Mantegna – A MADONA DOS QUERUBINS

Siga-nos nas Redes Socias:
FACEBOOK
Instagram

Autoria de LuDiasBH

O painel Madona dos Querubins, também conhecido por Madona e Criança com um Coro de Querubins, é uma obra do pintor italiano Andrea Mantegna (1431-1506), considerado um dos artistas mais importantes do início do Renascimento. Foi aluno de Francesco Squariciona. As esculturas de Donatello e as pinturas de Andrea del Castagno e Jacopo Bellini exerceram grande influência sobre ele. Trabalhou na Corte dos Gonzagas em Mântua. Sua obra destaca-se pela exatidão anatômica das figuras, pelos ricos detalhes e pela perspectiva perfeita, influenciando não apenas pintores italianos, mas também os  do norte dos Alpes.

A belíssima composição de Mantegna mostra a Virgem Maria e seu Menino ocupando o centro da pintura, sob um céu azul, cheio de nuvens. Rodeiam-nos 13 querubins, sendo que da maioria deles são vistas a cabeça e as asas. Eles trazem a boca aberta, cantando louvores à Virgem e a seu Filho. Encontram-se rodeados por flocos de nuvens. O último anjo, à esquerda, é o único a mirar o observador.  Muitos deles têm os olhos voltados para o  alto.

A Virgem Maria, usando um vestido vermelho, com um manto azul escuro sobre o mesmo, abraça seu Menino e traz a cabeça inclinada para baixo, como se encontrasse alheia ao momento. Seu semblante denota preocupação. O Menino, nu, de pé em seu colo, enlaça o pescoço da Mãe e traz os olhos voltados para cima.

A composição em destaque mostra a influência de Giovanni Bellini sobre Andrea Mantegna, inclusive chegou a ser atribuída ao segundo, até a sua restauração em 1885. Faz parte da terceira idade do pintor. Há na pintura serafins e querubins, conforme mostram as cores das asas. Todos fazem parte da primeira esfera da hierarquia angelical, mas possuem funções diferentes. Fotografias antigas, tiradas antes de a pintura ser restaurada, apresentam um quadro totalmente diferente deste.

Ficha técnica
Ano: c. 1845
Técnica: painel
Dimensões: 70 x 88 cm
Localização: Museu de Brera, Milão, Itália

 Fontes de pesquisa
1000 obras-primas da pintura europeia
Enciclopédia dos Museus/ Mirador

2 pensou em “Mantegna – A MADONA DOS QUERUBINS

  1. Edward Chaddad

    Lu

    Seu texto é muito esclarecedor, demonstrando o sentido da pintura de Maria e Jesus e os anjos, todos crianças ao entorno. Não sou a pessoa que possui conhecimentos suficientes para poder opinar sobre a pintura, máxime de grandes artistas. Porém, o que me chama a atenção, como leigo, é a preocupação dos anjos serem crianças. E Jesus, criança, era a esperança para o mundo. E vejo que as crianças, mesmo sendo anjos, demonstram, para mim, que uma das mensagens da pintura é a preocupação que a humanidade deve ter com as crianças, no sentido de ampará-las e dar a todas condições para um futuro glorioso, repleto de amor.

    Jesus criança é a esperança que nasceu. E todas as crianças carregam o amor de Cristo, quando nascem. Depois terão condições de serem amor ou ódio. Por isto, acredito que a mensagem, contida no coro de querubins, é que a criança, quando nasce tem amor em seu coração, que pode se consolidar ou se destruir, conforme todos nós a tratarmos. O amor gera amor, eis o resumo da mensagem.

    Responder
    1. LuDiasBH Autor do post

      Ed

      Para opinar sobre uma pintura basta apenas ter sensibilidade, coisa que você tem de sobra. Gostei muito dessa sua forma de interpretação da pintura e nela acredito piamente:

      “… demonstram, para mim, que uma das mensagens da pintura é a preocupação que a humanidade deve ter com as crianças, no sentido de ampará-las e dar a todas condições para um futuro glorioso, repleto de amor”.

      “… a criança, quando nasce tem amor em seu coração, que pode se consolidar ou se destruir, conforme todos nós a tratarmos. O amor gera amor, eis o resumo da mensagem”.

      Tudo o que disse é a mais pura verdade!

      Abraços,

      Lu

      Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *