Mestre de Flémalle – SÃO JOÃO BATISTA COM…

Siga-nos nas Redes Socias:
FACEBOOK
Instagram

Autoria de LuDiasBH

A composição intitulada São João Batista com Henry de Werl, e também conhecida por Altar de Werl, ou ainda O Tríptico de Werl, do qual só restam as laterais, é uma obra do Mestre de Flémalle, pintor flamengo. Há um grande consenso na opinião acadêmica de que ele deve ser identificado como sendo o pintor Robert Campin (c.1375 – 1444) que foi o principal pintor de sua época, em Tournai, mas cujas imagens documentadas não sobreviveram.

Estas duas pinturas compõem o “Altar de Werl”, retábulo formado por três painéis. O painel central, infelizmente, perdeu-se através dos tempos. O artista, em sua obra, preocupa-se, sobretudo, com o cenário, sendo que cada objeto possui sua identidade própria. Várias fontes de luz iluminam o ambiente dos dois cenários aqui apresentados. Embora se tratem de um ambiente burguês, o artista não permite perder seu conteúdo religioso.

A primeira cena, apresentada pelo painel à esquerda, mostra um religioso que se encontra numa varanda, ajoelhado, rezando de frente para uma porta aberta, que dava para o painel central. Ele é um teólogo franciscano (Heinrich von Werl), doador da obra, cujo título leva o seu nome. Atrás dele está São João Batista que veste um manto vermelho. Este manto, usado sobre sua humilde vestimenta de pele de camelo, simboliza sua morte como mártir. Na mão esquerda, ele segura um livro fechado e, sobre ele, um cordeiro que simboliza Jesus Cristo. Às costas do santo, através da janela aberta, divisa-se uma bela paisagem. Um móvel, à sua esquerda, traz pendurado um espelho convexo (influência de Jan van Eyck), onde metade da cena da frente se reflete.

O outro painel, que representa a ala direita do retábulo, apresenta Santa Bárbara, sentada num banco de madeira, coberto com almofadas vermelhas, lendo um livro sagrado. Ela usa uma suntuosa vestimenta azul e dourada, coberta por um manto verde. Atrás dela, o fogo crepita na lareira, iluminando parte do ambiente. Olhando através da janela pode-se observar a cena de seu martírio que é ali retratada.

Os dois painéis sobreviventes tornaram-se famosos, sobretudo, pelo tratamento que o artista deu à forma e à luz, tendo influenciado inúmeros artistas.

Ficha técnica
Ano: 1438

Técnica: óleo sobre madeira
Dimensões: 101 x 47 cm (ambos os painéis)
Localização: Museu do Prado, Madri, Espanha

Fonte de pesquisa:
Enciclopédia dos Museus/ Mirador

http://www.cruzterrasanta.com.br/significado-e-simbolismo-de-sao-joao-batista

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *