Zurbarán – SANTA ISABEL DE PORTUGAL

Siga-nos nas Redes Socias:
FACEBOOK
Instagram

Autoria de LuDiasBH

A composição intitulada Santa Isabel de Portugal, também chamada por alguns críticos de arte como Santa Cacilda de Toledo, é uma obra do pintor espanhol Francisco de Zubarán (1598 – 1664), que trabalhou na corte de Madri sob as ordens de Filipe IV. A maior parte de seu trabalho artístico ornamentou o Convento de Sevilha. É tido como um dos mais importantes pintores espanhóis do século XVII, ao lado de Ribera e Murillo.

A pintura em destaque, em razão das rosas no colo da personagem, foi primeiramente identificada como sendo Santa Cacilda de Toledo, que, segundo a lenda, transformou pão em rosas. Contudo, milagre semelhante também foi atribuído a Santa Isabel, rainha de Portugal. Além disso, Santa Cacilda, em seus retratos, mostra-se bem mais jovem. E sem falar na coroa de rainha que a personagem usa. O fato é que a história e o objetivo deste retrato, que deixa patente a formação caravaggiana de Zubarán, continuam desconhecidos. É tida como a mais trabalhada das pinturas de santas criadas pelo artista. Presume-se que ele tenha usado uma modelo pertencente à realeza na criação desta obra.

A santa, mostrada de corpo inteiro diante de um fundo neutro, está ligeiramente inclinada para a direita, sendo banhada por uma luz que vem do mesmo lado. Sua cabeça está voltada para o observador e seus olhos encaram-no com firmeza e dignidade. Usa um suntuoso traje, o que mostra ser ela pertencente à realeza. Está vestida de acordo com o estilo vigente, à época, na corte espanhola. Sua vestimenta de seda, feita em cores luminosas e contrastantes, desce em cascata até o chão, chamando a atenção, sobretudo, para suas dobraduras. Seus cabelos escuros estão enfeitados com joias e uma coroa de rainha. Um colar de pérolas enfeita-lhe o pescoço. Outras joias adornam-lhe o peito, o antebraço e a cintura. Suas formas são destacadas através da luz lateral. Ela suspende a saia vermelha, para esconder os pães que daria aos pobres e, que acabaram se transformando em rosas, segundo a lenda.

Ficha técnica
Ano: 1629

Técnica: óleo sobre tela
Dimensões: 179 x 223 cm
Localização: Museu do Prado, Madri, Espanha

Fontes de pesquisa:
Enciclopédia dos Museus/ Mirador

1000 obras-primas da pintura europeia/ Könemann
https://www.museodelprado.es/en/the-collection/art-work/saint-elisabeth-of-

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *