ÍNDIA – COMO SÃO OS INDIANOS

Siga-nos nas Redes Socias:
FACEBOOK
Instagram

Autoria de LuDiasBH

india

Muitas pessoas possuem sobre a Índia um conhecimento totalmente desvirtuado, pensando encontrar ali um país exótico, onde abunda a espiritualidade. Exótico sim, mas extremamente materialista, onde a chamada espiritualidade não passa de um rótulo, para atrair turistas. Foi o escritor francês, Marc Boulet, ao escrever o livro “Na pele de um dalit”, que narra a sua experiência como um intocável (dalit), quem pôs o país a nu, elucidando verdades profundas, até então escondidas. E pode-se dizer que pouca gente conheceu a cultura indiana tão de perto e a fundo quanto ele, na pele de Ram Munda. Segundo ele, muitos dos conhecimentos obtidos, antes de ir a esse país, eram totalmente falsos. Vejamos a Índia e os indianos sob sua ótica:

1. Os indianos são intolerantes e violentos. Eles sentem uma profunda indiferença pela sorte do outro. Ignoram-no! Simplesmente se recusam a enxergá-lo.

2. Os poderosos tratam os mais pobres com uma violência vista em poucos lugares do mundo. Tratam-nos como escravos, coisas sem valor algum. Pois o respeito e a piedade pelos mais fracos não existem no aclamado país da espiritualidade. Os pobres e miseráveis são sempre oprimidos e esmagados. Mesmo quando os indianos praticam a caridade, fazem-no pensando na “própria” evolução e não no outro.

3. A violência contra os considerados intocáveis é pregada nos textos sagrados, nas castas e no egoísmo hindu. Qualquer coisa é motivo para que apanhem. Tudo o que fazem é visto como insulto às castas mais ricas. A polícia é brutal. Nem os loucos passam imunes. A violência parece ser a resposta para tudo. Os indianos estão sempre repetindo: “Quero bater em você!”. Trata-se de um povo brutal e sem generosidade.

4. Os hindus (praticantes do hinduísmo) de casta elevada são incoerentes na busca pela pureza, pois a conduta deles é totalmente orientada pela religião. Embora sigam uma dieta vegetariana e sem álcool, sendo que os mais ortodoxos não comem nem cebola e alho, considerados impuros, a maioria consome drogas à base de cannabis. E muitos comem carne de cabra ou de frango e se embriagam às escondidas. Sem falar no grande número de trapaceiros, sempre querendo obter vantagem, passando o outro para trás.

5. Os brâmanes são fechados e intolerantes, embora assumam uma aparência honesta e civilizada. É verdadeiro que fomentam a violência contra os intocáveis, que têm horror a eles. pois são cruéis e perversos.

6. Gurus abundam na Índia. Em cada cruzamento é possível ver, no mínimo, um guru, um filósofo ou um santo. Verdadeiro ou impostor. A maioria deles é uma fraude, vive a tirar dinheiro dos incautos. O país também é farto em adivinhos, curandeiros e astrólogos. E ali nada se faz sem uma consulta prévia a eles.

7. É surpreendente o julgamento que os indianos fazem sobre os ocidentais, em relação às mulheres. Dizem que os ocidentais não respeitam as mulheres, ao olharem diretamente em seus olhos e se sentarem perto delas. A moral indiana proíbe qualquer gesto que possa despertar a sexualidade, de modo que as relações sociais entre homens e mulheres ficam no campo do estritamente necessário. A tradição hindu reza que a mulher é apenas um vício concentrado sob o umbigo e um instrumento do diabo para tentar os homens. Ela é comparada ao jogo e ao álcool. E, para eliminar esse vício é necessário que se case na puberdade.
As famosas Leis de Manu, que governam a sociedade hindu estipulam que “Deus atribuiu à mulher a cólera, a desonestidade, a malícia e a imoralidade (…) Do nascimento até a morte, ela depende de um homem: primeiro de seu pai, depois de seu marido e, após a morte desse, de seu filho (…) Não tem o direito de possuir bens.” .

8. Antigamente, as viúvas eram sacrificadas na pira funerária do marido. Os britânicos aboliram esse costume, ainda comum nas aldeias afastadas. Normalmente, se há cadeiras, os homens sentam-se nelas, enquanto as mulheres assentam-se no chão. Eles comem antes delas e as trancam em casa. Isso acontece até entre os intocáveis, onde as mulheres possuem mais liberdade, podendo sair, fumar e beber.

9. Os maridos batem em suas mulheres pelas faltas cometidas, sem que elas possam se queixar a sua família. Ela pertence ao marido, como se fosse um objeto, e dela ele pode dispor como bem lhe aprouver. As Leis de Manu rezam que “Um marido, mesmo bêbado, leproso, sádico ou violento, deve ser venerado como um deus.”.

10. O casamento hindu não passa de uma máquina de fazer filhos. A mulher nunca é vista como uma amante, mas como cozinheira e mãe dos filhos. As uniões são arranjadas e endógamas. As tradições ligam a mulher ao marido como o patrão está ligado ao escravo. Com o tempo, o amor e a amizade podem nascer, assim como nascem entre o cachorro e seu dono. A condição vivida pelas mulheres incentiva o assassinato. Como o divórcio é uma infâmia para o marido, só a morte da esposa dá uma liberdade honrosa a ele. É comum a mulher ser borrifada com gasolina e queimada viva. Na maioria das vezes o motivo é o dote.

11. A endogamia (casamento entre indivíduos do mesmo grupo, casta…) é vista pelo hinduísmo, como uma maneira de melhorar a raça indiana, de purificá-la, de modo que não venha a se degenerar. Na Índia, os seres humanos são acasalados como os animais domésticos no Ocidente: segundo o pedigree, ou seja, a casta. Não se cruza um vira lata com um buldogue, assim como um brâmane não se une a um ferreiro. E caso um cruzamento desses venha a acontecer, dele nascerá um “chandal”, seres que originalmente constituíram a classe dos intocáveis.

12. Os indianos acham-se especiais em tudo, superiores aos estrangeiros. Consideram-se mais civilizados do que qualquer outro povo e acham a cultura indiana a melhor do mundo, de modo que, qualquer outra está abaixo dela. Sentem pelo estrangeiro um grande desprezo. Veem-no como um bárbaro, um intocável. Todo aquele, que não pratica o hinduísmo, aos olhos dos hindus, não é civilizado e seus costumes ficam abaixo dos costumes dos intocáveis.

13. Os estrangeiros são repugnantes, porque comem o cadáver de um animal sagrado, a vaca. Destacam o fato de os ocidentais, ao defecarem, limparem-se com papel higiênico, em vez de se lavarem. Por isso continuam sempre sujos. Criticam também o fato de os estrangeiros assuarem o nariz em um pano, que guardam no bolso, para uma nova utilização, pois os indianos não usam lenço. Eles apertam as narinas, uma de cada vez, e expulsam o muco do nariz. Fazem isso em qualquer lugar público, até mesmo no meio da rua, quando se sentem à vontade, sem se preocuparem com os micróbios lançados na atmosfera.

14. O mesmo eles fazem com os excrementos. Consideram que conservar matérias impuras no interior do corpo não é auspicioso. E diante de tal justificativa, abaixam a calça na rua. Não há preocupação com a limpeza coletiva, apenas com a individual. Sentem um grande desprezo pelas castas pobres. E sempre dizem pertencer a uma casta superior à que pertencem de verdade. Mentem muito!

15. Na Índia come-se sem talhar, com os dedos da mão direita. A mão esquerda é usada para lavar o ânus. Não se concebe a ideia de o estrangeiro usar as duas mãos para o mesmo fim. Dizem que os hábitos alimentares e higiênicos dos estrangeiros causam repugnância. E que eles tornam impuro tudo o que tocam. Por isso, recusam-se a usar um utensílio usado por um estranho.

16. O estrangeiro é muito visado em todo o país. Não pode passear sem ser parado a todo o momento por mendigos, traficantes, fedelho com endereços de encontros amorosos, vendedores ambulantes, homens “santos”, barqueiros, barbeiros, astrólogos, sacerdotes que benzem… Há sempre alguém importunando, querendo vender alguma coisa, ou oferecendo algum tipo de serviço. O indiano é metido a sabichão. Não possui respeito pelo estrangeiro, mas sim pelo que pode extrair dele. Chama-os de “macacos vermelhos”. Também evita o contato com esses, para que não possa se sujar.

17. Apesar da falsa impressão que um estrangeiro possa ter sobre o recato dos indianos, esses adoram falar sobre sexo e dizer palavrões. Coçam os testículos publicamente e os ajeitam o tempo todo, como um desejo de mostrar virilidade. E se julgam os tais na arte do amor. No entanto, a sexualidade dos indianos carrega problemas, como os encontrados em qualquer outra civilização: impotência, brutalidade nas relações, ausência de intimidade, casamentos de conveniência, etc.

18. O indiano não pronuncia três expressões comuns a um povo educado: Desculpe!/ Obrigado!/ Por favor! Não é um povo cortês, é descortês mesmo. E não se melindra com nada, tampouco sabe o porquê de ter que se pedir desculpas. Nunca acha que esteja incomodando. E, mesmo que estivesse, isso não tem a menor importância. O próprio hinduísmo insiste nos deveres do indivíduo em relação a si mesmo. O que torna as pessoas egoístas e más.

Fonte de pesquisa
Na Pele de um Dalit/ Marc Boulet.

Nota: imagem de Os Simpsons

54 comentários sobre “ÍNDIA – COMO SÃO OS INDIANOS

    1. LuDiasBH Autor do post

      Ana

      Não se pode brincar com essa gente. Entre em contato com a Polícia Federal. Se não tiver um órgão da entidade em sua cidade, faça a queixa através da internet. Diga ao indiano que você já entrou em contato com a Polícia Federal e que ela já está contatando a Embaixada da Índia.

      Abraços,

      Lu

      Responder
  1. Céu

    Eu acho que eu tive mais sorte que as amigas. O meu amigo indiano talvez foi mais inteligente que os demais. Nunca me pediu dinheiro e nunca me prometeu amor eterno. Eu só desconfiei do desejo incontrolável e da insistência para que eu fosse até à Índia. Sei lá o que esse doido ia fazer comigo naquele fim de mundo. Mas a história é a mesma: “Eu trabalho (engenheiro) e ganho pouco. Minha família precisa de mim…” Cuidado gente! O estrago emocional que essa turma provoca é na verdade imenso.

    Responder
    1. LuDiasBH Autor do post

      Céu

      Ele, como é mais inteligente, estava ganhando tempo para dar o golpe final. Acontece que se estrepou, pois encontrou alguém bem mais inteligente do que ele. Quando esses “sapos desencantados” encontram pessoas como você, eles caem na esparrela. O mais triste é que um imenso número de mulheres carentes acreditam que seja verdade o que eles dizem, e acabam fazendo um imenso “estrago emocional” na própria vida. É bom que elas leiam depoimentos como o seu e acreditem… Se assim não agirem, não poderão dizer que não foram avisadas.

      Céu, foi um grande prazer receber a sua visita. Volte mais vezes. Ajude-nos a mostrar a verdade às tolinhas.

      Abraços,

      Lu

      Responder
    2. Mila Ferez

      Lu
      Esses indianos são todos engenheiros?…rsrs

      Esse cara que me aterrorizou dizia ser engenheiro. O cara parecia não dormir, não comer, ficava me chamando de “sweetheart” o tempo todo! Eu toda inocente, pensando em melhorar meu inglês e o cretino só sabia me pedir fotos de biquini! Como alguém pode se apaixonar por eles? Muito maliciosos, interesseiros, inconvenientes, eu só aguentei uma semana, mas, como algumas mulheres ficam anos conversando com esses caras? Estou impressionada, gente …..

      Responder
      1. LuDiasBH Autor do post

        Mila

        Acho que a resposta correta seria falta de autoestima por parte dessas mulheres. Elas se julgam tão desprezíveis a ponto de aceitar qualquer babaca desses e perder tempo com ele, deixando de investir na própria vida. No ano passado, uma delas sofreu um golpe de 11 mil reais. Outra mandou dinheiro para comprar o enxoval, pois lá “era” mais barato, e nunca mais teve notícias do cara. Outra mandou a passagem para que o “noivo” viesse, e esse escafedeu-se. Outra deu passagem para o pilantra vir para o Brasil e, depois, não sabia o que fazer para que ele fosse embora, pois só comia e dormia, sem fazer nada, além de ser repugnante “ao vivo”. Pobres e tolas mulheres…

        Abraços,

        Lu

        Responder
  2. Edivalda

    Lu
    Eu estou chocada com tudo isso… Converso com um indiano que mora no Iraque, tem 33 anos e uma filha. Disse que é separado, o que você acha? Ele diz que trabalha com “elétrica”. Há amigos em comum no face e ele comenta todas as minhas fotos…

    Obrigada

    Responder
    1. LuDiasBH Autor do post

      Edivalda

      Agora você não poderá dizer que não sabia de nada sobre essa gente. Todo cuidado e pouco, minha amiguinha, pois não são poucas as que cairam no conto do vigário. Não seja mais uma. Converse com o dito, mas sem nenhuma expectativa. Esses caras não têm o menor respeito pelas mulheres, como mostra a cultura deles. Outra coisa, jamais mande fotos de sua intimidade, pois podem servir de chantagem contra você. Continue lendo os comentários, para saber mais.

      Abraços,

      Lu

      Responder
  3. Célia

    Lu, amei a matéria!

    Eu tenho um amigo indiano há um ano e meio. Falamos todos os dias, ele é bem pobre, mora numa aldeia, mas trabalha em outra cidade. É mais novo que eu e nunca me pediu nada, só a minha amizade. Sinto que ele sente ciúmes quando posto fotos no fb e meus amigos comentam me achando linda. Ele se incomoda e fica nervoso, mas não gosta de dizer o que sente por mim. Fala que sou a melhor amiga dele. Estou gostando muito dele, que nunca fala pra mim que me ama ou gosta. Ele sempre está presente na minha vida e conta o que se passou com ele no dia e eu também. Será porque eu sou mais velha que ele?

    Logo no início da nossa amizade, ele era meu amigo no fb, mas depois me bloqueou, porque não gostava dos meus amigos, por conta de ciúmes. Quando fica nervoso fala que vai me bloquear do whatsap. Eu o acho ele muito retraído. Penso em me encontrar com ele na Índia e conhecê-lo. Acho ele um bom garoto e que tem vergonha de ser pobre. Sempre me diz que é pobre e eu sou rica, mas falo que aqui no Brasil as pessoas não ligam pra isso. Agora ele está mais conformado e mais à vontade. Vejo ele comendo com as mãos, escovando os dentes, cozinhando na lenha com os amigos do trabalho, deitado no seu quarto. Ele trabalhava num hotel de recepcionista, e eu o via sempre no trabalho, mas teve que sair do hotel por conta da família, pai, mãe e irmãos que estavam om problemas de dinheiro, passando por necessidades, então ele passou uns dias na aldeia. Eu vi ele lá e depois arrumou um emprego na usina hidroelétrica. Bom essa é a minha novela com o indiano, e espero opiniões. O que acham, devo conhecê-lo na Índia?

    Beijos a todos

    Responder
    1. LuDiasBH Autor do post

      Célia

      Li a sua história com muita atenção e, infelizmente, ela é muito semelhante a de muitas leitoras que aqui registraram seus desencantos com esse ou aquele indiano. Se ler os comentários dos textos sobre o assunto, verá que muitos se passam por pobres, dizem que a família está passando por problemas financeiros, etc e tal. Depois de um tempo, tendo ganho a confiança da mulher, lá vem a cantada final. Penso que você não esperará muito para cair na real. O fato é que os indianos virtuais estão dando golpes e mulheres em todo o mundo. E todo cuidado é pouco.

      Você diz que o vê no trabalho, em casa, etc. Hoje, isso pode ser mostrado, ainda que não passe de uma mentira. Uma mulher contou que o cara tirou foto numa casa de tecido e enviou como se fosse ali que ele trabalhava, e mais, apresentou a esposa como se fosse uma amiga. E essa disse à infeliz que o dito estava “apaixonado” por ela, e que iria se casar com ela de verdade. Depois de dado o golpe, ele desapareceu. Como vê, até mesmo as próprias esposas indianas ajudam no golpe, passando por irmãs e amigas? O seu indiano pode até ser pobre, mas de que isso cheira a golpe não tenho a menor dúvida. E se ele trabalhava num hotel, e a família estava passando por dificuldades, era mais um motivo para continuar no trabalho e enviar dinheiro para a família, uma vez que na aldeia o desemprego é muito grande. Achei isso uma furada. Ele está passando por coitadinho, preparando o terreno.

      Amiguinha, pule fora desse barco, pois ele está furado. Leia os comentários e veja quantas mulheres cairam numa esparrela. Outra coisa, os homens indianos só buscam virgens para casarem-se, sem falar no dote que sua família recebe do pai da noiva. Além disso, a cultura indiana é totalmente diferente da nossa. Não vá para a Índia, pois corre o risco de perder tudo o que possui. Veja o blog INDIAGESTÃO para conhecer a realidade.

      Obs.: Seu e-mail está incorreto. Veja no blog JANELAS PARA O MUNDO e leia tudo sobre a Índia e os indianos.

      Abraços,

      Lu

      Responder
      1. Roberta

        Olá, Lu!
        Gostei muito do texto. Tenho lido vários artigos sobre esse tema porque tenho amigos indianos e já tive até uma relação virtual com um. Mas eu ainda não estou me encaixando nessas histórias, porque todos que conheço não são hindus e sim mulçumanos. Nao sei a razão, mas no meu face só caem os do norte da Índia. Eles são super corteses. Nunca fizeram nenhuma grosseria, inclusive conheço histórias que deram certo e terminaram em casamento, mas com os mulçumanos do norte do país. Por isso fiquei curiosa em perguntar se há mesmo essa diferença entre eles.

        Responder
        1. LuDiasBH Autor do post

          Roberta

          Tanto os hindus quanto os muçulmanos não nutrem apreço pelas mulheres. Os segundos veem-nas como sendo de menos importância do que um cão. Caso não acredite, leia livros que falam sobre a vida das mulheres muçulmanas. Elas não podem sair sozinhas, precisam da companhia de um homem. Segundo as leis do islamismo, esse pode ter até quatro mulheres ao mesmo tempo.

          Amiguinha, virtualmente é muito fácil ser cortês. Portanto, o relacionamento só real quando se conhece as virtudes e os defeitos da pessoa, através do olho no olho. Fora disso não passa de uma tola ilusão. As histórias que você conhece e terminaram bem são uma gota d’água no oceano das trágicas. Fique atenta em relação aos hindus e aos indianos muçulmanos, ou aos muçulmanos de qualquer outro país. Para mais informações leia o blog INDIAGESTÃO.

          Agradeço a sua presença e comentário neste espaço. Venha sempre!

          Abraços,

          Lu

        2. Luna

          Roberta

          Achei interessante seu comentário, pois eu também tenho amigos hindus muçulmanos e muçulmanos que vivem no Paquistão. Confesso que a a diferença que vi entre eles foi nas roupas. Quanto ao trato com as mulheres, para mim eles são iguais: estúpidos, mal-educados e grosseiros quando contrariados. Em relacionamentos são a mesma coisa. Hindus ou muçulmanos casam cedo com moça escolhida pela família, que para eles tem que nascer em família hindu ou muçulmana, pois se converter não é a mesma coisa. Eu tenho muitos amigos muçulmanos com até 26 anos e que têm 3 ou 4 filhos. Uns postam dizendo não ter família, e assim acontece com os hindus que ocultam relacionamentos. São todos iguais, diferente apenas na religião, bons de lábia, e sabem encantar as mulheres com doces palavras, até conseguir o que almejam. E se não conseguem, xingam. Muitas, infelizmente, ainda caem na lábia deles. Eu já tive experiências terríveis com ambos. Quando pedem para ser adicionados, já falo que só quero amizade, nada mais além disso. E quer ver um muçulmano ou hindu ficar com raiva é falar “Eu sou hindu ou vice-versa.”. Boa sorte para ti!

        3. Emmanuele

          Conheci um mulçumano de Mumbai super inteligente e de classe média, porém é muito mentiroso. Sem querer ser preconceituosa, acho que eles têm problemas em falar a verdade.

        4. LuDiasBH Autor do post

          Emmanuele

          É certo que essa gente é inteligente, pois não são poucas as mulheres em quem já deram golpes. E continuam a fazer isso, dia após dia. Todo cuidado é pouco!

          Abraços,

          Lu

    2. Maura

      Célia

      Em que mundo você vive, amiga? Quem te disse que no Brasil ninguém liga para diferenças sociais? Vá tentar se casar e viver com um recepcionista de hotel ou com um empregado de usina que trabalha num local distante. Você é tão rica assim que quer e pode sustentar teu marido? Se os teus amigos do FB te acham tão linda você vai escolher um homem bem pobre para namorar? O que os teus pais, familiares e amigos achariam disso? Você sabe quanto custa uma passagem para a Índia, quanto custa a hospedagem na Índia?

      Você tem sangue de barata de ver toda a carência desse menino e não oferecer dinheiro para ele (é isso que ele está esperando, seja verdade ou mentira a pobreza dele). Ou então você é sádica, gosta de ficar se exibindo para quem tem menos do que você. Ter uma amizade virtual é muito bom, pode preencher várias carências de companhia que a gente tenha. Mas parou aí, nada de ficar fantasiando um romance com um homem de nível social tão inferior ao teu.

      Responder
    3. Luna

      Célia

      Eu convivo com indianos desde 2004 e também tive meu princípe indiano. Caso semelhante ao seu, ele infernizou minha vida durante muito tempo. Viu que não ia obter dupla cidadania, o sonhado Green Card deixou me de lado, disse que estava amando uma garota hindu de boa familia. É o mesmo jeito do seu amigo, me excluia ,me adicionava , e dizia em tom de ameça “se você adicionar algum amigo meu, ey te bloqueio e nunca mais falo com você”. Mas antes de me bloquear, ele me mandou uma lista com palavrões, só não me chamou de santa. Minha irmã perdeu tudo por causa de um “amor indiano”, e no final ele se casou com uma garota hindu. A maioria é expert em cantadas, mas sempre obedece os pais, casando com alguém da mesma casta e que tenha $$$$$ para pagar o dote. Não se envolva muito pois o estrago emocional depois é imenso, e eles não têm dó, quando não conseguem o que querem xingam até a mãe da gente e fazem chantagens.

      Responder
  4. Fabiana

    Eu estou namorando um indiano super gentil, mora aqui no Brasil. Nós nos damos bem. Ele disse que é viúvo, tem o visto e me dá muitas coisas. Nunca me pediu nada. Tem 43 anos e é bem sucedido, muito carinhoso, mas depois dessa estou ate desconfiada.

    Responder
    1. LuDiasBH Autor do post

      Fabiana

      Nem todos os indianos são pilantras. Estamos levantando aqui os golpes dados pelos virtuais em mulheres ingênuas, que acham que é possível “namorar” e “noivar” pela internet, sem jamais ter visto a pessoa. Muitos até usam fotos de atores de Bollywood. Você pode ter dado sorte de encontrar uma pessoa legal. Ainda assim, não acredite só no que ele diz. Procure mais informações por conta própria sobre ele. Há quanto tempo está no Brasil? Não possui outra família aqui ou na Índia? Quanto mais informações, mais segura você ficará.

      Seu e-mail está incorreto. Não pude lhe passar mais informações.

      Abraços,

      Lu

      Responder
    1. LuDiasBH Autor do post

      Laila

      Algumas pessoas têm comentado isso aqui no blog. Mas, como se trata de uma cultura diferente, ela bate em alguns pontos com a nossa.

      Querida, obrigada por sua presença e pelo seu comentário. Volte sempre.

      Abraços,

      Lu

      Responder
    2. Maura

      Laila
      Eu estava toda caída por um gatinho indiano, lindinho. Até que ele resolveu me mandar um nude tirado debaixo do chuveiro. Olha, nem deu para olhar para o nude em si, de tão sujo que estava o banheiro. Piso quebrado, em volta do ralinho nem tem piso, só cimento, azulejos e rejunte dos azulejos super encardidos, torneira do chuveiro meio quebrada, esponja de banho imunda, toda desfiada e desmanchando. Vassoura de bruxa no cantinho. E olha que esse gatinho tem banheiro, pois a maioria faz as necessidades ao ar livre ou em banheiros públicos terríveis.

      Responder
      1. Mila Ferez

        Maura
        Menina, eu ri demais com seu bom comentário. Gostaria de dizer que eu também conheci a raça, no início é uma melaço total, depois vai caindo a máscara. Isso que falou das fotos é assim mesmo, ele me mandou na época uma foto que era de uma pobreza sem fim… O chão estava repleto de lixo… Eu fiquei tão triste de ver uma situação dessa, e é claro que sabemos que eles comem sem talheres e no chão! Aí Jesus! Eu não dou conta disso não, desisti na hora! Mas o problema nem é a pobreza, mas sim o caráter, o que eles não têm muito. É um povo que mente muito! Santo Deus e só pensam 24 horas em sexo, não respeitam mulher nenhuma, muito sem noção.

        Beijos

        Responder
  5. Iolanda dos Anjos

    Lu!
    Acabo de enviar o texto a uma amiga que postou no face: “sentindo-se decepcionada”. Ela possui nível superior, conheceu a Índia no ano passado, e etc. Imagine as pobres mortais que nunca poderão viajar àquele país.
    Abraços

    Responder
    1. LuDiasBH Autor do post

      Iolanda
      É triste saber que 98% dessas mulheres que se apaixonam por indianos, afegãos, egípcios, etc, nada sabem sobre a cultura dessa gente. Embarcam no romance sem ter um mínimo de conhecimento sobre o que lhes aguarda. Tomei conhecimento de uma que se casou com um muçulmano e agora tem que conviver com suas outras mulheres, sem chiar. Deve estar comendo o pão que o diabo amassou, uma vez que sua cultura é outra. Algumas ficarão apenas iludidas via internet, caindo muitas vezes em golpes. Poucas irão aos países em questão, para sentir na pele a dura realidade de ser uma estrangeira num país culturalmente desconhecido. Sua amiga tem toda a razão de estar se sentindo decepcionada.

      Abraços,

      Lu

      Responder
        1. LuDiasBH Autor do post

          Iolanda

          Que bom, amiguinha. Nada como se livrar de um “encosto”… risos.
          Agradeço o seu trabalho de divulgação do nosso blog, assim como o de alerta às pouco precavidas.
          Você é nota mil!

          Beijos,

          Lu

        2. Iolanda dos Anjos Chini

          Ok Lu.
          Estou divulgando mesmo!
          Enviando como mensagem, onde a pessoa clica e tem acesso a todo o conteúdo.

          Abraços

        3. Helen

          Iolanda
          São raros os indianos que dão certo com estrangeiras. Aconselho a nem começar.

        4. LuDiasBH Autor do post

          Helen

          Concordo plenamente com você. O ideal é mesmo não dar abertura para esses tipos de relacionamentos, em razão dos golpes que se espalham por todo o país.

          Agradeço sua presença e comentário.

          Abraços,

          Lu

  6. Valquíria Ribeiro

    Quando veio a público o caso daquela estudante estrangeira, que sofreu um estupro coletivo, e veio a falecer, eu já fiquei desconfiada da fama da Índia ser este paraíso de espiritualidade, mas agora lendo seus artigos fiquei mais pasmada ainda. Ótimo blog. Bom para abrir os olhos de quem se envolve com eles.

    Responder
    1. LuDiasBH Autor do post

      Valquíria

      Também não consigo entender essa tão aclamada “espiritualidade”. Penso que esta fama deve-se aos ricaços que vagam em busca de exotismo. Ao chegarem à Índia, ficam apenas em hotéis luxuosos, sem nenhum contato com a pobreza, reverenciando os gurus. Voltam do mesmo de jeito que foram, sem conhecer o país na sua essência. O envolvimento de mulheres brasileiras com indianos está virando uma epidemia. O pior é que eles são muito espertos e as mulheres muito vulneráveis. Imagine se uma cultura, onde a mulher sofre horrores, irá dar boa vida para mulheres estrangeiras!

      Será um prazer contar com a sua presença aqui no blog. Volte sempre.

      Beijos,

      Lu

      Responder
    1. LuDiasBH Autor do post

      Bárbara

      Será sempre um prazer receber a sua visita. Temos inúmeros artigos sobre a cultura indiana, assim como sobre os relacionamentos de brasileiras com indianos e os muitos golpes que vêm acontecendo.

      Abraços,

      Lu

      Responder
    1. LuDiasBH Autor do post

      Talita

      É muito interessante, mesmo. No blog há mais de 100 artigos relativos à cultura indiana e também de outros países.

      Obrigada pela visita e pelo comentário.

      Abraços,

      Lu

      Responder
  7. Fatima Regina

    Boa noite, amiga!

    Eu leio e releio suas matérias. Estou tendo um problema com um indiano. Depois de ler tantos relatos, eu vi nele tudo o que foi dito a respeito desses sapos. Não estou apaixonada, mas somos amigos. Eu descobri que ele tem muitos perfis falsos. Como pode um homem de 35 anos não ser casado, diz ser universitário e viver pedindo coisas? Diz ser muçulmano e posta fotos de Jesus. Estou dando corda pra ele se enforcar, rssss.

    Responder
    1. LuDiasBH Autor do post

      Fátima Regina

      Fico contente ao saber que você não será uma vítima dessa gente. Esses sapos, ou girinos, como diz uma comentarista aqui, estão a infernizar a vida das mulheres em todo o mundo, e em especial no Brasil, tentando dar seus golpes. Parecem não ter serviço, pois só vivem pendurados nos celulares, querendo levar vantagens. Nem sei se vale a pena tê-los como amigos. Com 35 anos é com certeza casado. Ninguém chega solteiro com essa idade na Idade, pois tanto os hindus quanto os islâmicos casam-se muito jovens. Os primeiros para terem acesso ao dote, e os segundos para produzirem filhos para o “Jihad” (guerra santa). E essa idade não é mais para ser universitário, mas trabalhador… risos. Tenha também muito cuidado com o que você diz ou escreve, pois eles, quando preteridos, fazem estragos na vida da pessoa. Uma garota comentou que o indiano, com quem ela conversava, postou coisas horríveis contra ela, que perdeu os amigos por isso. Portanto, não se aventure muito.

      Um grande beijo,

      Lu

      Responder
  8. Nadia Dias

    Eu me apaixonei por um indiano que dizia querer casar comigo, e que dizia tantas palavras de amor em inglês irresistíveis. Só que começou a pedir vídeos em que eu tinha que estar pelada. Não mandei, ele ficou furioso, bravo mesmo. Mudou da água pro vinho, quando me relutei. Queria meu endereçar para chegar no Brasil e somente cama comigo. Achava-se rei, porque era mais novo do que eu. Adorei esta matéria, pois esclarece muita coisa a nós mulheres carentes e fáceis de serem enganadas.

    Responder
    1. LuDiasBH Autor do post

      Nádia

      Como viu através dos comentários aqui, esses indianos que travam relacionamento através da internet não passam de vagabundos golpistas, enganando as mulheres ingênuas. Possuem vários perfis e prometem “amor” a um monte delas. Estão fazendo isso em várias partes do mundo, agora que o programa tradutor facilita a comunicação. Eles só querem tirar alguma coisa da enganada: dinheiro, joias, cidadania… E suas próprias mulheres ajudam a dar o golpe, passando por irmãs ou amigas. Portanto, não caía nessa. Pule fora desse barco o mais rápido possível. Veja o caso de uma leitora que foi roubada em 11 mil reais, tendo o cara desaparecido. Aconselho-a a ler, também, um blog chamado INDIAGESTÃO, de uma brasileira que mora na Índia. Ela relata a verdade nua e crua. Outra coisa, cuidado também com os muçulmanos (árabes, egípcios, afegãos, paquistaneses…).

      Nádia, leia também outros textos e comentários sobre o assunto, aqui no blog.

      Um grande abraço,

      Lu

      Responder
    2. Lun@

      Nádia

      Há alguns dias passei por uma situação semelhante. O jovem indiano dizia que me amava: “Você é a mulher da minha vida e tal. Me manda fotos eróticas, nua, ou vídeos em poses sensuais, etc” Disse-lhe que tenho meus filhos e que ele fosse no banheiro fazer o vídeo. A insistência foi tanta que perdi a paciência e disse-lhe: Vocês indianos são chatos, não me enche mais! Ele ficou nervoso, se pudesse varava a tela para me bater, mostrou quem realmente era. Um outro me pediu 10 mil dólares, outro me pediu um celular novo, porque o dele tinha quebrado. Eu mandei os vagabundos trabalhar. Eles tentam, inventam, iludem para conseguir o que querem.

      Nádia, o prejuízo emocional deixa estragos maiores que o financeiro. Digo isso porque minha irmã hoje se encontra doidinha, à espera do jovem príncipe indiano. Mas não foi por falta de aviso.

      Responder
  9. Márcia Martins

    Vivendo e aprendendo sempre!
    Choquei…rsrsrsrsr…
    Os indianos sempre me causaram a impressão de pessoas com “espírito elevadíssimo”, realmente as aparência enganam!

    Responder
    1. LuDiasBH Autor do post

      Márcia

      Nós fomos educadas ouvindo esse blá-blá-blá mentiroso. Também pensei assim durante muito tempo. Até descobrir que a história era bem outra… risos. Tenho mais de 100 textos aqui, sobre este tema. É mesmo de cair o queixo.

      Um grande abraço e muito obrigada pela visita,

      Lu

      Responder
  10. Lilica

    Confesso que fiquei chocada com o texto! Juro que não sabia dessas caracteristicas dos indianos. Vivendo, lendo e aprendendo… Até tu, Madre Tereza? Já havia me decepcionado com alguns relatos sobre Gandhi.

    A Vívian não deu espaço para o indiano, que queria passar a imagem de príncipe, e ela já sabia que ele não passava de um sapo, rsrsrsr.

    Beijos

    Responder
    1. LuDiasBH Autor do post

      Lilica

      Essa gente não é fácil.
      Vou lhe passar dois links para que você saiba realmente quem são os indianos.
      Espiritualidade na Índia? Onde?

      Beijos,

      Lu

      Responder
  11. Fatima Regina

    Achei muito boa a matéria. Eu me deparei com um indiano que mente o tempo todo, um homem de 33 anos, que vive de tentar seduzir senhoras, mas comigo não rolou!

    Responder
    1. LuDiasBH Autor do post

      Fátima

      Parabéns pelo seu posicionamento. Esses indianos estão virando uma praga em todo o mundo. E muitas tolinhas estão caindo no golpe.

      Abraços,

      Lu

      Responder
  12. Tahina

    É bem verdade que o descrito aqui é no mínimo chocante aos leigos sobre o assunto. Mas como toda regra há exceções.

    Responder
    1. LuDiasBH Autor do post

      Tahina

      O mais difícil é quando a exceção vira a regra. E como é impossível divisar os pouquíssimos honestos da multidão de pilantras, o bom mesmo é cortar o mal pela raiz.

      Obrigada pela visita!

      Abraços,

      Lu

      Responder
  13. Maura

    Recebi nesta semana, um link do youtube sobre a Madre Teresa de Calcutá – Louca Genocida, Anjo do Inferno.

    Vivendo e aprendendo!

    Responder
    1. LuDiasBH Autor do post

      Maura

      Já saiu a biografia dela. Também já ouvi falar sobre isso, mas gostaria de ler o livro, pois há muita mentira na internet. Depois da novela, os artigos sobre a Índia estão bombando. Espero apenas que não aumentem os “príncipes”.

      Abraços,

      Lu

      Responder
  14. LuDiasBH Autor do post

    Vívian

    É bom tomar conhecimento de tais verdades para desmascará-los sempre que precisar. Pois mentem um bocado, além de serem fanfarrões. Com a leitura de textos como este, as mulheres irão ficando cada vez mais alertas e prontas para rebater as mentiras dos “apaixonados” indianos, que na verdade só pensam em tirar proveito dos relacionamentos, pedindo dinheiro e joias.

    Abraços, querida,

    Lu

    Responder
  15. Vivian

    Adorei essas verdades sobre os indianos. De certa forma eu percebi tudo isso em meu “apaixonado amigo”. O tempo todo deixei entender que eu estava totalmente envolvida, concordando em tudo com a cultura dele e demonstrando desprezo pela minha; desse modo ele se abriu e pude captar a verdade por trás das palavras de amor… Tudo exatamente como está no texto.

    O que mais me deixou convencida do quanto são ignorantes foi quando ele citou que somente os homens são independentes por lá, mas fiz questão de dizer que me banco desde os 18 anos, meio proposital mesmo, já que sabia que ele próprio e o irmão viviam à custa do pai. Isso me deu uma sensação de estar sendo mais “homem” que eles (risos). Agora, inesquecível mesmo será para mim quando ele disse “slap you”, depois que eu o irritei, tirando-o do sério (risos), foi proposital mesmo! …

    Esse meu “amigo” pareceu inteligente e moderno em se tratando dos demais indianos, mesmo assim, enxerguei nele fragmentos dessa cultura selvagem… Não vou esquecer tão cedo essa minha aventura, mas sei que ele também não. Talvez desistirá de “seduzir” mais brasileiras (risos).

    Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *