Rembrandt – TEMPESTADE NO MAR DA GALILEIA

Siga-nos nas Redes Socias:
FACEBOOK
Instagram

Autoria de Lu Dias Carvalho

temag(Faça o curso gratuito de História da Arte, acessando: ÍNDICE – HISTÓRIA DA ARTE)

A composição denominada Tempestade no Mar da Galileia é uma obra do pintor holandês Rembrandt. O artista retrata uma cena bíblica contida no Novo Testamento. Segundo a Bíblia — principal livro dos cristãos — Jesus saiu com seus discípulos pelo mar da Galileia, quando foram surpreendidos por uma tempestade. Apesar do perigo, o Mestre dormia tranquilamente. Ao ser acordado em razão do medo vivido pelos apóstolos, recriminou-os, chamando-os “Homens de pouca fé”.

Na sua tela Rembrandt mostra o momento em que a procela irrompe sobre o barco que leva Jesus, os doze apóstolos e mais uma pessoa (o pintor insere na composição o seu autorretrato), num total de 14 homens, dividindo-os em dois grupos. As ondas tempestuosas levantam a popa da embarcação, onde cinco apóstolos tentam conter as velas, formando o primeiro grupo. Um deles segura uma vela em volta do mastro, pois o cordame que a prendia fora arrebentado pela fúria da natureza.

Jesus, vestindo uma túnica de cor azul-escuro e trazendo um halo em torno da cabeça, encontra-se no grupo da popa, envolto por sete homens, sendo que um deles toca-o para acordá-lo. Um dos apóstolos — com camisa vermelha e mão na testa — passa mal e vomita na amurada da embarcação. Outro, com camisa verde (autorretrato do pintor) e mão no chapéu, parecendo olhar para o observador, segura na corda do mastro.

O mastro, trazendo uma bandeira com uma cruz na ponta, direciona-se para o ângulo superior direito da tela, enquanto a verga, aponta para os ângulos superior esquerdo e inferior direito, dividindo a composição em dois triângulos, se completarmos com uma linha imaginária. O triângulo da direita comporta o céu com suas nuvens escuras e pesadas e parte do mar, enquanto o da esquerda contém a onda volumosa que ameaça o barco. Mais ao longe uma luz amarelada, como um laivo de esperança, alumia metade do barco e as beiradas das nuvens.

Curiosidade
Em 18 de março de 1990 a pintura acima foi roubada por ladrões disfarçados em policiais. Eles invadiram o Museu Isabella Stewart Gardener em Boston, Massachusetts, EUA, e roubaram-na, juntamente com doze outros trabalhos. As pinturas nunca foram encontradas, sendo esse o maior roubo de arte da história. Os quadros vazios das pinturas ainda estão pendurados na sua localização original, à espera de serem recuperados.

Ficha técnica
Ano: 1633
Técnica: óleo sobre tela
Dimensões: 160 x 128 cm
Localização: Paradeiro desconhecido desde o roubo no Museu Isabella Stewart, 1990

Fontes de pesquisa
Degas/ Cosac e Naify
http://www.wikiart.org/en/rembrandt/christ-in-the-storm-1633
http://www.gardnermuseum.org/collection/artwork

10 comentaram em “Rembrandt – TEMPESTADE NO MAR DA GALILEIA

    1. Lu Dias Carvalho Autor do post

      Pedro Ernesto

      Penso que não há novidades acerca do roubo. Ela continua desaparecida. Em casos assim, a obra somente reaparecerá depois de muitos anos. O gatuno tem medo de ser preso.

      Abraços,

      Lu

      Responder
  1. Christian

    Lu
    Numa parte escura do barco, na parte de baixo da cruz que segura as velas, parece ter uma figura macabra, meio escondida.

    Responder
    1. LuDiasBH Autor do post

      Christian

      Eu amplie a imagem, mas não consegui ver nada. A nossa imaginação é capaz de coisas. Veja no Google um site que amplie a obra ainda mais, para tirar a sua dúvida.

      Agradeço a sua visita e comentário. Volte sempre!

      Abraços,

      Lu

      Responder
  2. Antônio Roberto Caetano

    Só uma resalva quanto a descrição feita no texto, JESUS se encontra no lado da “POPA” da embarcação, enquanto que a onda levanta a “PROA” da mesma…

    Responder
    1. LuDiasBH Autor do post

      Antônio Roberto

      Agradeço muitíssimo a sua presença neste espaço e comentário. Quanto à correção, você está certo. Já fiz a devida troca.

      Abraços,

      Lu

      Responder
    1. LuDiasBH Autor do post

      Jessé

      Seja bem-vindo a este espaço. Quanto à pergunta, são realmente 14 pessoas: Jesus, os 12 apóstolos e mais uma pessoa (autorretrato do pintor).

      Abraços,

      Lu

      Responder
  3. Edward

    LuDias

    O quadro é, de fato, maravilhoso tanto quanto foi maravilhosa a mensagem que nos legou. Todas as pessoas dotadas de muita sensibilidade poderão encontrar nele o barco de salvação de sua própria vida, pois a iminência do naufrágio era de 100% e o desespero de alguns está evidente. Porém, lá estava Jesus, com alguns apóstolos, tranquilos, abraçados na fé que possuíam no Salvador. Mesmo para aqueles que não creem, aí está uma mensagem: não podemos nos desesperar com o que está acontecendo. O mundo gira e a vida renova. Sempre teremos momentos de muita tristeza, aflição, desordem em nossa vida, desespero, mas o sol renasce, como a tempestade passa, e com fé, poderemos voltar a sorrir e sermos felizes.

    Responder
    1. LuDiasBH Autor do post

      Ed
      Rembrandt era um pintor maravilhoso, dono de uma grande sensibilidade. A sua obra traz realmente uma mensagem de coragem nas adversidades. E, como você afirma: “O mundo gira e a vida renova. Sempre teremos momentos de muita tristeza, aflição, desordem em nossa vida, desespero, mas o sol renasce, como a tempestade passa, e com fé, poderemos voltar a sorrir e sermos felizes.”. Há sempre um novo amanhã.

      Abraços,

      Lu

      Responder

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.