EXERCÍCIOS FÍSICOS E POLUIÇÃO

Siga-nos nas Redes Socias:
FACEBOOK
Instagram

Autoria do Dr. Telmo Diniz

correr

Ambientes Poluídos

Você, que pratica sua corrida ao ar livre para se manter saudável, deve ser alertado quanto à prática de exercícios físicos em áreas mais poluídas, como por exemplo em locais onde há grande trânsito de veículos. A poluição causada pelo monóxido de carbono e pelo ozônio, associada ao calor e à umidade, leva a uma queda de performance dos corredores, além de resultar em danos precoces na mucosa que reveste todo o trato respiratório. A conclusão é de uma pesquisa apresentada recentemente no I Simpósio Brasileiro de Imunologia do Esporte, na Universidade Federal de São Paulo (Unifesp). Os resultados também concluíram que a suplementação com vitaminas C e E, por seu caráter antioxidante, pode minimizar o impacto da poluição na saúde e no desempenho dos atletas.

A corrida no ambiente quente, úmido e poluído por ozônio trouxe piora no tempo dos atletas, em relação aos que fizeram o exercício nas condições ideais. Os batimentos cardíacos também aumentaram sob a influência da poluição. Além disso, exames de sangue e testes feitos na secreção nasal dos participantes mostraram dano inflamatório no revestimento do trato respiratório e marcadores de estresse oxidativo, mais conhecidos como radicais livres.

No outono e, principalmente, no inverno, a qualidade do ar fica ainda pior. O clima seco, a temperatura baixa e a pouca quantidade de ventos favorecem a formação de grandes massas de gases nocivos à saúde, como o óxido de nitrogênio, o monóxido de carbono e o ozônio. Isso sem falar nas partículas, liberadas aos montes por carros, ônibus e motos. A exposição contínua a toda essa sujeira desencadeia inflamações no organismo inteiro, além de potencializar o processo oxidativo das células, ou seja, sua degeneração. A tal oxidação está por trás do envelhecimento da pele e de todos os órgãos, inclusive quando o assunto é câncer.

O principal problema decorrente da corrida em ambientes poluídos não é o efeito agudo em um único dia, mas a repetição da prática que pode tornar o atleta mais suscetível, principalmente, a problemas respiratórios, por causa do ressecamento das vias aéreas. Os gases presentes na poluição competem com o oxigênio no sangue. Isso torna o atleta mais propenso à hipertensão, ao infarto e ao acidente vascular cerebral (AVC).

Há, inclusive, alguns estudos que levantam a possibilidade de o ozônio piorar o quadro de depósito de colesterol nas artérias, comprometendo ainda mais a saúde cardíaca. Situado na estratosfera, entre 15 e 50 km da terra, o ozônio tem papel importante como filtro da radiação solar. Mas sendo respirado na atmosfera, principalmente nas cidades poluídas, é um inimigo invisível com vários efeitos nocivos à saúde humana.

Quem tem o hábito de correr em locais onde a poluição é maior, deve pensar em mudar o local de suas atividades, como para uma academia ou mesmo em casa. Procure observar também os horários da atividade física, pois a incidência e maior concentração do ozônio são maiores em dias muito claros e como poucas nuvens. Claro, que boa parte das pessoas prefere realizar suas atividades ao ar livre, mas que este ar seja considerado livre de poluição.

Um comentário sobre “EXERCÍCIOS FÍSICOS E POLUIÇÃO

  1. Edward Chaddad

    Este aconselhamento é muito importante. Já fiz muitos exercícios, há mais de vinte anos, correndo e nadando.
    Com a idade chegando, continuei apenas com a natação.
    Atualmente, em virtude do trabalho, parei com exercícios, o que foi um grande equívoco. Como estou adoentado, ficarei mais um tempo sem os seus benefícios.

    Para mim, este aconselhamento, infelizmente, com 70 anos, chegou tarde, pois estarei praticando, sob supervisão médica, apenas a natação.
    No entanto, tenho filhos com certa idade e muitos sobrinhos, jovenzinhos, mas estarei repassando este artigo, que nos traz muitas luzes, principalmente para os incautos, que vivem correndo junto a locais que não reúnem condições, como muito bem colocado pelo artigo.

    Parabéns

    Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *