NEPAL – O TELHADO DO MUNDO

Siga-nos nas Redes Socias:
FACEBOOK
Instagram

Autoria de LuDiasBH

Nepal123

O Nepal, oficialmente República Democrática do Nepal, conhecido como o “telhado do mundo”, é um país localizado no sul do continente asiático, na encosta da cordilheira do Himalaia. Faz fronteira com a Índia e a China (Tibete). Não é banhado pelo mar, e Kathmandu é a sua capital. Uma de suas cidades mais famosas é Lumbini, lugar onde nasceu Sidarta Gautama (Buda). Além de ser um país muito pobre, sua densidade demográfica é altíssima. Sua economia é baseada na agricultura e no turismo.

A flora do Nepal é bem diferenciada. Estima-se que aproximadamente 5% de suas espécies não nascem em outras regiões do mundo. O norte montanhoso do país possui 8 das 10 montanhas mais altas do mundo, incluindo o Monte Everest, o pico mais alto da Terra. Por isso, trata-se de um país bastante procurado pelos praticantes do montanhismo. Inclusive, o lado nepalês é o mais fácil para se chegar ao cume do tão ambicionado monte, sendo aquela região a mais procurada.

Mais de 80% da população nepalesa professa o hinduísmo, vindo o budismo em segundo lugar. Shiva é considerada a divindade protetora do país, que possui dois pontos famosos de peregrinação: Lord Shiva, templo onde os hindus de todo o mundo acorrem em peregrinação e Lumbini, local de peregrinação budista, Patrimônio Mundial da UNESCO, considerado o berço em que nasceu Sidarta Gautama (Buda). Existe uma excelente convivência entre hindus e budistas, pois as diferenças entre as duas religiões no Nepal são mínimas, em razão da miscigenação cultural e histórico das crenças hindu e budista. Elas possuem até templos em comum e divindades também.

O Nepal foi, durante quase toda a sua história, uma monarquia, mas a insatisfação com o autoritarismo do último rei, acabou transformando o país numa república parlamentarista. A escravidão foi abolida no Nepal em 1924, embora a servidão por dívidas, mesmo em se tratando de devedores crianças, tem sido um problema social persistente. A pena de morte foi abolida em 1997, e em 2008, o governo nepalês aboliu a “Haliya”, sistema de trabalho forçado, libertando milhares de pessoas. Mas, a eficácia de tal medida tem sido questionada, ou seja, o trabalho escravo continua.

O Nepal era uma terra de densas florestas, mas o desmatamento tem sido um grande problema em todo o país, causando erosão e degradação dos ecossistemas. Um dos grandes desafios do governo nepalês é conter a erosão do solo.  Mesmo assim, o país possui paisagens fantásticas e diversificadas e uma cultura extremamente exótica. Se contasse com uma boa infraestrutura, e não tivesse uma política instável, o turismo seria uma grande fonte para sua economia.

A maior parte da população nepalesa vive em vilas, nas montanhas, sendo a maior parte das casas feitas com uma estrutura de bambu, recobertas com barro e com uma mistura de esterco de vaca, o que faz com que sejam frescas no verão e quentes no inverno. A taxa de desemprego e subemprego é muito alta, atingindo metade da população em idade ativa. Muitos nepaleses deixam seu país em busca de outros centros de trabalho. Vão, principalmente, para a Índia, Qatar, Estados Unidos, União Europeia, China e países escandinavos.

Embora a localização geográfica do Nepal, com sua topografia íngreme e seus rios perenes, ofereça grandes condições para se ter as melhores hidrelétricas do mundo, apenas cerca de 1% do país é servido por energia elétrica. Por ordem sequencial, os fornecedores de energia no país são: a lenha, resíduos agrícolas, esterco de animais e combustíveis fósseis importados.  Mesmo assim, em setembro/2012, o Nepal contabilizava 1.828.700 usuários do Facebook. O sistema viário do país também é precário, com pouquíssimas estradas. Além disso, 60% delas tornam-se intransitáveis na estação chuvosa.

A educação ainda é um sério problema no Nepal, cuja taxa de escolarização é baixíssima (24%). Além disso, mais da metade dos alunos, que fazem o primário, não segue para a escola secundária. E apenas metade dos que seguem adiante completam o ensino secundário. As meninas continuam na retaguarda nas escolas secundárias.

A cultura nepalesa é bem diversificada, em razão das várias etnias presentes no país. Como a maioria da população é hinduísta, existem muitos costumes, crenças e tradições hindus. O país é tão influenciado pela Índia que ali vigora também o sistema de castas indiano.  A influência do budismo, segunda religião do país, também é grande. As duas religiões misturam-se, de modo que ritos hinduístas e budistas  que acompanham o nascimento, o casamento e a morte são praticados conjuntamente. O folclore também é muito rico. Existem muitos contos inseridos na realidade dos nepaleses: contos de amor e batalhas, sobre demônios e fantasmas, etc. A dança e a música integram-se à maioria dos contos folclóricos.

A saúde no Nepal é péssima, principalmente nas zonas rurais. Entre as principais enfermidades estão: diarreia, problemas gastrointestinais, bócio, parasitas intestinais, desnutrição, lepra, leishmaniose visceral e tuberculose. Possui também um alto índice de pessoas contaminadas com o vírus HIV. Entre as drogas encontradas no país estão o haxixe, heroína e ópio. Há indícios de que traficantes querem fazer do Nepal um ponto de trânsito.

Um dos problemas sérios no Nepal é o tráfico humano. Mulheres e meninas nepalesas, principalmente, são traficadas no país e forçadas a prostituírem-se, ou a transformarem-se em empregadas domésticas, operárias de fábricas, artistas de circo, etc, em outros países. Os crimes cibernéticos também estão crescendo.

Nota:  Praça da capital Kathmandu / imagem copiada de www.dailymail.co.uk

Fontes de pesquisa:
http://translate.google.com.br/translate?hl=pt-
BR&sl=en&u=http://en.wikipedia.org/wiki/Nepal&prev=/search
National Geographic

4 comentários sobre “NEPAL – O TELHADO DO MUNDO

  1. Rui

    Trata-se de um povo muito sofredor, que tem tanto interesse no desenvolvimento. Os traficantes de pessoas e de drogas não querem o desenvolvimento.

    Abraços

    Responder
    1. LuDiasBH Autor do post

      Rui

      Quanto mais cheio de crendices é um povo, maior é o seu sofrimento. Certas pessoas contam mesmo com o quanto pior, melhor, para exerceram suas atividades ilícitas. Elas não querem o desenvolvimento do país, para não atrapalhar seus negócios.

      Abraços,

      Lu

      Responder
    1. LuDiasBH Autor do post

      Mário

      Esses países são muito complexos, cheios de superstições e muito apegados a religiões. E se a maioria pratica o hinduísmo, com o seu sistema cruel de castas, não precisa dizer mais nada.

      Abraços,

      Lu

      Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *