A SAÚDE E A FÉ

Siga-nos nas Redes Socias:
FACEBOOK
Instagram

Autoria do Dr. Telmo Diniz

 feliz1234 (*)

Inúmeras pesquisas têm buscado avaliar os efeitos da espiritualidade sobre o nosso organismo. Não importa qual é a crença religiosa da pessoa. O fato é que práticas como oração e meditação vêm se tornando cada vez mais alvo de estudo de pesquisadores da área da saúde, que investigam, em vários países, os efeitos da fé sobre a nossa saúde.

As perguntas básicas que os estudos apresentam são:

  1. Como a fé religiosa atua como um recurso na prevenção de doenças e na promoção do bem-estar?
  2. Um relacionamento de amor com Deus é uma característica das pessoas saudáveis?
  3. A religiosidade é um fator de proteção contra doenças ao longo do processo de envelhecimento?
  4. Existem efeitos terapêuticos ou preventivos de se ter mais fé sobre a saúde?

Para ser benéfica, a fé em Deus teria de estar associada a uma prática religiosa, onde a pessoa deveria participar de um grupo religioso estruturado – seja ele católico, budista, judeu, evangélico, espírita, entre outros. Esse apoio social é algo extremamente valioso para a saúde física, inclusive para a sobrevivência e longevidade.

Pesquisas demonstram que as pessoas altamente religiosas têm 30% a mais de chance de serem mais longevas, em especial pelo estilo de vida que levam. Porém, a oração, reza ou qualquer outra forma de elevação do nível de consciência, como na meditação, realizados fora de um ambiente templário, também têm efeitos benéficos para a saúde.

Existem centenas de estudos sobre a “prece à distancia”, ou seja, pessoas que recebiam a prece, desconheciam que estavam recebendo o referido benefício e, mesmo assim, melhoravam, isso comparado ao grupo controle (aqueles que não foram contemplados com as preces). Em outras palavras, isso é evidência científica de que orações à distância têm um efeito mensurável e benéfico.

Particularmente, acredito que a fé, independentemente da crença religiosa, tem um papel importante na recuperação do doente. A doença não é só física. Tem uma dimensão psíquica e uma dimensão espiritual. Portanto, ela deve ser vista de forma globalizada. Existem mais de 5.000 estudos na literatura médica comprovando que a evolução da doença pode ser modificada pela fé.

Consenso

Algumas áreas do cérebro são ativadas no momento da oração. Essas áreas estão conectadas aos centros da imunidade. Melhorando o sistema imunológico, combatemos doenças crônicas como o câncer, melhoramos estados psíquicos como ansiedade e depressão. A influência da crença em Deus na redução do estresse já é quase um consenso entre os médicos.

As doenças relacionadas ao estresse, especialmente as cardiovasculares, como a hipertensão, o infarto do miocárdio e o derrame, parecem ser as que mais se beneficiam dos efeitos de uma espiritualidade bem desenvolvida.

Não cabe ao médico prescrever uma religião em particular ao paciente, e sim, encorajá-lo em trabalhos espirituais de sua escolha. Independentemente dos mecanismos envolvidos na melhora da saúde através de práticas religiosas, essas devem ser incentivadas, respeitando-se a individualidade de crença, contribuindo dessa forma para a melhora dos pacientes com a utilização de uma medicina humanística e integrativa.

(*) Imagem copiada de blog.cancaonova.com.cancaonova.com

4 comentários sobre “A SAÚDE E A FÉ

  1. Reini Dantas Leal

    Parabéns, querida prima Lu, saudades!
    Recentemente li a matéria da revista “Super Interessante” com o título: “A fé faz bem – É a ciência que diz, quem crê em algo acima de si vive mais, ganha melhor e é mais feliz…”.
    Nessa matéria científica, os neurocientistas confirmam exatamente o que o Dr. Telmo escreve. Quanto ao poder da oração à distância eu já vivi essa experiência quando minha filha estudava em Londres, e no mesmo momento em que eu orava em Ctba e pedia a Deus pela sua proteção, imediatamente após dois passos dela ter passado debaixo de uma marquise de um prédio, a mesma caiu ferindo vários pedestres…
    Eu creio no poder da fé e da oração de coração e alma inteiramente aberta ao diálogo com Deus!

    Bjos

    Responder
    1. LuDiasBH Autor do post

      Reini

      Realmente as pesquisas científicas comprovam que a fé tem muito a ver com a saúde.
      Até porque as pessoas imbuídas pela fé carregam mais retidão e menos preocupação com o mundo material.

      Achei muito interessante o que você viveu em relação à sua filha.
      São exemplos de como a fé pode mudar os acontecimentos.

      Seus comentários são sempre muito ricos.

      Abraços,

      Lu

      Responder
    1. LuDiasBH Autor do post

      Mário

      Deve sim… risos.
      Hoje mesmo eu recebi os seus três comentários.

      Fico feliz ao saber que você gosta de nosso blog.

      Grande beijo,

      Lu

      Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *