TARSILA DO AMARAL – A FAMÍLIA

Siga-nos nas Redes Socias:
FACEBOOK
Instagram

Autoria de Lu Dias Carvalho

A artista brasileira Tarsila do Amaral (1886-1973) gostava de retratar temas populares e religiosos ligados ao seu país. Na composição circular intitulada A Família ela nos apresenta uma família numerosa.  Doze indivíduos, incluindo um bebê que mama tranquilamente, fazem parte do grupo. À época no Brasil, as famílias com muitos membros eram bem comuns, ao contrário dos dias atuais, quando a criação de filhos exige muito tempo e gastos materiais. Dois animaizinhos também fazem parte do retrato: um gato que mira o observador e um cão voltado para a esquerda da tela.

Os personagens encontram-se sentados, excetuando uma menina que traz uma boneca preta de pano. Todas as figuras humanas encaram o observador, menos a mãe que dá o peito a seu bebê, o próprio bebê e um garotinho sem camisa à direita, na parte inferior. A mãe que alimenta encontra-se de perfil, dando vida a uma nova geração e, diferentemente dos demais penteados, traz um grande coque no alto da cabeça. A presença de animais, a boneca e o cacho de bananas são indicativos da vida que as crianças levam dentro da família.

O homem de amarelo à esquerda é o pai. Ele segura o que parece ser uma enxada, o que leva a crer que aquela família seja rural. Traz também uma expressão cansada. A penúltima mulher à direita pita um cachimbo de cabo muito comprido. O garoto gorducho, que se encontra no centro da composição, segura uma penca de bananas. Acima dele, também centralizada, a matriarca ampara o rosto com a mão. Os membros da família são bem parecidos, trazendo as mulheres os cabelos partidos.

A tela é coberta pelo branco, o azul, o rosa, o amarelo, o verde e pontos em preto nela espalhados. O fundo azul mistura-se com o verde do chão.

Ficha técnica
Ano: 1925
Técnica: óleo sobre tela
Dimensões: 79 x 101,5 cm
Localização: Museu Nacional Centro de Arte Reina Sofia, Madri, Espanha

Fontes de pesquisa
Tarsila do Amaral/ Folha Grandes Pintores
Tarsila, sua obra e seu tempo/ Aracy. A. Amaral

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *