A DEPRESSÃO PRECISA DE TRATAMENTO

Siga-nos nas Redes Socias:
FACEBOOK
Instagram

Autoria do Dr. Telmo Diniz

munch1234

Quase 20% das pessoas vão apresentar depressão em algum período da vida. Ou seja, de cada dez pessoas, duas irão desenvolver a doença. E, quando o quadro se instala, se não for tratado de forma correta, costuma levar meses para melhorar. Tristeza é sintoma pontual, enquanto depressão tem um leque de sintomas. Portanto, estar triste não significa estar deprimido. Entender as diferenças e suas nuances é importante para sabermos quando a ajuda passa a ser necessária.

A depressão é uma patologia que atinge os mediadores bioquímicos envolvidos na condução dos estímulos através dos neurônios, que possuem prolongamentos que não se tocam. Entre um e outro, há um espaço livre chamado sinapse, absolutamente fundamental para a troca de substâncias químicas, íons e correntes elétricas. Essas substâncias, conhecidas por neurotransmissores, permitem a transmissão dos impulsos elétricos entre os neurônios. Na depressão, há um comprometimento desses neurotransmissores, responsáveis pelo funcionamento normal do cérebro. O mais conhecido e popular deles é a serotonina.

Já a tristeza é um fenômeno normal que faz parte da vida psicológica de todos nós. Depressão é um estado patológico. Existem diferenças bem marcantes entre uma e outra. A tristeza tem duração limitada, enquanto a depressão costuma afetar a pessoa por vários dias, semanas e até meses. Podemos estar tristes porque alguma coisa negativa aconteceu conosco, como a perda de um ente querido. Porém, isso não nos impede de reagir com alegria, se algum estímulo agradável surgir. Além disso, a depressão provoca sintomas como desânimo e falta de interesse por atividades que antes eram prazerosas. É um transtorno que pode vir acompanhado ou não do sentimento de tristeza e prejudica o dia a dia da pessoa, no trabalho e na vida social.

São muitos os sintomas da depressão. Talvez o mais evidente seja o rebaixamento do humor, que se caracteriza pelo humor melandórico, com choro fácil e “sensação de aperto no peito” (que chamamos de angústia), e que vem acompanhado de falta de ânimo e de disposição, incapacidade de sentir prazer em atividades habitualmente agradáveis, alterações do sono e do apetite, pensamentos negativos, desesperança, desamparo, etc. Esses sintomas podem variar em graus de complexidade e, portanto, necessitam de acompanhamento médico e/ou psicológico.

Já na tristeza temos algo “mais palpável”, pois temos um fator identificável (como uma desilusão amorosa, por exemplo). É um estado emocional transitório, tende a resolver por si e não interfere na rotina da pessoa. Portanto, tristeza passa. Depressão vem pra ficar. É doença e necessita de tratamento. Fique atento e procure ajuda aos primeiros sintomas.

Nota: Cinzas, obra de E. Munch

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *