O LEITE NA BERLINDA

Siga-nos nas Redes Socias:
FACEBOOK
Instagram

Autoria de Dr. Telmo Diniz

leite1

A máxima “você é o que você come” está mais relacionada à saúde do que à filosofia. Seguindo a tendência, alguns especialistas procuram incorporar o conceito de “alimento funcional” aos hábitos alimentares da população, defendendo as propriedades terapêuticas dos alimentos. Por sua vez, certas substâncias, que já estão consolidadas na alimentação tradicional, são reconhecidas por pesquisas recentes como vilãs do bem-estar de parte da população. E o leite é um desencadeador dessa polêmica.

Há pesquisadores que questionam, inclusive, a recomendação universal de que tomar a bebida, por conta da presença do cálcio, é fundamental para prevenir a osteoporose. Hoje já se sabe que a osteoporose não se previne somente pela ingestão de cálcio na dieta ou nos suplementos alimentares. Há aspectos importantes, como tomar sol brando diariamente, praticar atividades físicas, etc.

A exposição ao sol estimula a produção de vitamina D, que ajuda o organismo a absorver o cálcio em nível intestinal. Já os exercícios físicos e as caminhadas fortalecem os ossos, pois reduzem a reabsorção óssea. E também o consumo elevado de vegetais verdes, como brócolis, rúcula, couve, que são ricos no mineral cálcio, é de extrema relevância no processo. Demonstrando, portanto, que o leite não é insubstituível.

O consumo de leite e seus derivados por indivíduos adultos e até mesmo por crianças tem sido diagnóstico recorrente de problemas gástricos, como refluxos e intolerância à lactose (que é o açúcar do leite), enxaquecas, processos alérgicos diversos, etc. Existem pesquisas científicas que demonstram que o consumo de leite pode prejudicar a saúde em uma parcela das pessoas.

O leite de vaca tem vários tipos de proteína que o organismo não consegue digerir. Por consequência, essa proteína mal digerida causa várias inflamações pelo organismo, pois o sistema imunológico não reconhece tais substâncias. Entre os processos inflamatórios deflagrados podem incluir enxaqueca, bronquites, rinites, dermatites, entre outras. É importante frisar que nós somos os únicos mamíferos, que continuamos a consumir leite durante a fase adulta. É mais um hábito nosso mesmo!

Entretanto, o leite é um alimento muito completo devido a sua composição nutricional. Contêm proteínas, lipídios, carboidratos, minerais e vitaminas. É especialmente importante o seu consumo na infância e na adolescência para assegurar um crescimento ósseo adequado e sustentado. Portanto, o leite pode tanto ser vilão como mocinho. Vai depender de cada caso. Na dúvida, consulte seu médico e/ou nutricionista.

Nota: imagem copiada de revistavivasaude.uol.com.br

7 comentários sobre “O LEITE NA BERLINDA

  1. Pedro Rui

    Eu bebo leite de soja, porque não posso beber leite de vaca, pois me ataca a vesícula e o fígado, mas, como tu dizes, espero que o preço do leite baixe. O leite de vaca estava a destruir os intestinos de minha mãe; pelo que vejo ele é mais destrutivo do que benéfico.
    Abraços Lu
    Rui Sofia

    Responder
  2. Pedro Rui

    Obrigado pelo texto; nós é que devemos fazer nossa escolha sobre o leite. Primeiro devemos nos informar quando pode ser bom ou ruim para a nossa saúde; mas da forma que é patrocinado acho errado, porque a informação não vem toda. O leite de ratos é para ratinhos, o de golfinhos é para as sua crias, etc. O leite não deixa de ser um grande negócio para quem vende.
    Abraços Lu
    Rui Sofia

    Responder
    1. LuDiasBH Autor do post

      Rui

      Criou-se um mercado do leite, o que deixou muita gente milionária.
      Penso que é preciso ter equilíbrio em tudo.
      Agora sabemos que o leite é como um alimento qualquer.
      Quem sabe agora o preço desce mais. Pois está nas nuvens.

      Abraços,

      Lu

      Responder
  3. Patricia

    Ei Lu,

    É o leite, o ovo, a soja… São tantas polêmicas. O importante é ter conhecimento dos assuntos e escolher o alimento que melhor nos faz bem.
    Beijos

    Responder
    1. LuDiasBH Autor do post

      Pat

      Eu amo comer ovo. Seja frito, cozido ou omelete.
      Estou feliz com a nova notícia. Tomara que não a mudem.

      Abraços,

      Lu

      Responder
  4. Maura

    O leite cru ainda se salva um pouco desse turbilhão de problemas. Mas a indústria da pasteurização e seus sócios da Anvisa e da Vigilância Sanitária já deram um jeito de proibir sua comercialização.

    O Mito do Leite – Dr. Lair Ribeiro

    Responder
    1. LuDiasBH

      Maura

      Acho que, com isso, o preço absurdo do leite e dos produtos lácteos vai baixar.
      E ainda sobra mais leite para os bezerros.
      Obrigada pelo vídeo.

      Abraços,

      Lu

      Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *