muito especial, de sua própria cultura, pois é um ser humano de intensa grandeza.

    Abraços,

    Lu

    Responder
    1. Daniela

      Oi, Lu!
      Muito obrigada mesmo do fundo do meu coração por ter publicado no blog o meu relato, e é claro obrigada por suas palavras também! Meu desejo é o de alertar o máximo de mulheres possível, pra não cairem nas garras desses caras. Essa experiência foi difícil pra mim, mas é assim mesmo, vivendo e aprendendo! A gente cai e se ergue de novo. Graças a Deus estou muito melhor agora e mais consciente. Naquele tempo fui muito inconsequente, mas aprendi a lição! Vou esperar pela pessoa certa, ao invés de me aventurar com qualquer um e quebrar a cara.

      Obrigada novamente, estou muito feliz! Quero parabenizá-la pelo seu blog, gostei muito da sua vontade de divulgar os relatos para ajudar as mulheres. Muito atenciosa e paciente! Você faz um belíssimo trabalho! Continue fazendo isso pra ajudar mais pessoas!
      Luz, paz, bençãos, saúde e muito sucesso pra você!

      Abraços,

      Dani

      Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *