UM RELACIONAMENTO BIPOLAR

Siga-nos nas Redes Socias:
FACEBOOK
Instagram

Autoria de Gislaine Silva

Conheci o meu namorado no Tinder e, com três meses juntos, ele me pediu em namoro e fomos morar juntos. Quando fizemos 4 meses de namoro, ele começou a ser grosso comigo. Acordava nervoso e batendo as coisas. Achei aquilo estranho, mas não o questionei, pois passava uns minutos e ele vinha todo carinhoso como se nada tivesse acontecido. Sempre que tinha surtos falava de sua infância sofrida e da falta de emprego. Estava desempregado há uns 6 meses quando o conheci. Tinha um ótimo cargo e ganhava muito bem e nunca juntou nenhum dinheiro. Fuma muito cigarro, maconha e cocaína principalmente quando trabalha de motoboy e, segundo ele, não suporta trabalhar à noite.

Por falta de dinheiro para pagar o aluguel, minha mãe deixou a parte de baixo da casa dela para nós dois morarmos. Ele mesmo a reformou durante dois meses. Nesse período eu já estava vendo que ia comer o pão que o diabo amassou, mas não consegui sair da relação por pena dele, sempre falando que se não fosse eu para ajudá-lo não saberia o que fazer, pois não queria morar com os pais que são alcoólatras. E sempre me falando que quando nos mudássemos para a casa da minha mãe, tudo seria diferente, que estava apenas com uma pressão na cabeça. Ele me tratava mal na frente dos outros e pedia desculpas, acordava transformado, irônico e grosso, ciúmes por coisas bestas, controlando minhas roupas. E sempre que virava uma discussão ele se fazia de vítima, como se nada tivesse acontecido.

Sou nova, tenho apenas 21 anos e estou iniciando minha vida profissional agora e sinto-me presa em uma dor enorme que não sei quando vou sair dela. E nem sei se o amo como homem, ou seja, como pai dos meus futuros filhos, mas o amo como pessoa. Sei que ele sofre por ser assim, mas me pergunto todos os dias até quando vou suporta ajudar uma pessoa e me matar por dentro. Eu me pergunto porque eu não sei ser fria e rígida com ninguém e simplesmente manda-lo ir viver a vida dele.

É difícil lidar com uma pessoa assim. Os remédios não fazem 100% do efeito por causa do uso da maconha que ele deixou bem claro que não vai cortar. Dinheiro dele é para cigarro e maconha. O que sobra compra as coisas para casa. Só meu salário de estagiária não dá para viver. Eu me vejo sem futuro ao lado de uma pessoa que não sabe o que fazer da vida. Sempre que falo em separar, ele chora e me prende de alguma forma. Não pensa no meu sofrimento e não me dá a opção de tentar ser feliz comigo mesma.

Ontem conversei com ele e hoje acordei fazendo tudo para vê-lo bem. Suas primeiras frases do dia foram de arrogância. A lição que tirei disso tudo é que você, qualquer que seja a sua idade, ore a Deus antes de colocar uma pessoa na sua vida. O amor sozinho não traz toda a felicidade que você procura. Para ser feliz precisa de muito mais.  Espero um dia ler isto e sentir que estou em um futuro bem distante. Atualmente estou morta de espírito. Fui tão longe e não cheguei a lugar nenhum, o desejo de me sentir completa depois de sair de um relacionamento fracassado e minha pressa me trouxe aqui aonde estou. Onde não desejo que ninguém esteja …

Ilustração: Olho no Olho, parte de uma obra de Edvard Munch

8 comentários em “UM RELACIONAMENTO BIPOLAR

  1. Rosa

    Gislaine

    Todos os colegas comentaristas já disseram o que vou dizer. Cai fora desta situação, você é jovem demais para suportar alguém tão problemático e que só tende a piorar. Se separa, corta de vez esse relacionamento porque nada no mundo a obriga viver deste jeito. Além das drogas, ele ainda tem transtorno bipolar, o que agrava ainda mais a situação. Procure um terapeuta e se liberte desse relacionamento abusivo. Antes que seja tarde demais.

    Boa sorte!

    Responder
  2. Souza

    Gislaine

    Na boa, saia dessa relação enquanto as coisas não piorem mais ainda. Já tive um relacionamento com uma garota e ela era bipolar. Um dia dizia que me amava, e era maravilhoso estar ao lado dela, fazia vários planos, mas no outro dia mudava tudo. Eu ia do céu ao inferno rapidamente, parecia que eu estava andando de montanha russa, com altos e baixos todo tempo. Se quer um conselho, saia fora, foi o que eu fiz e não me arrependo nenhum pouco. Busque paz na sua vida porque com ele não vai encontrar.

    Responder
  3. Amanda Tomaz

    Gislaine

    Você é uma mulher forte e com um futuro pela frente, pode parecer que ajudar ele é a coisa certa a se fazer no momento, no entanto, essa é a hora de pensar em si mesma e fazer o que é bom para si. Você vai conseguir realmente ser feliz ao lado desse rapaz? Se já vê que não dá certo agora é porque realmente não dá, siga sua intuição feminina. Faça o que tiver vontade, porém colocando a sua felicidade em primeiro lugar. Cuide-se, ame-se, busque a sua felicidade.

    Grande parte dos homens acreditam que devemos fazer tudo por eles, desde os serviços domésticos, a cuidar dos filhos, das finanças, tudo, e quando você percebe já virou a mãe dele. O erro está aí, em maternizar os namorados, filhos, irmãos e tratar como se fossem necessitados de cuidados diários. Enquanto isso, nós mulheres, somos obrigadas a entender tudo desde crianças, a fazer tudo pelos homens da casa, a aceitar todas as suas condutas, a dizer aquela velha frase “ah, é porque homem é assim mesmo”.

    Gi, todo mundo aqui irá chegar à mesma conclusão, porque está tudo muito claro… você merece alguém melhor e vai ter esse alguém no futuro. Então amiga, não fique presa nessa ilusão, liberte-se. Você é incrível e não deve aceitar menos que isso.

    Responder
  4. Clara Autor do post

    Gislaine
    Até que ponto sua comiseração por esse rapaz vale a pena? Sorry, mas o cara não oferece nenhum futuro bom.
    Beijos

    Responder
    1. Pedro

      Gislaine

      O cara tem problemas e isso é claro de se ver. Está tão cego e preocupado em vencer que atrapalha a si e os outros. Seu comentário Gislaine é de uma guria que quer tudo pronto e não quer sujar suas belas mãozinhas, porque não sentiu ainda o peso que a vida tem. Obviamente não é legal viver com os ombros pesados e é claro que ele não gostaria de viver assim, mas como está doente, cria-se um problemão dentro dele, sendo que a companheira não está preparada para entender ou ajudar da forma correta. Fica nessas palavras que se resumem no EU dela. “Ai, não estou feliz, é pesado demais” enfim aquela velha baboseira de quem não entende e não quer entende um ser humano. Acha que vai pegar um pronto e fim da procura.

      Responder
  5. Cyn

    Gislaine

    Você é muito nova e tem a vida inteira pela frente! Tenho certeza que muito em breve terá a força necessária para sair disso. E sairá mais esperta e experiente. Reze e peça forças. Se puder, faça urgente uma terapia, existem até terapeutas gratuitos atualmente.
    Vai ficar tudo bem!

    Beijos!

    Responder
  6. LuDiasBH Autor do post

    Gislaine

    Você ainda é uma menininha que deveria estar curtindo a vida e estudando. Não há razão para ficar num relacionamento que a torna infeliz, pois tem uma vida inteira à sua frente, com a chance de encontrar alguém muito especial, quando já tiver um pouco mais de maturidade para escolher. Com essa idade, ninguém tem maturidade o suficiente para fazer escolhas amorosas duradouras em que um respeita e ajuda o outro crescer.

    O mais interessante em seu comentário, amiguinha, é que você tem plena consciência de que não merece a pessoa com quem se encontra. Ainda que ele tivesse um comportamento aceitável, o fato de mexer com drogas corta qualquer possibilidade de mudanças. Não quero ser negativa, mas a tendência é ele ficar cada vez pior, à medida que testa a sua reação. Você diz que se trata de uma pessoa bipolar, ele já tem esse diagnóstico? Se tiver é um complicador ainda mais sério, devendo você se safar o mais rápido possível, para não viver uma tormenta (veja os textos de outras pessoas).

    Gislaine, você não é obrigada a viver com quem não quer por não lhe fazer bem. Nada a obriga a isso. Mas essa tomada de atitude só pode ser sua e de mais ninguém. Nem mesmo de sua mãe. Você está na flor da juventude, não tendo idade para estar “morta de espírito”. Peça a ele para ir embora e ponto final. Não adianta ficar se martirizando quando possui uma saída. Se você não se ama, permitindo que outrem a magoe, jamais será amada. Primeiro você, depois o parceiro, esta é a condição para ser feliz. Se você não se valorizar, estará fadada a viver na amargura. Reaja, amiguinha, dê a si a oportunidade de ser feliz e a ter relacionamento menos comprometidos e mais saudáveis. Na sua idade não existem “relacionamentos fracassados”, mas aprendizagem. Apenas isso! Curta a sua vida e conheça gente diferente. Outra coisa, não é ele quem lhe dá a “opção de ser feliz”, mas você mesma. A vida é sua!

    Abraços,

    Lu

    Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *