Rubens – O JULGAMENTO DE PÁRIS

Autoria de LuDiasBH

ojudepa

A composição O Julgamento de Páris é uma obra do artista Peter Paul Rubens, o mais importante pintor flamengo do barroco. Ele fez diversas obras com esta mesma temática e título, variando de época de criação. Como exemplo podem ser vistas: a versão de 1599 na Galeria Nacional de Londres; a versão 1606 no Museu do Prado, Madrid; a versão 1606 na Academia de Belas Artes de Viena; a versão 1636 no Gemäldegalerie Alte Meister, Dresden.

 Em sua pintura, Rubens usa como tema o mito grego sobre o julgamento feito pelo jovem Páris, ao pintar suas voluptuosas deusas. Elena Fourment, sua segunda esposa, foi, provavelmente, usada como modelo para as três deusas. A paisagem também era familiar ao pintor. Ele fez uso da cor para criar a ilusão de espaço, como podem ser vistas as colinas azuis brilhantes, ao fundo, e o céu, que trazem a sensação de profundidade. Os tons de verde dominam a paisagem, mas os vermelhos e os marrons, em primeiro plano, parecem trazer a cena mais para perto do observador.

Segundo a lenda, Páris é convidado para ser juiz de um concurso de beleza entre as deusas Minerva (Athena), Juno (Hera) e Vênus (Afrodite), uma vez que Zeus (Júpiter) abriu mão de tal empreitada. Elas se desnudam para mostrar seus belos corpos ao jovem, que se encontra à direita, vestido como um pastor, em referência a seu nascimento. Ele está sentado sobre uma pedra, segurando um cajado e a maçã de ouro. A seus pés descansa seu cachorro. O deus Hermes (Mercúrio), abraçado a uma árvore, e usando seu chapéu alado, segura seu caduceu (bastão com duas serpentes enroscadas e duas asas na extremidade superior), enquanto observa o desenrolar da cena.

Vênus encontra-se de pé entre Minerva e Juno. Ela traz rosas (símbolo do amor) e pérolas enfeitando seus cabelos. Promete a Páris que, se for eleita, dar-lhe-á em casamento a mulher mais bela do mundo. Acaba sendo a escolhida. À esquerda de Vênus está Minerva, reconhecível pelo capacete no chão e o escudo às suas costas, mostrando uma imagem de Medusa, o monstro que ela ajudara matar, e à direita está Juno, esposa de Zeus, usando um manto de veludo vermelho, e com um pavão à frente, sua ave favorita. Na extrema esquerda, Cupido, agachado, com sua aljava a tiracolo, parece brincar.

Alecto, a Fúria, com o braço esquerdo estendido e uma serpente enrolada em sua mão, é vista em meio a violentas nuvens, indicando que o julgamento terá consequências. Também pode ser Éris, a deusa que personifica a discórdia e o caos. Além do cão, da serpente e do pavão, muitas ovelhas são vistas na cena.

Vênus cumpriu sua promessa, dando a Páris, como esposa, a mulher mais linda do mundo:  a famosa Helena de Tróia, que era casada com o rei Menelau. Com a ajuda da deusa, Páris fugiu com Helena, dando origem à guerra entre gregos e troianos.

Ficha técnica
Ano: c. 1632/35
Técnica: óleo sobre painel de carvalho
Dimensões: 145 x 188,5 cm
Localização: Galeria Nacional, Londres, Grã-Bretanha

Fonte de pesquisa
Enciclopédia dos Museus/ Mirador
http://www.visual-arts-cork.com/famous-paintings/judgement-of-paris-rubens.htm

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *