INFORMAÇÕES SOBRE OXALATO DE ESCITALOPRAM

Siga-nos nas Redes Socias:
FACEBOOK
Instagram

Autoria de LuDiasBH

tar1234

O mercado trabalha com uma variedade de antidepressivos. Dentre as inúmeras substâncias usadas, uma das mais modernas e mais indicadas pelos especialistas vem sendo o oxalato de escitalopram, usado no tratamento da depressão, síndrome do pânico, agorafobia, ansiedade generalizada (TAG), fobia social e transtorno obsessivo compulsivo (TOC). Segundo orientações encontradas na bula, o paciente, que irá fazer uso de tal substância, deve avisar a seu médico, se teve ou tem algum problema de saúde, principalmente:

• epilepsia ; diabetes;
• comprometimento do funcionamento dos rins e/ou do fígado;
• níveis de sódio diminuídos no sangue;
• tendência a sangramentos ou manchas roxas;
• doença cardíaca coronariana;
• estar em terapia eletroconvulsiva;
• deve também relatar os medicamentos que estão sendo usados, ou que usou nos 14 dias anteriores ao início do tratamento, a fim de evitar reações adversas.

Uma das perguntas mais frequentes é em relação ao tempo que a medicação leva para fazer efeito. Na maioria das vezes, esse não é sentido logo após o início do tratamento, sendo necessárias algumas semanas para começar a surgir os efeitos positivos. Os efeitos adversos iniciais variam de pessoa para pessoa. Um dos mais sentidos é o aumento da ansiedade, que irá desaparecendo com a continuidade do tratamento. Isso não deve levar o paciente a paralisar a medicação, ou mudar a dose prescrita, sem autorização de seu médico. Alguns sintomas, contudo, devem ser imediatamente relatados ao especialista, quando em uso de tal substância:

• a mudança para uma fase maníaca (mudanças incomuns e rápidas das ideias, alegria inapropriada e atividade física excessiva);
• inquietude ou dificuldade de sentar ou permanecer em pé;
• pensamentos suicidas ou de causar ferimento a si próprio. É possível que continuem ou fiquem mais intensos antes que o efeito completo do tratamento antidepressivo torne-se evidente.

Observação:
• algumas vezes, a pessoa pode não conseguir perceber a existência dos sintomas acima citados, portanto, é útil pedir a ajuda de um amigo ou familiar para ajudá-la a observar possíveis sinais de mudança no seu comportamento;
• durante o tratamento, a pessoa deve avisar seu médico imediatamente, ou procurar o hospital mais próximo, se apresentar pensamentos ou experiências desagradáveis ou qualquer um dos sintomas anteriormente mencionados.

Atenção
• Normalmente o oxalato de escitalopram não deve ser usado no tratamento de crianças e adolescentes com menos de 18 anos de idade, pois esses apresentam um risco maior para alguns efeitos adversos, tais como tentativas de suicídio, pensamentos suicidas e hostilidade.
• O médico deve ser informado se a mulher está grávida ou pretende ficar. E também quando estiver amamentando, para evitar problemas para o bebê.
• Recomenda-se não ingerir álcool durante o tratamento.
• Os comprimidos são administrados por via oral, uma única vez ao dia. Podem ser tomados em qualquer momento, preferencialmente no mesmo horário.
• Não interromper o uso do remédio até que o médico avise.
• Ao terminar o período de tratamento, é recomendado, que a dose seja gradualmente reduzida por algumas semanas, para evitar os sintomas desagradáveis da descontinuação.

Relate a seu médico caso apresente algum dos efeitos adversos, embora muito deles sejam comuns:

• náusea; nariz entupido ou coriza (sinusite)
• aumento ou diminuição do apetite;
• ansiedade, inquietude, sonhos anormais, dificuldades para dormir, sonolência diurna, tonturas, bocejos, tremores, sensação de agulhadas na pele;
• diarreia, constipação, vômitos, boca seca; aumento do suor;
• dores musculares e nas articulações (mialgias e artralgias);
• distúrbios sexuais (retardo ejaculatório, dificuldades de ereção, diminuição do desejo sexual e, em mulheres, dificuldades para chegar ao orgasmo);
• cansaço, febre; aumento de peso;
• sangramentos inesperados, o que inclui sangramentos gastrointestinais;
• urticária, eczemas (rash), coceira (prurido);
• ranger de dentes, agitação, nervosismo, ataque de pânico, estado confusional;
• alterações no sono, alterações no paladar e desmaio;
• pupilas aumentadas (midríase), distúrbios visuais, barulhos nos ouvidos (tinnitus); perda de cabelo; sangramento vaginal; diminuição de peso;
• aceleração dos batimentos cardíacos; inchaços nos braços ou pernas;
• sangramento nasal;
• agressividade, despersonalização, alucinação;
• diminuição dos batimentos do coração; pensamentos suicidas;
• tontura ao levantar-se por queda da pressão (hipotensão ortostática)
• se sentir inchaço na pele, língua, lábios ou face, ou apresentar dificuldades para respirar ou engolir (reação alérgica), contate seu médico ou vá diretamente para um hospital com serviço de emergência;
• se apresentar febre alta, agitação, confusão, espasmos e contrações abruptas dos músculos, esses podem ser sinais de uma condição rara denominada síndrome serotoninérgica, contate o seu médico imediatamente;
• se apresentar algum dos efeitos adversos a seguir, deve contatar imediatamente o seu médico ou ir diretamente para um hospital com serviço de emergência: dificuldade para urinar, convulsões, cor amarelada da pele ou no branco dos olhos.

Nota: quero alertar os leitores, que muitos dos sintomas aqui mencionados são bastante raros, não sendo motivo para o medo de usar o oxalato de escitalopram, um dos antidepressivos mais modernos e mais usados no momento. Os laboratórios são obrigados a fazer  constar tudo nas bulas, ainda que seja apenas um caso em todo o histórico do remédio.

Tem como efeito positivo livrar-se:

  • da depressão;
  • da ansiedade generalizada (TAG);
  • da síndrome do pânico (com ou sem agorafobia)
  • da ansiedade;
  • da fobia social;
  • do transtorno obssessivo compulsivo (TOC).

Atenção:

Caros leitores, em razão do excesso de comentários nesta postagem, o que vem dificultando a abertura da página, ela foi fechada para novos comentários. No entanto, vocês poderão ter acesso aos que aqui se encontram, mas, se quiserem deixar um comentário, devem se direcionar ao texto a seguir, clicando no link abaixo:

OS ANTIDEPRESSIVOS EM NOSSA VIDA

Fonte de pesquisa:
http://www.medicinanet.com.br/bula/8151/escitalopram.htm

1.250 comentários sobre “INFORMAÇÕES SOBRE OXALATO DE ESCITALOPRAM

  1. Clayson

    Olá amigos e amigas!
    Venho trazer aqui mais experiências desse início de tratamento com Escitalopram.

    Ontem, após acordar com medo no meio da noite, não dormi direito, o que resultou em um dia realmente muito difícil. Percebi em mim algo que aqui é recorrente: fiquei pensando no tratamento, nos sintomas, no que estava sentindo. Cismei que não estava enxergando as letras nitidamente, sendo que até ajudei os outros a lerem e a acharem coisas através de ler embalagens! Como pode?! Essa mente é uma figura! Hoje dormi melhor e acordei bem.

    Pessoal, sei que não é fácil, mas apenas sintam confiança e deixem os remédios agirem. Se acreditarem, peçam ajuda pra Deus. Espero que nós possamos melhorar a cada dia mais.

    Abraços!

  2. Maria Claudia

    Oi, Lu!

    Da última vez, eu te falei que o oxa e a quet tinham se entendido. Mas notei que depois que tudo se estabilizou, aquela resposta inicial ao oxa, a memória retornando, a falta do medo, a vontade de fazer várias coisas, foi sumindo. Não me encontro mal, nem em depressão, mas sinto que falta algo. A memória tem falhado várias vezes, a ansiedade às vezes tenta dar o ar da graça, e o medo aparece meio tímido. Mesmo vendo melhora, ainda assim acho que a quetiapina me tirou algumas coisas, mas faz parte.

    Conversei com a minha terapeuta sobre isso, sobre o fato de acordar e depois no meio da manhã me dar sono de novo, da falta de vontade de fazer algumas coisas. Sei que eles precisam que eu durma, e eu tenho até obedecido à quet rs, mas parece que ela assumiu o comando! Minha terapeuta acredita que o médico aumente a dose do oxa, pra se equilibrar com a quet.

    Também estava pensando que, durante o tratamento, dependendo da medicação, ficamos com certas limitações. Por exemplo, me chamaram pra ir ao Rock In Rio. Pensei: Não posso. Tomo a quet às 21 horas, com sorte, ela me dá umas 2 horas acordada ainda, 2 horas e meia, com areia nos olhos. Corro o risco de desmaiar no gramado. E não vou deixar de tomar o remédio pra assistir um show. Posso sair, mas tenho hora pra voltar pra casa, ou viro abóbora no meio do caminho! Mas, com isso, a gente descobre outras coisas, outros prazeres. Posso colocar meus livros em dia, posso assistir séries, ver filmes, escutar música, meditar mais um pouquinho, fazer um prato mais elaborado na cozinha, passear com os dogs, assistir ao pôr-do-sol todos os dias, adotar mais um peludo (sim!!! adotei rs) e mais uma infinidade de coisas simples, que vão aparecendo e alimentando a alma.

    Às vezes, sinto uma injeção de ânimo. Acho que é o oxa tentando dizer: Ei! Estou aqui! E aí ganho energia para várias coisas. Nada disso me chateia, ou me deixa incomodada. Me sinto equilibrada no momento, mas parece que falta algo, sabe? Sei que não podemos ter tudo, e que as coisas não são perfeitas. Continuo lidando com os meus problemas, com os meus altos e baixos, mas a gente sente quando alguma coisa parece estar fora do lugar. Sei que preciso do tratamento, e sei que os remédios me ajudam. Sei que aumentando a dose do oxa vou passar pelos efeitos colaterais novamente. Mas eles não me perturbaram no início. Confesso que foi até bom, pois perdi 6 quilos, mesmo me alimentando! Então é aguardar a consulta, e ver no que vai dar! Depois do médico volto para dar um retorno!

    Beijo grande!

    1. LuDiasBH Autor do post

      Maria Cláudia

      Já estava com saudades suas, menina!

      Amiguinha, eu tenho uma visão meio filosófica da vida. Penso que, por sermos seres limitados, sempre nos faltará algo na vida. E em nós, que somos acometidos por transtornos mentais, esta percepção aflora com mais nitidez. Mas por quê? Penso que as vítimas de transtornos mentais desenvolvem uma sensibilidade à flor da pele. O que a muitos passa despercebido, para nós é visível. Estamos sempre atentos ao trabalhar de nosso corpo, captando os mais ínfimos sinais. E, com isso, nossa percepção abre com mais intensidade em relação à nossa vida e ao mundo. Assim sendo, a indagação sobre o existir é muito mais forte em nós. E quem se dá à reflexão vê e sente com mais intensidade seu mundo interior e o exterior. Sempre faltará algo a todo ser humano, embora alguns não tenham a compreensão disto. Ninguém é 100% completo, principalmente quando se tem plena consciência de si e do mundo.

      Mária Cláudia, como você sabiamente nos ensina, precisamos fazer trocas em nossa vida, de modo que possamos ser beneficiados com elas. Agindo como Pollyana (garota de um livro), sempre encontraremos uma janela para substituir uma porta. As opções são muitas variadas, cabendo-nos a sabedoria da escolha. Maior é o nosso “algo faltante” quando colocamos nas pessoas em derredor a nossa felicidade. Cada um de nós deve sentir-se bem na própria companhia. Assim sendo, nossa compreensão permite que sejamos mais tolerantes conosco e com o mundo, possibilitando-nos diminuir o vazio que se faz presente em todo ser humano, e que, para combatê-lo, não existe nenhum antídoto.

      Amiguinha, você é sempre muito especial. É uma lição de vida para todos nós. Repito aqui um trecho importante de seu comentário:
      “Mas, com isso, a gente descobre outras coisas, outros prazeres. Posso colocar meus livros em dia, posso assistir séries, ver filmes, escutar música, meditar mais um pouquinho, fazer um prato mais elaborado na cozinha, passear com os dogs, assistir ao pôr-do-sol todos os dias, adotar mais um peludo (sim!!! adotei rs) e mais uma infinidade de coisas simples, que vão aparecendo e alimentando a alma.”.

      Abraços,

      Lu

      1. Maria Claudia

        Lu
        Nem preciso dizer que amei sua resposta!
        É isso mesmo, uma sensibilidade extremamente aflorada. Observar a vida, a natureza, e ver surgir na mente várias perguntas, questionamentos, curiosidades… Coisas que de alguma forma tocam nosso interior. O que pra muitos passa desapercebido, pra nós soa como se o tempo ficasse em suspenso alguns instantes. Realmente prestamos atenção às sensações do nosso corpo. E a minha meditação, se foca nisso, nas sensações do corpo, pois estamos constantemente em mudança. Chamamos esse movimento constante, essa impermanência de Anicca (se fala, Anitcha).

        Desde que me separei, há uns 3 meses, tenho mantido o foco em mim. Eu hoje sou minha maior prioridade. Aprendendo todos os dias a apreciar minha companhia, a receber de volta uma liberdade que sempre foi minha, mas se encontrava perdida. A começar a entender o que mereço de verdade (e todos nós merecemos uma vida plena!)

        Volto para dar retorno do médico. Mas estou sempre lendo os comentários. Obrigada pelas palavras, minha amiga, estava com saudades também. Ler o que escreveu me ajudou muito.

        Gratidão sempre!

  3. Correa

    Lu querida
    Não me esqueci do blog, estou sempre lendo as mensagens de todos, e hoje venho partilhar minha melhor. Estou trabalhando novamente, minha vida voltou ao normal, graças a Deus, ao escitalopram e a este cantinho nosso que é fabuloso nosso.

    Amigos, fiquem firmes e sejam persistentes, pois eu passei por tudo que cada um está passando agora. Vejo como o remédio nos ajuda. Faço uso há 3 meses e estou super bem. A Lu sabe muito bem como eu fiquei, mas hoje trago uma palavra de incentivo para todos vocês, confiem no medicamento, em Deus, na família e amigos. Isso passa e eu sou uma prova viva.

    Abraco a todos e melhoras.

    1. LuDiasBH Autor do post

      Correa

      Fico feliz com os resultados de seu tratamento e por voltar a trabalhar. Sei que jamais se esquecerá deste cantinho, trazendo incentivo para todos. Você é uma pessoa muito carinhosa e especial.Não precisa escrever todo dia, mas acesse este espaço sempre que puder.

      Abraços,

      Lu

  4. Clayson

    Lu
    Há quase uma semana de tratamento, eu venho dia após dia me sentindo cada vez mais adaptado, me sentindo melhor mais vezes. Eu vinha tendo sonhos, e não sabia se estava acordado ou dormindo. Por isso, não sentia que havia dormido de noite. Estava tomando Alprazolam 0,25 mg antes de dormir. Ontem eu senti sono sem ele, tomei passiflora (remédio natural) e chá de camomila antes de dormir. Dormi bem melhor. Ainda tive sonhos ruins, como um que estava sendo assaltado dentro do banco. Foi horrível, mas eu sabia que era sonho é que estava dormindo. Fui dormir na faixa das 22h e acordei na faixa das 5h. Uma boa jornada de sono, não? Acho que poderia ter dormido mais um pouquinho, talvez.

    Acordei e tentei dormir, mas vieram muitas palpitações, o que me deixou inseguro e ansioso, com as pernas inquietas. Vim ler os comentários, o que faço sempre que me sinto mal, e leio pra tentar melhorar. Vi um comentário de uma menina falando que sentia como se o corpo dela estivesse sendo purificado dos medos e dos bloqueios dela. Quando li isso, pensei que em nenhum momento, depois que comecei o tratamento com Exodus 20 mg, eu senti ansiedade e pânico pelos mesmos motivos. E, conforme os dias estão passando, estou me sentindo melhor. Então, para mim fez todo sentido isto de estar tendo a mente gradativamente livre dos bloqueios, como se estivesse vivendo o que me apavora.Vou tentar passar o dia sem ansiolíticos e começarei a usar apenas em SOS.

    Lu e pessoas que lerão meu comentário, quero dizer que apesar de sumir, eu venho aqui todos os dias, várias vezes ao dia. É o melhor lugar para se acalmar. Não vejo a hora de começar a psicoterapia pra melhorar ainda mais.

    1. LuDiasBH Autor do post

      Clayson

      Há ansiolíticos como o rivotril e o alprazolam que realmente mexem com a qualidade do sono de certas pessoas. Quando tomei rivotril, também tive pesadelos, acordando como se não tivesse dormido, muitas vezes sem saber se aquilo havia acontecido de verdade ou não. Por isso, esses medicamentos devem ser tomados apenas na fase inicial do tratamento, e depois deixados apenas para um caso de SOS. Além do chá de camomila, também pode tomar o de melissa e o de ibisco, pois são ótimos. Opte pelos comprados no mercado, em vez de saquinhos. Beba cerca de três xícaras por dia. E, ao deitar-se, tome uma xícara de leite morno.

      Realmente o contato com os diversos comentários ajuda-nos a refletir sobre os nossos problemas. E assim acabamos nos ajudando mutuamente. Você nem imagina como é grande de número de pessoas que acessa as páginas sobre Saúde Mental (mais de 500 diariamente). Os comentários são muito importantes, pois muitos não têm coragem de escrever, mas se veem no escrito desse ou daquele comentarista. Sinto-me feliz ao saber que este cantinho tem ajudado. Fale dele para outras pessoas.

      Abraços,

      Lu

  5. Soraya

    Oi, Lu!
    Cheguei aqui e gostei muito.

    Estou há 10 dias com o Esc, já saí da cama e estou fazendo minhas tarefas sem “sofrimento”. Estou mais animada, sinto um tipo de euforia, pareço ligada a 220w, mas sei que vai passar. É preciso ser POP! 🙂

    1. LuDiasBH Autor do post

      Soraya

      Seja bem-vinda a este cantinho. Sinta-se em família.

      Amiguinha, é muito bom saber que está passando pela fase inicial do tatamento sem sofrimento. Essa euforia excessiva irá passar, pois a função do antidepressivo é justamente propiciar equilíbrio. Continue POP e sempre em contato conosco.

      Abraços,

      Lu

  6. Rubens

    Lu
    Sou novo aqui. Achei muito interessante este fórum. Eu tomo exodus há algum tempo e sou usuário de maconha. Deixei de fumar por causa da crise do pânico, mas às vezes uso. Sinto que a desrealidade me incomoda muito. Mesmo depois de alguns dias sem usar, sinto que o remédio também causa desrealidade. Por que isso acontece?

    1. LuDiasBH Autor do post

      Rubens

      Seja bem-vindo à nossa família. Sinta-se em casa.

      Amiguinho, todos os antidepressivos podem causar efeitos adversos. E as pessoas reagem diferentemente aos mesmos. Ou seja, os sintomas não são iguais para todas elas. A desrealização é um dos transtornos, mas, ao contrário da maconha, ele é passageiro, acontecendo apenas no início do tratamento. Quando os bons efeitos começam a aparecer, a desrealização desaparece. Trata-se de uma das maneiras de o organismo dizer que está recebendo algo que lhe estranho, como acontece quando recebe a maconha, que, com o tempo de uso poderá trazer danos irreversíveis a seu corpo.

      Seu e-mail está incorreto!

      Abraços,

      Lu

      1. Acsa

        Lu
        É muito interessante este espaço!

        Comecei a usar o antidepressivo de 10 mg e senti algumas melhoras, inclusive na urgência urinária, um benefício que nem imaginava alcançar. Entre algumas dúvidas, aproveitando a oportunidade do comentário sobre maconha, quando o médico receitou o escitalopran, eu perguntei se havia problema com bebida alcoólica. Ele disse que não. Porém, às vezes em que eu bebi, percebi que aumentou significativamente o efeito da ressaca. Um amigo disse que é até perigoso misturar e entrar em coma. Então não entendi, afinal se tem ou não problema. Saberia me dizer?

        1. Acsa

          Lu
          Eu comecei com 10 mg, mas com 20 e poucos dias fui ao médico com problemas de sono. Ele aumentou pra 15 mg e passou remédio pra dormir. Eu já custo com a ideia do remédio pra ansiedade e não quis comprar o que ele passou. Inclusive tenho tido sonhos loucos e era raro problema com sono. Estou tomando um restinho de melatonina que trouxe dos EUA, pois ele não quis receitar mais. E já está me desmaiando mesmo com pouca quantidade. Enfim, tudo desregulado. Hoje comecei os 15 mg e estou me sentindo dopada.

        2. LuDiasBH Autor do post

          Acsa

          Todos os antidepressivos trazem transtornos adversos. Cada organismo reage diferentemente. O oxalato de escitalopram, por exemplo, faz umas pessoas terem muito sono e outras insônia. O remédio para dormir é receitado na fase inicial, até que organismo acostume-se com o medicamento, voltando ao normal. Após isso ele deve ser retirado. Mas se você acha que pode ficar sem ele, não há problemas. Existem também remédios fitoterápicos que ajudam no sono. É normal ter sonhos malucos e sentir-se dopada no início do tratamento, ou quando a dosagem sofre um aumento. Logo estará boa.

          Abraços,

          Lu

        3. LuDiasBH Autor do post

          Acsa

          Seja bem-vindo a este cantinho. Sinta-se em família.

          Amiguinho, quando o médico respondeu a sua pergunta, imagino que ele tenha se referido a beber moderadamente, pois ainda que não tomemos remédio algum, o álcool em excesso é sempre nocivo à nossa saúde. É fato que algumas substâncias usadas como antidepressivo não podem ser misturadas com bebidas alcólicas, pois podem levar ao como. O oxalato de escitalopram possui uma maior aceitação, mas o exagero no uso do álcool, além de tirar o efeito do medicamento, poderá trazer complicações. Portanto, use de cautela, pois cada organismo costuma reagir de um modo diferente. E se não me engano, a própria bula diz para evitar o álcool.

          Grande abraço,

          Lu

  7. Claudia

    Lu
    Quanto tempo faz que você toma escitalopram? É verdade que para algumas pessoas os antidepressivos perdem efeito com o tempo? Eu tomo o escitolopram 10 mg, mas recentemente não me tenho sentido bem. A médica me mandou tomar venlafaxina 75 mg à noite, mas estou com medo de tomar. Sofro de depressão há 10 anos e acho que agora estou com recaídas.

    1. LuDiasBH Autor do post

      Cláudia

      Seja bem-vinda a este cantinho. Sinta-se em família.

      Amiguinha, tomo oxalato de escitalopram há mais de cinco anos e tenho me dado muito bem. O organismo, com o tempo, acaba se acostumando com o antidepressivo, mas aí o médico aumenta a dosagem ou muda para outro. Isso não é problema, pois existem muitas substâncias diferentes no mercado. Quanto à venlafaxina, há muitas pessoas aqui que tomam. Não há motivo para ter medo. Leia os comentários para travar conhecimento com elas.

      Abraços,

      Lu

      1. Mauro

        Lu
        Tive depressão há 3 anos, e tomei exudus. Nesse período tive um desmaio no meio da rua cheguei a dose máxima 20 ml. Fiquei 3 anos bem, só que agora estou tendo uma recaída. Faz um mês que estou fazendo tratamento com o mesmo medicamento. Neste período tive outro desmaio. Liguei para a médica e ela aumentou a dose para 15 mg. Tive novo desmaio, só que eu não falei pra ela. Nesses 30 dias de tratamento ainda não me senti bem. Ainda estou muito pra baixo. Será que o remédio ainda vai fazer efeito, até porque da primeira vez ele me fez muito. De uns 4 dias pra cá tenho dormido mal, apenas 4 horas por noite. A pior parte do dia é a da manhã, pois à tarde até melhoro um pouco. Você acha que eu devo falar com a médica pra ver se ela passa alguma coisa pra eu tomar à noite, para melhorar o sono? Antes eu tomava exudus de manhã e donaren à noite.

        1. LuDiasBH Autor do post

          Mauro

          Seja bem-vindo a este cantinho. Sinta-se em família.

          Amiguinho, a depressão, na maioria das vezes, retorna. O importante é que você volte ao tratamento sempre que pressentir que ela está chegando, e nunca o pare por conta própria, só o deixando por ordem médica.

          Mauro, você é a segunda pessoa nesta semana a relatar-me desmaios. Você teve tonturas ao levantar-se, por queda da pressão (hipotensão ortostática), ou desmaios mesmo? Se se tratam de desmaios, esses devem ser comunicados à sua médica. Nunca omita os efeitos colaterais que está sentindo, pois muitos deles podem ter uma gravidade maior. E se não se sentiu nem um pouquinho melhor nesses 30 dias de tratamento, deverá relatar isso à sua psiquiatra, fale-lhe também sobre o último desmaio. Se não estiver sentindo firmeza na profissional, busque a opinião de um segundo especialista. Não adianta ficar só aumentando a dosagem, sem uma observação mais séria do que está acontecendo.

          A insônia é um dos efeitos adversos do oxalato de escitalopram. Quando isso acontece, se o paciente toma o medicamento à noite, o médico costuma passá-lo para o período da manhã. Se não quiser aguardar sua médica, poderá fazê-lo, mas preste atenção como: você deverá ficar UM DIA sem tomar o antidepressivo; passado esse dia, volte a tomá-lo no horário da manhã. Se não deixar a pausa de um dia, poderá incorrer numa super dosagem. Entendido?

          Quando os efeitos adversos são muito difíceis de aturar, a pessoa poderá fazer uso de um ansiolítico, até que eles passem. Você poderá conversar com sua médica, sim, sobre isso. Quanto à parte da manhã ser a pior, isso é normal para quem sofre de depressão. É o horário em que nos levantamos e tempos que enfrentar um novo dia com toda a sua carga de problemas. Mas assim que o antidepressivo passar a fazer efeito, tudo se normalizará.

          Amigo, não sei se você tem facilidade em buscar a opinião de um novo psiquiatra. Se tiver, faça isso. Inclusive relate todo o seu histórico anterior, passando pelos desmaios. Muitas vezes, uma substância que já nos fez muito bem, deixa de fazê-lo. E continue me trazendo notícias.

          Abraços,

          Lu

        2. Mauro

          Obrigado, Lu!
          Vou conversar com minha médica, ficar com Deus e este cantinho que ajuda muito a gente a ter mais um pouco de coragem. Noite passada até dormi um pouco melhor.

  8. Marcos

    Lu

    Faz 2 meses que comecei a tomar escitalopram 10 mg, e tenho passado muito bem. Faço terapia cognitiva comportamental, que tem ajudado bastante. Ando meio sumido daqui dos comentários porque minha vida é corrida. Ainda sinto um pouquinho de ansiedade, mas é por total culpa minha, às vezes eu sou cabeça dura e não me ajudo também. O início foi bem difícil, e você sempre dizia que os benefícios do medicamento sempre vêm, de fato vêm mesmo. Praticamente não sinto mais aqueles efeitos colaterais chatos, até minha fome já voltou ao normal. Aparecerei pra dar noticias. Muito obrigado pelo apoio, que foi muito importante pra levar o tratamento adiante.

    1. LuDiasBH Autor do post

      Marcos

      Suas notícias deixaram-me muito feliz. Seu sucesso é um estímulo para muitos que aqui chegam, desesperançosos, com receio de iniciar o tratamento. O início é realmente difícil, mas vale a pena passar por tudo isso. Obrigada pela visita. Venha sempre falar conosco.

      Abraços,

      Lu

  9. Neia Novais

    Lu!
    Já se passaram dez dias tomando o remédio. As sensações horríveis do inicio desapareceram. Porém, não estou vendo melhora em meu estado de antes. Será que não vou melhorar tomando o remédio? 🙁

    1. LuDiasBH Autor do post

      Neia

      Como lhe disse anteriormente, o antidepressivo demora, normalmente, cerca de três semanas para fazer efeito. Alguma pessoas necessitam de até 30 dias. Portanto, acalme-se, pois ainda se encontra na fase inicial do tratamento com apenas 10 dias de uso do remédio. Lembre-se de que é preciso ser POP.

      Abraços,

      Lu

      1. Neia Novais

        É tão angustiante. Mas vou ter calma e esperar pelo resultado.
        Obrigada por tudo!

        Beijos

        1. LuDiasBH Autor do post

          Antônio

          Eu não tenho zap, pois não daria conta das chamadas. E o meu Face e Instagram (constantes no site, na primeira página) apenas veiculam artigos do blog. Todo o contato deve ser feito aqui, neste espaço.

          Abraços,

          Lu

      2. Juber

        Lu
        Estou há 3 meses com escitalopram e melhorei bem, mas ainda sinto certa depressão/angústia, mas sem as crises de ansiedade fortes. Às vezes 01 dia bem e, depois uns 02 dias “mais ou menos”, humor oscilando. Tenho feito atividade física todos os dias e me alimentado direito, apesar da falta de apetite. Creio que o remédio ainda está em fase de, aos poucos, ir me estabilizando, ou será que devo trocá-lo? E obrigado por espaço que tanto nos ajuda.

        Um abraço!

        1. LuDiasBH Autor do post

          Juber

          Seja bem-vindo à nossa família. Sinta-se em casa.

          Amiguinho, com três meses já era para ter melhorado bastante, não tendo crises de dois em dois dias, praticamente. Pode ser que a dosagem esteja fraca. Aconselho-o a repassar tais informações a seu médico. Pode ser que tenha que aumentar a dose. Não deve trocá-lo. Somente seu psiquiatra poderá dizer sobre isso, após uma avaliação sua. Você não me disse qual é a dosagem prescrita.

          Abraços,

          Lu

    2. Correa

      Neia
      Fique tranquila. O meu caso a Lu sabe como foi difícil enfrentar, e só fui ver uma melhora depois de 5 semanas e meia. A receita é ser POP. Logo você irá colher os bons resultados e viverá normalmente. Eu estou super bem atualmente.

      Beijos

      1. Neia Novais

        Correa
        Obrigada pelas palavras. Fico feliz em saber que está bem. Espero assim como você, ficar bem logo também. É muito ruim e angustiante esta sensação de vazio e tristeza muito grande. Vou seguir com o tratamento, em busca do resultado que tanto espero.
        Beijos

    3. Jouber

      Neia,
      Eu entrei no terceiro mês de tratamento com escitalopram. Estou muito bem. Os primeiros 20, 30 dias são ruins mesmo, mas passa, querida. Seja forte! Daqui a pouco estará colhendo os benefícios! Deus, medicação e paciência!

      Um abraço e fique firme!

      1. Leticia

        Amigos deste blog

        Tenho ansiedade generalizada, meu coração fica acelerado o dia todo, e comecei a sentir um medo generalizado. Estou tomando Exodus 10 mg há exatos 22 dias, mas até agora nada melhorou. Os efeitos colaterais passaram… Mas essa ansiedade e medo horrível não vão embora. Posso ter esperança ue o remédio irá fazer efeito ainda? Já não era pra eu estar um pouquinho melhor?

        1. LuDiasBH Autor do post

          Letícia

          Já disse aqui inúmeras vezes que as pessoas otimistas tendem a ter resultados positivos mais rápidos, enquanto as negativistas ficam velejando em meio à raiva e ao sentimento de vitimização. As coisas são como as vemos… A aceitação é o meio mais eficaz para tornar nosso organismo pronto para efetuar boas mudanças. As indagações feitas por você não procedem, pois está lendo, diariamente, relatos de pessoas no site, dizendo que estão bem, depois do tratamento. Procure aumentar sua autoestima, aceitar os reveses da vida, pois não há quem não passe por um, viver com otimismo, sempre se lembrando de que há pessoas em situação pior. Viva apenas um dia de cada vez. Se não fizer isso, realmente fica difícil achar uma solução para o seu caso, minha amiguinha.

      2. Neia Novais

        Jouber
        Obrigada pelo incentivo. Estou tentando ser forte, tentando pensar positivo. Mas é complicado. Toda fase ruim da minha vida não passou. E não consigo reagir sabe, estou sentindo estranha, fora de mim. Estranha no mundo. Mas vou esperar o resultado do remédio. Obrigada e fique com Deus!

    4. Leticia

      Lu
      Tenho boas notícias. Faz 23 dias que estou tomando o Exodus 10 mg para tag e SP, e estou finalmente começando a me sentir mais calma e melhor. Até que dia o remédio irá aumentar a minha melhora? Ou seja, a partir de quando ele atingirá o máximo de efeito e melhora? Queria ter uma ideia pra saber se terei ou não que aumentar a dose!

      1. LuDiasBH Autor do post

        Letícia

        Que notícia maravilhosa! Como vê, tudo é questão de paciência e tempo. O antidepressivo pode aumentar a melhora até três meses, de acordo com o organismo de cada pessoa. Depois disso ele mantém a estabilidade do organismo, evitando que a pessoa venha a ter crises. Não se preocupe com a dosagem, pois somente o psiquiatra poderá dizer quando deve ser aumentada.

        Abraços,

        Lu

    5. Leticia

      Lu
      Hoje faz 27 dias que estou tomando o Exodus. Em relação ao medo que sentia posso dizer que melhorei uns 60%, porém, o que não passa é a minha palpitação e taquicardia. Elas são constantes. Isso já não era para ter diminuído? Será que o remédio não vai melhorar isso?

      1. LuDiasBH Autor do post

        Letícia

        Já ter tido uma melhora de 60% é um excelente sinal. Trata-se de um grande sucesso, o que significa que melhorará cada vez mais. Como vê, o antidepressivo está fazendo efeito. Se ao chegar aos 30 dias ainda continuar com as palpitações e taquicardia, volte a seu médico, para que ele avalie a dosagem. Gostaria que relesse o texto, aqui no site, OS ANTIDEPRESSIVOS EM NOSSA VIDA.

        Beijos,

        Lu

        1. Leticia

          Lu
          Voltei ao médico ontem e disse que minha taquicardia não tinha melhorado. Estava tomando 10 gotas do antidepressivo. Ele falou pra aumentar pra 12. Mas achei muito pouco. Você acha que vai fazer alguma diferença esse aumento? É a piora? Vou sentir de novo com esse aumento?

        2. LuDiasBH Autor do post

          Letícia

          Existem médicos mais cautelosos, que vão aumentando a dosagem aos poucos. Duas gotas podem fazer uma grande diferença. Caso venha a sentir alguma reação adversa com esse aumento, ela será bem fraquinha. Não há com que se preocupar. Procure ficar mais relaxada quanto ao seu tratamento. Pesquisas mostram que as pessoas otimistas tendem a melhorar com mais rapidez.

          Beijos,

          Lu

        3. Leticia

          Lu

          Agora com esse aumento da dose de 10 para 12 gotas irei piorar novamente da ansiedade?

        4. LuDiasBH Autor do post

          Letícia

          Caso venha a sentir alguma reação adversa com esse aumento, ela será bem fraquinha. Não há com que se preocupar. Procure ficar mais relaxada quanto ao seu tratamento.

          Abraços,

          Lu

  10. Anne Karolinne

    Lu

    Estou extremamente bem, graças a Deus, ao Exodus e à ajuda deste cantinho.

    Quero agradecer imensamente a ajuda que você me deu de início para vencer meu medo e prosseguir com o tratamento, afinal se não tivesse suportado a fase inicial e prosseguido, ainda estaria arrastando uma vida inútil em função da ansiedade. Estou tão bem que já não tenho mais a extrema preocupação de tomar o remédio de manhã, antes não esquecia de tomar de jeito nenhum, agora um dia ou outro acabo esquecendo. Eu não consigo me lembrar se tomei ou não. Minha duvida é: caso eu não tenha tomado ontem e tenha de fato esquecido de tomar hoje, posso começar a ter algum efeito da abstinência? Eu devo falar com meu psiquiatra e fazer o desmame do remédio?

    Pessoas que estão iniciando agora, AGUENTEM FIRME, segurem a barra, depois da tempestade inicial vem o arco-íris. Agradeço sua ajuda, Lu, por me fazer ser POP!

    Beijos

    1. LuDiasBH Autor do post

      Anne

      Suas notícias deixaram-me muito alegre. É bom saber que, depois de passar por um início tão conturbado esteja agora a ver o arco-íris. Como lhe disse, tudo era questão de paciência, otimismo e persistência. Parabéns por ter levado avante o seu tratamento. Quanto à abstinência, essa se dá depois de um certo tempo sem o remédio, pois seu efeito é acumulativo. Depois de uma semana, algumas pessoas já começam a sentir, pois varia de um organismo para outro. Procure tomar o mais regular possível, para que não venha a ter uma recaída. Sempre que ficar em dúvida se tomou ou não o antidepressivo, opte por não tomá-lo. É preferível um dia sem, do que uma super dosagem. Quanto ao desmame, somente seu psiquiatra poderá avaliar se já está na hora ou não. Converse com ele a esse respeito.

      Está também convidada a conhecer outras partes do site, agora que já se encontra bem. Será um prazer ter como leitora.

      Beijos,

      Lu

      1. Anne Karolinne

        Lu,
        vou marcar consulta com ele e ver sobre o desmame, graças a Deus você existe com este site.
        Sempre que possível, vou dando notícias!

        Beijos,

        Anne

    2. Leticia

      Lu,
      que graça este seu blog… Ajuda tanta gente… Comecei a tomar Exodus 10 mg faz 19 dias, para síndrome do pânico e ansiedade, mas não senti melhora alguma até agora. Já não era pra eu estar um pouco melhor?

      Parabéns e obrigada!

      1. LuDiasBH Autor do post

        Letícia

        Seja bem-vinda a este cantinho. Sinta-se em família.

        Amiguinha, você ainda se encontra no início do tratamento com o antidepressivo. O normal é que os bons efeitos apareçam após três semanas de uso, mas algumas pessoas necessitam de até 30 dias. Se dentro desse tempo não sentir melhora alguma, é possível que seu médico aumente a dosagem. É preciso ser POP (paciente, otimista e persistente). Se estiver difícil de aguentar essa sua primeira fase, peça a seu médico um ansiolítico para tomar nesse início. Leia também os outros comentários, pois poderão ajudá-la.

        Abraços,

        Lu

        1. Leticia

          Lu
          Acha que tenho que esperar mais qtos dias antes de falar com o médico, 21 dias ou 30?

        2. LuDiasBH Autor do post

          Letícia

          Vai depender de como se encontra. Se pode aguentar a situação com tranquilidade, espere por 30 dias, mas se não se encontra bem, procure o médico depois dos 21 dias. O contato com o psiquiatra no início do tratamento é muito importante.

          Abraços,

          Lu

        3. Leticia

          Lu
          Socorro! Me ajuda! Estou desesperada! Estou há quase 25 dias tomando o remédio e ele não está fazendo efeito algum. Não tenho mais efeito colateral, mas nada de melhora até agora. Tenho medo disso nunca passar mais. Será que esse remédio não funciona pra mim? Já era pra estar fazendo efeito.

        4. LuDiasBH Autor do post

          Letícia

          O tratamento com antidepressivo requer, sobretudo, paciência. Algumas pessoas precisam de até 30 dias para sentir os efeitos bons iniciais, pois possuem um organismo mais resistente ao medicamento. Se depois de 30 dias tudo continuar na mesma, pode ser que a sua dosagem esteja baixa. Deverá voltar ao psiquiatra e conversar com ele. Não dá para saber ainda se o remédio fará efeito ou não, para você. Não é preciso desespero, pois todos acabam encontrando o antidepressivo e a dosagem certa. Continue POP. Leia os comentários dos colegas de caminhada, para ver como tudo funciona.

          Abraços,

          Lu

        5. Leticia

          Lu
          Se ele aumentar a dosagem vai começar todo o pesadelo de novo… Efeitos colaterais e mais espera pra ver se vai fazer efeito. Muito sofrido! Pela sua experiência acha que a dosagem é baixa?

        6. LuDiasBH Autor do post

          Letícia

          Nós, portadores de transtornos mentais, devemos procurar ser o mais otimistas possível. Questionamentos negativos só nos põem para baixo. Se você tiver que aumentar a dosagem não há problema algum. O importante é a melhora de sua saúde. Não posso lhe dizer se sua dosagem está baixa, apenas levantei uma possibilidade. Fique tranquila, aguarde o tempo necessário e retorne a seu médico para que ele analise os efeitos do medicamento. Convido-a a ler o texto sobre o otimismo postado hoje no site.

          Beijos,

          Lu

        7. Sabrina

          Lu
          Já estou na dosagem máxima recomendada pelo médico (20 mg) e ainda tenho ansiedade pontuail. Antes a ansiedade era incapacitante mas, apesar da melhora, não me sinto totalmente livre dos sintomas. Vire e mexe tenho que apelar para umas gotas de Rivotril, isto é muito angustiante. Será que nunca mais vou me ver livre desta maldita doença? Será que vou ter que viver assim pra sempre, dependendo de dois tipos de remédios? Ou será que tem que aumentar ainda mais a dosagem do antidepressivo? Estou achando que não existe mais solução pro meu caso.

        8. LuDiasBH Autor do post

          Sabrina

          O seu comportamento em relação a seu transtorno mental é muito negativo. Ao chamá-lo de “maldita doença” fica visível a sua inaceitação. E isso só agrava o seu estado emocional. Já disse aqui inúmeras vezes que as pessoas otimistas tendem a ter resultados positivos mais rápidos, enquanto as negativistas ficam velejando em meio à raiva e ao sentimento de vitimização. As coisas são como as vemos… Quanto mais você renega seu problema, maior ele se torna. A aceitação é o meio mais eficaz para tornar nosso organismo pronto para efetuar boas mudanças. As indagações feitas por você não procedem, pois está lendo, diariamente, relatos de pessoas no site, dizendo que estão bem, depois do tratamento. Procure aumentar sua autoestima, aceitar os reveses da vida, pois não há quem não passe por um, viver com otimismo, sempre se lembrando de que há pessoas em situação pior. Viva apenas um dia de cada vez. Se não fizer isso, realmente fica difícil achar uma solução para o seu caso, minha amiguinha.

          Beijos,

          Lu

      2. Paula

        Comecei a tomar hoje o escitalopram 10 mg. Senti dor de estômago e fraqueza. Será que é normal estar sentindo meio estranha?

        1. LuDiasBH Autor do post

          Paula

          Bem-vinda à nossa família. Sinta-se em casa.

          Amiguinha, todos os antidepressivos possuem efeitos adversos. É normal sentir-se assim. Fique tranquila. Vou lhe passar o link de textos que a ajudarão a compreender melhor o tratamento. Leia também os comentários.

          Abraços,

          Lu

  11. Sílvio

    Lu

    Tenho ansiedade ja faz alguns anos, sempre resisti a tomar medicamentos, até mesmo pra não ficar dependente deles. Tive um ataque de pânico e pensei que estava tendo um ataque cardíaco, fui bater no hospital, sensação terrível, parecia que ia morrer. Comecei a ter medo de que tivesse de novo. Passei a tomar rivotril a uns três anos, só quando tivesse uma sensação forte de ansiedade e às vezes pra dormir. Sempre ando com um no bolso, em caso de emergência.

    Minha ansiedade depende muito do meu emocional do momento em relação ao trabalho, vida pessoal e outras coisas. Se tudo estiver bem, eu passo um tempo sem tomar. Sendo que nesse último mês tive uma virose e me senti meio fraco, consequentemente veio uma sensação de desânimo total, uma vontade de não fazer nada, sem ânimo nem pra ouvir música, sem vontade de sair, me sentindo totalmente desanimado. Faço exercícios físicos, corrida e academia há muito tempo, isso me ajuda na ansiedade, e nesse momento nem isso me deu vontade de fazer. O Escitalopran seria o indicado para o que estou sentindo, ou será apenas um momento ruim?

    Obrigado!

    1. LuDiasBH Autor do post

      Sílvio

      Seja bem-vindo a este cantinho, sinta-se em família.

      Se você sofre de uma excessiva ansiedade há alguns anos, já era para estar em tratamento, pois, quando não tratado, tal transtorno tende a ficar a cada vez mais constante, com crises intesas, resvalando para o ataque de pânico, como aconteceu com você. Não se trata de um momento, portanto. O Rivotril sem o antidepressivo não resolve nada. Esse tem apenas um efeito momentâneo, sem falar que, quando usado por muito tempo pode ocasionar outros problemas, dentre os quais estão a dependência e o esquecimento.

      Amiguinho, toda ansiedade agrava-se com qualquer coisa acontecida no dia a dia. A pessoa ansiosa tende a amplificar os problemas, pois encontra-se sem equilíbrio para interagir com os mesmos. Os exercícios físicos ajudam muito, mas, ainda assim, seu organismpo pede ajuda médica. Somente uma consulta com um psiquiatra poderá lhe dizer qual será o antidepressivo mais indicado. Ele fará uma avaliação de seu quadro e saberá, também, qual dosagem deverá tomar. Aconselho-o a buscar ajuda médica o mais rápido possível. Não espere as crises agravarem-se. Aguardo novas notícias suas.

      Abraços,

      Lu

      1. Simone

        Lu
        Vou fechar um mês amanhã de tratamento para ansiedade, comecei com 5 mg por uns 6 ou 7 dias, e agora estou tomando 10 mg. Ainda sinto alguns sintomas, mas o que vem me encomodando um pouco mais são algumas dores nas articulações e umas pontadas de dor na cabeça, que passam sem tomar analgésico. É uma dor que vem e vai. Isso passa com o tempo? É normal? Sobre as pontadas na cabeça já fui ao médico que fez os exames mais precisos e não deu nada, graças a Deus. Quanto tempo para eu ficar ainda melhor? Já me sinto melhor mais ainda não me sinto como era tempo atrás.

        1. LuDiasBH Autor do post

          Simone

          Seja bem-vinda a este cantinho. Sinta-se em família.

          Amiguinha, o que você está sentindo ainda é parte dos efeitos adversos, que vão desaparecendo aos poucos. Algumas pessoas necessitam de mais tempo para se verem livres deles. Por isso é preciso ser POP (paciente, otimista e persistente). Uma vez que fez os exames e esses foram negativos, não há com que se preocupar. Procure relaxar e não pensar muito no tratamento. Tudo isso irá passar. Vou lhe enviar uns links que a ajudarão.

          Beijos,

          Lu

  12. Cristiane

    Lu e amigos

    Tive depressão há 9 anos atras, tomei fluoxetina durante 6 anos, e depois parei para engravidar. Agora o transtorno voltou com força total, tenho crises de pânico, meu corpo esquenta e meu coração dispara, fora a ansiedade.

    O psiquiatra me passou a fluoxetina, mas não suportei os efeitos colaterais, depois me receitou Exodus. Depois de 9 dias tomando 4 gotas e não aguentando meus pensamentos e as crises, voltei nele, que me passou o reconter que é mesma composição, 10 gotas. Fiquei 15 dias melhor, mas ainda com os pensamentos pesados e tristes. Ontem tive uma crise que não sei é pânico, isto de esquentar o corpo e coração disparar com sensação de morte. Fico com diarreia e embrulhada, sensação que não desejo a ninguém.

    Hoje faz 16 dias que estou tomando 10 gotas de reconter, ontem tomei um frontal pela manhã, mas não vi efeito, apenas que meu coração ficou um pouco mais acelerado. Será que isto vai passar? Será o que o remédio ainda está no prazo para fazer efeito? Quero minha vida de volta, tenho uma filha de 2,9 meses da qual não consigo cuidar. Me ajudem com suas experiências.

    Obrigada

    1. LuDiasBH Autor do post

      Cristiane

      Seja bem-vinda a este cantinho, sinta-se em família.

      Amiguinha, a depressão, na maioria das vezes, trata-se de um transtorno mental recorrente, ou seja, que some por um tempo e, por qualque coisa ou por coisa nenhuma, acaba voltando. O importante é que existem no mercado inúmeros antidepressivos capazes de devolver-nos a autoestima e dar-nos uma melhor qualidade de vida. A crise de pânico está aliada ao transtorno de ansiedade, mas será inteiramente contida, assim que o antidepressivo começar a fazer efeito.

      Cristiane, como já tem conhecimento, a fase inicial do tratamento é bem difícil, pois os efeitos adversos deixam-nos piores do que antes de dar início ao mesmo. Mas eles não tardam a passar, aparecendo os bons resultados. Nessa fase é preciso ser POP (paciente, otimista e persistente). Por piores que sejam os efeitos iniciais do medicamento, sabemos que são passageiros, enquanto as crises de pânico só tendem a ficar mais constantes e mais agressivas, se não tratadas.

      Os efeitos adversos passam, normalmente, num período de três semanas, mas existem organismos mais resistentes ao remédio, e que necessitam de um tempo maior. Portanto, você ainda se encontra no olho do furacão, devendo ter muita paciência. Tudo o que está sentindo faz parte dos sintomas ruins dessa fase. Não tenha medo. Tudo isso irá passar, e terá valido a pena. Logo estará cuidando de sua filhinha da melhor forma possível. Vou lhe mandar uns links para ajudá-la e, também, leia os comentários dos textos. Não se sinta só, estamos com você. Apareça sempre para dar-nos notícias.

      Beijos,

      Lu

    2. Cristiane

      Lu
      Obrigada pela sua resposta e carinho ao ajudar em nossos receios. Ontem não dormi, meu corpo esquenta, vem ansiedade e o coração dispara. Que vontade de ter de volta minha vida, e ontem tive um dia bacana, sem preocupações, fiquei até feliz, mas à noite passei a ter estes pânico, ansiedade… Já sentiram isso? Corpo esquentar ansiedade e coração acelerado e o sentimento de que nunca mais seremos os mesmos? Hoje faz 21 dias que estou tomando o remédio. Será que melhora, Lu? Estou tentando o máximo ser POP (PACIENTE, OTIMISTA E PERSISTENTE).

      Obrigada pela atenção.

      1. LuDiasBH Autor do post

        Cristiane

        Você ainda se encontra na fase inicial do tratamento. Todos os sintomas levantados fazem parte dos efeitos adversos. Funciona assim mesmo, a gente parece viver numa gangorra, com altos e baixos, até que o organismo aceite totalmente o antidepressivo. Ao ler os comentários verá que não é diferente com outras pessoas. Daqui para a frente a fase boa começará a aparecer, ainda que de modo mais lento. Observe que já teve um dia bacana e passou mal apenas à noite. Logo terá o dia legal e a noite também. Tudo é questão de tempo… E para o tempo o único remédio é a paciência. Continue POP! Você ficará muito melhor do que imagina. Coragem, mocinha!

        Beijos,

        Lu

        1. Cristiane

          Lu

          Obrigada pelo carinho de sempre. O médico aumentou a dose do remédio de 10 gotas de 20, mg para 15 gotas de 20 mg. Hoje estou ansiosa, chorosa, e aquele sensação horrível de malestar… Será efeito do aumento da dosagem, ou o remédio não está fazendo efeito desejado?

        2. LuDiasBH Autor do post

          Cristiane

          É o efeito do aumento da dosagem, sim. Fique tranquila, pois isso logo passará.

          Beijos,

          Lu

  13. Daniel

    Oi, Pessoal!

    Gostaria de dividir um assunto. Tomo escilalopran da EMS 15 mg, comecei com 10 mg e a dra. aumentou para 15, em razão de algumas crises que tive após 3 meses de uso. Agora faze 2 meses que estou com 15 m, e neste período tive duas crises, uma quando viajei no início de julho e outra ontem. A crise de ontem foi muito estranha, pois foi uma tremedeira tremenda, incontrolável e começou do nada. Será que é normal após este período de tratamento ainda ocorrer algo assim? Já estou indo para 6 meses. Será que preciso aumentar ou diminuir a dose? Pessoas que já tomam há algum tempo voltaram a sentir algo assim e mantiveram seus medicamentos ou alteraram?

    1. LuDiasBH Autor do post

      Daniel

      Seja bem-vindo a este cantinho. Sinta-se em família.

      Amiguinho, depois de seis meses era para você estar com as crises controladas, caso esteja tomando o medicamento direitinho. Pode ser que a dosagem esteja abaixo do que necessita. Você deverá volta à sua psiquiatra e conversar com ela, que então fará uma análise de seu caso. Muitas pessoas que tomam antidepressivo, depois de um tempo precisam aumentar a dosagem, pois existem organismos que se acostumam muito rápido com o medicamento. Fique tranquilo, pois tudo irá dar certo. O que lhe aconteceu está dentro da normalidade, em relação aos efeitos adversos.

      Abraços,

      Lu

    1. LuDiasBH Autor do post

      Neia

      Um abraço especial por tão grande passo. Parodiando o astronauta Neil Armstrong, trata-se de um pequeno passo para nós outros, mas de um passo gigantesco para a nossa Neia. Receba o selo POP de nossa família. Saiba que estamos aqui. Não se sinta só!

      Beijos,

      Lu

      1. Simone

        Oi, Lu, queridona!

        Eu já escrevi aqui alguns meses atrás sobre meus medos de tomar medicamentos para minha ansiedade, mas depois de muito lutar contra isso, hoje faz seis dias que estou tomando 5 mg, amanhã passo para 10mg (vou ser bem sincera que estou com muito medo de aumentar a dosagem).

        Faz um ano e meio que não vivo como antes, depois que descobri isso na minha vida. Foi uma luta com muitas indas e vindas aos médicos, em crise de ansiedade, achando que estava morrendo. Nunca pensei passar por isso na minha vida. Mais na minha última consulta com a psiquiatra ela me receitou escilatopram. Ela me deu uma caixa e eu cheguei em casa e guardei, e disse não vou tomar isso. Já havia tentado vários outros mais não tomava mais do que 3 comprimidos da cartela!

        Semana passada, dia 23/07, cansei dessa vida que estava tendo, cheia de medos, dores por todo o corpo, angústia, achando que algo muito ruim iria acontecer comigo, sem disposição para trabalhar. Não achava mais prazer em nada, sem paciência com minhas filhas (uma de 4 outra de 9). Relendo todos os comentários aqui, sempre venho aqui todos os dias, e o que você escreve e nossos colegas, foi muito importante para eu dar o primeiro passo. E comecei a tomar, sem medo dos efeitos colaterais, talvez porque eu esteja decidida a tomar. Não está sendo tão ruim. Nem acredito que estou no sexto dia.

        Lu será que vou ter ainda algum efeitos colaterais? Já estou me sentindo bem melhor, não sei se o remédio já está fazendo efeito em tão poucotempo. Já escrevi bastante, assim que puder me responda. E muito obrigada por estar aqui ajudando todos nós! Não quero desistir desta vez!

        Um grande beijo para você!

        1. LuDiasBH Autor do post

          Simone

          Receba os meus parabéns pela coragem de dar início ao seu tratamento, tornando-se mais uma das pessoas POPs deste espaço. Depois de ouvir tantas informações sobre os efeitos adversos, tomar a iniciativa de seguir em frente é mesmo motivo de orgulho. O certo é que, por piores que tais efeitos possam parecer, eles serão passageiros, ao contrário das crises de ansiedade que, se não forem tratadas, só tendem a agravar-se, transformando nossa vida num pesadelo contínuo. Você verá como a qualidade de sua vida será outra. Parabéns, guerreirinha!

          Simone, nem todo organismo reage mal ao antidepressivo. Muitas pessoas pouco sentem os efeitos adversos, colhendo bons frutos já na primeira semana, como está acontecendo com você. Como vê, todo o seu medo foi em vão, tendo sofrido desnecessariamente. Pela receptividade de seu organismo ao medicamento, ao aumentar a dosagem os feitos adversos serão poucos. Não se preocupe com isso, pois passarão rapidamente. Tome o remédio em conformidade com a receita médica. Não protele. Tenho certeza de que não desistirá desta vez, pois sabe que abrir mão do tratamento irá lhe trazer crises sérias que afetarão toda a sua vida e também a sua família. Continue em contato conosco. Quero notícias diárias.

          Beijos,

          Lu

        2. Simone

          Lu!

          Gratidão por teu comentário por ter um tempo para nós. Hoje teria que ter tomado um inteiro, mas por insegurança minha não tomei Amanhã vou ter coragem e tomar as 10 mg… Eu me arrependo de não ter começado antes este tratamento, pois só em pensar que não vou mais ter aquelas crises horríveis, aqueles pensamentos negativos, já me sinto melhor. Estou sendo forte, o que para min já é um grande passo ter começado. Só acho que estou demorando um pouco para pegar no sono, pois eu tomo à noite! Será que já posso passar a tomar de manhã? Acho que a doutora falou que podia trocar o horário se me desse insônia.

          Um grande abraço!

        3. LuDiasBH Autor do post

          Simone

          Algumas pessoas podem sentir excesso de sono com o oxalato de escitalopram e outras falta, na fase inicial do tratamento, mas aos poucos o organismo vai se equilibrando. Você poderá, sim, tomar o antidepressivo de manhã, mas para isso terá que passar um dia sem tomá-lo. Se tiver começado a tomar a dosagem certa hoje (10 mg), pule amanhã (quinta-feira), e recomece na sexta-feira. Assim não terá o problema de tomar uma superdosagem. E se persistir a insônia, peça a seu médico a receita de um ansiolítico, para tomar apenas quando for necessário.

          Beijos,

          Lu

        4. Simone

          Lu e amigos

          Comecei a tomar o escitalopram… Estava com problemas para pegar no sono, mas essa noite ja dormi e não senti aquela sonolência da manhã. Estou tomando 10 mg. Eu tenho 2 caixas de ansiolítico em casa, mas tenho medo de tomar medicamentos. Já usei no começo, quando descobri que tinha isso. Acho muito forte e me dá reações no outro dia.

          Eu tomo lozartana para minha pressão não subir em momentos de crise, tenho nada a hipertensão emocional. Será que quando eu estiver com a ansiedade equilibrada vou poder parar de tomar o Lozartana? Posso tomar o Lozartana e o escilatopran no mesmo horário? Tomo 50 mg de Lozartana de manhã. Estou firme no meu tratamento e não vou desistir de mim. Eu mereço ter qualidade de vida e viver feliz!

          Abraços a todos daqui deste nosso canto de desabafo!

        5. LuDiasBH Autor do post

          Simone

          O ansiolítico não é um remédio contínuo. Deve ser tomado apenas quando sentir que é necessário. Não precisa ter medo. Assim que o antidepressivo controlar seu estado emocional, sua pressão será regularizada e seu médico retirará a Lozartana. Quanto a tomar no mesmo horário do antidepressivo, você deverá seguir a prescrição de seu médico. Ele é a pessoa mais indicada para dizer, pois está acompanhando seu tratamento de perto.

          Abraços,

          Lu

        6. Naiani

          Tenho 20 anos e estou com os batimentos cardíacos acelerados. Já fiz exames e não deu nada no coração. Minha médica me passou um antidepressivo. Estou com medo de tomar por causas dos meus batimentos.

        7. LuDiasBH Autor do post

          Naiani

          Seja bem-vinda a este cantinho. Sinta-se em família.

          Amiguinho, se você fez exames e não deu nada, significa que se trata de ansiedade, um transtorno mental que acomete inúmeras pessoas no mundo (veja os comentários). Sua médica agiu certa ao lhe receitar o antidepressivo, pois ele é para isso mesmo. Comece logo a tomar, antes que suas crises fiquem mais fortes. Continue sempre em contato conosco.

          Seu e-mail está incorreto!

          Abraços,

          Lu

        8. Sabrina

          Lu

          Quanto tempo faz que você toma escitalopram? É verdade que para algumas pessoas os antidepressivos perdem efeito com o tempo?

          Beijos e obrigada!

        9. LuDiasBH Autor do post

          Sabrina

          Eu tomo o oxalato de escitalopram há mais de cinco anos. E continuo me dando muito bem. É verdade, sim, que depois de certo tempo o organismo acostuma-se com o medicamento. Se a dosagem for baixa, o médico poderá aumentá-la. Se já tiver chegado ao limite, será preciso mudar para outra substância.

          Beijos,

          Lu

        10. LuDiasBH Autor do post

          Sabrina
          Embora o oxalato de escitalopram venha com comprimidos de 10 mg e 20 mg, a dosagem fica a critério do médico.

          Beijos,

          Lu

        11. Antonio

          Lu,
          estou tomando exodus há 27 dias, nos primeiros 10 dias tomei 1/2 de 10 mg. Há 8 dias estou com 15 mg e sinto-me um pouco melhor. Nos primeiros 15 dias fiquei ótimo, depois tive uma recaída horrível e agora estou melhorando, mas devagar. É normal ter uma melhora no início e depois ficar ruim e melhorar aos poucos. Farão 30 dias que estou tomando o remédio.

        12. LuDiasBH Autor do post

          Antônio

          Seja bem-vindo a este cantinho. Sinta-se em família.

          Amiguinho, ao aumentar a dosagem é normal sentir o retorno dos efeitos adversos, mas que logo passarão. Passe a contar os dias a partir do aumento da dosagem. Não entendi sua conta. Diz que tomou 10 mg nos primeiros 10 dias, e está tomando 15 mg há oito dias, logo, está usando o antidepressivo há apenas 23 dias. Mas de qualquer forma é normal ter uma recaída quando se aumenta a dosagem. Trata-se de seu organismo readaptando-se a um novo aumento na dose. Fique tranquilo.

          Abraços,

          Lu

        13. Antonio

          Lu
          Tomei por 10 dias 5 mg e mais 4 dias 10 mg, neste período fiquei bom. Logo em seguida tive um recaída muito forte, foi quando o médico pediu para aumentar para 15 mg e já faz 10 dias que estou tomando. Queria saber se é normal essa recaída, quando se está bem antes de aumentar a dose.

        14. LuDiasBH Autor do post

          Antônio

          Como lhe falei na resposta anterior, é normal, sim, portanto, não há nenhum motivo para preocupação. Trata-se da adaptação do organismo à nova dosagem. Siga direitinho com o tratamento e logo tudo isso terá passado. Continue nos dando notícias.

          Abraços,

          Lu

        15. Sabrina

          Lu
          Como é difícil essa coisa de tratamento psiquiátrico 🙁 Desde o início do ano estou tomando escitalopram, mas só final de junho que atingi a dose mandada pelo médico de 20 mg. O problema agora são meus hormônios, pois toda vez que inicio anticoncepcional, fico deprimida, ansiosa, como se não tomo remédio nenhum. Por que isso só acontece comigo? Sem o anticoncepcional meu rosto fica lotado de espinhas e minha tpm judia de mim, fora que quero me casar e não pretendo ter filhos.
          Puxa as coisas podiam ser menos complicadas, já é o segundo tipo de anticoncepcional que eu tento tomar e fico emocionalmente abatida, parece banal mas juntando com outros problemas é desanimante.

        16. LuDiasBH Autor do post

          Sabrina

          A vida não é como queremos, mas como realmente é. A nossa carga hereditária costuma ser uma herança pesada. O melhor que temos a fazer é aceitar com compreensão aquilo que não podemos mudar em nossa vida. Saiba que existem pessoas com problemas muito mais sérios do que o seu, portanto, e têm a vida muito mais complicada não lastime tanto. Assim que se adaptar a um anticoncepcional ficará bem. Para combater as espinhas, consulte um dermatologista. Lembre-se de que é uma garota POP.

          Abraços,

          Lu

        17. Antonio

          Lu
          Faz aproximadamente 35 dias que estou tomando exodus, voltei a trabalhar, mas ainda sinto que não estou 100%. Estou melhor, sim, mas ainda não no meu normal, também estou com dificuldades para dormir, tomo 10 gotas de rivotril, mas demora horas para fazer efeito. Com este tempo tomando o exodus, você acha que ainda pode melhorar o efeito e me deixar mais animado como era antes do tratamento? E o sono tende a melhorar?

        18. LuDiasBH Autor do post

          Antônio

          Pelo visto você já melhorou bastante com o uso do antidepressivo, contudo, saiba que ninguém chega aos 100% apenas com o remédio. Isso implica muito mais coisas, como poderá ver no texto OS ANTIDEPRESSIVOS EM NOSSA VIDA. Quanto ao sono, gostaria de saber qual é o horário em que toma o medicamento. Vá diminuindo as gotas de rivotril, até chegar a zero, só tomando quando for realmente necessário. A melhora com o antidepressivo pode acontecer até atingir três meses, para muitas pessoas. Mesmo assim converse com seu médico para que ele avalie seu progresso.

          Abraços,

          Lu

        19. Antonio

          Lu
          Tomo o exodus às 7 da manhã, e o rivotril à noite, antes de dormir, agora estou tomando 9 gotas, na próxima semana vou diminuir para 8 e assim até zerar, mas mesmo com o rivotril não está sendo fácil dormir. Ouvi comentários bons sobre a melatonina para ajudar no sono. O que acha? Já me sinto melhor, mas no trabalho ainda me dá alguns pensamentos e sensação ruins na cabeça ou corpo, mas leve, e logo passa, principalmente no final da tarde.

        20. LuDiasBH Autor do post

          Antônio

          Quando a pessoa toma o antidepressivo à noite e tem insônia, ele pode ser mudado para a parte da manhã, mas você já o toma de manhã. Antes de dormir, tome um banho morno e um copo de leite, também morno. Evite fazer qualquer atividade antes uma hora antes de dormir. Chá de ibisco, camomila e melissa também ajudam muito. Quanto à melatonina, já ouvi falar a respeito, mas nunca a tomei. Converse com seu médico antes de fazer uso dela.

          Abraços,

          Lu

        21. Antonio

          Lu

          Dia 27 tive diarreia e vômito por algum alimento que me fez mal. No dia 28/08 não tomei o exodus e hoje dia 29 tomei pela manhã normalmente, só que senti uma queda na melhora de um dia para o outro. Só deixando de tomar o exodus 1 dia já pode ter uma recaída? Ou pode ser do vômito e cia?

        22. LuDiasBH Autor do post

          Antônio

          Sua suposta recaída não tem nada a ver com o fato de ter ficado um dia sem tomar o antidepressivo, mas sim à diarreia e o vômito que teve no dia anterior, que deixaram o seu organismo debilitado. Pode ser uma virose. Portanto, fique tranquilíssimo, pois um dia sem tomar não traz problemas.

          Abraços,

          Lu

        23. Antonio

          Lu

          Obrigado pela injeção de ânimo que você sempre nos dá. Mas a minha piora é nítida, fico inquieto com vários pensamentos e sensações ruins, tudo depois desta virose, estava ótimo. Será que voltarei a ficar bom novamente? Faz 3 dias que estou ruim e depois de esquecer de tomar o medicamento por um 1 dia, voltei a tomá-lo. Sinto me impotente e está difícil trabalhar, não consigo me concentrar e uma sensação ruim toma conta da cabeça.

          Abraços

        24. LuDiasBH Autor do post

          Antônio

          Há muitas pessoas com uma virose que vem com desarranjo intestinal, fraqueza, desânimo, falta de apetite e muito cansaço. Meu esposo está de cama com tais sintomas. Ele também faz uso de antidepressivo. O que quero lhe dizer é que não tem nada a ver com o fato de você ter se esquecido de tomar o medicamento durante um dia, pois este remédio é acumulativo no organismo. É por isso que, quando o médico suspende-o, a pessoa tem que passar pelo desmame, para não sentir os efeitos da abstinência, que começam depois de cerca de cinco dias a uma semana, quando não tem mais a substância no corpo.

          Amiguinho, para que fique tranquilo, volte a seu médico e converse com ele. Peça-lhe uns dois dias de licença, até passar o efeito da virose. Não se esqueça de falar de seu desarranjo intestinal. Os pensamentos ruins devem-se à sua fraqueza. Continue em contato comigo. Tome bastante líquido também.

          Abraços,

          Lu

        25. Antonio

          Obrigado, Lu!
          Já estou bom da virose, somente a sensação ruim na cabeça continua, como se estivesse regredindo nesses 3 dias que se passaram. Tomei hoje passiflora durante o dia para tirar a ansiedade. Não consigo ficar parado em um lugar só, fico inquieto e com sensação de tristeza. Você acredita que melhoro novamente em breve?

        26. LuDiasBH Autor do post

          Antônio

          As viroses duram em torno de uma semana. Logo voltará a ficar bom de novo. Tenha paciência. Procure ouvir música clássica, pois é muito relaxante. Entre no YouTube e busque por “Exercícios de Relaxamento” ou “Meditação”. Aguardo novas notícias.

          Abraços,

          Lu

        27. Antonio

          Lu
          Desculpe-me incomodá-la novamente, mas a sensação que tenho é que de terça até hoje não melhorei nada, pelo contrário, pareço estar pior, mais inquieto, ansioso, não consigo ficar em um lugar por muito tempo. Sento ou deito no sofá e logo já tenho que levantar. Uma sensação ruim na cabeça, que não consigo descrever. Estou buscando forças para suportar, mas é uma fase difícil, tudo isso depois de uma provável intoxicação alimentar. Obrigado por sempre ver os desabafos.

          Abraços

        28. LuDiasBH Autor do post

          Antônio

          Se você está se sentindo tão incomodando assim, sugiro que marque um retorno com seu psiquiatra, para que ele analise o que está realmente lhe acontecendo, uma vez que sente que está piorando. A sua ansiedade está num grau muito alto, necessitando de maior atenção. O psiquiatra irá reavaliar o tratamento, inclusive essa sensação ruim que está sentindo na cabeça. Isso também o deixará mais tranquilo, pois, muitas vezes, o medo incontrolável faz com que nos sintamos piores. Sei que você tem procurado passar por isso tudo, mas no momento está se sentindo sem forças e precisa de ajuda. E ninguém melhor do que seu médico para avaliá-lo. Procure ficar tranquilo, mas não deixe de marcar o retorno. Estarei também ansiosa para saber o que ele lhe dirá. Saiba que os tratamentos com antidepressivos funcionam assim mesmo, com altos e baixos, até acertar com o medicamento e a dosagem. Logo tudo isso terá passado. Não pense no que pode ter sido a causa de sua recaída. Isso não vem mais ao caso. O importante é que obetenha ajuda para ver-se livre de tais efeitos ruins. Mantenha contato comigo. Estou torcendo por você.

          Abraços,

          Lu

      2. Neia Novais

        Obrigada, Lu!

        Só tenho a agradecer por este cantinho, por todas as palavras de incentivo e pelo carinho seu. Sempre estarei postando aqui para falar como está sendo minha experiência, e ao mesmo tempo desabafar. Obrigada!

        Um beijo enorme!

      3. Amanda

        Lu
        Fui diagnosticada com TAG e passei a sentir de repente um medo de tudo, de sair de casa, de dirigir, coisa que sempre gostei de fazer. Fico com meu coração acelerado o dia todo, só sentindo medo e medo. O médico me passou reconter 10 mg. Na duas primeiras semanas tomei 5 mg e na terceira 10 mg. Já faz 20 dias que estou tomando, mas não vi melhora alguma, pelo contrário, sinto que só piorei. O que está acontecendo? Quero voltar a ser quem eu era!

        1. LuDiasBH Autor do post

          Amanda

          Seja bem-vinda a este cantinho. Sinta-se em família.

          Amiguinha, você ainda se encontra na fase dos efeitos adversos, que podem durar até um mês, principalmente quando se vai aumentando a dosagem. Você deve contar o tempo a partir da última dosagem prescrita. Alguns organismos possuem mais resistência ao medicamento, e é normal que se sinta pior nessa fase. Tudo é questão de paciência. Como sempre digo, é preciso ser POP (paciente, otimista e persistente). Logo essa etapa ruim passará e você terá melhor qualidade de vida, sentindo-se melhor do que era antes. Continue em contato conosco.

          Beijos,

          Lu

        2. Amanda

          Oi, Lu!

          Obrigada pelo seu retorno, você tem um coração de ouro. Mas fiquei com uma dúvida, no caso aumentei a dose para 10 mg quarta feira passada, a partir dessa dosagem tenho que esperar novamente os 20 dias para melhorar? Estou tomando há 3 semanas já, só que comecei com 5 gotas e fui aumentando uma gota a cada dois dias e estabilizei nas dez gotas na última quarta feira. Mas nada de melhorar ainda… O que você acha?

        3. LuDiasBH Autor do post

          Amanda

          Normalmente só podemos começar a avaliar os bons resultados do antidepressivo quando passamos a tomar última dosagem estabelecida pelo médico. Se você iniciou o uso de 10 mg na quarta-feira, deverá começar a contar desse dia. Mas não significa que tenha que esperar 20 dias, pois cada organismo reagem de uma maneira diferente. Pode ser que os efeitos adversos desapareçam num tempo menor. O fato é que você ainda se encontra na fase mais difícil do tratamento, devendo ter paciência e ser otimista.

          Abraços,

          Lu

        4. Amanda

          Lu
          Obrigada novamente… Então quer dizer que ainda tem chance de o reconter fazer efeito para minha tag? Pra ser sincera, já estava desistindo de tomá-lo, pois só me sinto pior e sem expectativa de melhora.

        5. LuDiasBH Autor do post

          Amanda

          É claro que sim. Deixe de ser apressadinha, amiga. Existem pessoas que só sentem todos os bons efeitos do antidepressivo depois de três meses. É a própria TAG que faz com que fique tão ansiosa. Em hipótese alguma pare seu tratamento, caso contrário suas crises tenderão a ficar cada vez piores e insuportáveis. Não desista, pois terá que começar tudo de novo.

          Beijos,

          Lu

        6. Amanda

          Lu

          Eu não sabia que toda vez que aumentasse a dose teria que começar do zero a contagem para melhorar. Já faz 21 dias que venho tomando o antidepressivo. Queria que fizesse efeito logo. Não aguento mais ficar assim. Mas no caso, minha contagem começou novamente na quarta feira passada… Dando oito dias hoje. Por favor amiga, quando acha que vou começar a ter melhoras?

        7. LuDiasBH Autor do post

          Amanda

          O médico, quando manda ir aumentando a dosagem aos poucos, faz isso para que a pessoa não sinta de uma vez a intensidade dos efeitos adversos. O organismo vai se acostumando aos poucos. A cada aumento da dosagem é uma nova readaptação. Eu prefiro começar com a dose definitiva e ponto final. Passando por tudo de uma vez. Mas não se preocupe, logo estará saindo da fase ruim. Se as agruras da vida fossem apenas isso, não teríamos com que nos preocuprar. Há tanto sofrimento espalhado por aí, sem nenhum vislumbre de chegar ao fim. Pense nisto… E não é que tenha que contar do zero, mas apenas ter paciência para que todos os efeitos adversos passem e veham os bons. Nós aguentamos muito mais do que podemos imaginar. Siga firme.

          Beijos,

          Lu

        8. Amanda

          Lu
          Meu medo maior é de o reconter não fazer efeito em mim… Acha isso difícil?

        9. LuDiasBH Autor do post

          Amanda

          Isto não é motivo para preocupações, pois caso aconteça, existem inúmeros antidepressivos com substâncias diferentes. Mas o oxalato de escitalopram é um remédio relativamente novo, que faz bem à imensa maioria das pessoas que o tomam.

          Beijos,

          Lu

        10. Amanda

          Lu
          Então quer dizer que enquanto eu tiver efeito colateral o remédio não fará efeito para ansiedade? Ou seja, só quando passarem os efeitos colaterais, ele começará a agir de fato?

        11. LuDiasBH Autor do post

          Amanda

          Os efeitos colaterais vão sendo eliminados gradativamente, enquanto os bons vão aparecendo. Trata-se de uma fase de transição, quando é necessário ter muita paciência. Quando os efeitos ruins desaparecerem, significa que o medicamento venceu a resistência de seu organismo, que passará a conviver muito bem com ele.

          Beijos,

          Lu

        12. Amanda

          Amiga
          Tira só mais uma dúvida minha? Prometo que não te encho mais… Você está me ajudando muito. Antes eu sentia como efeito colateral sono, náusea, taquicardia e ansiedade extrema…. Agora o enjoo e sono passaram, persistindo a taquicardia, falta de ar e ansiedade. Esses sintomas vão passar ainda?

        13. LuDiasBH Autor do post

          Amanda

          Vão passar, sim. Alguns efeitos adversos passam mais rápido do que outros. Se a taquicardia e a falta de ar estiverem incomodando muito, entre em contato com seu psiquiatra, para que ele lhe receite um ansiolítico para tomar nos momentos necessários. Nessa primeira etapa é muito importante o contato entre médico e paciente, para que o primeiro saiba como o seu organismo está reagindo. Leia com atenção as informações contidas no texto acima (INFORMAÇÕES SOBRE OXALATO DE ESCITALOPRAM), para que saiba quando é necessário, em razão dos efeitos adversos, procurar ajuda médica. Com tal conhecimento ficará mais tranquila.

          Amiguinha, você não me importuna. Este cantinho é para dar ajuda emocional às pessoas em tratamento. Escreva quantas vezes necessitar. Leia também os comentários.

          Abraços,

          Lu

        14. Amanda

          Lu
          Agradeço imensamente seu apoio. Sinto medo e nervosa para fazer coisas banais do dia a dia. Isso vem ocorrendo há 4 meses. Acha que o reconter vai tirar todo esse medo de mim e me trazer de volta a tranquilidade?

        15. LuDiasBH Autor do post

          Amanda
          Assim que seu organismo adpatar-se ao medicamento, tudo voltará à normalidade de antes. Busque ficar o mais tranquila possível, ao aguardar a passagem dos transtornos adversos.

          Beijos,

          Lu

        16. Amanda

          Lu
          Hoje faz 12 dias que estou tomando a dosagem de 10 mg, não tenho mais efeitos colaterais, mas minha ansiedade e medo não passam… Por que será?

        17. LuDiasBH Autor do post

          Amanda

          Você se encontra na fase inicial do tratamento, embora não sinta mais os efeitos adversos. Seu organismo ainda está processando o remédio. Depois de 21 dias, se não estiver sentindo melhora alguma, pode ser que a sua dosagem esteja fraca, mas somente seu médico poderá aumentá-la, então, deverá voltar ao seu psiquiatra e conversar com ele. Por enquanto continue tranquila, aguardando os bons resultados. A ansiedade e o medo também fazem parte dos efeitos adversos inicias. Não há com que se preocupar.

          Beijos,

          Lu

        18. Amanda

          Lu
          Obrigada pela atenção e paciência. Comecei a tomar o remédio porque passei a ter crises de ansiedade e medo de sair de casa. Me sinto nervosa quado saio de casa. Sinto um medo incontrolável. E isso começou do nada, acha que o remédio vai tirar essa coisa ruim de mim?

        19. LuDiasBH Autor do post

          Amanda

          Você irá ficar boa, minha amiguinha. Tudo é questão de tempo e paciência. O que você passou a ter, além da ansiedade, foi a Síndrome do Pânico. É realmente como se ela viesse do nada e, de uma hora para outra, nós nos pegamos com medo de tudo, só nos sentindo segura em nossa casa. Também já passei por isso. Não aceitava a ideia de sair de casa. Mal punha os pés na rua, já começava a ficar com a respiração forte, trêmula, falta de ar… E, quando precisava sair, tinha que estar acompanhada. O mais engraçado é que a gente passa a ter “medo” de ter “medo”, numa ciranda louca. Depois do tratamento, vou a todos os lugares, viajo e não tenho mais esse medo enlouquecedor. Tudo isso passou com o uso do antidepressivo. Leia os comentários e veja quanta gente já passou por isso. Releia o texto onde falo sobre SÍNDROME DO PÂNICO, O MEDO DO MEDO.

          Beijos,

          Lu

        20. Amanda

          Lu
          É a pior fase da minha vida essa… Nunca me senti tão mal… Fico o dia inteiro tensa… Com medo da hora que eu vou ter Que sair de casa…. Meu receio é do reconter não dar conta.

        21. LuDiasBH Autor do post

          Amanda

          O remédio só é responsável por 50% do tratamento. O restante é com você, amiga. É preciso ter coragem e seguir adiante. Otimismo atrai respota positiva para o organismo. Cada organismo tem um tempo certo para sua recuperação. Não adianta ficar indagando como foi com outras pessoas. Apenas seja otimista e acredite que tudo irá passar, e você será outra pessoa. Faça apenas isto. Seja POP (paciente, otimista e persistente).

          Beijos,

          Lu

        22. Amanda

          Lu
          Estou desanimada com o reconter… Nada de melhora até agora. Já são 14 dias tomando 10 mg. E o medo não passa.

        23. LuDiasBH Autor do post

          Amanda

          Já lhe respondi sobre isso. Ver os últimos comentários.

          Beijos,

          Lu

        24. Amanda

          Lu
          Tenho medo do reconter não funcionar. Continuo com medo e ansiedade. O que você acha?

        25. LuDiasBH Autor do post

          Amanda

          Leia com atenção minhas respostas anteriores.

          Beijos,

          Lu

        26. Sabrina

          Amanda

          Achei-me muito parecida com você, quando iniciei meu tratamento com o reconter. Eu realmente dei MUITO trabalho. Eu fiquei pior é não dava sossego para a Lu. Achava que não ia funcionar comigo e que o medo não iria embora nunca!

          Amanda, por experiência própria, persista, não é fácil o início do tratamento. Seus pensamentos podem deixar seu tratamento mais fácil ou mais difícil, depende de como controlá-los. Como a Lu disse, pessoas otimistas têm resultados mais rápidos. Eu não fui otimista, só fui sentir os primeiros sinais de melhora após 1 mês de tratamento com 10mg. Depois tive que ir aumentando a dose aos poucos até chegar a 20 mg. Conclusão, são ao todo 8 meses de tratamento, tive que fazer algumas mudanças de hábito na minha vida e a luta continua, mas graças a Deus estou bem melhor do que quando iniciei o tratamento.

          Se você não estiver aguentando o medo, associe um ansiolítico para acalmar de vez em quando, pois ele alivia. Você ficara bem! Confie em Deus e depois no seu médico!

          Beijos

    2. Marcos

      Neia
      Que notícia boa! O remédio me ajudou muito e tem ajudado, tomo há pouco tempo também, cerca de 20 dias, e já noto uma grande melhora, então siga firme.

  14. Neia Novais

    Minha querida Lu

    Aqui estou para conversar com todos deste cantinho que me acolheu muito bem. Gostaria de saber se já ouviram falar, se tem ou conhece alguém que tenha transtorno de personalidade borderline. Embora eu não tenha sido diagnosticada com isso, eu me reconheço em todos os sintomas. Descreve minha vida, tudo que sinto. Ontem vendo uns vídeos da psicóloga Pamela Magalhães, ela falava sobre isso, borderline. A dificuldade de convivência por ser intenso demais. Por ter vazio, nada está bom. E assim sou eu. E só com muito tempo de terapia para achar uma solução. Porém estou sem condições de fazer no momento. Queria uma opinião sua Lu, ou de qualquer pessoa que conheça alguém que tenha esses sintomas. Que vive com isso. Estou sufocada porque agora acho que encontrei meu problema. Só não sei resolver sozinha.

    1. LuDiasBH Autor do post

      Neia

      É preciso muito cuidado na definição de um tipo de transtorno mental, pois os sintomas costumam ser muito parecidos entre eles. Até mesmo os psiquiatras sentem dificuldades para encaixar um paciente dentro desse ou daquele transtorno. Somente depois de um certo tempo de observação é que se pode fechar um diagnóstico neste sentido. Nâo se deixe levar por suas impressões. Quando voltar ao psiquiatra, converse com ele a respeito. Leve por escrito os sintomas da Síndrome de Borderline que você acha ter ligação consigo, pois o diagnóstico médico é feito com base nos sintomas. Portanto, vá com calma e não se deixe levar pelo “achismo”.

      O que sei sobre tal síndrome é o que se encontra na internet, ou seja, que é um transtorno mental caracterizado por humor, comportamentos e relacionamentos instáveis. Os sintomas são muitas vezes confundidos com os da bipolaridade. E somente um psiquiatra, depois de uma avaliação mais profunda, poderá dar um diagnóstico correto. E ainda assim pode haver enganos. É possível que haja alguém aqui que a tenha, mas não me lembro de nenhuma referência. Mas lendo seu comentário, alguém poderá se apresentar.

      Amiguinha, repasso-lhe alguns links sobre o assunto:

      http://www.psiconlinews.com/2015/03/transtorno-de-personalidade-borderline.html
      https://www.tuasaude.com/sindrome-de-borderline/
      http://www.minhavida.com.br/saude/temas/transtorno-de-personalidade-borderline

      Beijos,

      Lu

  15. Anna

    Oi, Lu!
    Que saudades deste cantinho tão querido!

    Faz mais ou menos 4 meses que estou com o tratamento e 1 mês e meio que troquei o Lexapro de 15 mg (que é caríssimo) por exodus de 20 mg. Vou dar minha opinião, para os que perguntam sobre a diferença do original para o genérico. Eu realmente não senti nenhuma diferença entre os dois, morria de medo de que o genérico não funcionasse e está funcionando tão bem quanto, não tive nenhum efeito colateral devido à mudança.

    Agora como sempre lá vai minha perguntinha: esta semana estou meio desanimada, com um aperto no peito, com um medo tremendo de voltar a sofrer tudo que já sofri, tive até um pesadelo esta noite, em que chorava compulsivamente, acordei extremamente mal. Estou desempregada, pois quando comecei a ter as crises, saí do emprego que já estava por 6 anos. Achei que quando melhorasse seria fácil arrumar outro, mas realmente não foi. Você acha que terei que aumentar a dose ou é só um período de medo e tristezinha.

    Mas uma vez obrigada, adoro este espaço e estou sempre acompanhando, mesmo não deixando meus comentários.
    Beijos e fiquem todos com Deus!

    Anna

    1. LuDiasBH Autor do post

      Anna

      É sempre muito bom receber sua visita e saber que gosta deste cantinho.

      Amiguinha, os altos e baixos fazem parte da vida de todos nós, independentemente de tomarmos antidepressivo ou não. Sempre teremos dias bons e outros nem tanto. Não se preocupe com isso. Os pesadelos mexem com o nosso equilíbrio. Também tive um, noite passada. Vixe Maria! Quanto ao desemprego que toma conta de nosso país, isso tem contribuido para a ansiedade e a depressão da classe trabalhadora. São mais de 20 milhões de brasileiros desempregados. Não sei até quando aguentaremos conviver com esses bandidos que tomaram o poder e arrasam com nosso país. Acho que isso está mexendo com o seu equilíbrio emocional, pois é uma fase ruim para nosso povo trabalhador. Você deve continuar tomando a mesma dosagem e aguardar mais tempo, pois penso se tratar de um período de tristeza e descontentamento. Continue me dando informações sobre sua saúde mental.

      Abraços,

      Lu

  16. Marcos

    Lu e pessoal

    Hoje estou no dia 17º dia desde que comecei a tomar o escitalopram. No começo foi meio chatinho, mas já não sinto tantos efeitos adversos, ainda que alguns dias durmo bem e outros mal, mesmo assim o remédio já deu uma boa ajuda, em vista da minha situação de antes de começar o tratamento. Acho que ainda não atingiu todos os benefícios. Espero melhorar ainda mais daqui 3 a 4 semanas. Eu tinha um pouco de depressão e ansiedade, digo isso porque a depressão praticamento sumiu, a única coisa que incomoda ainda é a ansiedade que afeta meu sono.

    1. LuDiasBH Autor do post

      Marcos

      Que maravilha! É sempre bom ler quando as pessoas voltam para falar da melhora que estão sentindo. O medicamento ainda não atingiu toda a sua potencialidade e você ainda irá melhorar mais. Continue fazendo tudo direitinho. Não se esqueça da caminhada (ou outro tipo de exercício).

      Abraços,

      Lu

  17. Neia Novais

    Lu
    Tenho passado por monentos ruins. Entao resolvi ir ao psiquiatra. Ele me receitou o esc 10 mg. Porém, estou com medo de tomar o medicamento, depois que li sobre os efeitos colaterais. Sofro por não saber lidar com frustrações, tenho síndrome do pensamento acelerado e ansiedade. Nunca tomei medicamentos, assim. Além do que eu disse sentir, ainda estou desempregada e com problemas no relacionamento, por não aceitar o fim. No momento estou um pouco calma. Só triste pela situação toda. E com medo de tomar o remédio e piorar tudo. Ajude-me, por favor =(

    1. LuDiasBH Autor do post

      Neia

      Seja bem-vinda a este cantinho. Sinta-se parte de nossa família.

      Amiguinha, há momentos em nossa vida em que o mundo parece desabar em cima de nós. Não há quem não tenha ou não venha a passar por isso. Os problemas, apesar de fazerem-nos sofrer, também tornam-nos pessoas mais adultas, preparadas para os revezes da vida. Com eles aprendemos a equilibrar-nos, a ver os acontecimentos com naturalidade, pois todo problema tem a dimensão que damos a eles, por isso uns sofrem mais do que outros pelo mesmo problema.

      Os antidepressivos são descobertas maravilhosas da Ciência. Se não existissem, muitos de nós, portadores de transtornos mentais, teríamos nossa vida restrita, e os sanatórios e manicômios ainda existiriam. Só temos a agradecer. Só quem passou por crises de ansiedade ou depressão sabe o que é conviver com isso. Sem falar que a fase dos transtornos adversos é muito curta. Pelo bem que nos faz o antidepressivo, duas a três semanas de efeitos colaterais não significam absolutamente nada. Sem falar que, sem o tratamento, você passará a ter crises cada vez mais severas, sendo bem melhor dar início ao mesmo, enquanto se encontra relativamente bem. Vamos em frente, guerrerinha. Seja POP (paciente, otimista e persistente) como todos aqui. Espero que me escreva logo, dizendo que já se encontra em tratamento. Conte com nossa ajuda.

      Neia, as frustrações fazem parte de nossa humanidade. Quanto mais esperamos das pessoas, mais nós nos frustramos. Isso significa que ainda fazemos o bem esperando algo em troca. Isso também acontece comigo. Mas temos que aprender que não podemos esperar que o outro aja em conformidade com os nossos desejos, pois só temos “certo” domínio sobre nós mesmos. Precisamos aceitar o fato de que cada pessoa encontra-se num grau de espiritualidade diferente, e ninguém pode dar aquilo que não possui. A retribuição depende muito do grau de espiritualidade de cada um. Se ficarmos esperando que as pessoas não nos façam indelicadezas seremos eternamente frustrados. E não ser “frustrado” depende unicamente de nós. Estou aprendendo a não permitir que o outro me faça infeliz. Nãnãnimnãnão!

      Relacionamentos vão e vêm, amiguinha. Sempre parti do pressuposto de que o que virá será sempre melhor. Muitas vezes nós nos prendemos a um relacionamento apenas por vaidade, por medo de ficar só, e até mesmo por masoquismo. Nunca me mantive num relacionamento que me fizesse sofrer. Caía fora, ainda que sofresse por um tempo, pois acostumamo-nos até mesmo com a infelicidade. E sempre encontrei alguém melhor na frente, talvez pelo fato de ir amadurecendo, de aprender a conviver melhor (pois viver junto é uma arte). Penso que o antidepressivo será muito importante para você neste sentido.

      Neia, não é fácil ficar desempregada. Mais de 20 milhões de pessoas estão desempregadas neste país comandado por uma quadrilha de corruptos. Precisamos de gente séria na direção de nosso Brasil. Sei que é sofrido passar por esta situação, numa nação tão rica como a nossa. Tenho escrito muitos textos sobre este assunto. Ainda assim, minha amiguinha, é preciso acreditar que dias melhores virão. Tenho muitos amigos na mesma situação. Mas é preciso virar como se pode. Você irá sair dessa. Descubra algo diferente para fazer, ainda que a renda seja pequena, preencha seu tempo. O antidepressivo irá ajudá-la a passar por essa fase ruim. Quanto à Síndrome do Pensamento Acelerado, o dr. Augusto Cury escreveu dois livros sobre o assunto. Você poderá baixá-los pela intenet.

      Minha amiga, não se sinta sozinha. Venha aqui sempre que sentir vontade. Estamos todos torcendo por você.

      Abraços,

      Lu

      1. Neia Novais

        Lu,
        obrigada pela atenção. Por ter me respondido. Suas palavras abençoadas me deixaram contente.

        Ainda não comecei a tomar o remédio, porém irei tomar sim. Hoje estou mais aflita que o dia que lhe escrevi, me sentindo estranha, como se eu não fosse eu, sinto falta da pessoa feliz e animada que era. Estou me sentindo inferior a todo mundo, sem amor próprio, autoestima baixa, e o coração ferido. Sinto que por eu ser tão obsessiva afasto as pessoas de mim.

        Como comentei antes, meu namoro está horrível, gosto muito do meu namorado. Porém está ruim conviver, já separamos várias vezes e voltamos com a intenção de mudar. Eu não consigo mudar. É sempre assim, meus namoros são doentios. Dessa vez estamos mais de meses sem nos ver. Ele mal fala comigo e diz estar sem vontade de ficar comigo, por mais que goste de miml, que ainda está comigo por causa de família envolvida e essas coisas. Mesmo assim EU não consigo dar um basta. E vivo nesta aflição sem saber o que fazer. Sem ver uma solução. Ele é uma pessoa difícil. E não podemos nem conversar. Mas sei que não por ele, mas por mim, e até para outros relacionamentos até com família e amigos. Preciso mudar. Mas não sei como. Não sei lidar com “nãos”. Com frustração. Desconfio de todo mundo. E sou possessiva. Cobro demais. Não consigo ser feliz só, sempre dependo dos outros para isso. Queria muito ter paz interior.

        1. LuDiasBH Autor do post

          Neia

          O excesso de possessividade nada mais é que o retrato de nossa baixa autoestima, vazio e descontentamento com a vida. Quando nos grudamos nas pessoas, impossibilitando-as de serem elas mesmas, estamos dando de mão beijada uma leitura ruim de nós mesmos, e, consequentemente, nosso valor cai perante elas, pois deixamos às claras nossa dificuldade em lidar com o outro, pois só geramos instabilidade emocional onde quer que estejamos.

          A possessividade jamais significou amor pelo outro, mas tão somente que esse alguém nos serve de “muletas”. E é muito triste saber que somos “servos” de outrem, que nos quer não pelo que somos, mas unicamente pela nossa serventia. E uma vez passada nossa utilidade somos descartados. Por isso, o outro tende a afastar-se, pois não quer viver um jogo. É por isso que as paixões são passageiras. A durabilidade de tudo se encontra no equilíbrio.

          A nossa possessividade, Neia, transforma quem vive perto de nós em meros joguetes. E se há uma coisa que os possessivos sabem fazer é jogar com todas as cartas, ainda que de maneira errada. Uma das táticas nocivas é apelar para a vitimização, passando-se por coitados e vítimas. E você não tem ideia de como isso é cansativo para quem não gosta deste tipo de jogo, pois ele é extremamente desgastante. E desgaste já basta a vida do dia a dia lá fora.

          A possessividade, minha amiguinha, faz de todas as pessoas que vivem em volta de nós objetos e não sujeitos, pois só nos sentimos bem quando estamos acionando a corda das marionetes. Achamos que o único sujeito da ação somos nós, logo, pensamos ter o poder de direcionar a vida de todos. E ninguém quer ser objeto, mas sujeito de sua própria história.

          A nossa possessividade tem por objetivo diminuir o valor do outro na tentativa de superestimar o nosso. Achamos que quanto menor for quem vive à nossa volta, mais importante iremos nos tornar, ou seja, teremos o controle da situação com mais facilidade. Mas isso é um ledo engano. Todo e qualquer relacionamento (amoroso, familiar, entre amigos e colegas…) só tende a crescer quando existe valorização de ambos os lados. Fora disso nada se mantém de pé.

          Nada mais sufocante do que um relacionamento que vive numa balança. Quando estamos ao lado de quem nos ama, o que queremos é paz, companheirismo, incentivo, compreensão e momentos de alegria. A hostilidade entre os dois vai matando, aos poucos, qualquer possibilidade de união. Um relacionamento doentio precisa de tratamento, se quiser persistir. Se não aturamos nem desconhecidos grosseiros, como podemos aceitar grosserias de quem diz nos amar? Vocês precisam decidir entre um basta e a procura por tratamento. Fora disso não há luz no final do túnel, mas apenas escuridão. É isto o que você tem a fazer. Não há outro caminho. E duas pessoas difíceis não levantam um muro, se não baixarem a guarda e reconhecerem seus próprios erros.

          Neia, quando reconhecemos que precisamos mudar, damos o maior passo de nossa mudança. Estamos no caminho certo, pois toda e qualquer mudança deve nascer primeiro de nossa vontade. Comece se lembrando de que, quem cobra muito é porque lhe falta tudo, e, por isso, tenta preencher com a vida do outro o seu próprio vazio. Saiba porém que ninguém vive a vida do outro. Só podemos viver a nossa própria vida. Respeite as pessoas em derredor e elas a respeitarão. Seja generosa com elas e terá o mesmo de volta. Não bote sua felicidade em ninguém, pois, se assim agir, será infeliz a vida toda. Procure sentir bem na sua própria companhia. Valorize sua pessoa. Agradeça pelas pequenas coisas recebidas. Olhe o mundo com os olhos cheios de amor. Lembre-se de que gentileza atrai gentileza.

          Neia, você quer amar e ser amada, só não está sabendo como fazer isso. Só o fato de abrir-se aqui mostra que é uma pessoa maravilhosa, mas que se encontra um pouco perdida. Vou lhe enviar uns links de textos muito bons.

          Abraços,

          Lu

        2. Neia Novais

          Lu
          Você e este grupo família tem sido anjos em minha vida. Obrigada de coração. Com fé irei sair deste estado negativo e serei uma POP também. Aguardo o link que ia me mandar. Que Deus a abençoe sempre, dando-lhe mais sabedoria e luz, para continuar ajudando as pessoas. Você já é muito especial para mim. Lendo o que escreveu, senti uma vontade imensa de abraçar você e agradecer. Irei resolver meus problemas e voltarei aqui para contar. Cada dia uma superação. Assim espero 🙁

        3. LuDiasBH Autor do post

          Neia

          É assim mesmo: cada dia uma superação, ou seja, vivendo um dia de cada vez. Você já faz parte de nossa família POP. Todos aqui lutamos por mudanças em nossa vida. E elas sempre chegam, tenha a certeza disso. Quando se quer algo com toda a força do coração, tudo se torna mais fácial. Já lhe enviei os links.

          Beijos,

          Lu

    2. Ana Maria

      Neia, tudo bem?

      Há três meses eu fui diagnosticada com síndrome do pânico e agorafobia, meu médico receitou escitalopram 5 mg na primeira semana e após, 10 mg. Era a primeira vez que eu ia tomar um antidepressivo, fiquei com muito medo de iniciar o tratamento, sofrer os efeitos colaterais e não melhorar. Mas no fundo eu sabia que não tinha outra alternativa senão o tratamento. Com a ajuda deste cantinho criei coragem e iniciei a medicação. As duas primeiras semanas foram terríveis, senti muitas reações adversas e praticamente não saía de casa, perdi aulas da faculdade, passeios, etc. Na terceira semana todo aquele pesadelo começou a desaparecer e veio a luz no fim do túnel. Hoje, fechando quase três meses de tratamento, posso dizer que estou muito melhor do que antes de começá-lo, com meu psicológico e minha vida social quase 100%. Com o tempo vamos nos fortalecendo cada vez mais, pois vemos que é possível superar as barreiras. Seja POP, eu tenho certeza que você sairá vencedora. Conte sempre conosco.

      Um beijo!

      1. Neia Novais

        Olá, Ana!

        Ainda não consegui tomar o remédio. Na próxima semana irei tomar, sim. Meu medo é justamente o “início”, de ficar pior. Estou casa vez mais sem saber lidar comigo, com a situação em que me encontro. Obrigada pelo apoio. Com fé irei me curar assim como você. Fique em paz. Mando notícias.

        Beijos

Os comentários estão fechados.