Filme – ALIEN, O 8º PASSAGEIRO

Siga-nos nas Redes Socias:
FACEBOOK
Instagram

Autoria de LuDiasBH

 alien  aliena

Vocês ainda não sabem com quem estão lidando. Ele é um organismo perfeito. A sua perfeição estrutural só se compara com sua hostilidade. Eu admiro a sua pureza. É um sobrevivente desprovido de consciência, remorso ou lições de moral.(Personagem do filme)

Dizem que presto atenção demais no visual do filme. Mas, pelo amor de Deus, não estou fazendo um programa de rádio, estou fazendo um filme para o qual as pessoas vão olhar. ( Ridley Scott – diretor do filme)

O diretor inglês Ridley Scott inspirou-se, para fazer o filme Alien – o 8º Passageiro (1979), na cena de abertura de Guerra nas Estrelas (1977), que mostra uma gigantesca nave singrando o espaço sideral. Seu filme parte exatamente deste ponto e se transforma numa ficção científica e, posteriormente, num filme de terror, deixando o público com os nervos à flor da pele o tempo todo. O que difere Alien – o 8º Passageiro de um monte de outros filmes do gênero é o visual cuidadoso e a agudeza que carrega. O diretor pretendeu atrair um grande público, mas sem insultar sua inteligência. Embora seja uma das mais aterrorizantes tramas de ficção científica já realizadas, o filme tornou-se “cult” e seu design futurista continua extremamente convincente. Entre os filmes do gênero é considerado um clássico, verdadeiro divisor de águas, pois marca o momento em que os extraterrestres deixam de ser os tradicionais marcianos, para se transformar em seres de comportamento intricado.

Ao contrário de outros filmes de ficção, Alien – o 8º Passageiro não é corrido. Não possui pressa no desenrolar da história, mas possui um ritmo entrecortado por silêncios e esperas, que deixa o telespectador inquieto e nervoso. Muitas cenas são acompanhadas de intenso silêncio, onde só se ouve a respiração arquejante dos personagens ou o barulho dos instrumentos da nave. O suspense vai aumentando cada vez mais, quase a ponto de deixar o público de pé. O diretor usa um recurso especial para mantê-lo preso à história: não lhe dá a informação do que é o perigo e o que ele pode trazer de nefasto. Inicialmente, leva-o a pensar que dos ovos possam nascer humanóides, pois o piloto encontrado petrificado na velha nave alienígena, há muito tempo perdida, parece ser um humanóide. Mas deixa a dúvida quanto ao fato de ele pertencer ou não à raça gerada pelos ovos. O fato é que não apenas os personagens são dominados pela curiosidade, mas também o público. O que há de estranho por ali? Essa é a pergunta.

O fato de os personagens não serem aventureiros, mas trabalhadores comuns contratados por uma empresa, aumenta mais a tensão das pessoas, pois o espectador compreende que eles estão numa missão de trabalho, sendo, a contragosto, envolvidos numa perigosa aventura. Antes de levar os tripulantes e o público a querer a destruição do alienígena, o diretor leva-os a querer conhecê-lo primeiro.

O filme conta a história de uma nave-cargueira, Nostromo, que opera no espaço profundo, e que, no momento, leva sete tripulantes e uma carga de 20 milhões de toneladas de minério com destino ao planeta Terra. A princípio, tem-se a impressão de que não há ninguém no veículo, até que se ouve uma espécie de alerta ou pedido de ajuda, vindo do espaço, que acaba por acordar a tripulação. Para aguentar a longa viagem, eles se encontravam hibernando. Logo a seguir, reúnem-se animadamente em torno de uma refeição, imaginando que foram acordados porque estavam chegando à Terra. Mas logo se dão conta de que ainda se encontram bem longe do destino. O capitão, por sua vez, é informado de que o despertar se deveu a um sinal vindo de um planeta próximo, que indica a possibilidade de haver vida inteligente ali.

Os tripulantes têm por obrigação investigar o que está ocorrendo. A nave (Mãe) está programada para atender qualquer chamado, mesmo que para isso seja necessário desviar-se da rota. A Nostromo separa-se da carga, que fica na órbita planetária, e dirige-se para o planeta desconhecido, de onde partiu o sinal. Parte da tripulação desembarca e, depois de uma longa jornada, encontra uma nave alienígena imensa, onde se depara como um corpo mumificado, parecendo ter pertencido a um ser vivo. Os dois homens e a mulher começam a vasculhar a nave. Um deles encontra vários ovos envoltos em uma neblina azul e percebe que existe vida dentro de um deles. O ovo eclode e ataca o tripulante, agarrando-se a seu capacete.

Ripley, uma das personagens, exige que o tripulante atacado fique em quarentena, mas o cientista Ash ignora a ordem e abre as entradas da nave. Na tentativa de retirar a “coisa” ele percebe ser impossível, pois o líquido que dele emana é corrosivo. Mesmo assim, continua protegendo o organismo estranho. Mas ao tentar matar Ripley, para que não interferisse nos seus planos, os tripulantes descobrem que ele é um robô. E, ao ser questionado sobre como matar o alienígena, ela responde que é impossível. E que as suas prioridades são:

1- Levar para a Terra a forma de vida.
2- Todas as outras prioridades são canceladas em função da primeira.

A descida naquele planeta revela, logo depois, ter sido um grande erro, pois acaba sendo a porta de entrada para uma abominável criatura que entra na nave como um parasita preso à cabeça de um dos tripulantes e, daí para frente, passa a eliminar todos os membros da tripulação. O filme é intenso e carregado de emoção até a última cena.

A difícil, competente e cruel Ripley, personagem principal do filme, é vivida pela atriz Sigourney, à época desconhecida do grande público. A escolha de uma mulher teve como objetivo buscar o público feminino, normalmente avesso a filmes de terror. A atriz transformou-se numa celebridade e acabou virando heroína de filme de ação. No filme, Ripley recebeu ordens para que a forma de vida alienígena fosse levada à Terra, mas ao perceber o grau de periculosidade do monstro, ela opta por matá-lo. Enfrenta a batalha final apenas de camiseta e calcinha.

Um estudante de design nigeriano (massai), Bolaji Badejo, alto e magro, com os membros longos e finos, medindo 2,18 m de altura interpretou o monstro. A roupa para representar o alienígena é feita de látex. Ele ainda teve aulas de tai-chi-chuan e mímica, para aprender a fazer movimentos lentos. A cabeça foi feita separadamente, com mais de 900 partes móveis. É substituído por dublês numa cena em que o alienígena aparece pendurado no teto.

Assim que entrou em circulação, o filme ganhou o interesse do público, transformando-se num grande sucesso de bilheteria. Ganhou o Oscar de melhores efeitos visuais e propiciou uma série de continuações, que foram perdendo em qualidade.

Curiosidades sobre o filme:

• As roupas, usadas pela equipe que desceu ao planeta, não tinha a ventilação necessária. Os atores não conseguiam ficar muito tempo debaixo dos refletores. Enfermeiros com balões de oxigênio ficavam por perto.

• O grupo de rock The Who foi que emprestou a luz laser azul colocada na câmara com os ovos.

• A gosma que sai do ovo, antes de ele abrir, está “caindo” de baixo para cima. Foi rodada com a câmara de cabeça para baixo.

• O alien sangrava ácido, por isso não podia ser morto a tiros.

• O diretor, segundo a Cinemateca Veja, queria que o alien matasse Ripley, engolindo sua cabeça, e mandasse pelo rádio uma mensagem à Terra usando a voz dela. Mas a Fox fez questão que o monstro morresse no final do filme.

• O diretor, segundo 1001 Filmes para ver…, queria terminar o filme com Repley nua, para enfatizar a fragilidade humana perante a máquina mortífera perfeita, mas a Fox vetou, para que o filme não fosse proibido para menores de 17 anos.

• O quase não é possível ver o alien. Truque que foi também utilizado por Spielberg em “Tubarão” e funciona perfeitamente aqui.

• A primeira vez que se consegue uma boa visão do alienígena é quando esse irrompe do peito do personagem Kane.

• O monstro não possui uma forma definida: ora parece octópode, ora réptil ou aracnídeo.

• Na cena em que o alien sai do peito do personagem Hurt, o elenco não sabia como iria acontecer. Portanto, o susto dos atores, na cena, é real.

• O filme inteiro se passa dentro da nave Nostromo, numa temperatura extremamente sufocante.

• O Ripley, junto com o gato Jones, é a única sobrevivente da tripulação.

Fontes de Pesquisa:
Cinemateca Veja
Grandes Filmes/ Roger Ebert
1001 Filmes para Ver Antes de Morrer
Wikipédia

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *