Louis Le Nain – A FAMÍLIA DE CAMPONESES

Siga-nos nas Redes Socias:
FACEBOOK
Instagram

Autoria de LuDias BH

O pintor francês Louis Le Nain (1593 – 1648), também conhecido por o Romano, ao chegar a Paris, vindo de Lyon, juntamente com dois irmãos, Antoine e Mathieu, abriu uma oficina de pintura em Paris. Anteriormente a isso, nada se sabe sobre sua formação artística, assim como é difícil, muitas vezes, saber qual foi a obra pintada por esse ou aquele irmão, pois os três costumavam trabalhar numa mesma tela. Mas não há dúvidas de que Louis foi o mais criativo dos três. Através do apelido recebido é provável que tenha ido a Roma. Fez parte da Academia Real de Pintura e Escultura, em Paris. Os irmãos deixaram uma pequena série de pinturas históricas, mas preferiram as cenas de vida no campo. Eles vieram de uma família rural.

A composição A Família de Camponeses, também conhecida como A Família de Camponeses num Interior, é tida como a obra-prima de Louis Le Nain. Nesta obra, em que estão presentes oito figuras humanas, um cachorrinho e um gato, predominam os tons de marrom, em suas gradações. Trata-se de uma de suas mais famosas cenas rústicas, também conhecida como pintura de gênero, que eram representações da vida cotidiana, especialidade a que o artista mais se dedicou e que se tornou muito popular no século XVII, principalmente nos Países Baixos, sendo Naim e seus irmãos os grandes representantes da França, no final desse mesmo século.

Numa ambiente escuro e humilde, com paredes sem qualquer tipo de ornamento e de chão batido, um camponês reúne-se com sua numerosa família em volta de uma mesa. Percebe-se que o jantar ainda não foi servido, pois o chefe da família parou de cortar o imenso pão que traz junto ao corpo, enquanto segura uma faca na mão direita. Naquela época, a comida dos camponeses limitava-se a uma sopa acompanhada de pão. Perto de um gatinho malhado, que parece posar para a pintura, no chão, está um caldeirão, provavelmente de barro, com uma concha de cabo de pau dentro, trazendo a tampa, de pé, recostada nele. Uma tosca frigideira e um cesto de vime, com um pano dentro, também jazem no chão.

A mesa está desarrumada, com uma parte coberta por uma toalha. Sobre ela se encontram uma tigela maior, provavelmente para colocar o pão, uma vasilha menor, para sal ou molho, e um castiçal sem vela. O velho camponês e sua filha (ou nora), provavelmente a mãe das crianças, encontra-se sentados à mesa. Mais distante, e sentada sobre uma cadeira, está sua esposa, uma senhora idosa que aparenta muita dignidade. Ela traz uma jarra de vinho apoiada no colo e um copo de vidro na mão esquerda, cuja base sustenta-se na jarra. O copo está quase cheio. Os três adultos e a criança menor, sentada no chão, estão voltados para o observador. Uma menina é vista atrás daquela que presumimos ser sua mãe.  Um garotinho, de pé de e de costas para o velho camponês, toca algo numa flauta de pastor. Um cãozinho, na base esquerda da tela, mostra-se atento, à espera dos restos da refeição. Próximo a ele está o que parece ser um cajado, que deixa sua sombra no chão.

Ao fundo, à esquerda, crepita no chão o fogo que serve para cozinhar, aquecer e iluminar o ambiente com sua luz bruxuleante, delineando a silhueta dos personagens mais próximos. Ali são vistos um caldeirão, lenha e outros objetos. Dois personagens são vistos lá dentro: uma jovem com a cabeça coberta, próxima à parede, e um garoto, voltado para o fogo que alumia parte do ambiente. Através das roupas grosseiras e rasgadas dos personagens, dos pés descalços das crianças e dos precários objetos, ali contidos,  é possível concluir que a família é muito pobre. (Os camponeses, até meados do século XX, andavam descalços). A pintura repassa a imagem de uma família unida, apesar da pobreza.

Ficha técnica
Ano: c. 1642

Técnica: óleo sobre tela
Dimensões: 113 x 159 cm
Localização: Museu do Louvre, Paris, França

Fontes de pesquisa
Enciclopédia dos Museus/ Mirador

1000 obras-primas da pintura europeia/ Könemann
http://www.wga.hu/html_m/l/le_nain/p_family.html
http://www.louvre.fr/oeuvre-notices/famille-de-paysans-dans-un-interieur

2 pensou em “Louis Le Nain – A FAMÍLIA DE CAMPONESES

  1. Ariadne

    Lu
    O quadro mostra 7 membros de uma família, você acha que podemos identificar esta pintura como uma representação da vida social na França do início do século XVIII?

    Responder
    1. LuDiasBH Autor do post

      Ariadne

      Se você estiver se referindo à vida dos camponeses, poderá, sim, pois eram assim que eles viviam naquela época.

      Agradeço sua visita e comentário. Volte mais vezes!

      Abraços,

      Lu

      Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *