Mantegna – ADORAÇÃO DOS MAGOS

Siga-nos nas Redes Socias:
FACEBOOK
Instagram

Autoria de LuDiasBH

adodam      tradodam

A composição Adoração dos Magos é uma obra do pintor italiano Andrea Mantegna, considerado um dos artistas mais importantes do início do Renascimento.  Sua obra destaca-se pela exatidão anatômica das figuras, ricos detalhes e perspectiva perfeita, tendo influenciado não apenas os pintores italianos, mas os do norte dos Alpes.

A obra faz parte de um tríptico, seu painel central, juntamente com “Ascenção” e “Circuncisão”, encomendado por Ludovico II Gonzaga, para decorar a Capela Ducal do S. George Castel, em Mântua. No painel acima, o artista retrata os três Reis Magos em frente à gruta, onde se encontra a Virgem Maria com Jesus nos braços.

A Virgem com seu Menino aparece sentada na abertura de uma gruta escura, onde recebe os visitantes. Ela é retratada com uma coroa composta por doze pequenos anjos sobre nuvens azuis, em torno de sua cabeça e tronco. De um deles, posicionado às suas costas, vê-se apenas a ponta da asa vermelha. Os querubins da esquerda, avermelhados, diferem-se dos da direita, dourados. José, com seu cajado, e postado ao lado de Maria, fora da gruta, acolhe os visitantes.

Uma espada paira acima da cabeça de Maria, como a lembrar seu sofrimento futuro. Traz uma estrela na ponta, responsável por guiar os Reis Magos. No topo da gruta estão quatro querubins, separados dois a dois pela espada. Próxima aos quatro anjos, à esquerda, está uma figueira com um galho seco e outro verdejante, que aludem à morte e à ressurreição de Cristo.

Os Reis Magos, depois de passarem por um caminho talhado na rocha, acompanhados por um grande cortejo, com a presença de camelos e de pessoas orientais usando vestimentas e turbantes diversos e exóticos, encontram-se diante da gruta. O mais velho deles ajoelha-se próximo à Virgem e seu Menino, postando o presente à sua esquerda; o segundo está de pé, com o chapéu numa mão e o presente na outra; e o terceiro está atrás, ajoelhado, com seu turbante no chão, segurando o presente com as duas mãos. Só o rei negro não usa barba.

A cena não transmite alegria. Os personagens mostram-se sérios e compenetrados, em meio a uma paisagem rochosa. Para alguns, o quadro tem por objetivo propor uma reflexão sobre os mistérios cristãos de nascimento, sacrifício e ressurreição de Cristo.

Obs.: O tríptico foi desmembrado e remontado apenas no século XIV.

Ficha técnica
Ano: c. 1462-1464
Técnica: têmpera em madeira
Dimensões: 76 x 76 cm
Localização: Galleria deglu Uffizi, Florença, Itália

Fonte de pesquisa
A Enciclopédia dos Museus/ Mirador
1000 obras-primas da pintura europeia/ Könemann
http://www.geometriefluide.com/pagina.asp?cat=adorazione-magi-tritticouffizi-decorcappsangiorgio&l=en

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *