SAÚDE MENTAL – ALERTA DA ONU

Siga-nos nas Redes Socias:
FACEBOOK
Instagram

O isolamento, o medo, a incerteza, a turbulência econômica — tudo isso provoca ou pode provocar problemas psicológicos. (Devora Kestel, diretora do departamento de saúde mental da Organização Mundial da Saúde)

Sputnik – Um aumento de doenças mentais está sendo observado, enquanto milhões de pessoas em todo o mundo estão sendo confrontadas por mortes e doenças e estão sendo forçadas a se isolar, alertou a ONU.

O aumento da pobreza e a ansiedade, provocadas pela pandemia de COVID-19, representa um sério risco para a saúde mental em todo o mundo, informaram especialistas em saúde das Nações Unidas. “O isolamento, o medo, a incerteza, a turbulência econômica — tudo isso provoca ou pode provocar problemas psicológicos”, disse Devora Kestel, diretora do departamento de saúde mental da Organização Mundial da Saúde (OMS), citada pela Reuters.

Ao apresentar um relatório da ONU e orientações políticas sobre COVID-19 e saúde mental, Kestel disse que é provável um aumento no número e na gravidade de doenças mentais, e os governos devem se antecipar aos problemas. “A saúde mental e o bem-estar de sociedades inteiras foram severamente afetados por essa crise e são uma prioridade a ser abordada com urgência”, afirmou ela aos jornalistas em um briefing.

O relatório destacou várias regiões e setores das sociedades como vulneráveis ao sofrimento mental, incluindo crianças e jovens isolados de amigos e da escola, profissionais de saúde que estão vendo milhares de pacientes infectados morrerem pelo novo coronavírus.

Estudos e pesquisas já estão apontando para o impacto da COVID-19 na saúde mental em todo o mundo. Os psicólogos dizem que as crianças estão ansiosas e aumentos nos casos de depressão e ansiedade foram registrados em vários países. A violência doméstica também está aumentando e os profissionais de saúde estão relatando uma crescente necessidade de apoio psicológico.

Milhões de pessoas estão enfrentando turbulência econômica, tendo perdido ou correndo o risco de perder sua renda e meios de subsistência, acrescentou. Além disso, desinformação frequente e profunda incerteza sobre quanto tempo durará a pandemia estão fazendo as pessoas sentirem-se ansiosas e sem esperança em relação ao futuro.

O relatório apresentou propostas de ação para os formuladores de políticas buscarem “reduzir imenso sofrimento entre centenas de milhões de pessoas e mitigar os custos sociais e econômicos de longo prazo para a sociedade”. Isso incluiu a reparação de falta de investimento histórica em serviços psicológicos, o fornecimento de “saúde mental de emergência” por meio de terapias remotas, como tele aconselhamento para os profissionais de saúde da linha de frente, e o trabalho de forma proativa com pessoas que já apresentam o quadro de depressão e ansiedade, bem como com pessoas de alto risco de sofrerem violência doméstica e empobrecimento agudo.

Fonte de pesquisa
Jornal Online 247

6 comentários em “SAÚDE MENTAL – ALERTA DA ONU

  1. Ivan

    Cara Lu

    Esta é a primeira vez que lhe escrevo. Passei pela pior fase da minha vida durante essa pandemia. Do nada comecei a ter crises de pânico muito fortes. Logo no início corri para o psiquiatra que diagnosticou Síndrome do Pânico e logo entrei com a medicação. O primeiro remédio que tomei me fez ter tantos efeitos colaterais ruins que no final de 30 dias partimos para o troca da medicação, pois estava insuportável. O segundo que passei a tomar foi o ESCITALOPRAM. Continuei com efeitos colaterais bem ruins e na busca de troca de experiências cheguei ao seu blog. Li muita coisa aqui e me tornei POP. A cada texto/relato que lia, ia me enchendo de esperança, e voltava a ler cada vez que achava que não iria dar certo.

    Foram dois meses de efeitos indesejados durante a segunda medicação. A partir daí tudo começou a melhorar muito. Hoje estou muito bem. Claro que o remédio me mantém humano, tenho minhas ansiedades, meus dias ruins, mas normalmente, como eram meus dias antes disso tudo. Por isso, eu me sinto muito grato por esse seu espaço que me deu tanta esperança e com certeza ajuda muitas pessoas.
    Obrigado de coração!

    Ivan

    Responder
    1. LuDiasBH Autor do post

      Ivan

      Seja bem-vindo a este cantinho. Sinta-se em família.

      Amiguinho, por que você não me procurou logo no início das crises? Certamente teria sofrido menos. Este cantinho é dedicado a todos nós que convivemos com doenças mentais. Posso lhe dizer que o Transtorno do Pânico é o primeiro do ranking neste espaço. Não são só as pessoas ansiosas que passam por ele, as depressivas também. O importante é tratá-lo logo no início. Também sou portadora deste indesejável hóspede, mas há anos que me deixou, pois também faço uso de oxalato de escitalopram – o meu comprimidinho milagroso. Bendito seja!

      Ivan, não tem sido poucas as pessoas que vêm passando por depressão e ansiedade em razão da pandemia que assola o mundo. Eu já adotei meu lema: o que não tem remédio, remediado está. É sobretudo muito importante ocupar a nossa mente, para que ela não se veja tomada por pensamentos ruins. Foi em razão disso que estou dando um curso gratuito aqui no blogue sobre HISTÓRIA DA ARTE. Vou lhe passar os links.

      Volte aqui quantas vezes quiser. Nosso coração é grande. E não tem nada a agradecer, meu amiguinho. O importante é que já se encontra bem.

      Meu abraço,

      Lu

      Responder
  2. Crisneide Autor do post

    Lu, desculpe-me pelo incômodo, mas uns anos atrás você me ajudou muito com as experiências das medicações para antidepressivos.

    No ano de 2018 parei por minha conta e agora com essa pandemia está difícil conseguir uma consulta. Eu me lembro do nome do remédio (Esc), só estou em dúvida quanto à dosagem. Lembro-me que voltai ao médico dias depois da medicação e ele aumentou para 2 vezes ao dia. Quero voltar a comprar, mas já que é para tomar 2x ao dia, será esse de 20mg? Por favor, nessa troca de experiências que não recebo mais, alguém faz uso dele pra eu tirar dúvidas? Desde já agradeço.

    Responder
    1. LuDiasBH Autor do post

      Crisneide

      Como você irá comprar o medicamento se não tem a receita? Esse remédio só é vendido com receita médica. Caso você consiga comprá-lo, deverá tomar apenas 10 mg por dia, até conseguir uma consulta médica, pois uma dosagem alta poderá trazer muitos efeitos adversos. Não tome mais do que isso. Tome na parte da manhã. Existem médicos atendendo pela internet. Veja se consegue uma consulta.

      Você não tem tido mais informações porque não tem vindo aqui no site. Continuo trazendo novos textos sobre o assunto e trazendo comentários.

      Abraços,

      Lu

      Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *