EMOÇÕES X SENTIMENTOS

Siga-nos nas Redes Socias:
FACEBOOK
Instagram

Autoria de LuDiasBH

É bom escutar os sentimentos. Mas nem sempre é aconselhável segui-los cegamente. (Stefan Klein)

 As emoções ocorrem no teatro do corpo. Os sentimentos ocorrem no teatro da mente.  (Antônio Damásio)

 Enquanto os animais têm que obedecer ao que dizem suas emoções, nós somos capazes de decidir contra os nossos próprios sentimentos. (Stefen Klein)

 Embora consideremos no nosso linguajar diário as palavras sentimento e emoção como tendo igual significado, a verdade não é bem essa, pois nomeiam coisas bem diferentes. Enquanto a emoção é inconsciente e corresponde a uma resposta automática do corpo a determinada situação, o sentimento é consciente, é aquilo que vivenciamos quando percebemos a emoção de forma consciente. As emoções são passageiras, enquanto os sentimentos exigem que o cérebro receba sinais do corpo e seja capaz de processá-los, podendo gerar cicatrizes profundas, dependo do modo como o indivíduo lida com eles.

As pessoas que não se deixam guiar cegamente por suas emoções – contrariando os sentimentos provocados por elas – estão mais aptas ao sucesso, pois interagem melhor com os outros, ao não tomar tudo ao pé da letra, como algo pessoal. É fato que não se trata de uma tarefa fácil, pois se faz necessário trazer os impulsos sob a rédea curta. Para contê-los é preciso que se tenha ciência deles, uma vez que é impossível lidar com aquilo que não se conhece. Indivíduos existem, por exemplo, que chamam a si mesmos de sinceros ou francos, quando na verdade mostram um comportamento impulsivo, resvalando para a grosseria. Eles não conseguem domar seus impulsos porque não veem sua suposta “franqueza” como algo ruim e, sim, como algo positivo. Assim, vão tocando o barco, ferindo uns e outros, sem noção alguma do que fazem.  Portanto, quando nossos sentimentos não se encontram sob o escrutínio da razão, tornamo-nos pessoas inflexíveis, insensatas e não aptas ao convívio com os diferentes.

As emoções (reações do corpo) dão vida aos sentimentos, portanto, elas vêm antes dos sentimentos. Para que isso aconteça, o cérebro precisa receber sinais do corpo a fim de processá-los. Sem que isso ocorra, torna-se é impossível ter consciência de qualquer tipo de emoção, o que reforça a certeza de que nossa mente não se localiza apenas no cérebro, sendo totalmente corpórea (corpo e mente são unos). O filósofo e biofísico Stefan Klein explica que “Um espírito sem a matéria não seria capaz de sentir alegria ou tristeza”, porque não possui o corpo que seria o responsável pelo envio dos sinais ao cérebro. Contudo, ainda segundo ele, “Quem experimentou as reações corporais suficientemente consegue até simulá-las inconscientemente”, e conclui que: “Assim como a fantasia consegue produzir uma imagem mental, o hipotálamo é capaz de simular impulsos que, na realidade, nem está recebendo”, como nas vezes em que nos sentimos mal-estar só de nos lembrarmos de um determinado acontecimento que já ficou no passado, mas que nos causou forte emoção.

As nossas emoções, por serem reações inconscientes e instintivas que se processam em nosso corpo, tendem a ser visíveis, pois produzem alterações que podem ser compreendidas através da comunicação não verbalizada, ou seja, conhecidas apenas pelos sinais emitidos pelo corpo que denuncia nosso estado emocional. Elas também são passageiras, voltando o corpo ao equilíbrio de antes, uma vez que o indivíduo delas toma ciência. Os sentimentos, por sua vez, por se tratar de algo interiorizado e vivenciado de forma consciente, são duradouros e muitas vezes fáceis de serem escondidos. Pessoas há que não esquecem um aborrecimento nem que a vaca tussa e carregam-no como um pesado fardo nas costas. Entretanto, existem aquelas que se encontram num estágio mais elevado de espiritualidade, não se deixando seduzir pelos sentimentos. Racionaliza-os e passa uma borracha em tudo, dando o dito (ou acontecido) por não dito (ou acontecido). Sua saúde agradece!

O ideal é que busquemos a compreensão de como nos comportamos diante desse ou daquele tipo de emoção, pois, assim, tornamo-nos senhores de nós mesmos, sendo capazes de manter o nosso equilíbrio emocional. Na medida em que racionalizamos ou minimizamos as interferências internas ou externas que nos levam a um determinado tipo de emoção, vamos enfraquecendo-a. Não podemos permitir que os sentimentos – advindos das emoções – sejam nossos senhores. Suponhamos que você seja uma pessoa que sai do sério quando lhe fazem uma crítica negativa. Se mudar o seu comportamento em relação a isso – fazendo ouvidos moucos, por exemplo, ou até mesmo concluindo que precisa mudar –, isso não mais lhe causará uma emoção conturbadora e, em consequência, não criará sentimentos que irão afetar negativamente a sua vida, interferindo no funcionamento de seu corpo.

Fonte de pesquisa
A Fórmula da Felicidade/ Stefan Klein/ Editora Sextante

34 pensou em “EMOÇÕES X SENTIMENTOS

  1. Luciano

    Lu

    Esta semana está meio tensa, estou usando o rivoltril com frequência, pois a ansiedade, angústia, a tristeza e um pouco de irritação estão a todo vapor. Faz 11 dias que aumentei a dose de recontar, mas está dentro do sintomas da mudança ainda da dose, não é? Posso aguardar que vai melhorar esses sintomas, minha amiga? Parecem sem fim esses dias.

    Responder
    1. LuDiasBH Autor do post

      Luciano

      Ao aumentar a dosagem do antidepressivo, normalmente, o prazo corresponde a três semanas para a pessoa ver-se livre dos efeitos adversos. Portanto, o que está lhe acontecendo encontra-se dentro do previsto. Nesta fase é preciso ter muita paciência. Sei que não é fácil, mas se console, pois tudo isso irá passar e você terá uma vida com qualidade. Continue POP, amiguinho!

      Abraços,

      Lu

      Responder
      1. Luciano Moreira

        Lu
        Tenho uma semana de férias a ver na empresa, como está complicado esses dias, acho que vou pegar a partir de segunda-feira pra dar uma descansada.

        Responder
        1. LuDiasBH Autor do post

          Luciano

          Faça isso, mesmo. Aproveite para descansar, enquanto aguarda os efeitos adversos desaparecerem. Nada como uma semana de férias.

          Abraços,

          Lu

  2. Luciano

    Lu
    É muito melhor a sua explicação e nos deixa mais a par do que temos, pois a consulta com nosso médico e sempre a mesma coisa, 10 minutos de consulta e nada a explicar. As coisas com você são mais claras e óbvias, parece mais segura, pois fala com propriedade. Após algumas palavras com você parece que alivia. Você é nossa psicóloga e médica, estamos sempre em contato com você, primeiro porque já sentiu na pele o que sofremos e segundo pela paciência e grande carinho com que responde as nossas dúvidas e medos.

    Muito obrigado!

    Responder
    1. LuDiasBH Autor do post

      Luciano

      Os médicos, em sua grande maioria, só pensam no lucro. Essas consultas de 10 minutos não repassam nada. Foi por isso que criei este espaço que tem por fim funcionar como uma espécie de apoio emocional. Realmente convivo com a depressão desde a minha adolescência e estou sempre pesquisando para trazer novas informações para os meus amiguinhos e amiguinhas. Sei o quanto é importante ter alguém que possa nos dar estímulos positivos, pois na maioria das vezes nós nos encontramos perdidos, sem saber a quem recorrer. Quanto mais conhecimento tivermos, mais fácil será o nosso tratamento e convivência com o transtorno. Se conhecer alguém que precisa de ajuda, dê o endereço deste nosso cantinho.

      Abraços,

      Lu

      Responder
    2. Luciano

      Lu, faz 17 dias do aumento do reconter e nada dos efeitos passarem: muita tristeza, falta de vontade de fazer as coisas, pensamentos confusos, mas como você falou, o resultado é lento, pode tardar dependendo de cada organismo. O negócio é ter paciência e esperar o resultado. É difícil demais a angústia, mas não tem o que fazer, a não ser esperar.

      Responder
      1. LuDiasBH Autor do post

        Luciano

        É preciso realmente ter paciência a fim de que o organismo adapte-se à nova dosagem e você comece a sentir os efeitos bons. Quase todos passam por isso. Sei que não é fácil lidar com tais transtornos, mas é necessário, amiguinho. Continue sendo POP, logo estará bem. Estou torcendo por você.

        Abraços,

        Lu

        Responder
        1. Luciano Moreira

          Lu

          Terça-feira vai fazer um mês com a nova dosagem de escitalopram e nada da ansiedade e alguns pensamentos ruins irem embora; continuo trabalhando normal, indo à academia todos os dias, só a vontade de sair ainda não sinto e a ansiedade no horário de trabalho é forte. Não tive reação de dor de cabeça ou diarreia, alimento-me normal, o sono às vezes vezes sem remédio outros dias com meio zolpidem, porém, ainda não sinto melhora na ansiedade e na angústia. Alguns amigos em comum também tomam reconter e falaram que também foi assim com eles, que é para esperar mais tempo o medicamento fazer o efeito. Nas horas de mais apuro, cerca de uma vez por dia, tomando 4 gotas de rivoltril e já dá uma aliviada. Tenho que ter mais um pouco de paciência e ir de frente ao problema e aguardar.

        2. LuDiasBH Autor do post

          Luciano

          Algumas pessoas necessitam de mais tempo para que o organismo aceite a nova dosagem. Isso é normal, como disseram seus amigos. O bom é que você não está sentindo outros transtornos adversos além da ansiedade e da angústia que é uma consequência da primeira. Mas é preciso ter paciência e aguardar o tempo necessário. Quanto ao rivotril, procure tomar somente quando for necessário para que não venha a ficar viciado. Quando voltar a seu médico, não deixe de contar-lhe como está indo e fale de sua ansiedade que continua. Quando será sua próxima consulta?

          Abraços,

          Lu

  3. Luciano

    Lu
    Não sei se você pode ajudar nisso, mas às vezes com a falta de sono, rodamos e rodamos na cama, o menos prejudicial ou seja mais aconselhado a tomar nessas horas é o rivoltril ou o zolpidem?

    Responder
    1. LuDiasBH Autor do post

      Luciano

      Caso o seu médico tenha lhe dado opção de escolha, pois antes de receitar deve-se conhecer o histórico de saúde de cada paciente, eu ficaria com o zolpidem que é especificamente para insônia. O meu médico receitou-me melatonina, medicamento manipulado, barato e muito usado para melhorar o sono (veja no Google).

      Abraços,

      Lu

      Responder
      1. Luciano

        Vou ver sobre essa melatonina na próxima consulta. O que pega mesmo é a ansiedade e a angústia ainda no período da manhã e de tarde, deve ser pelo fato de ter aumentado a dosagem, pois parece que piora mesmo os sintomas.

        Responder
        1. LuDiasBH Autor do post

          Luciano

          Os efeitos colaterais aumentaram, sim, com a mudança da dosagem, mas não se preocupe, pois eles irão passar dentro de cerca de três semanas a partir do dia em que começou a tomar uma dose maior. Fique tranquilo. A melatonina traz um sono tranquilo e você acorda bem disposto, sem gosto ruim na boca… Muitos médicos estão a receitá-la.

          Abraços,

          Lu

    2. Luciano Moreira

      Amanhã é minha nova consulta e segunda-feira que vem começam as terapias; irei falar com a médica sobre esses sintomas. Ainda tomo rivoltril uma vez por dia 4 gotas, pois só assim param as tremedeiras que começam pela manhã e são contínuas com picos de ansiedade.

      Responder
      1. LuDiasBH Autor do post

        Luciano

        Explique tudo direitinho para sua médica, pois isso o deixará mais despreocupado. Aguardo notícias após o retorno com a psiquiatra.

        Abraços,

        Lu

        Responder
    3. Luciano Moreira

      Lu, acabei de sair da consulta e a doutora trocou a medicação por sertralina, pois esse remédio é bom para tag e depressão; como falei que ainda me sentia muito ansioso em alguns momentos, ela preferiu trocar após dois meses de reconter.

      Responder
      1. LuDiasBH Autor do post

        Luciano

        Muitas das pessoas que frequentam este site usam sertralina. A troca do medicamento foi muito boa, uma vez que o reconter não estava dando conta do recado. Continue POP!

        Abraços,

        Lu

        Responder
        1. Luciano Moreira

          Lu, na sua experiência você acha que ela poderia esperar mais um pouco, pois só estava há 30 dias com o reconter? Minha dúvida: será que foi correto ou poderia esperar mais um mês?

        2. LuDiasBH Autor do post

          Luciano

          Através de seu relato ela chegou à conclusão de que precisaria mudar. Foi correto, sim. Fique tranquilo. Está sentindo muito os efeitos adversos do novo medicamento?

          Abraços,

          Lu

  4. Luciano

    Lu,
    estou sem vontade de sair e ir a lugares que costumava frequentar, sem vontade nenhuma de voltar do trabalho, só quero ir pra casa e ficar com minha esposa e filha, é normal isso? Eu devo me forçar sair e ir a alguns lugares, pois ouvi amigos me dizendo que estou em profunda depressão? Isso não procede, pelo fato de neste momento querer ficar um pouco mais em casa, não é?

    Responder
    1. LuDiasBH Autor do post

      Luciano

      A primeira coisa que a depressão tira de nós é a vontade de sair, trabalhar, interagir com outras pessoas. O que mais nos agrada e ficar quietinhos em casa, ao lado de nossa família e de nossos bichinhos de estimação. Isto porque, no nosso lar, nós nos sentimos protegidos. Portanto, fique tranquilo quanto a isso. O ideal é que você conseguisse uma licença do trabalho de pelo menos 15 dias, até o medicamento começar a fazer efeito. Não se force a sair, deixe o seu organismo adaptar-se ao remédio. Depois, aos poucos, vá retornando à sua vida de antes. O mais importante você está fazendo: uso do medicamento. Todo o resto virá aos poucos. Também é muito importante fazer algum tipo de exercício físico.

      Amiguinho, você não está em depressão profunda. Se estivesse, não estaria entrando em contato comigo e tampouco saindo da cama. Quando perdi a minha mãe entrei nesse estágio de depressão. Não saía da cama, recusava-me a retornar ao psiquiatra para aumentar a dosagem, não queria conversar, não comia quase nada… Seus amigos não têm a compreensão do que seja a depressão maior. Não leve isso a sério. A pessoa que tem depressão maior perde totalmente o contato com o mundo.

      Você tem lido os textos que lhe enviei? Não deixe de fazer isso, pois quanto mais conhecimento tiver sobre o seu problema, mais facilmente aceitará e tratará o seu transtorno mental. Continue mantendo contato conosco.

      Abração para você, sua esposa e filha,

      Lu

      Responder
      1. Luciano

        Lu
        Que legal o retorno assim rápido. Estou neste processo há um mês com medicamento e não faltei nenhum dia de trabalho, estou nas minhas atividades normais, indo fazer atividades físicas 3 a 4 vezes na academia e me alimentando bem. Só um pouco de desânimo e a falta do sorriso que sempre foi a minha marca e a falta de vontade de sair mesmo. Estou continuando a vida apenas com essas limitações que você deixou claro que passará com o medicamento e muita paciência.

        Responder
        1. LuDiasBH Autor do post

          Luciano

          Nós, portadores de transtornos mentais, precisamos ser POPs (pacientes, otimistas e persistentes), vivendo apenas um dia de cada vez e da melhor forma possível. Nada de ficar carregando fardos nas costas. No seu caso especificamente, precisa aguardar a medicação fazer efeito. Saiba que todos esses transtornos passarão e você passará a ter uma vida com qualidade. Parabéns por continuar levando a vida à frente, sem se deixar cair. Leia os comentários dos textos sobre o assunto e veja como algumas pessoas chegaram aqui péssimas e hoje estão ótimas. Somente aqui retornarão quando tiverem uma recaída… risos. Logo, logo você estará vivendo a vida plenamente. O bom é que buscou ajuda médica imediatamente. Continue lendo todas as informações.

          Abraços,

          Lu

      2. Luciano

        Lu,
        obrigado pelo retorno, venho na luta diária após 4 dias do aumento do escitalopram com alguns sintomas ruins do começo, mas estou indo de em frente, trabalhando contra a vontade, mais sem deixar cair. No decorrer do dia sinto umas angústias, vontade de ir embora, às vezes recorro a umas gotinhas do rivoltril para acalmar. Antes de ir pra casa passo na academia, também me empurrando. Quando chego em casa é o meu lugar de sossego e paz junto a minha família. Assim vou levando até o remédio começar a fazer o efeito desejado, e claro, aqui lendo os comentários de várias e várias pessoas que melhoraram com o tempo, fico mais tranquilo.

        Responder
        1. LuDiasBH Autor do post

          Luciano

          Você está agindo corretamente e não tardará a começar a se sentir bem. Sei que não é fácil continuar na labuta quando ainda se está passando pelos efeitos adversos. Continue POP (paciente, otimista e persistente) e logo estará vivendo com qualidade. Tudo é uma questão de tempo. Continue me trazendo notícias.

          Abraços,

          Lu

  5. Luciano

    Boa tarde!

    Conheci há poucos dias este canal de informações. Estou há trinta dias tomando escitalopram e ainda me sinto mal, com os pensamentos diretos nos problemas, acho que não vou melhorar e isso é aquilo continua me assombrando. 30 dias ainda é um tempo curto para dar os resultados?

    Responder
    1. LuDiasBH Autor do post

      Luciano

      Seja bem-vindo a este cantinho. Sinta-se em casa.

      Amiguinho, normalmente o antidepressivo faz efeito após cerca de três semanas, contudo, existem organismos que são mais resistentes, necessitando de mais tempo. Pode ser, também, que a dosagem esteja baixa. O ideal é que você retorne ao seu médico e converse com ele. Você irá melhorar,sim, tenha a certeza disso. O importante é não parar com a medicação e ser POP (paciente, otimista e persistente). Se ler os comentários, verá que muitas pessoas passaram pelo que ora está acontecendo com você. Mas não se preocupe, pois tudo é questão de tempo. Vou lhe enviar alguns links de textos para ajudá-lo.

      Abraços,

      Lu

      Responder
      1. Luciano

        Amanhã tenho nova consulta e irei conversar sobre a dosagem; terça-feira tenho psicólogo e que dizem que ajuda muito neste processo de recuperação. Obrigado por ajudar tantas pessoas em suas dúvidas.

        Responder
        1. LuDiasBH Autor do post

          Luciano

          Após a consulta, não deixe de dizer-me como foi. O psicólogo irá ajudar, sim, mas em hipótese alguma pare de tomar a medicação sem o parecer de seu psiquiatra. Tudo vai dar certo, fique tranquilo.

          Abraços,

          Lu

        2. Luciano

          Lu
          Fui à consulta e tirei algumas dúvidas com a doutora que me disse que de 10 pacientes atendidos de 7 a 8 estão com problemas de ansiedade e, razão do mundo em que vivemos hoje. Ela aumentou a dose do antidepressivo para 20 mg e receitou também propanolol para tomar pela manhã, a fim de acalmar um pouco a ansiedade e reduzir o uso do rivoltril.

        3. LuDiasBH Autor do post

          Luciano

          Com o aumento da dosagem você irá melhorar. Não se preocupe se começar sentir os efeitos adversos ainda mais intensos, isso é normal acontecer quando se aumenta a dose do antidepressivo. Comece a contar três semana ao iniciar a nova dose. O propanolol ajuda no controle da ansiedade e taquicardia por ansiedade. O rivotril deve ser usado somente quando for necessário e por um curto período de tempo, pois vicia e traz outros problemas de saúde.

          Abraços,

          Lu

  6. Hernando Martins

    Lu

    É um belo texto, como sempre você expressa o tema de uma forma bastante explicativa e ao mesmo tempo sucinta. Realmente, a emoção é uma expressão impulsiva e instintiva com que devemos ter um certo controle para não promover o desequilíbrio. É muito bem vinda, principalmente nas expressões artísticas e nas relações afetivas, mas é necessário domá-la para não perder o controle, do contrário, pode provocar algo que poderá fugir das nossas rédeas e causar uma tragédia.

    Pessoas que são muito emotivas costumam ter relações amorosas bastante conturbadas em virtude da tendência de serem passionais. Tanto o excesso quanto a escassez da emoção são considerados patologias. O psique de serial killer, inclusive, costuma apresentar características emotivas extremas.

    O sentimento já é algo mais consciente e cada um apresenta sua peculiariedade. Acredito que devemos também trabalhá-lo de uma forma inteligente para ter certo controle e não permitir o nosso desequilíbrio. A vida nesse mundo desigual é cruel e não é fácil, temos que ter a sabedoria de um monge para não implodir ou explodir, porque as pressões vindas de todas as direções são imensas e destrutivas. Para nos protegermos é necessário criarmos escudos através do autoconhecimento e sabedoria necessários para não permitir que as frustrações e a infelicidade do outro nos atinja e permita que saímos do nosso ponto de equilíbrio que é crucial para mantermos nossa homeostase física e mental.

    Abraços,

    Hernando

    Responder
    1. LuDiasBH Autor do post

      Hernando

      Viver num país como o nosso em que as esperanças no exercício correto dos Três Poderes em benefício do povo minguam dia a dia, não é realmente fácil, pois a cada dia que passa temos a impressão de que tudo está a involuir. Segurar os sentimentos é tarefa árdua, pois a todo momento somos tomados pela decepção que se transforma em emoção e, consequentemente, em sentimentos arraigados de impotência. Faz-se necessário, é verdade, o desenvolvimento de um escudo que venha a nos proteger de modo a sobreviver ao buraco negro de tanta danação. A luta é diária, se quisermos manter a nossa saúde mental. Mais do que nunca, em toda a história deste país, encontramo-nos perdidos, sem saber que rumo tomar. Quem pode está deixando o país… Enquanto nós seguimos buscando sabedoria para não soçobrar diante de tanto absurdo, desesperança, pobreza e infelicidade.

      Abraços,

      Lu

      Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *