Sebastiano del Piombo – A MORTE DE ADÔNIS

Autoria de LuDiasBH

amodead

A composição A Morte de Adônis é uma das belas obras do pintor italiano Sebastiano del Piombo  (c.1485-1547), que foi aluno de Giovanni Bellini e de Giorgione. O artista sobressaiu, sobretudo, na realização de grandes retábulos para as igrejas de Roma e também na confecção de retratos. Seu estilo , em que predomina a monumentalidade e uma linguagem formal muito forte, foi influenciado por Rafael Sanzio e Michelangelo.

A pintura refere-se a um mito, encontrado nas “Metamorfoses” de Ovídio, a respeito da grande paixão que Vênus, deusa da beleza e do amor, nutria pelo jovem caçador Adônis. Como ele fosse muito intrépido, ela tinha medo de que acabasse morrendo, conforme aconteceu, ao ser atacado por um javali. A cena pintada mostra a chegada de Vênus e sua corte ao local onde o jovem encontra-se, mas já sem vida.

Vênus mostra-se mortificada pela dor, com os olhos voltados para o chão. Ela segura fortemente a perna direita, dobrada sobre a esquerda, como se, com aquele gesto, pudesse controlar seu sofrimento. Ao seu lado, de pé, encontra-se seu filho Cupido, o deus do amor, com o seu rostinho voltado para o dela, como se quisesse consolá-la. Atrás dela estão três ninfas de seu séquito, que se voltam para Pã (deus dos bosques, campos, rebanhos e pastores),  tocando sua flauta, como que a silenciá-lo diante da dor da deusa. Uma delas aponta o braço para ele. No chão, em segundo plano, está o corpo ensanguentado e lívido de Adônis.

Ao fundo avista-se uma paisagem com uma lagoa e o Palácio Ducal de Veneza, na ilha de San Giorgio. Esta pintura remete a um trabalho de transição do artista, em que ele mistura as formas plásticas romanas com a coloração veneziana. Chamam a atenção, nesta obra, os nus esculturais e o domínio das cores por parte do artista.

Ficha técnica
Ano: c. 1485
Técnica: óleo sobre tela
Dimensões: 189 x 285 cm
Localização: Galleria deglu Uffizi, Florença, Itália

Fontes de pesquisa
A Enciclopédia dos Museus/ Mirador
1000 obras-primas da pintura europeia/ Könemann

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *