Rafael – VISÃO DE UM CAVALEIRO

Autoria de LuDiasBH
viduca

A composição denominada Visão de um Cavaleiro, também conhecida como O Sonho de Cipião ou apenas Uma Alegoria, é uma obra do pintor italiano Rafael Sanzio. Trata-se de uma alegoria, que na pintura e na escultura significa a representação de uma ideia abstrata por meio de formas que tornam possível a sua compreensão. É provável que seja a parte de um díptico, sendo o outro painel “As Três Graças”.

Um jovem cavaleiro está a dormir. No seu sonho, ele se encontra debaixo de um loureiro, que dá início a dois caminhos da vida, tendo ele que optar por um deles. De um lado está Palas Ataneia, simbolizando a Virtude, oferecendo-lhe privilégios em sabedoria e armas. Do outro se encontra Afrodite, simbolizando o Prazer, oferecendo-lhe recompensas mais terrenas.

A figura da Virtude está vestida com simplicidade, com os cabelos presos debaixo de uma touca branca. Ela traz na mão direita uma espada e na esquerda um livro, oferecendo-os ao moço. Atrás dela, ao fundo, está sua morada. Para chegar até lá é preciso seguir caminhos intrincados, passando por íngremes rochedos. E significa que, se o cavaleiro optar por aquela estrada, sua vida será bem sucedida tanto em seu trabalho quanto em seus estudos. Embora a estrada não seja fácil é, contudo, a mais compensativa.

A figura do Prazer, bem melhor vestida, com os cabelos dourados presos por um véu, encontra-se à direita do jovem. Um longo colar com contas vermelhas cinge seu corpo. Ela traz na mão direita um galho com flores brancas, simbolizando sua promessa ao rapaz: uma vida fácil, cheia de divertimento. Mas assim como as flores, a distração também fenece com grande facilidade.

Os personagens da pintura de Rafael possuem significados próprios:
• o jovem cavaleiro entregue ao sono é o general Cipião, o Africano, da Roma antiga, que sonhou ter que escolher entre a virtude e o prazer;
• a Virtude representa a deusa clássica da sabedoria Pala Ateneia ;
• o Prazer simboliza Afrodite (ou Vênus) a deusa clássica do amor.

Contudo, existem controvérsias quanto à interpretação do tema. Alguns críticos creem que a obra mostra apenas os atributos ideais a serem perseguidos por um cavaleiro: o livro (a sabedoria), a espada (a bravura) e a flor (o amor), não tendo ele que fazer escolhas e, por conseguinte, não sendo as figuras antagônicas.

O loureiro divide a composição ao meio, sendo esta perfeitamente equilibrada. Ao fundo estão um rio com águas azuis, cortado por uma ponte, e montanhas azuladas ao longe, debaixo de um céu anilado.

Ficha técnica
Ano:1504-1505
Técnica: têmpera de ovo no álamo
Dimensões: 17 x 17
Localização: National Gallery, Londres, Grã-Bretanha

Fontes de pesquisa
Rafael/ Cosac Naify
Enciclopédia dos Museus/ Mirador
https://en.wikipedia.org/wiki/Vision_of_a_Knight_(Raphael)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *