Mestres da Pintura – PIERO DI COSIMO

Autoria de LuDiasBH

sermao

O pintor italiano Piero di Cosimo (1462-1521), cujo nome original era Piero di Lorenzo, nasceu e morreu na cidade de Florença. Ali estudou com Cosimo Rosseli, tendo, inclusive, trabalhado com seu mestre nos afrescos da Capela Sistina, em Roma, onde pintou O Sermão de Cristo (imagem acima), que se tornou a sua primeira obra conhecida. Foi em homenagem a seu mestre que adotou o sobrenome Cosimo.

A maior parte da vida artística de Piero de Cosimo foi  passada em Florença, tendo ali vivido o período áureo do Renascimento, quando sua cidade encontrava-se sob o domínio de Lorenzo, o Magnífico. Também presenciou a derrocada de Florença quando a família Médici foi expulsa, houve a ascensão do monge fanático Savanarola, a ocupação francesa e a guerra civil, entre outros fatos históricos.

Piero di Cosimo não deixou nenhum de seus trabalhos assinado ou datado. Os dados colhidos sobre o artista foram obtidos através de Giorgio Vasari, arquiteto e pintor, que escreveu sobre a vida de vários pintores, escultores e arquitetos italianos. Vasari, por sua vez, pesquisou sobre o pintor entre aqueles que o conheceram pessoalmente, sendo descrito como “um homem de humor lunático, capaz das invenções mais bizarras”. Em seus trabalhos, chama a atenção especialmente a beleza das paisagens ao fundo. Foi com os holandeses Jan van Eyck e Hugo van der Goes que os pintores italianos compreenderam que a paisagem não deveria servir apenas como pano de fundo, pois era importantíssima na composição de uma pintura.

Segundo Giorgio Vasari, Piero di Cosimo nutria grande fascínio pelos animais, tendo pintado inúmeros deles. Também sentia fascinação por criaturas mitológicas, como sátiros, faunos, deuses e bacantes. Tinha predileção por Vulcano, o deus do fogo, provavelmente por influência de seu mestre Cosimo Rosseli, que era um alquimista, e via no fogo, em suas atividades secretas, a possibilidade de transformar o metal em ouro. É possível que Piero di Cosimo também tenha se dedicado à alquimia, mesmo que seja como ajudante de seu amado mestre. Isso pode ser deduzido através de sua obra, onde muitos ornamentos são vistos como alegorias alquímicas.

Nota: Sermão de Cristo, obra de Piero de Cosimo

Fontes de pesquisa
Los secretos de las obras de arte/ Taschen
1000 obras-primas da pintura europeia/ Könemann

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *