Heitor dos Prazeres – MOENDA

Autoria de LuDiasBH

HEITOR 56

A composição Moenda é uma obra do pintor brasileiro Heitor dos Prazeres. Trata-se de uma das mais importantes de sua carreira. Com ela, ele fez parte da I Bienal Internacional de São Paulo, em 1951, tendo conquistado o terceiro lugar e também o prêmio Toddy de Aquisição, em meio a grandes nomes da pintura, como Picasso, Giorgio Morandi, Candido Portinari, Aldemir Martins, entre outros. Tal conquista foi de fundamental importância para o artista, pois pôs em destaque a arte naïf, também conhecida como arte ingênua, e abriu espaço para um pintor negro, fator relevante para a cultura artística afro-brasileira.

A composição apresenta uma cena do mundo rural: a moedura de cana. Estão presentes na pintura dois personagens, um homem e uma mulher, de costas para o observador, mas com os rostos de perfil. O casal de negros, com seus chapéus de palha e abas dobradas para cima, encontra-se abosorvido na moagem da cana que o circunda por todos os lados. No meio do quadro está o moinho de onde escorre um liquído esbranquiçado – o caldo de cana – para uma tina de madeira. A mulher traz na mão um balde e o homem uma enxada. O verdor do canavial cinge-se com o azul e o branco do céu.

Ficha técnica
Ano: 1951
Dimensões: 65 x 81,1 cm
Técnica: óleo sobre tela
Localização: Acervo do Museu de Arte Contemporânea da Universidade de S. Paulo

Fonte de pesquisa
Heitor dos Prazeres/ Coleção Folha

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *