Lucas van Leyden – A ADORAÇÃO DO BEZERRO DE OURO

Autoria de LuDiasBH  

adodebedo

A composição A Adoração do Bezerro de Ouro é um tríptico do artista holandês Lucas van Leyden (1494-1533), considerado um dos gênios da pintura quinhentista europeia. Seu primeiro professor foi seu pai, Hugo Jacobsz, vindo depois a estudar com o mestre Cornelis Engelbrechtsch. O artista era tão talentoso que aos dezesseis anos de idade compôs sua primeira gravura. Nutria grande admiração por Albrecht Dürer, tendo estudado meticulosamente seus escritos.

Além de pintor, Lucas era também gravurista, xilogravurista e pintor de vidro, tendo deixado trabalhos maravilhosos para a posteridade. Era dono de uma criatividade fascinante. Não existem provas de que tenha ido à Itália, contudo, suas pinturas mostram influências italianas, assim como holandesas e alemãs.

O quadro acima é a parte central do tríptico do mesmo. Em primeiro plano, um grupo de homens, mulheres e crianças entrega-se à gula, comendo e bebendo descomedidamente, como mostram suas ações e fisionomias.

Em segundo plano, suas figuras, em três dimensões, representando os israelitas, movimentam-se no espaço, enquanto dançam em torno de um bezerro de ouro. Um grupo de músicos, à esquerda, acompanha a dança, tocando seus instrumentos.

Moisés, profeta e líder religioso, é visto em duas cenas na composição: na parte superior esquerda, em cima do Monte Sinai,  enquanto invoca Deus-Pai; e logo abaixo de onde estava, acompanhado por Josué, quebrando as  Tábuas da Lei, insatisfeito com o que via.

O tríptico A Adoração do Bezerro de Ouro só foi descoberto no século XX, tendo sido comprado pelo Rijksmuseum, em 1952. Em razão da tensão linear e do movimento ativo vistos na obra, esta é considerada uma obra-prima da primeira geração de maneiristas europeus. Faz parte dos últimos trabalhos do artista.

Ficha técnica
Painel central do tríptico
Ano: c. 1530
Técnica: óleo sobre madeira
Dimensões: 93 x 67 cm
Localização: Rijksmuseum, Amsterdam, Holanda

Fontes de pesquisa
A Enciclopédia dos Museus/ Mirador
Mil obras-primas da pintura europeia / Könemann

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *