Mestres da Pintura – HANS HOLBEIN, O MOÇO
Siga-nos nas Redes Socias:
FACEBOOK
Instagram

Autoria de LuDiasBH

O desenhista de xilogravuras, vidraçarias e peças de joalheria e pintor renascentista Hans Holbein, o Moço (c.1497-1543), era alemão, tendo nascido em Augsburbo. Aprendeu sua arte com o pai, Hans Holbein, o Velho (reconhecido artista dentro da tradição flamenga, sobretudo por seus retratos), com quem estudou pintura desde pequeno. Em 1515 foi para Basileia/Suíça, onde conheceu vários eruditos, inclusive o humanista Erasmo de Roterdão. Trabalhou ali como ilustrador de livros, criando xilogravuras para portadas e uma série de esboços a tinta para a famosa obra “Elogio da Loucura” de Erasmo Roterdão, sendo posteriormente aceito na Guilda dos Pintores. Recebeu muitos contratos de pinturas murais, retábulos, retratos e iluminuras.

É possível detectar a influência do estilo Gótico em suas primeiras pinturas, porém o contato com a arte italiana, para onde viajou em 1518, e descobriu as obras de pintores renascentistas, como Andrea Mantegna e Leonardo da Vinci, fez com que aos poucos optasse por criações mais claras e simples. O impacto dos pintores italianos renascentistas sobre a arte de Holbein pode ser visto no modelado e na composição de um de seus primeiros retratos, “Erasmo de Roterdão” (1523), na sua famosa obra intitulada “O Cristo Morto no Túmulo” (entre 1520 a1522) e no retábulo “A Virgem e o Menino com a Família do Burgomestre Mayer” (1526). Nota-se em tais obras a riqueza cromática vista nas composições dos mestres do norte da Itália. O artista agrega às suas obras religiosas grande riqueza de detalhes, cores e dignidade.

Hans Holbein, o Moço, com dificuldades para se sustentar como pintor na Suíça em razão da Reforma Protestante, viajou pela primeira vez para Londres por volta de 1527, mas somente veio a instalar-se naquela cidade em torno de 1532, ali fazendo diferentes trabalhos. A partir de 1536 consagrou-se exclusivamente ao retratismo, trabalhando especialmente com encomendas de retratos de nobres da corte inglesa e dos mercadores da Liga Hansiática. O retrato do estadista Thomas Cromwell abriu as portas para que se tornasse famoso, sendo escolhido em 1536 como pintor da corte de rei Henrique VIII. O artista morreu em Londres em 1543 vitimado pela epidemia de peste.

Embora tenha também pintado murais, retábulos e iluminuras, Holbein tinha predileção pelo retratismo, sendo exímio nos pormenores de sua obra. O artista é tido como um dos maiores expoentes do retratismo de seu tempo. Chama a atenção em seus retratos, assim como em outras pinturas, o distanciamento frio com que se coloca como pintor, assim como a precisão dos detalhes. São obras famosas do artista: Cristo no Túmulo (1521/1522), Os Embaixadores (1533), O Comerciante Georg Gisze (1532), entre outras.

Obs.: A pintura O Cristo Morto no Túmulo exerceu forte influência sobre o escritor russo Fiódor Dostoyevski, autor de “Os Irmãos Karamázov” e “Crime e Castigo”, vindo a inspirá-lo na criação de seu famoso romance “O Idiota”.

Fontes de pesquisa
Obras-primas da pintura europeia/ Konemann
Los secretos de las obras de arte/ Taschen
https://www.historiadasartes.com/sala-dos-professores/os-embaixadores-hans-
http://josemarbiografias.blogspot.com/2006/06/hans-holbein-o-jovem.html
https://pt.wikipedia.org/wiki/Hans_Holbein,_o_Jovem

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *