Courbet – O SONO

Siga-nos nas Redes Socias:
FACEBOOK
Instagram

Autoria de LuDiasBHCourbert1234

A composição O Sono, do pintor francês Gustave Courbet, foi feita sob encomenda para Khalil-Bey, diplomata turco e colecionador de obras de arte eróticas. Neste quadro, o pintor rompe mais uma vez com os tabus culturais de sua época, ao apresentar, numa pintura, uma cena de amor lésbico, visto até então, apenas em estampas e ilustrações.

A composição apresenta duas mulheres, uma morena e outra loira, nuas e entrelaçadas durante o sono, num contato visivelmente amoroso. Como soubesse que a obra não se destinava a ser exibida em público, por fazer parte de uma coleção particular, o artista sentiu-se livre para executá-la livremente.

As duas modelos encontram-se num quarto, sobre uma cama com os lençóis amarfanhados. No canto direito superior da tela está um vaso cheio de flores, que para alguns possuem o formato de um útero. Para o pintor, não afeito à simbologia, trata-se apenas de um vaso decorativo. Um longo colar de pérolas brancas estende-se na cama, debaixo do braço da personagem de cabelos escuros. Entre os pés das duas figuras, na parte inferior da cama, há também uma joia, possivelmente brincos. No canto inferior da tela, à esquerda, próxima ao braço da modelo de cabelos escuros, encontra-se uma mesa de madeira com objetos de vidro sobre ela e joias.

Ficha técnica
Ano: 1866
Técnica: óleo sobre tela
Dimensões: 135 x 200 cm
Localização: Musée du Petit Palais, Paris, França

Fontes de pesquisa
Tudo sobre arte/ Sextante
1000 obras-primas da arte europeia/ Könnemann

2 comentários sobre “Courbet – O SONO

  1. Alfredo Domingos

    Lu,
    Esta obra é espetacular! Vários são os motivos de eu considerar assim:
    – valentia do tema na época em questão;
    – os detalhes dos corpos das mulheres;
    – importância das duas anulando o cenário, que é quase nada;
    – a diferença da cor dos corpos; fazendo uma de cor mais forte e quente, e a outra de pele mais clara, embranquecida, do tipo talvez de doente; e por fim
    – a morena é mais provocante, sedutora.
    Gostei pra caramba. Belo texto seu para uma pintura, como disse, espetacular.
    Parabéns! Abraço,
    Alfredo Domingos

    Responder
    1. LuDiasBH Autor do post

      Alfredo

      Somente hoje, revisando o texto, vi o seu brilhante comentário.
      Concordo plenamente com a sua análise, que sempre termina enriquecendo o texto.
      Peço desculpas pela demora da resposta.

      Abraços,

      Lu

      Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *