Ticiano – ASSUNÇÃO DA VIRGEM
Siga-nos nas Redes Socias:
FACEBOOK
Instagram

Autoria de LuDiasBH

  tici12

                                      (Cliquem nas imagens para ampliá-las.)

A Assunção da Virgem, de Ticiano, combina a grandeza de Michelangelo com o encanto e o idealismo de Rafael e das cores da natureza. (Ludovico Dolce)

 O retábulo conhecido como a Assunção da Virgem é uma das grandes obras de Ticiano — criada quando ele tinha cerca de 26 anos —, sendo cheia de movimento, drama e regozijo. Foi responsável por estender a sua fama de grande pintor por toda a Itália e para além de suas fronteiras.  Como havia uma grande distância entre os observadores e o altar-mor da igreja de Santa Maria Gloriosa dei Frari, Ticiano criou um retábulo em uma escala monumental, onde os reinos do Céu e da Terra encontram-se para testemunhar a assunção da Mãe de Jesus Cristo. Seu efeito é arrebatador, seus personagens alongados podem ser vistos ao longo de toda a nave e através do coro.

A narrativa sobre a morte da Virgem Maria e sua assunção ao Céu tem sua origem na literatura apócrifa dos séculos III e IV. A composição acima apresenta a Virgem Mãe pouco depois de sua morte, quando ela sobe ao Céu.

Nesta pintura, Ticiano apresenta três eventos:

  • Na parte inferior da tela encontram-se os apóstolos, representando a humanidade, que são mostrados em diversas posturas, olhando surpresos e maravilhados a Virgem ascender aos céus.
  • No centro está a Virgem Maria, vestindo uma túnica vermelha e envolta num manto azul, sendo levada aos céus, de pé sobre uma nuvem, por um grande grupo de querubins.
  • Na parte superior, emergindo-se de uma fenda dourada, encontra-se Deus Pai, o soberano absoluto que tudo governa, direcionando seu rosto para baixo, olhando amorosamente para a Virgem Maria e aguardando-a. À sua esquerda, um pequeno anjo segura uma coroa para cingir a cabeça da Virgem.

A composição de Ticiano está assim organizada:

  • Os treze apóstolos, na parte inferior da tela, encontram-se inseridos num retângulo, significando o mundo terreno. O retângulo ocupa uma pequena parte da tela, propositalmente.
  • A Virgem, Deus Pai e os anjos, todos banhados de luz, estão inseridos num círculo, na parte superior da tela, significando o mundo espiritual.
  • Um triângulo em cuja base situam-se os dois apóstolos de vermelho, tendo no vértice superior a Virgem, também usando uma veste vermelha, faz o elo de ligação entre os dois grupos, apresentando a transposição de Maria do mundo terreno para o divino.

A obra de Ticiano prima por suas cores arrebatantes — principalmente o vermelho do manto de Maria. Enquanto é alçada aos céus por uma multidão de anjos, a Virgem caminha graciosamente sobre uma nuvem. Seu movimento ascendente é confirmado pelos gestos dos braços, numa atitude de profundo arrebatamento, e pelo seu olhar de alegria e surpresa direcionado a Deus Pai descendo do céu para recebê-la.

O apóstolo de vermelho, à esquerda da composição, com os braços abertos e o pé direito erguido, tenta alcançar a base da nuvem, onde se encontra a Virgem. Seus dedos — que tentam tocar a Madona — e o pé direito do anjinho, quase tocando a cabeça do apóstolo que usa uma roupa verde, demonstram a distância em que se encontra a Virgem de seu séquito.

Ticiano trabalha com maestria a luz e o espaço. A representação das personagens com formas humanas é muito rica em variedade. Mesmo em meio a uma infinidade de querubins que se encontram em torno da nuvem em que se encontra a Virgem é possível encontrar diversas caracterizações. Uns estão cantando, outros tocando instrumentos musicais e outros misturados à festa da assunção de Maria.

O gigantismo dos apóstolos remete a Michelangelo, enquanto a assimetria da Virgem e a predominância do vermelho, verde e branco remetem a Rafael Sanzio. As cabeças dos anjinhos na fonte de luz também lembram os da Madona de Foligno, de Rafael Sanzio. A composição e o estilo desta obra deu uma grande  contribuição ao Barroco.

Observem que a pintura está assinada como “Ticianus” lá em baixo, no meio da moldura.

Nota:

  • Ascensão – quando se refere a Jesus.
    Assunção – quando se refere a Maria.
  • Ticiano está sepultado nessa mesma igreja onde se encontra sua obra-prima em estudo.

Ficha técnica:
Data: c. 1516 – 1518
Tipo: Óleo sobre tela
Dimensões: 690 x 360
Localização: Santa Maria Gloriosa dei Frari, Veneza, Itália

Fontes de Pesquisa:
Ticiano/ Taschen
https://www.google.com.br/search?q=Assumption+of+the+Virgin,+titian&source=lnms&tbm=isch&sa=X&ved=2ahUKEwjo1q3nmo3tAhWeGbkGHYr-AAcQ_AUoAXoECAQQAw&biw=1536&bih=704#imgrc=G8xgrg-de7cOSM

4 comentaram em “Ticiano – ASSUNÇÃO DA VIRGEM

  1. Antônio Costa

    Lu

    Belíssima arte onde a força das cores, da métrica e dos planos dão uma grandeza fantástica ao quadro. Certamente o contemplador se sentirá diminuto diante desta pintura.

    Responder
    1. LuDiasBH Autor do post

      Antônio

      Ticiano foi um dos grandes mestres do Renascimento, tendo deixado para a posteridade obras encantadoras.

      Abraços,

      Lu

      Responder
  2. Adevaldo R. de Souza

    Lu

    Arrebatadora essa obra de Ticiano. Achei interessante o movimento ascendente dos rostos dos apóstolos seguindo o olhar para o alto até a virgem, acompanhado pela vestimenta de alguns apóstolos, principalmente os que estão de túnica verde e de vermelho.

    Responder
    1. LuDiasBH Autor do post

      Adevaldo

      Ticiano foi um dos grandes mestres do Renascimento. A obra em estudo é realmente arrebatadora. É incrível como ele maneja a sensação de movimento.

      Abraços,

      Lu

      Responder

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *