O DESTINO DOS ANIMAIS (Aula nº 94 E)

Siga-nos nas Redes Socias:
FACEBOOK
Instagram

Autoria de Lu Dias Carvalho

Existe coisa mais misteriosa para um artista do que a ideia de como a natureza se espelha nos olhos dos animais? Como será que um cavalo, uma águia, uma corça, um cachorro veem o mundo? (Franz Marc)

 O pintor expressionista alemão Franz Marc (1880–1916) estudou teologia e filosofia, ingressando no mundo da arte em 1900, dedicando-se à pintura de paisagens tradicionais. Tornou-se conhecido por usar animais como tema de seus trabalhos e pelo uso incomum que fazia das cores primárias brilhantes. Justificava a sua predileção pelos temas animais sempre dizendo que a beleza e a espiritualidade desses lhe pareciam superiores às presentes nos seres humanos. 

Franz Marc foi apaixonado pela obra de Van Gogh e pelo trabalho dos impressionistas. Fez amizade com o pintor August Macke, quando passou a simplificar seu estilo e a usar a cor de um modo não naturalista. Conferia significado às cores que usava. Fez parte do grupo simbolista Der Blaue Reiter (O Cavaleiro Azul). Influenciado pelo Futurismo de Robert Dalaunay assumiu o estilo abstrato nos últimos anos de sua vida.

A composição intitulada O Destino dos Animais é uma obra do artista, na qual ele apresenta os cavalos verdes. Observem com atenção. Uma égua está chorando, ao ver sua cria correndo aterrorizada em direção a uma árvore de tons sanguíneos caída, o que para ele era o símbolo do domínio material e da ruína ocasionada pelo homem. A égua e sua cria são verdes e adentram no quadro da esquerda para a direita.

Um desacompanhado cervo azul, com a parte inferior amarelada, ocupa a parte central da composição. Segundo a simbologia do artista, ele representa a gentileza. O cervo curva a cabeça ao receber o golpe que o abate, representado por um fino raio de luz alaranjada que vem em diagonal, da direita para a esquerda e atravessa a composição. A árvore tombada também atravessa em diagonal a composição, em sentido contrário ao do raio. As cores usadas dizem respeito a determinados atributos psicológicos:

  • azul – masculinidade, austeridade e intelecto;
  • amarelo – feminilidade e alegria;
  • vermelho – materialidade e dominação.

Ficha técnica
Ano: 1913
Técnica: óleo sobre tela
Dimensões: 1,96 m x 2,66 m
Localização: Kunstmuseum, Basileia, Suíça

Fonte de pesquisa
Tudo sobre arte/ Editora Sextante

4 comentaram em “O DESTINO DOS ANIMAIS (Aula nº 94 E)

  1. Adevaldo R. de Souza

    Lu

    Parece que a Alemanha foi o berço do Expressionismo e Franz Marc um dos seus grandes expoentes. As imagens de suas obras são criadas com cores fortes, rejeitando a verossimilhança e formas distorcidas. “Destino dos Animais” parece uma pintura rupestre pré-histórica, tendo como tema a força da natureza. Ele utilizou todo seu talento e maturidade para retratar os destinos dos animais de uma forma criativa, colocando-os em uma paisagem que pertence aos nossos olhos, utilizando pinceladas com cores fortes, sem propor iluminação exterior na composição.

    Responder
    1. LuDiasBH Autor do post

      Adevaldo

      A Alemanha foi sem dúvida alguma o berço do Expressionismo. Ali nasceram importantes seguidores de tal estilo. É interessante observar como a arte, ao afastar-se do campo italiano, migra para a França e depois Alemanha, o que só a enriquece, pois acrescenta as peculiaridades de cada povo.

      Abraços,

      Lu

      Responder
  2. Hernando Martins

    Lu

    Bem interessante essa obra expressionista do grande pintor alemão Franz Marc, grande inspirador da causa dos animais e da natureza como um todo, tornando a obra uma bandeira para mostrar a generosidade da natureza com a espécie humana. Os reinos animal e vegetal doam para todos vida, alegria e beleza sem nada em troca, como um gesto de amor. O artista utiliza cores para simbolizar os aspectos humanos através dos animais presentes na obra. O destino dos animais, a fim de mostrar sua rebeldia contra o materialismo desenfreado, capaz de alterar toda a beleza e harmonia do meio ambiente. Observa-se que Marc estava à frente do seu tempo, porque hoje vivemos um dilema muito grande em relação ao aquecimento global, com emissão abrupta de gás carbônico e destruição das florestas. Especificamente aqui no Brasil houve nos últimos dois anos um aumento exorbitante na destruição da floresta Amazônica, trazendo alterações climáticas jamais vistas no pais. Esperamos que a população acorde e não eleja sujeitos descomprometidos com a causa ambiental e com a vida dos povos indígenas e a população em geral.

    Responder
    1. LuDiasBH Autor do post

      Hernando

      A maioria dos artistas em quase todos os tempos abraçaram causas humanistas. Muitos deles eram ferrenhos defensores dos animais. É realmente muito triste ver a destruição de nossa floresta Amazônica por governantes descomprometidos com o bem comum e que só almejam o enriquecimento próprio. Dá nojo!

      Abraços,

      Lu

      Responder

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.