CELULARES, APARELHOS AFINS E O SONO

Siga-nos nas Redes Socias:
FACEBOOK
Instagram

Autoria do Dr. Telmo Diniz

Especialistas alertam sobre os perigos que o celular traz: a postura com a cabeça inclinada para baixo provoca problemas sérios de coluna; o uso de celular à noite, sem iluminação, provoca degeneração da mácula ocular em virtude da luz azul que é prejudicial (lembrando que o excesso de luz também interfere no sono, devido ao desequilíbrio na produção de melatonina); induz à ansiedade, pois as pessoas não conseguem relaxar, ficando conectadas dia e noite. (Hernando Dias)

Várias pesquisas nos últimos anos detectaram forte relação entre o uso de celulares e aparelhos afins com a piora na qualidade do sono. Trabalhos ingleses mostram que sete em cada dez crianças e nove em cada dez adolescentes britânicos têm pelo menos um dispositivo móvel à beira da cama e a grande maioria checa o celular no meio da noite. Este texto dedica-se ao impacto deste comportamento na vida e na saúde das pessoas.

Um grupo de pesquisadores da universidade de Harvard (EUA) comparou o efeito da leitura de livros de papel com os leitores digitais (e-readers) antes de dormir. Eles verificaram que as pessoas que haviam lido livros digitais levavam mais tempo para adormecer e tinham um sono de pior qualidade. Como consequência, elas se sentiam mais cansadas ao acordarem na manhã seguinte, com queda na produtividade e com um humor mais irritadiço.

De igual forma, as crianças e adolescentes são tão afetados quanto os adultos. Segundo um trabalho de novembro de 2016 do King’s College London, publicado no periódico “Jama Pediatrics”, os jovens parecem ter sensação permanente de estarem conectados, mesmo que os aparelhos estejam desligados à noite, e isto interfere no padrão de sono. Outra pesquisa de 2014, publicada pelo “Canadian Journal of Public Health”, relacionou que a presença desses dispositivos móveis no quarto de crianças de 9 a 11 anos provoca piora do sono e sobrepeso. Portanto, olhar Facebook, Twitter ou Instagram pelo tablet ou celular antes de dormir e depois deixá-lo na cama, ao seu lado, pode ser prejudicial para a qualidade do sono e, por consequência, da saúde. O motivo? A melatonina, hormônio que ajuda as pessoas a adormecerem, tem sua produção inibida pela luz que estes aparelhos emitem.

Para os estudiosos sobre o tema “sono”, o uso de aparelhos eletrônicos no período da noite pode não só interferir na qualidade do sono como prejudicar a rotina no dia seguinte – especialmente no longo prazo. As pesquisas publicadas nos últimos anos revelam uma forte ligação entre privação de sono e a ocorrência de doenças como obesidade, diabetes, problemas cardiovasculares, enfraquecimento do sistema imunológico e até câncer. É importante lembrar que, até os 21 anos, o cérebro segue um processo muito ativo de desenvolvimento. E boa parte desse remodelamento neuronal acontece justamente à noite, ao dormir. Sem sono, nossas conexões podem deixar a desejar em termos de atenção, comportamento e memória.

Quer ver seu filho dormir bem? Que tal proibir o uso e até mesmo a presença de celulares e tablets no quarto à noite? É bom lembrar que quanto mais os pais usam tecnologias dentro de casa, maior é o risco de os filhos repetirem o mesmo padrão de comportamento em seus respectivos dormitórios. Temos de dar o exemplo, reduzindo o uso destes aparelhos à noite, bem como ser mais enfático nas proibições no uso desta tecnologia na hora de ir dormir. Você pode até ficar com fama de chato, mas, provavelmente, eles agradecerão no futuro. Resumindo: celular desligado na sala e uma boa noite de sono no quarto.

Nota: imagem copiada de 180graus.com

6 pensou em “CELULARES, APARELHOS AFINS E O SONO

  1. Hernando Martins

    Lu

    A tecnologia ajudou bastante a humanidade a alavancar em inúmeros quesitos, mas é importante ressaltar que o uso do conhecimento deve ser bem administrado para não provocar um efeito reverso. Assim como todo medicamento em doses adequadas promovem a cura ou controle de determinada patologia, o uso indiscriminado ou em excesso transforma se em veneno para o organismo.

    O celular trouxe grandes conquistas para as pessoas, principalmente na comunicação, praticamente extinguiu os telefones fixos. E neste mundo globalizado, onde tudo acontece muito rápido, a comunicação é crucial para facilitar as relações interpessoais. Contudo, é importante ressaltar que quando o uso do celular ultrapassa os limites da tolerância, pode provocar muitas patologias fisiológicas e psíquicas.

    Especializas já alertam em relação à postura da cabeça inclinada para baixo, provocando problemas sérios de coluna; o uso de celular à noite, sem iluminação, está provocando degeneração da mácula ocular em virtude da luz azul que é prejudicial, lembrando que excesso de luz interfere no sono devido desequilíbrio na produçao de melatonina, além de certa ansiedade que provoca nas pessoas, porque elas não conseguem relaxar, ficam conectadas dia e noite.

    Precisamos nos conscientizar sobre o uso dessa ferramenta de alta tecnologia que pode ser capaz de constituir pontes de conexões, como pode também construir muros capazes de nos aprisionar numa masmorra, porque muitas vezes ele aproxima os distantes e distancia os próximos.

    Responder
    1. LuDiasBH Autor do post

      Hernando

      Peço-lhe licença para agregar um parágrafo de seu excelente comentário ao texto.

      Mais uma vez agradeço a sua participação carinhosa e sempre bem-vinda. Você é o máximo!

      Abraços,

      Lu

      Responder
      1. Hernando Martins

        Lu

        Mais uma vez fico enaltecido pelos elogios e muito feliz em poder, de certa forma, colaborar em algo tão construtivo!

        Responder
        1. LuDiasBH Autor do post

          Hernando

          Agradeço muitíssimo a sua colaboração. Você é uma pessoa muito especial, dona de grande generosidade.

          Abraços,

          Lu

  2. Leila Gomes

    Lu

    É imprescindível estarmos atentos e sermos cuidadosos para que o uso de aparelhos tecnológicos não causem danos aos nossos filhos. É uma tarefa árdua, temos a obrigação de sermos persistentes e decisivos na ações.

    Grande Beijo

    Leila

    Responder
    1. LuDiasBH Autor do post

      Leila

      A coisa está tão séria, que pais entregam celulares para seus filhos de um ano brincarem, e acham normalíssimo. Como você diz, todo cuidado é pouco, inclusive supervisionando aquilo a que suas crianças têm acesso.

      Beijos,

      Lu

      Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *