CARL SAGAN – DIABOS x DIABRURAS (VIII)

Siga-nos nas Redes Socias:
FACEBOOK
Instagram

Autoria de Lu Dias Carvalho

Os diabos […] procuram interferir no processo da cópula e concepção normal, obtendo o sêmen humano e transferindo-o a eles próprios. (Kramer e Sprenger)

Os demônios podem transferir o sêmen que coletaram e injetá-lo nos corpos de outras pessoas. (Tomás de Aquino)

Não apenas as bruxas eram queimadas em fogueiras, mas também os hereges – crime cometido tanto por católicos quanto por protestantes, só mudando mesmo o rótulo religioso, bastando lembrar que a própria Bíblia foi impedida de ser traduzida para o inglês, conservando-se por muitos e muitos anos no latim arcaico, inacessível ao povo. Tratava-se de uma maneira de impedir o acesso das pessoas comuns à “palavra de Deus”, pois viriam a fazer suas próprias interpretações e tornar-se-iam independentes das hierarquias religiosas católica e protestante. O que a Igreja cristã receava é que viesse a deixar de agir como “intermediária” entre os adeptos e Deus. O erudito William Tyndale (1494-1536), que seria o tradutor do livro sagrado dos cristãos, foi caçado e perseguido por toda a Europa e posteriormente queimado na fogueira.

Retomando o assunto sobre a caça às bruxas, visto em outros textos publicados anteriormente, a última execução de que se tem notícia na Inglaterra foi a de uma mulher e sua filha de nove anos, ambas enforcadas. Seu crime, segundo os censores da época: provocar uma tempestade ao despirem-se das meias. Não estranhe, caro leitor, pois hoje ainda vemos pessoas malucas dizerem que antenas provocam chuvas e tempestades. Se assim fosse, o deserto do Saara estaria verdejante, repleto delas.

Os doentes mentais foram também grandes vítimas desse período nefasto. As crendices religiosas atribuíam aos doentes mentais a possessão demoníaca. Vemos isso na Bíblia em Marcos 9:14-29, Mateus 17:14–21 e Lucas 9:37–49), que diz que um garoto foi apossado por espíritos. Para muitos estudiosos o garoto era vítima de epilepsia. Naqueles tempos até mesmo a insônia era atribuída aos demônios. Somente a partir do século XVIII foi que as doenças mentais deixaram de ser vistas como sobrenaturais, ou seja, causadas por obra dos “anjos caídos” ou demônios.

Martinho Lutero, no ano de 1992, criou um “manual de guerra espiritual” (Prepare-se para a Guerra), através do qual apregoava que o sexo fora do casamento era, na maioria das vezes, resultante de infestação demoníaca; que a meditação, ioga e artes marciais não passavam de cultos aos demônios; e que Satã era o responsável pelo surgimento do rock na música.

Causa espanto à maioria de nós – viventes do século XXI – que a demonização ainda se encontre à solta em diferentes religiões, com o intuito de provocar o pavor nos devotos, objetivando torná-los subservientes e reféns de diferentes credos, a fim de encher o caixa das igrejas.

Ilustração: Lâmpada do Diabo, 1797, criada por Francisco Goya

Fonte de pesquisa
O mundo assombrado pelos demônios/ Companhia de Bolso

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *